História Ginger Cookies - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7, JJ Project
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags Amorzinho, Bnior, Bnyoung, Chef Jb, Escritor Jinyoung, Got7, Jjp, Pouquinho De Angst, Pov Principal Do Jb
Visualizações 52
Palavras 3.469
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ♥

Capítulo 9 - Sugar Glass


Fanfic / Fanfiction Ginger Cookies - Capítulo 9 - Sugar Glass

Jaebum terminou de organizar tudo que iria precisar no baú da caminhonete que alugara para carregar as coisas da sua loja até a casa dos Park.

Hoje era o dia da festa de fim de ano que a família costumava organizar e Jaebum decidiu usar a cozinha da residência para preparar tudo. Sua loja era demasiada pequena para comportar tantos doces e principalmente o bolo que a Sra.Park escolheu. Fechou a porta do carro e junto com seus demais ajudantes da cozinha e BamBam seguiu para a mansão.

Ainda era cedo e o orvalho congelado na grama indicava que o inverno estava a poucos dias de se iniciar. Seus colegas de trabalho da época da mansão os ajudaram a descarregar todo o equipamento e ingredientes assim que chegaram.

- É tão bom ver você novamente nessa cozinha Hyung. Sinto falta do cheiro doce da sua comida. - Falou Youngjae largando alguns acessórios no balcão.

- Confesso que sinto falta de trabalhar aqui. Foram bons tempos.

- Jinyoung oppa foi o mais afetado com sua ausência. Ele parecia um zumbi vindo à cozinha de vez em quando e olhando para a direção onde você costumava ficar. - Nayeon falou imitando como Jinyoung costumava se comportar enquanto todos riam.

Jaebum corou ao falarem do mais novo. Provavelmente ninguém ali sabia dos encontros dos dois. Depois do jantar, finalmente eles tinham trocado seus números de telefone e agora conversavam com mais frequência através de mensagens e até mesmo algumas ligações.

- Bom, temos muito o que fazer. Esses aqui são meus ajudantes na loja, por favor os auxiliem a entender como funciona tudo aqui. - Falou Jaebum apresentando sua equipe que foi bem recebida pelos demais.

A primeira hora Jaebum gastou explicando a ordem do que seria feito e organizando os ingredientes para que ficasse o mais prático possível. Assim que definiu tudo, ele seguiu para produzir o bolo, pois seria o mais difícil e importante da noite. 

 

A manhã passou como um piscar de olhos pela equipe da cozinha, que corria de um lado para o outro assando doces e tortas, preparando massas e confeitos. Todos estavam concentrados e preocupados para que tudo saísse conforme o esperado pela dona da casa.

- Jaebum, acho que precisamos de mais farinha aqui. - Falou Jae, um dos ajudantes, enquanto dava o ponto da massa do que seria algumas tortas de amoras.

- Certo, vou buscar mais na despensa. - Respondeu Jaebum diminuindo o fogo do forno que estava observando e indo até o cômodo lateral a cozinha.

A despensa dos Park era maior do que a cozinha da loja de Jaebum. Passou pelos armários até chegar à prateleira onde estavam as farinhas. Escolheu a melhor para o que Jae estava fazendo e quando se virou para voltar a cozinha alguém entrou no cômodo fechando a porta.

O sorriso do confeiteiro foi automático e malicioso ao ver Jinyoung se aproximando de si com um sorriso igualmente estampado no rosto.

- Não acredito que você está na minha casa e não tirou cinco minutos para ir falar comigo. - Jinyoung falou com uma cara emburrada, mas retirando o saco de farinha das mãos de Jaebum, o colocando na prateleira ao lado, e depois passando os braços em volta do pescoço do mais velho.

- Você sabe que não foi minha intenção. Mas hoje temos muitas coisas a fazer, não consegui tirar um minuto de folga. - Jaebum passou os braços pela cintura do outro, o trazendo para perto e selando seus lábio gentilmente.

Se alguém de fora os visse, pensaria que eram namorados de longos anos, porém nenhum dos dois saberia definir o tipo de relacionamento que estavam vivendo no momento.

- Eu sei. Por isso vim aqui roubar seus cinco minutos. - Sorriu Jinyoung puxando Jaebum para outro beijo, dessa vez um pouco mais intenso.

As mãos de Jaebum passaram por todo torso do mais novo até chegar na curva da lombar, onde ele não resistiu em pressionar um pouco seu corpo contra o do outro, fazendo com que Jinyoung desse um leve gemido interno.

- Ah Jinyoung - Jaebum falou baixo se separando do outro antes que o beijo começasse a esquentar demais. - Eu preciso voltar. Tenho muito o que fazer e terminar de confeitar o bolo de sua mãe. Você sabe que é importante.

Jinyoung fez um beicinho infantil, mas cedeu ao pedido do confeiteiro, dando um ultimo selinho antes de se afastar definitivamente e se virar para ir embora.

- Acho bom você ficar até o final dessa festa hoje, Im Jaebum. - O mais novo sorriu saindo da despensa seguido por Jaebum que apenas ria baixo da última frase ouvida. Ignoraram os olhares dos demais na cozinha fingindo como se não fosse com eles.

Esculturas de açúcar eram uma das habilidades de Jaebum. Desde a época da faculdade ele se destacou pelas formas que conseguia com o açúcar quente que depois que esfria parecia cristal. O bolo escolhido pela sra. Park era algo que representasse o inverno branco, algo que fosse bonito, clean e lembrasse a sua estação favorita do ano.

Jaebum criava pequenos flocos de neve com o açúcar. Era um trabalho minucioso e delicado que levou a tarde inteira para que finalmente o confeiteiro conseguisse finalizar o trabalho.

Com três andares, camadas de bolo com recheio de ganache branco, cobertura de açúcar gelado e chantilly mais a decoração dos cristais de açúcar em forma de flocos de neve, fez com que o bolo de Jaebum parecesse uma escultura de neve. Todos da cozinha estavam impressionados com o resultado final, tirando fotos e parabenizando Jaebum e sua equipe.

Jaebum sabia que o bolo era a atração principal, por isso colocou todo seu esforço nele e embora tivesse sido um pedido da sra. Park, no fundo ele queria a aceitação de uma outra pessoa. Ter o reconhecimento do seu trabalho por Jinyoung ainda era um dos seus motivadores a sempre melhorar, mesmo sabendo que o escritor iria sempre achar algo para criticar. Mas a esperança ainda estava ali.

Os ajudantes da confeitaria ajudaram a montar a decoração da mesa no salão central da mansão, um ambiente circular e amplo onde ficava o lustre de cristal que Jaebum era apaixonado desde a primeira vez que visitara a casa. Os funcionários da mansão haviam decorado todo ambiente com luzes brancas, deixando o ambiente bem iluminado e com uma cara festiva das festas de final de ano. No canto perto da janela tinha uma árvore de natal onde – chutando - Jaebum acreditou ter uns três metros de altura, completamente decorada com enfeites que provavelmente eram mais caros que as poucas jóias que Jaebum se dera ao luxo de comprar.  

Toda a equipe voltou a cozinha e Jaebum mandou se trocarem para que participassem da festa. Assim como a festa de Halloween, os funcionários e terceirizados eram autorizados a participar. Dessa vez Jaebum não ia precisar da ajuda de ninguém para se vestir. Foi para o quarto dos fundos juntos com os companheiros de trabalho e pegou o terno que havia trazido junto com as coisas da loja.

Usou o banheiro do local e trocou suas roupas deixando para estilizar seus cabelos por último, onde ele finalmente os penteou para trás formando um topete impecável. 

- Olha Hyung, se eu já não tivesse interessado em outra pessoa eu poderia dizer que você seria meu alvo da noite. - Bambam falou terminando de ajustar seu terno dando uma piscadinha para seu chefe.

- Ainda bem que temos outro sacrifício na minha frente. - Brincou Jaebum corado observando seu reflexo.

- Agora entendo porque aquele cara de mais cedo foi atrás do Jaebum na despensa. - Jae falou limpando os óculos - Hoje alguém vai se dar muito bem.

- Jae… - Jaebum falou num tom de ameaça, porém corado e rindo levemente pela frase do ajudante. - Não é isso que estão imaginando.

- É uma pena se não for, Hyung. - Bambam respondeu agora esperando os demais para irem ao salão. - Só um idiota iria perder um homem tão lindo como você.

Jaebum não respondeu, apenas virou os olhos ignorando os comentários dos funcionários e finalmente indo ao salão de festas. 

 

Alguns convidados já haviam chegado e Jaebum caminhava ao lado da mesa ouvindo por entre os doces os elogios que seu trabalho recebia. Controlar o ego era difícil em situações como essa, mas Jaebum acreditava que era necessário saber ouvir os elogios e críticas, quando essas existissem.

- Jaebum-ssi. - Chamou o senhor Park se aproximando de Jaebum com duas taças de champagne, entregando uma delas para o confeiteiro.

- Senhor Park, boa noite. - Respondeu o outro agradecendo a taça com uma leve reverência.

- É uma tristeza não ter você em nossa equipe, porém não posso negar que ficou incrível esse trabalho. Minha esposa fez questão de ser você para a decoração de fim de ano, mesmo muitos outros chefs renomados terem se oferecido.

- Eu me sinto muito lisonjeado por ter tido essa oportunidade e  de ter entregue um trabalho a altura dessa festa incrível. Vocês e seus convidados merecem sempre o melhor.

- Você é um jovem de muito talento, tenho observado seus movimentos com a sua nova loja. Gostaria de em um futuro breve ter uma conversa de negócios mais a sério com você. Claro, se não tiver problemas.

- Seria um prazer, Sr. Park. Tenho certeza que podemos fazer bons negócios. - Jaebum sorriu agradecendo.

- Com certeza. Agora por favor aproveite a festa. Você já trabalhou demais por hoje. Irei cumprimentar alguns amigos. - O sr. Park se retirou deixando Jaebum com um sorriso esperançoso. 

 

Assim como na festa de halloween, Jaebum procurava Jinyoung pelo salão, tentando encontrá-lo entre o mar de pessoas que ali estava. Bambam falava animado com Jae ao seu lado, mas seus ouvidos não conseguiam processar nenhuma mensagem do que vinha deles. Sentiu um leve toque no ombro direito e se virou para encontrar quem estava lhe chamando. Com um conjunto de terno e calças vermelhos intensos, Jinyoung sorriu ao perceber o arregalar dos olhos de Jaebum ao vê-lo.

- Cuidado para não babar, Jaebum. - Jinyoung brincou com o mais velho.

Jaebum num reflexo passou uma das mãos pelos lábios como se fosse limpar algo ali, depois riu sem graça pela piada do outro.

Os dois conversaram um pouco junto com Yugyeom, Bambam e Jae que estavam ali formando um círculo. Todos pareciam muito confortáveis como se fossem amigos antigos e Jaebum podia sentir o cotovelo de Jinyoung encostar em si toda vez que o outro ia rir de alguma bobeira que os mais novos falavam. A noite foi passando e a escolha de músicas ficou mais animada, agora que muitos dos convidados já estavam na festa e com um pouco do álcool correndo nas veias.

- Jaebum… - Jinyoung chamou o mais velho ao pé do ouvido - Vamos dançar.

- Eu não sei se sou bom nisso. - Respondeu o confeiteiro sem graça, mas já acompanhando o mais novo para a pista de dança depois de deixar a taça de champanhe vazia em cima de uma das mesas.

- Você não tem que ser perfeito, apenas não pise nos meus pés. - Brincou começando a dançar ao ritmo da batida. 

Jaebum não era muito de dançar. Claro que nas festas da faculdade ele arriscava alguns passos, mas sempre preferiu ser o cara do bar. Achava menos trabalhoso. Porém, ali, com Jinyoung se mexendo na sua frente, ele não conseguia deixar o corpo parado. Acompanhava os movimentos do mais novo e ambos riam quando ele fazia algo desajeitado. Bambam e Yugyeom dançavam juntos um pouco a frente e eles tentavam repetir os passos bem elaborados dos dois no qual Jaebum ficou surpreso em saber que o seu ajudante era capaz. A música trocou para uma um pouco mais lenta e sensual e o confeiteiro sentiu a mudança no clima entorno dele e Jinyoung.

O escritor passou os braços pelo pescoço do confeiteiro e começou a movimentar-se lentamente fazendo com que seus corpos se esfregassem com mais força.

- Jinyoung, estamos em público. - Jaebum falou baixo para o outro.

- E? Não estamos fazendo nada de errado, apenas dançando.

- Se você olhar em volta vai perceber que não estamos lá muito bem no ritmo da música, não como os outros…

- Mas nós não temos que ser iguais aos outros. - Jinyoung se aproximou ainda mais de Jaebum - Nós não somos iguais a ninguém aqui. - Roçou seus lábios levemente no pescoço do confeiteiro recebendo um aperto na cintura onde este estava segurando.  

- Não brinque comigo assim. - Jaebum puxou Jinyoung contra seu corpo dando um leve impulso com o quadril apertando suas pélvis uma contra a outra.

Jinyoung fez um barulho baixo com a garganta mordendo o lábio inferior entre os dentes.

- Eu acho que nós podíamos subir para o meu quarto… - Jinyoung falou perto dos lábios de Jaebum. - Não aguento mais ficar nessa nossa brincadeira.

- Não é uma má ideia. - Jaebum sorriu maliciosamente e segurou nas mãos de Jinyoung que começou a puxá-lo entre os dançarinos da festa indo em direção ao corredor das escadarias da mansão. 

 

 

 

“JINYOUNG”

Uma voz aguda e um chumaço de cabelos separaram Jaebum de Jinyoung enquanto este era abraçado por alguém que o confeiteiro não pode ver o rosto.

- Somi… - Jinyoung falou baixo sem demonstrar a mesma reação da garota que agora havia soltado o outro sorrindo abertamente.

- Eu senti tantas saudades de você. Nossa, você está tão bonito. Parece até mais jovem. - Falou a garota, Somi, segurando as mãos do escritor.

- Eu não sabia que você vinha a festa.

- Decidimos fazer uma surpresa. - Uma voz por trás de Jaebum falou aparecendo lentamente sorrindo para o amigo.

- Mark. - Jinyoung não sabia qual expressão fazer, finalizando com um sorriso que não chegava aos seus olhos.

- Finalmente nos reunimos. - Mark falou abraçando o amigo e depois segurando a mão direita de Somi. 

Jaebum pode sentir enquanto era visivelmente ignorado pelas pessoas à sua frente a mudança no humor de Jinyoung, todo o clima que eles estavam a instantes atrás havia se apagado e uma névoa escura circundava seu corpo.

- Pois é, finalmente… Vocês deveriam ter me avisado.

- Mas assim não seria surpresa. - Falou Somi sorrindo.

- Nós viemos passar o fim de ano com a família dela aqui. Meus pais estão na cidade também. - Mark completou sorrindo para a namorada.

- Isso é ótimo. - Jinyoung respondia de maneira seca.

- Jinyoung, você já está sabendo né? Eu sei que o Mark contou para você primeiro. - Somi falou rindo envergonhada.

- Sei o que? - Jinyoung suspirou fundo ajustando o terno em seu corpo. Ele sabia o que a garota estava insinuando, Somi era sempre assim. Se dava de inocente para ataca-lo da maneira mais lavada possível.

A garota ergueu a mão direita mostrando um lindo anel dourado com um diamante na ponta sorrindo de forma tímida.

- Nós vamos nos casar no próximo verão.

Jinyoung empalideceu e sentiu sua boca secar com a informação. Sim, ele sabia do pedido de casamento, mas não que tal fato já havia se concretizado e agora era jogado na sua cara de forma brusca enquanto o casal sorria de forma apaixonada um para o outro.

- Finalmente. -  Jinyoung falou baixo. - E sim, eu já sabia. - Tentou parecer que a notícia não o afetará como realmente havia.

- Nós queremos fazer um convite para você...

Jinyoung deu um leve passo para trás enquanto sua visão ia lentamente ficando turva, impedindo que escutasse o restante da fala da amiga. Jaebum percebeu a mudança repentina no mais novo e finalmente se intrometeu na conversa.

- Desculpe intrometer na conversa - Falou entrando na frente de Jinyoung e o segurando pelo braço - Mas o Jinyoung não estava se sentindo muito bem e eu estava o acompanhando para o quarto para descansar um pouco. Será que poderiam conversar mais em outro horário?

- Ah, claro, você realmente aparenta um pouco pálido Jinyoungie. - Mark falou se aproximando do amigo, mas quando foi esticar a mão para tocar na testa de Jinyoung, Jaebum o impediu tirando o mais novo de perto e lançando um olhar em desaprovação para o outro.

- Obrigado. - Jaebum puxou Jinyoung para perto e começou a caminhar com o mesmo até o quarto. 

 

Jinyoung o olhou pelo canto dos olhos e depois acenou para os amigos fingindo estar tudo bem até chegarem em seu quarto onde entrou se livrando dos braços do confeiteiro de forma brusca.

Jaebum fechou a porta e se encostou na mesma observando Jinyoung caminhar pelos lados do quarto com a respiração forte, passando as mãos pelos cabelos e nitidamente segurando as lágrimas. 

- Quem eram? - Jaebum perguntou mais imponente do que imaginou.

- Não é da sua conta. - Jinyoung respondeu ríspido.

- Na verdade é da minha conta sim, se eu levar em consideração que você estava comigo e depois que os dois chegaram você simplesmente me ignorou.

Jinyoung lançou um olhar desagradável ao confeiteiro e rolou os olhos em discordância. 

- Não te ignorei, eu apenas conversei com eles. São velhos amigos.

- Aquele rapaz… O Mark, quem é ele? - Jaebum havia se aproximado um pouco do mais novo, mas ainda estavam distantes por uns três passos.

- Ele é um amigo de infância… Os dois são. Costumávamos brincar juntos, nós três mais o Yugyeom.

- Por que toda vez que ele aparece você fica assim?

- O que você quer dizer com isso?

- Eu me lembro muito bem da última vez que ele veio te visitar, como você ficou no seu escritório.

Jinyoung engoliu em seco desviando o olhar de Jaebum e voltando a caminhar pelo quarto.

- Jinyoung…

- Pare de fazer essas perguntas para mim Jaebum, eu não tenho que te dar satisfações. - Jinyoung estava irritado, mas algumas lágrimas começaram a correr pelo seu rosto timidamente.

- Não, você realmente não tem que me dar satisfações… - Jaebum pensou nas palavras certas para continuar a falar - Mas eu me preocupo com você e eu não gosto de te ver assim.

O escritor encostou as mãos na beirada da janela enquanto olhava o jardim iluminado, tentando segurar as lágrimas. Alguns minutos se passaram com eles em silêncio, Jaebum tentando entender o motivo de tudo aquilo, mas apenas uma coisa passava por sua cabeça e mesmo que lhe incomodasse muito, ele decidiu perguntar.

- Você o ama?

Jinyoung arregalou os olhos e o soluço do choro foi o único som que saiu de si enquanto se agachou no parapeito da janela. Jaebum entendeu. Caminhou até o mais novo e o abraçou, igual fizera da outra vez, deixando os soluços de Jinyoung serem o único som entre eles. Seu coração estava apertado, nunca antes havia sentido tamanha frustração em relação a alguém. Porém ver o escritor tão frágil em seus braços lhe impedia de ir embora. 

- Você já contou para ele? Sobre os seus sentimentos… - Jaebum finalmente falou depois de longos minutos em silêncio, quando finalmente as lágrimas do outro diminuíram.

- Até parece. - Jinyoung respondeu rindo ironicamente. - Mark nunca me olhou assim.

- E como você sabe se você nunca falou?

- Eu sei muito bem Jaebum. - Jinyoung se soltou dos braços do outro. - Não é assim tão simples.

- Jinyoung, para alguém que vive das palavras elas costumam falhar bastante para você. Sua vida poderia ser muito melhor se você fosse mais direto.

- Ah você acha? - Jinyoung perguntou olhando arrogantemente para o outro.

- Eu acho. - Jaebum desafiou Jinyoung.

- Então eu vou usar bem minhas próximas palavras. Cai fora daqui. - Jinyoung apontou para a porta.

- Sério? - Jaebum questionou incrédulo.

- Nunca fui tão sério na minha vida. - Jinyoung tremia, seus olhos estavam novamente marejados. No fundo ele não queria dizer aquelas palavras, mas ele odiava ser questionado por outras pessoas.

- Ok. - Jaebum falou depois de encará-lo por um tempo. Sorriu triste e caminhou até a porta e olhou Jinyoung uma última vez destrancando-a. - Adeus.

A porta bateu de forma brusca. Jaebum caminhou direto ao quarto dos funcionários onde pegou suas coisas e foi embora da mansão, deixando apenas uma mensagem de texto para Bambam dizendo que fora embora mais cedo. Seu coração batia acelerado enquanto ele caminhava agitado pelas ruas frias em direção ao metrô. Algumas gotas de chuva fina que antecipavam os primeiros flocos de neve caiam sobre seu rosto, mas já não era possível saber se o líquido ali era resultado da chuva ou de suas lágrimas. 


Notas Finais


Por favor não me matem, eu avisei que era para preparar o coraçãozinho TT

Obrigada por ler e continue comigo para os próximos capítulos ♥ Comentários são muito bem-vindos, mesmo de for para vcs me xingarem pelo que aconteceu acima... (mas sejam bondosos çç).

Fale cmg no twitter (@ bunnytobeat)

XoXo~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...