História Girl group - INTERATIVA - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~santines

Exibições 13
Palavras 3.936
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEPOOOIISSSS DE MUIITOOOOOOOOOO TEMPO VOLTAMOSS AEEEEE

eu sei eu sei desculpa, mas olha só, esse cap tem fotinha^^

boa leitura e nos vemos nas notas finais^^

Capítulo 6 - Hug me, I'm scared


Fanfic / Fanfiction Girl group - INTERATIVA - Capítulo 6 - Hug me, I'm scared


 

[Sofia pov on]

Eu estava lá naquela festa, fazendo o que? Isso mesmo, vários nadas.

Eu poderia estar dançando ou bebendo, mas não, eu não bebo e sou um pouco... timida pra ir dançar na frente de todo mundo? É, acho que é isso. Prefiro ficar aqui sozinha nessa mesa... sim, sozinha. As meninas meio que me abandonaram aqui sozinha. Elas praticamente evaporaram. E eu sou muito estranha dançando, ninguém merece né. Fico observando o pessoal naquela festa, pessoas estavam pulando, dançando, bebendo, eu já estava começando a ficar com tédio. Então eu vi Aen comendo uma coisa estranha mas isso não importa, eu já sei que aqui tem comida e já sei o que vou fezer nessa festa. Comida que me aguarde.

Vou em direção àquela mesa enorme com muita comida quando vejo pelo canto do olho alguém se aproximar de mim, me viro rapidamente e então vejo que é a Cassie, que aparentemente, está bêbada. Me afasto um pouco levando uma das minhas mãos ao meu nariz para não sentir o cheiro forte que vem da boca de Cassie, ela chega mais perto de mim e tenta falar algo mais eu não consigo entender. Ela tenta falar novamente e então consigo entender.

-So-Sofia! E-ei!- Ela grita em meu ouvido.

-Não precisa gritar! Eu estou ouvindo!

-On-onde eu tô?- Cassie me pregunta e então vejo que ela realmente está muito bêbada. 

-Não sai daqui ok? Vou procurar as outras meninas!- Falo deixando-a lá. 

Saio em busca das outras meninas que possam estar bêbadas, lá vou eu.

Passo pelas pessoas que estão saltitantes, chego até a escada. A preguiça falaria mais alto mas eu preciso achar as meninas. Subo as escadas com rapidez porém com cuidado já que estou de salto alto, que maravilha. Chego no andar de cima, é realmente muito grande, foco Sofia, você precisa achar as meninas.

Vou andando pelo corredor quando vejo um homem cambaleando, não consigo reconhecer quem é, mas mesmo assim vou andando. Esse homem vai chegando cada vez mais perto de mim até que eu paro de caminhar, ele chega perto de mim até que ficamos frente a frente, consigo sentir o cheiro de álcool vindo de sua boca. Ficamos alguns segundos nos encarando e antes que eu pudesse fazer alguma coisa ele simplesmente desmaia caindo em cima de mim, sua cabeça agora está em meu ombro direito e seu corpo está mole, para que ele não possa cair e me levar junto ao chão seguro com os dois braços em volta de sua cintura e o puxo, fazendo com que seu corpo se encontre com o meu, assim me dando liberdade para que eu possa usar minhas pernas para poder caminhar, ele é muito pesado e não consigo achar um lugar em que eu possa deixá-lo, então eu consigo avistar uma porta, caminho com dificuldade até essa porta e rapidamente tiro uma de minhas mãos da cintura do homem e consigo abrir a porta e vejo que é um... banheiro? Ok, serve. 
Entro no banheiro e vejo que tem uma banheira, ótimo. Moço se prepare porque você vai ficar na banheira. Fecho com dificuldade a porta do banheiro porque né... Não quero ninguém pensando que vou fazer algo com esse ser humano. Vou caminhando lentamente até a banheira e o deito nela com cuidado para que ele não se machuque.

Deixo ele deitado na banheira e antes de sair do banheiro eu encosto meu ouvido em seu peito para tentar ouvir as batidas de seu coração, vai que... né? 

Me levanto, bato as mãos em meu vestido e vou indo em direção à porta, coloco minha mão na maçaneta e olho para trás... mas então, ele vai ficar aqui sozinho, desmaiado? Coitado... eu não devia sentir pena dele, mas... eu acho que eu devia ficar aqui. Até porque lá na festa eu não ia ficar fazendo nada, então acho que não vai fazer diferença. Fecho as tampas do vaso e sento nele, o moço nem se mexe. Estranho.

Tento fechar os olhos e cochilar um pouco, já que o moço está desmaiado. Mas eu não consigo me concentrar em meu belo sono já que a música está muito alta e isso me impede de dormir.

[Quebra de tempo]

Estou perdida em meus pensamentos quando escuto um barulho, um gemido de dor.
Olho para o lado e vejo que o moço está começando a se mexer, logo me levanto e vou em direção a ele que olha para o meu rosto, me abaixo perto da banheira para que eu consiga ficar na mesma altura que ele e ele continua me encarando, mas dessa vez é com um olhar confuso, coloco minha mão em sua testa com a intenção de ver se ele está muito quente e ele se assusta com a minha ação, sem querer deixo um sorriso de lado e fraco de deboche escapar. Ele está suado, e agora ele parece mais ativo porém cansado, ainda estou com minha mão em sua testa e quando vou tirá-la ele segura em meu pulso e dessa vez sou eu que me assusto, tento puxar meu braço mas ele segura com mais força, é acho que ele está bem acordado.

-Quem é vo-você?- pergunto para ele ainda assustada, e eu gaguejo um pouco. Isso foi um erro.

-O que você fez comigo?- ele pergunta calmo porém sério. 

-Você estava bêbado e desmaiou encima de mim, então te trouxe para este banheiro já que não achei outro lugar para te deixar, e você também não é muito leve, sabe? Depois que eu te deixei aqui eu decidi ficar aqui com você caso você acordasse confuso, você não se lembra?- eu disse e o vi com um olhar de surpresa

-Ah, não me lembro... desculpe por dúvidar de você, meu nome é Namjoon, Kim Namjoon.- ele diz estendendo a outra mão sem perceber que uma de suas mãos está segurando meu pulso. 

-Er... Então, meu braço, sabe?- eu disse fazendo com que ele percebesse que ainda não tinha soltado meu pulso.

-Oh, desculpa- ele diz soltando meu pulso.

-Ok, então já que está bem eu estou indo.- falo me levantando e indo até a porta. Vejo pelo canto do meu olho que ele está levantando da banheira e me apresso mais ainda para abrir a porta. 

Antes que eu pudesse abrir a porta escuto um barulho, olho para trás... ele desmaiou de novo. Lá vou eu de novo. 
Saio do banheiro agora com Namjoon em minhas costas, ele continua pesado e eu continuo com esse salto horrível que não está ajudando em nada. Estou na metade do caminho do corredor quando escuto passos, olho para traz, porém me esqueço que a cara do Namjoon está basicamente na minha clavícula, assim que eu me virei eu dei de cara com ele, mas então pude ver que era um outro rapaz que eu não conhecia... tomara que ele não desmaie também. 

-O que você fez com o meu Hyung?- perguntou o homem que, aparentemente está lúcido. 

-Hyung? E-eu não fiz nada com ele!- tentei me justificar. 

-Então por que ele está assim?- ele pergunta horrorizado me olhando de cima a baixo

-Ele desmaiou! Estou só tentando levá-lo para um lugar mais calmo!- eu falo, mas o homem não parece acreditar

-Tem certeza que não fez nada com o meu Hyung?

-Eu só estou tentando ajudar!

-Hm...ok, meu nome é Taehyung, e você é a...

-Sofia.

-Você não é coreana, legal.- ele disse me analisando

-Obrigada, já que você está aqui cuide do seu amigo.- Falei deitando Namjoon com cuidado no chão. 

-Espera! Eu preciso achar meus amigos!- ele disse desesperado

-Sofia! Cadê você? Ah... aí está vo... Olá menino que eu não conheço.- diz Aen aparecendo na porta e caminhando pelo corredor até que avista o Taehyung. 

-Olá menina que eu não conheço- responde Taehyung

-Enfim, Sofia eu perdi as meninas de vista e acredito que elas estejam bêbadas, você tem que me ajudar!- diz Aen desesperada

-Eu posso ajudar!- Taehyung diz

-Taehyung você tem que cuidar do seu amigo! Deixe que eu e a Aen cuidamos de achar as pessoas.- eu disse

-Ahh... seu nome é Aen então, nome bonito, enfim... o Namjoon vai ficar bem! Por favor me deixe ajudar vocês! Tem um quarto no próximo andar, nós deixamos o Hyung lá!- diz Taehyung

-Ai que fofo! Vamos Sofia, ele vai nos ajudar!- diz Aen

-Ah, e pode me chamar de Tae- ele diz me olhando

Não respondo o Tae mas o ajudo a levantar Namjoon e levá-lo até o andar de cima, e quando chegamos no corredor de lá já damos de cara com uma porta, ao abrirmos vemos um quarto e uma cama de casal enorme. É lá que o Namjoon vai ficar. Ajudo Tae a colocar Namjoon na cama e Aen apenas nos segue, saimos do quarto e é agora que começamos uma grande procura. 

Chegando lá na festa, ou melhor, no tumulto, Aen fala:

-Precisamos nos separar, aí vai ficar mais fácil para achar elas.

-Ok, então se espalhem, cada um para um lado.- diz Tae

E assim foi. Cada um foi para um lado procurar meninas e meninos específico. 

[Sofia pov off]

[Aen pov on]

Depois que nos separamos eu comecei a olhar atentamente para os lados para ver se achava as meninas. Uma tarefa muito difícil. Eu queria aproveitar essa festa já que tem comida, mas também tem... balões! Sim eu tenho medo de balões, ou melhor, fobia. E não gosto principalmente quando eles começam a estourar, eu já desmaiei uma vez quando eu estava numa festa que tinha balões. Vou andando e olhando para os lados quando percebo como essa festa está uma bagunça, e como eu poderia achar as meninas dentro disso. Ando mais um pouco, meus pés já estão doendo, não gosto nada de saltos nem de vestidos. Tento acelerar os meus passos até que escuto um barulho assustador, para de andar e fico prestando atenção no que eu estou ouvindo, e mais uma vez escuto o barulho e dessa vez eu já sei o que é... os balões... as pessoas estão estourando eles.
 

Os barulhos ecoam pela minha cabeça e lá estou eu parada olhando balões voando para todos os lados. Sinto minhas pernas tremerem um pouco mas mesmo assim eu tenho forças suficiente para andar mais rápido do que antes, os balões estão vindo na minha direção e as pessoas continuam estourando eles, quando percebo que pessoas estão estourando com a boca, pés, estão até estourando as bexigas abraçando uns aos outros, e eu estou parada, não consigo mais andar, engoli em seco. Tento dar mais um passo, mas antes que eu pudesse fazer qualquer movimento vem uma pessoa que eu não conheço e me abraça com o objetivo de estourar a bexiga que trazia consigo. Tento negar com a cabeça mas estou paralisada, ele estoura a bexiga estando abraçado comigo logo depois ele grita e começa a pular indo em direção ao centro do tumulto. Eu estou tremendo e não consigo pensar em mais nada, tento andar mais para a direção que eu estava indo, já que estou de frente para o tumulto eu devia ir para a esquerda, consigo andar mais um pouco quando sinto minha vista ficando turva, sinto minhas pernas ficando fracas, minha visão está escurecendo e então sinto meu corpo caindo, isso está acontecendo de novo, antes que meu corpo se encontre com o chão sinto uma mão rodar minhas costas até o meu ombro mais próximo do chão, e então deito com calma sem impacto nenhum, sinto um outro braço rodando a minha cintura pela frente até chegar atrás então sinto alguém me puxando para cima, sinto uma respiração próxima ao meu ouvido assim fazendo com que eu me arrepie, a pessoa que me segurou está tentando falar alguma coisa, ainda estou com os olhos poucos abertos e não estou ouvindo direito, o som está abafado, faço um esforço para ouvir. 

-Você está bem?- Fala a pessoa e agora consigo ver melhor quem é. É um homem de olhos e cabelos escuros, seu semblante é de preocupação. 

Tento mexer a boca para falar alguma coisa mas não tenho sucesso, o moço parece cada vez mais preocupado mas logo minha atenção é retirada de seus olhos para o barulho das bexigas estourando, começo a tremer e eu realmente não sinto minhas pernas, agarro em sua blusa na região da cintura e aperto com força, os barulhos aumentam e então fecho meus olhos com força e novamente o som começa a ficar abafado e eu vou soltando a blusa do moço que no momento está me ajudando, sinto meu corpo ser levantado mas dessa vez eu não estou fazendo nada, ouço passos e a cada passo que eu escuto meu corpo se mexe mais, ouço um barulho de porta fechando, os barulhos estão menos abafados, sinto meu corpo deitar numa superfice muito macia, melhor do que a minha cama... espera... eu estou numa cama. Ouço um barulho de chave trancando e logo depois uma respiração se aproximando de mim e é quando eu entro em desespero por dentro... o que vão fazer comigo?

O desespero faz com que eu consiga abrir os olhos rapidamente e dar de cara com o moço, ele coloca a mão em minha testa e logo depois vai para os meus pés retirando os meus saltos...ok, obrigada por isso. Ele se deita ao meu lado e começa a me olhar, quero perguntar para ele o que está acontecendo ou se aconteceu algo grande para ele ficar assim, mas devido ao choque que estou por conta minha fobia não consigo me mexer, tento piscar várias vezes para tentar fazer com que eu não desmaie de novo. Depois de muito esforço mental consigo mexer a boca e falar com ele.

-O-o que vo-você vai fa-fazer co-comigo?- falo gaguejando, e após eu fazer isso eu percebo o sorriso debochado que ele deu.

-Nada ué, não posso mais ajudar uma dama quando está em perigo?- ele fala debochando ainda com o sorriso no rosto. 

-Ta se se-sentindo um herói só por que não me de-deixou cair no chão?- falo tentando arquear a sobrancelha pra ele, o que não dá muito certo, e então ele me olha com desgosto. 

-Se quiser eu te levo de volta para lá.- Ele fala segurando em meu braço direito, mas não consegue puxá-lo, pois ainda estou em estado de choque e não consigo me mexer.-O que você tem? É só uma festa, vamos!- ele fala mas logo percebe que não teve sucesso. Ele então passa seu braço pelo meu pescoço e me puxa para mais perto de seu rosto, a ponta de nossos narizes estão encostadas.-Ei, você está me subestimando? Acha que só por que eu te tirei de lá que eu não posso colocá-la de volta?- ele fala com a voz rouca fazendo que meu corpo se arrepie.

-Mo-moço por favor não faça na-nada comigo, eu só tive uma crise de pânico por causa das be-bexigas! Se quiser, pode me deixar a-aqui, eu consigo me recuperar sozinha.- Falo e vejo ele arquear a sobrancelha e dar sorriso de lado.

-Jungkook, meu nome é Jungkook.- Ele fala sério mas logo depois da um sorriso timido e me deita novamente com cuidado na cama.-Do que você precisa para ficar boa logo? Sabe, tem uma festa lá em baixo, não seria legal se você não aproveitasse.

[...]

Ele me ajudou a sentar na cama... e logo em seguida foi buscar um copo de água com açúcar para eu me acalmar mais, o que deu certo. Logo eu fui ficando mais calma e menos tensa, então ele sentou na cama perto de mim e colocou a mão no outro lado passando o braço por cima de minhas coxas mas não encostando.

-O que você tem?- Ele fala olhando nos meus olhos.

-Globofobia, medo de bexigas estourando ou não... por que se interessa?- falei com um tom de curiosidade mas sem perceber que tinha sido um pouco grossa

-Nossa, você é um pouco rude sabia?-ele fala se aproximando um pouco mais de meu rosto com uma expressão de insatisfação. 

-E você é muito ousado, não acha?-falo apontando para nós dois assim fazendo ele perceber a posição em que estamos.

-Talvez...-ele fala olhando para o chão com um sorriso totalmente cínico.- Se é isso que você acha...-ele fala mas desse vez olhando para mim ainda com o sorriso cínico.

-Ei ei, não é nada disso que você está pen...

-Não não, eu entendi muito bem.- ele me corta me olhando com um sorriso de pura malícia

-Não pense em fazer nada comigo!-exclamo quando vejo o mesmo chegar mais perto de meu rosto.

-Eu disse que não era pra me subestimar-ele exclama ainda com o sorriso malicioso no rosto.

-Mas eu não disse na...-ele coloca o dedo em minha boca fazendo um sinal para que eu fizesse silêncio

-Apenas entra no clima, e tenta não me subestimar mais.-ele fala com o sorriso exalando malícia. 

Ele chega cada vez mais perto de meu rosto até que consigo sentir sua respiração em meus lábios, ele agora está sério e me olhando e a única coisa que eu consigo fazer nesse momento é fechar meus olhos com forças.

-E eu já disse que meu nome é Jungkook, agora quero ouvi-la falando meu nome, ou melhor...-ele termina a frase com uma gargalhada fraca

[Aen pov off]

[Cassie pov on]

Eu só acho que bebi algo de errado, mas assim... só acho mesmo.

Estou encostada na mesa depois da Sofia me largar aqui, e estou fazendo um esforço para não cair. Vou olhando e levo a borda do copo mais uma vez aos meus lábios para beber mais um gole disso que eu não sei o que é... mas então vejo um ser humano chegar na mesa...sozinho? Nossa, isso é raro. Avisto Jin chegar ao meu lado e começar a beber comigo. Ele também está bêbado. Do nada, ele começa a gritar sem motivo nenhum, mas como hoje eu não estou flor que se cheire vou meter o loko com ele também. Ele está sozinho, eu estranhei já que ele sempre tem um chiclete grudado nele, chiclete vulgo Lee Wendy. 

-Espera um pouquinho, dá pra calar a boca ou eu vou ter que calar para você?- grito com ele que fica surpreso mas logo depois disso eu começo a ver coisas que eu não deveria ver... o que eu to bebendo?

-Como assim você está me mandando calar a boca? Garota você sabe com quem você tá falando?- ele grita apontando o dedo na minha cara, e mesmo estando bêbada, eu fiquei com raiva. 

-Sei sim com quem estou falando, com um cara que me trocou!- gritei e mordi o dedo dele que logo começou a assoprar o mesmo na tentativa de amenizar a dor, o que não deu muito certo.

Ele me olha, e seu olhar exala pura fúria, ele levanta a mão para me bater e vem na minha direção, eu fecho meus olhos, apenas aguardando o tapa que ele pretendia me dar, mas não foi assim. Enquanto eu estava com os olhos fechados não senti tapa nenhum,  pelo contrário... nossos lábios estavam selados num beijo calmo. No momento, arregalei os olhos, mas logo em seguida eu fechei e assim entrei no clima.

Ele coloca a mão em meu ombro e me puxa para mais perto de seu corpo. Nos separamos do beijo por causa da falta de ar que ali se fazia presente, ele olha para os meus olhos e eu olho para os dele e então nos damos conta de que nos beijamos... ele arregala os olhos assim como eu e logo eu volto a beber a minha bebida mas com um pensamento na minha cabeça... eu beijei o Jin!

Eu não sei o que fazer, a bebida cujo eu não sabia o nome havia acabado e olhar para o balançar das pedrinhas brilhantes do meu vestido não era tão divertido. Aquele clima está  cansativo e a minha cabeça continuava latejando. Eu quero ir embora só que eu tinha que falar com ele, essa conversa tinha que ter acontecido a muito tempo. 

-Jin... - Virei meu rosto para ele que permaneceu virado para frente - Olha pra mim. - Eu digo colocando a mão sobre o seu rosto e puxando para a mim, vendo seus olhos meio marejados. Sinto uma luz branca em nossa direção. 

- Ok... - Ele diz piscando os olhos, me fazendo rir da expressão que ele fazia - Não ri! 

- Essa sua expressão acabou de me lembrar de quando nós brigamos e eu dei um tapa na sua cara - Eu falo tirando a mão de seu rosto e colocando na minha boca para diminuir o som das risadas. Outra vez a luz branca.

- Eu lembro... - Ele diz abrindo um sorriso - Eu comecei chorar que nem uma criança. 

- E no final eu comecei a rir daquilo e você não falou comigo por 2 semanas. - Falo lembrando daquilo tudo, sorrindo novamente e me sentindo meio tonta, provavelmente a bebida está fazendo efeito, tanto em mim quanto nele.

- Desculpa - Ele diz saindo do tema atual da conversa, me fazendo abrir um sorriso debochado. 

- Pelo o que? Por ter me trocado, tentado me bater ou por ter me beijado? - Digo citando as coisas erradas que ele tinha me feita nesses últimos tempos ou minutos - Qual dessas coisas que você o culpado das minhas raivas está se desculpando - Aponto o meu dedo para a seu o rosto.

- Bem... Talvez por tudo isso. - Ele diz passando as mãos pelo seu cabelo.

- Vou pensar no seu caso monamour. - Me aproximo mais dele soltando da mesa que eu me apoiava.

- Como você é chata Cassie, você é muito cabeça dura criança. 

- Criança e você seu traidor. - Dou alguns passos para trás em seguida me virando - Adeus traidor. 

Vou seguindo para frente tentando andar sem tropeçar em nada, algo que foi falho já que não demorou dois minutos para eu encontrar o meu querido chão e nele os cacos de vidro do copo que eu segurava. Parabéns Cassie. Faço uma nota mental para me lembrar de não beber quando estiver de salto, aliás eu não preciso mais dele no momento. Retiro o salto alto preto o que foi bem fácil já que eu estava sentada no chão. 

- Você realmente não mudou nada, continua uma criança destrambelhada. E você vai andar descalça nesse chão? - Ele se abaixou e me pegou no colo sem minha autorização. - Eu vou te levar pra casa.

- Não preciso da sua ajuda, e você vai cair porque a sua situação não tá melhor que a minha. - Percebo ele calambear um pouco - E a Sofia vem me buscar depois.

- Ela vai entender. - Ele vai em direção ao portão de saída se direcionando ao grande carro preto, abre a porta e me coloca deitada lá dentro se sentando ao meu lado e dando algumas informações ao motorista. - Quem te ensinou a beber? 

- Pra falar a verdade eu nem me lembro de ter pedido bebida, eu só pedi um suco e me deram aquilo. - O vejo balançar a cabeça em sinal de negação. 

Eu bocejo, eu estava muito cansada para continuar aquela conversa, eu me deito no seu colo e a última coisa de que me lembro foi dele acariciar os meus cabelos me fazendo dormir, não antes dele dizer algo que eu teria me irritado se pudesse.

- Realmente continua uma criança.
 


Notas Finais


EU SEI EU SEI ESSE TIRO FOI TENSO
nós vamos mais outros caps focando mais nas outras personagens ok?
e eu e a tia Santinnes estavamos pensando em fazer twitter para as meninas... claro, cada um faz o seu mas enfim, o que acham?

kissus, até ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...