História Girl is Like a Sunburn - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Exibições 158
Palavras 8.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


IMPORTANTE: Essa fanfic não é minha, sendo eu somente a tradutora da história original.

(História original por @isfromnowon no AO3 e Wattpad)


NOTA:

Antes de tudo, gostaria de dizer que com essa tradução não tenho o intuito de roubar os créditos da autora original ou postar a sua história como minha. Só estou passando do inglês para o português, pois procurei pela internet e não achei ninguém que tenha feito isso com essa história, então tomei a liberdade de fazer a minha própria tradução. Só quero compartilhar uma boa história com outras pessoas e principalmente com aquelas que não entendem inglês e acabam perdendo a oportunidade de conhecer diversas outras fanfics excelentes. De qualquer jeito, se algum leitor souber de uma tradução já existente ou se essa tradução ofender alguém de alguma forma, por favor me avisem.

Capítulo 1 - Parte 01 de 05


Então começa assim:

Camila sente uma fraqueza no primeiro segundo que ela vê Lauren. É instantâneo, sua crush. Seu peito parece apertado, suas mãos suadas, o tempo parece parar — tudo acontece. É como uma armadilha.

Lauren sabe, ela sempre soube. Camila nunca foi muito talentosa em ser sutil. Ela a encara constantemente e cora sempre que Lauren respira. A dinâmica delas era desigual desde o começo.

Drew dá um vinho a Lauren que ela acaba bebendo demais, e então ela conta para Camila que ela sabe. Ela conta para ela que ela sabe que Camila quer lhe beijar. E então Camila a beija. Lauren a beija de volta. Então, na manhã seguinte, Camila encontra Keaton com as mãos no cabelo de Lauren e com a língua em sua garganta. É horrível e ela chora tanto que ela acha que vai desidratar.

Elas não conversam sobre isso.

Keaton acaba sendo o babaca que Camila sempre suspeitou e Lauren termina com ele na noite anterior a da que os garotos são eliminados.

Ela pede desculpas a Camila e diz que ela estava com muito medo e nervosa e que ela foi idiota. Camila a beija de novo. Lauren a beija de volta.

Elas se beijam bastante. Elas só não falam sobre o que isso significa.

 

/

 

Elas ficam entre os três melhores, o que elas acham totalmente inacreditável, e Lauren pressiona Camila na porta do vestiário delas e a beija, tirando todo o seu fôlego. Camila sente como se estivesse flutuando e Lauren está extática por viver em uma casa em que ela não precisa mais andar nas pontas dos pés para evitar Keaton.

Elas não contaram para ninguém. Mas Camila quer. Ela está tão orgulhosa de si mesma por estar beijando quem ela está beijando que ela quer mandar uma carta detalhada para cada um de seus parentes distantes para que eles saibam exatamente quem ela está beijando e o quão feliz ela está.

Ela quer poder beijar Lauren na cozinha enquanto elas fazem café da manhã sem ter que olhar aos redores primeiro, e ela quer segurar a mão dela dentro da van enquanto as duas vão ensaiar.

Ela quer contar para todos que Lauren é sua namorada.

Mas isso significaria que Lauren é realmente a sua namorada. E isso não é verdade — não exatamente.

Não é como se elas se relacionassem com outras pessoas. Keaton foi embora e Camila não pensa em ninguém que não seja Lauren. Mas elas não conversaram sobre isso, e isso é a única coisa sobre a qual Camila consegue pensar, então ela pergunta.

Elas estão se beijando na cama de Lauren na noite anterior a Final, Lauren deitada sob ela, com as suas mãos percorrendo as costas de Camila por de baixo de sua blusa e Camila se afasta dos lábios de Lauren para olhá-la nos olhos.

— O que nós estamos fazendo? — ela pergunta timidamente, mordendo seus lábios.

Lauren levanta a sobrancelha, suas mãos firmes enquanto ela recupera seu fôlego. — O quê?

— Eu quero dizer, o que nós estamos fazendo? Nós somos… — Camila começa, mas logo para quando Lauren franze o cenho e suspira. É quase como se ela já tivesse previsto essa conversa.

— Eu gosto de você. Eu te disse isso, né? — Camila assente. — E você gosta de mim. Vamos tentar não complicar isso.

Lauren fala conclusiva, parecendo um pouco exasperada e Camila somente assente, então Lauren volta a beijá-la.

Camila deixa. Ela tem medo de arruinar tudo antes mesmo de começar.

 

/

 

Elas ficam em terceiro lugar e não tem problema, pois Simon diz que quer assinar um contrato com elas na after-party. Ally chora. Dinah e Normani dançam pelos cantos e gritam. Camila chora um pouquinho também porque elas estão tão felizes. Felizes por estarem fazendo isso juntas. Felizes porque isso não é o fim, porque ainda não acabou.

Lauren bebe muito champanhe. Tipo, muito champanhe.

Ela arrasta Camila até o banheiro e a beija assim que se equilibra. Ela está rindo na boca de Camila e Camila se sente tão completa e feliz que ela poderia chorar de novo, mas ela não quer que Lauren pare de beijá-la, então ela tenta ao máximo não fazer isso.

— Eu acho que essa é a melhor noite de toda a minha vida — Lauren meio que grita quando ela se afasta. — Eu estou tão feliz, Camz. Eu estou tão feliz, Deus, estou tão feliz de ter a oportunidade de fazer isso junto a você.

Camila sorri um sorriso molhado e puxa Lauren de volta pelo quadril. Os olhos de Lauren estão tão claros e seu sorriso é ébrio e alegre e tudo é quase tanto para ela lidar que ela está certa que irá chorar se continuar olhando-a. Então ela a beija de novo, e de novo, até que alguém bate na porta do banheiro e Lauren se afasta abruptamente, como se tivesse sido queimada.

 

/

 

Elas pegam o mesmo vôo de volta para casa para um descanso antes que elas voltem para LA para gravar o EP, e Lauren coloca um cobertor por cima delas antes de segurar na mão de Camila por de baixo do mesmo. Ela acha que os fãs estão ficando entusiasmados e seria tolo dar a eles uma razão para acreditar que algo totalmente não-platônico está realmente acontecendo entre as duas, então ela não abraça Camila por muito tempo quando elas estão no aeroporto se despedindo.

Mas ela manda mensagem duas noites depois e diz para ela sair de casa, pois ela está esperando na entrada da garagem. Camila desce as escadas nas pontas dos pés e abre a porta da frente do modo mais silencioso possível, encontrando o carro de Clara em frente a sua garagem, Lauren pendurada para fora da janela com um sorriso sacana no rosto.

Camila não conseguiria evitar o sorriso em seu rosto mesmo que ela quisesse. Começa nos seus dedos do pé e ela pode sentir se espalhando por todo o seu corpo, quente e elétrico.

— Você está louca?

— Entre, moça bonita. Nós temos lugares para ir.

Ela dá uma olhada em sua casa antes de caminhar até o lado do passageiro e saltar para dentro. Ela pelo menos finge dúvida, mas Camila poderia ter certeza que sua mãe iria te castigar pelo resto de sua vida por fugir e ela ainda iria entrar no carro e deixar Lauren lhe levar para qualquer lugar do mundo.

Lauren a puxa pelo pescoço antes que ela possa colocar o cinto, e a beija forte, mãos agarrando os cabelos de Camila ao mesmo tempo que sua língua escorrega para dentro de sua boca. Camila arfa na boca dela antes de Lauren se afastar abruptamente.

— Eu senti sua falta. — Ela suspira e engata a marcha ré.

Elas dirigem pelos arredores por uma hora, de mãos dadas e se beijando nos sinais vermelhos, a música de Lauren estrondeando com as janelas abertas, antes delas finalmente pararem na praia.

Lauren está presente e viva e beijando Camila no escuro enquanto elas assistem as ondas a baixo das estrelas, e Camila quase deseja que isso fosse o normal delas. Não há nenhuma regra implícita sobre toques na frente das garotas, ou de sair do banheiro minutos antes da outra para que ninguém suspeite de nada.

Esse é o normal pelo qual Camila anseia, mas o mesmo que ela está apavorada e quase certa que ela nunca vai ter, pelo menos não com Lauren.

São quase cinco da manhã quando elas param em frente à entrada da garagem de Camila. O cabelo de Lauren está bagunçado por causa do vento, seus olhos mais claros do que nunca e lábios inchados e vermelhos por Camila ter os mordido a noite toda.

Ela coloca o carro em ponto morto e olha para Camila com um sorriso preguiçoso, apoiando-se contra o encosto do banco antes de desligar a música.

Camila começa a se dar conta que isso é meio que o primeiro encontro delas. Não houve nenhum jantar romântico ou horas para se arrumar como ela imaginou, mas foi com Lauren. E Lauren é perfeita. A noite foi perfeita.

Então ela não quer arruiná-la.

Ela se inclina e beija Lauren suavemente, segurando seu queixo. Lauren cobre a mão dela com a sua própria e Camila sente ela sorrindo. Há tanta coisa que ela quer falar, palavras que ela sente borbulhar em seu estômago.

Quando ela se afasta, ela passa o seu polegar pela sobrancelha de Lauren e sorri largo, olhando-a bem de perto. Ela quer lembrar de cada centímetro do rosto de Lauren. — Obrigada por isso — ela sussurra.

Lauren somente assente, espelhando o sorriso do rosto de Camila até que Camila tira o seu cinto e sai.

 

/

 

A primeira vez delas acontece um pouco antes delas voltarem para LA.

Camila convida Lauren para ir a sua casa enquanto seus pais levam Sofi para uma festa de aniversário. Elas fazem macarrão com queijo e assistem dois episódios de Modern Family, e Camila se levanta para levar suas tigelas para cozinha. Ela está jogando água na pia quando ela sente as mãos de Lauren rodearem sua cintura e sua boca em seu pescoço.

Camila segura no balcão para que seus joelhos não dobrem quando Lauren lambe atrás de sua orelha.

De alguma maneira, ela se vira e a água é desligada, e então a língua de Lauren está em sua boca e há mãos em todo lugar. Ela se sente sufocada, como se não conseguisse chegar perto o suficiente, e ela aperta a bunda de Lauren em uma tentativa de chegar mais perto, ela acha. Então Lauren se afasta com um sorriso cínico gigante em seus lábios inchados. — Você quer ir lá para cima? — Camila paralisa por alguns segundos, e ela está dividida, pois ela sabe que deveria realmente pensar sobre isso, considerando a natureza da relação delas, a incerteza que ela constantemente associa a Lauren, mas ela sabe que não há nada no mundo que ela mais quer do que ter Lauren de todas as maneiras.

Então um pequeno sorriso surge em seu rosto avermelhado, e ela assente.

Lauren monta nela assim que ela cai na cama, sua mão nos cabelos de Camila e sua boca grudada no pescoço dela. Camila puxa o rosto dela em direção ao seu, e acidentalmente beija o queixo de Lauren ao invés da boca. — Desculpa. — Ela ri envergonhada, até que Lauren se afasta para olhá-la. Ela sorri largo. Ela parece tão feliz, Camila sabe que irá lembrar do rosto dela nesse exato momento para sempre. Ela sabe que irá sonhar com isso essa noite e todas as noites.

— Não precisa pedir desculpas. — Lauren sorri e dá um pequeno beijo no nariz de Camila, e então em sua testa, e em cada bochecha, antes de beijar seus lábios.

Elas se beijam por um bom tempo até que Camila se dá conta de que festa de aniversário de criança não dura a noite toda, e ela e Lauren talvez estejam com pouco tempo. Então ela puxa a bainha da blusa de Lauren.

— Tire — ela murmura.

Lauren se levanta o suficiente para tirar a blusa pela cabeça e a joga no chão atrás delas, e os olhos de Camila arregalam com a visão. O cabelo de Lauren está uma bagunça e sua boca está molhada e seus olhos escuros, a alça do seu sutiã vermelho caindo de seu ombro.

— Você também. — Ela sorri e dá um selinho nos lábios de Camila antes de tirar a camisa dela. Ela está um pouco honrada pelo jeito que Camila está lhe olhando, ninguém nunca olhou para ela de um modo tão gentil, como se Camila não conseguisse acreditar que ela é real.

Lauren olha para ela, seus olhos observando cada centímetro da pele de seu tórax, e Camila cruza os braços para se cobrir como se de repente ela não estivesse mais tão certa de que aquilo era uma boa ideia. Ninguém nunca a tinha visto dessa maneira. Lauren é linda e completamente confortável com o seu corpo. Ela é confiante. Camila não, e é óbvio.

Lauren paira sobre ela e sorri docemente, tomada por muito menos desejo do que antes, e a puxa até que Camila esteja deitada de barriga para cima.

— Eu quero ver você. — Ela sorri, descruzando os braços de Camila. — Você não tem nada a esconder, acredite em mim.

— Eu não sei muito bem o que estou fazendo — Camila sussurra, ansiosa e envergonhada, pânico tomando conta do seu rosto corado. — Por favor, só tipo, saiba disso. Você sabe disso, né?

Lauren segura o rosto dela entre as mãos e passa o seu polegar sobre as bochechas de Camila. Ela olha intensamente para Camila, os olhos parcialmente preenchidos de prazer, parcialmente de adoração.

— Respire, bebê — ela sussurra e beija Camila gentilmente. E é tão semelhante com a primeira vez que elas se beijaram, puro e honesto e doce, como o começo de algo que as duas querem tanto. Lauren tem sabor de macarrão com queijo e protetor labial de menta, e Camila a beija de volta mais forte até que Lauren começa a se esfregar em seu quadril, se afastando para morder a pele logo a baixo de sua clavícula, deixando uma marca.

Lauren alcança o sutiã de Camila para abri-lo, e então tudo é um borrão de mãos e boca de Lauren em seu corpo. Camila sente os lábios de Lauren começarem em seu umbigo, e ela sente seu coração bater em sua garganta. Ela foca nos azulejos do seu teto e o jeito que os cabelos de Lauren estão em suas mãos enquanto os beijos dela sobem e depois vão para baixo, bem mais para baixo.

Lauren desliza sua calça e sua calcinha para baixo, e ela olha para Camila com uma hesitação delicada, solicitando, esperando. Camila olha para ela com os olhos castanhos arregalados, e ela só consegue enxergar os verdes dos de Lauren enquanto Lauren se estica para alcançar as mãos de Camila e entrelaçar seus dedos. Ela está engasgando em um par de palavras que soam como "eu acho que estou me apaixonando por você", e todos os ossos românticos de seu corpo lhe dizem que esse é o momento perfeito para falar isso. Mas o medo vence.

Ela respira e assente, e ao invés, diz:

— Eu confio em você.

E pensando bem, ela acha que aquilo foi provavelmente algo muito, muito pior de se dizer.

 

/

 

Depois que elas retornam a LA, Camila quase diz. Ela está aterrorizada porque ela pensa em Lauren todos os segundos de todos os dias, e quando ela não está pensando em todas as maneiras que ela tem certeza de amar Lauren, ela está pensando sobre as razões que ela sabe que não deveria.

Ela quase lhe diz quando Lauren coloca cereal para ela e beija sua testa na manhã depois que elas voltam.

Ela quase deixa escapar quando ela goza com a boca de Lauren em seu pescoço e a mão dela dentro de sua calcinha no banheiro do estúdio.

Camila não sabe muito bem como isso deveria funcionar, mas ela tem intuição o suficiente para entender que Lauren não está pronta para ter aquela conversa ou aqueles sentimentos, mesmo que eles já existam.

Elas não conversam muito mais, de qualquer forma. Elas fazem bastante sexo. No meio da noite quando todo mundo está dormindo. No chuveiro para que ninguém escute. Lauren não é mais doce ou presente como foi da primeira vez. Camila finge não notar. Ela prefere se esconder em banheiros e roubar beijos na cozinha antes que alguém apareça e assuste Lauren.

Ela sabe quão importante é a hora certa.

 

/

 

Acontece uma after-party depois de algum evento que elas vão. Camila esquece qual.

Lauren não lhe beijou quando elas estavam no banheiro juntas depois de ter o cabelo e a maquiagem feitos, mesmo que ninguém estivesse por perto. A testa de Camila enruga quando Lauren se esquiva de sua boca e meio que sorri e meio que franze as sobrancelhas. — O batom, Camz.

Alguma coisa mudou.

O tapete vermelho finalmente acaba e elas são instruídas a se "misturar", então Dinah arrasta Camila e Normani para a pista de dança antes mesmo que Camila possa assaltar a mesa de comida. É divertido e leve e Camila quase esquece de como ela sente falta dos lábios de Lauren até que ela os vê perto do ouvido de algum garoto.

Lauren está encostada em uma parede, uma expressão presunçosa em seu rosto e a mão do menino moreno em seu quadril. Camila consegue perceber que ela está dando uma risada falsa no ouvido do menino, mas ela não se afasta.

Ela meio que se sente enjoada. Ela paralisa na pista de dança e Dinah nota, segue o olhar de Camila até Lauren e depois olha para Camila como se ela estivesse triste também.

— Vamos lá, Chancho. Dance comigo! — Ela faz Camila rodopiar pelos cantos até que Lauren não esteja mais em seu campo de visão, e Camila ama muito, muito Dinah por saber sem realmente saber de nada.

Camila tenta dançar e repete em sua mente Lauren falando “não vamos complicar isso” de novo e de novo até que ela tem trinta significados diferentes possíveis e uma dor de cabeça enorme. Há uma mudança de música e ela se vira para ver o garoto dando um chupão na curva do pescoço de Lauren. Sua cabeça está jogada para trás e quando ela abre os olhos, eles encontram Camila.

É como se o tempo parasse.

Lauren está olhando diretamente para ela enquanto outra pessoa está com o rosto enterrado em seu pescoço, e Camila para de se mover totalmente. Elas mantêm o contato visual por o que parece uma eternidade, e Camila pode adivinhar o quão patética ela deve estar parecendo agora. Ela desvia o olhar para observar Lauren agarrar a blusa do garoto e afastá-lo. Após uma rápida conversa que parece desajeitada e um pouco bêbada, ela direciona outro olhar para Camila antes de sair andando e desviando da multidão.

Camila está respirando pesadamente. Inspirando e exalando muito, muito devagar porque ela está aterrorizada por estar prestes a chorar no meio da pista de dança cheia de gente que ela não conhece. Ela pensa na mão dele no quadril de Lauren e em seu cabelo, e ela aperta seu peito em dor. É como se alguém tivesse lhe empurrado um vácuo garganta abaixo. Ela se sente tão inquietantemente vazia e ela pensa no rosto de Lauren. Ela pensa em como Lauren aparentava estar tão calma, olhando-a nos olhos como se nada estivesse errado. Como se ela quase tivesse gostado. Como se fosse proposital.

E Camila sente lágrimas formarem em seus olhos quando ela percebe que Lauren não pareceu se sentir nem um pouco culpada.

Ela precisa sair dali, está quente e é muito para ela lidar e ela não pode chorar. Ela se recusa a chorar.

Ela empurra a porta do banheiro com pressa, mas para imediatamente quando vê Lauren. Em pé no outro lado do banheiro, encostada contra a parede. Esperando.

— Oi — ela diz. Camila revira os olhos, mas ela está tão envergonhada com o quão aliviada ela se sente por Lauren estar falando com ela depois do que aconteceu lá fora. Ela não diz nada de volta, somente cruza os braços e espera. Por uma explicação, por algo. Lauren dobra o dedo em sua direção, acenando para Camila chegar mais perto. — Venha aqui.

Camila pausa, e ela realmente sabe que não deveria. Ela acabou de passar dez minutos tentando não chorar por Lauren e ela sabe que é idiota, mas a expressão nos olhos de Lauren é tão fodidamente hipnotizante. Ela não tem chance. Ela acha que nunca teve chance.

Então ela anda vagarosamente, e para centímetros de distância. Ela pode sentir o cheiro de vinho no hálito de Lauren e ver que o seu batom foi retocado. Ela está enojada com o quão bonita ela ainda acha que Lauren é.

Mãos agarram o quadril de Camila, puxando-a para perto. Ela acha que Lauren está tentando lhe beijar, como uma tentativa de escapar da culpa de ter dado em cima de um idiota bem na frente dela. Mas ela a abraça e enterra o rosto no pescoço de Camila, respirando aliviada. Parece um pedido de desculpas, Camila pensa. É quase duas vez mais triste do que qualquer outra coisa.

— O que acabou de acontecer lá fora, Lauren? — Lauren, então, se afasta para olhar para ela, os braços ainda segurando Camila perto. Ela pisca duas vezes e então a beija. Ela tem gosto de vinho tinto e menta, e Camila está envergonhada com o quanto ela leva para empurrar Lauren delicadamente pelo peito e afastá-la. — A gente pode só conversar? — ela implora, procurando respostas no rosto de Lauren. Seus olhos estão quase pretos e sua boca está molhada. Camila quase esquece todo o seu orgulho e a beija de novo, mas ela está tentando não ser tão fraca.

Lauren somente suspira e descansa sua testa no ombro de Camila. — Sobre o que?

— Sobre aquele cara te agarrando e você me encarando como se fosse algum tipo de piada. Ou um jogo, ou alguma coisa. O que está acontecendo Lauren? — Camila dá um passo para trás agora, mãos passando pelos seus cabelos. Sua voz fica grossa e seu rosto contorce quando ela pergunta: — Você está brincando comigo?

Lauren dá um longo suspiro e estreita seus olhos. — Eu não tenho que dar explicações para você.

Camila acha que nunca a viu parecer tão fria.

— Por que você está agindo assim?

— Eu não pertenço a você, Camila — Lauren responde ríspida, respira e passa a mão pelos cabelos, frustrada. Camila encara suas unhas pretas, lembra de pintá-las para ela na noite anterior. Ela acha que é a primeira vez que ela não acredita em Lauren, a primeira vez que a vê tão confusa. — Eu não sou a porra da sua namorada.

Então ela sai do banheiro, empurrando Camila e escancarando a porta. E é isso. Camila entende o recado.

Dinah nota que tem algo errado e pergunta a Camila naquela noite enquanto elas estão acordadas assistindo um filme, pois Lauren pegou um táxi sem elas e ficou trancada no quarto quando o resto delas chegou. Camila não chora. Ela diz a Dinah que ela acha que Lauren está menstruada.

Ou algo do tipo.

 

/

 

Eis a questão sobre Lauren.

Há várias coisas sobre Lauren.

Há as coisas óbvias, claro. Tipo o fato dela ser quase injustamente bonita. Ou que ela é incrivelmente inteligente. Camila acha que Lauren é, provavelmente, a pessoa mais inteligente que ela conhece. Ela lê bastante e escuta música quase constantemente e fala bastante sobre arte. Essas são as coisas óbvias. Essas são as coisas ótimas. Essas são as coisas que Camila realmente ama sobre ela.

Há coisas menos óbvias que Camila eventualmente aprendeu do mesmo jeito que todas as outras aprenderam. Tipo, o quão atenciosa ela pode ser e que ela é provavelmente a pessoa mais honesta que Camila já conheceu. Ela lava a roupa de todo mundo por querer e faz café da manhã para todos pelo menos duas vezes na semana. Ela dá respostas bem pensadas quando alguém pede por conselho e segura portas para as pessoas. Ela é ótima em vários sentidos. Essas são as coisas ótimas também.

Mas há outras coisas, Camila aprende, sobre Lauren. Coisas não tão ótimas. Há coisas que ela realmente odeia.

Tipo, às vezes, Lauren é babaca. Ela é teimosa e sempre acha que está certa, e isso despedaça o coração de Camila às vezes.

Essas são as coisas que Camila tenta se convencer que não existem, coisas que ela se recusa a acreditar porque ela não conhece um mundo em que Lauren não é a epítome de todas as coisas maravilhosas.

Mas então, as coisas não tão ótimas aparecem de novo e Camila tenta mais e mais acessar de novo o modo que ela pensa sobre a garota que ela ama.

 

/

 

Elas não conversam sobre isso. Lauren a evita por cinco dias, mas Camila pode ver que ela está fazendo um esforço consciente para o grupo não suspeitar, pois ela conversa às vezes. Ela pergunta a Camila se ela precisa de algo da cozinha ou se ela está pegando bem as harmonias no estúdio.

Mas ela garante que elas nunca estejam juntas sozinhas.

Camila está tentando se ajustar a um mundo que ela e Lauren não são mais o que é que seja aquilo que elas eram antes, e ela chora à noite às vezes. Ela tem certeza que está tudo acabado.

Mas então, tem uma batida na porta de seu quarto e Lauren está em pé lá.

— Eu posso entrar?

Ela está vestindo uma calça de pijama quadriculada e uma camisa vermelha que Camila nunca viu antes. Ela brevemente se pergunta se a camisa pertence a outro garoto que Lauren conheceu em uma das festas que ela vai, mas ela assente de qualquer forma.

Lauren senta na beirada da cama e começa a pegar no fiapo de sua calça. Ela não olha para Camila quando ela diz: — Me desculpe por me comportar daquele jeito na festa.

Soa dolorosamente ensaiado.

Camila dá de ombros e não tira os olhos dela. — Tudo bem.

Lauren, então, olha para ela, alívio em seu rosto. Ela olha para porta e Camila sabe muito bem que é para ter certeza que ela está trancada, e então engatinha pela cama em direção a ela. Ela se vira para que cada perna sua esteja em cada lado da cintura de Camila, e então a beija.

É exaltado e Camila arfa na boca de Lauren. Ela se odeia pelo quanto ela sentiu falta disso e se pergunta como ela vai sobreviver se algum dia tudo isso realmente acabar.

Ela se move vagarosamente, tão vagarosamente que Camila conta os segundos e então todas as cores dos olhos de Lauren. O olhar de Lauren está oscilando entre os lábios de Camila e seus olhos, e Camila não sabe se deve fugir. Não sabe nem se conseguiria.

Ela chega mais perto para segurar o rosto de Lauren com as duas mãos porque sempre há uma pequena dúvida no fundo de sua mente que acha que ela ainda está sonhando. Depois de tanto tempo e ela ainda tem que tocar em Lauren para ter certeza que ela é real.

É doce e lento, e Camila não consegue lembrar da última vez que elas se beijaram assim. Lauren está com uma mão no cabelo de Camila e outra na cintura e elas podem ouvir o som abafado do outro lado do corredor da música de Normani.

Ela se afasta e os olhos de Camila ainda estão fechados quando ela pergunta: — Tudo bem eu ter feito isso?

— Claro.

Há um fração de segundos quando Lauren olha para Camila e alguma coisa diferente da hesitação usual e do medo, aparece em seus olhos. Camila teria deixado escapar se ela não estivesse encarando-a tão intensamente, esperando como ela sempre esteve para que Lauren fale e deixe claro que isso tudo não é parte de uma brincadeira.

Ela não estava olhando para Camila como se ela quisesse devorá-la o mais rápido possível, ou como se ela estivesse ganhando uma brincadeira que ela mesma criou. O olhar em seu rosto era genuíno. Ela parecia feliz. E Camila quer lhe dar um tapa na cara e beijá-la simultaneamente porque Lauren está fazendo algo muito perigoso. Ela está lhe dando esperança.

 

/

 

Ela acorda e Lauren ainda está lá. Camila pode contar nas mãos as vezes que Lauren realmente ficou.

Lauren está virada para ela, cabelo todo bagunçado e tapando seu rosto. Camila o afasta e segura seu rosto, passando seu polegar sobre as bochechas de Lauren. Ela é linda e Camila poderia olhá-la para sempre, exatamente assim, quando os olhares de Lauren não são calculados.

Mas, eventualmente, ela começa a se mexer, e seus olhos estão os mais claros que Camila já viu quando ela os abre. A mão de Camila ainda está em seu rosto, e Lauren só parece um pouco assustada quando ela registra onde ela está.

— Bom dia — ela diz com a voz rouca.

— Bom dia. Você está linda — Camila sussurra, tímida e silenciosamente.

Lauren sorri, mas é reservado. E ela não diz nada de volta. Ela só aperta a mão de Camila e se vira na cama, parando para recolher suas roupas dos vários lugares do chão e vesti-las. Camila a assiste, incerta do que falar ou o que fazer em seguida.

Elas ainda não falaram nada quando Lauren está totalmente vestida, e Camila se levanta com o lençol enrolado ao redor de seu corpo nu.

— Você sabe que a porta está fechada, né? — Lauren sorri, apontando para o lençol com a cabeça. — Eu já vi tudo que você está cobrindo, não há motivos para ter vergonha.

Camila cora. Ela não sabe porquê.

— Você quer sair para almoçar ou algo assim?

E então, o sorriso de Lauren vacila. — Eu não estou a fim de sair. Mas, a gente pode se ver hoje à noite de novo. Tipo, mais tarde.

A expressão de Camila entristece, mas ela assente. — Ok, tudo bem. — A rotina está de volta e ela foi idiota o suficiente para pensar que tinha acabado. Lauren vai em direção a ela e puxa a mão que Camila está segurando o lençol. Ele cai. Elas ficam paradas e ficam olhando uma para outra em silêncio antes de Camila inclinar a cabeça e suspirar. — A gente não pode conversar sobre isso?

— Sobre o que?

— Sobre a noite passada. Sobre a festa. Sobre isso. — Ela gesticula entre seu corpo nu e o corpo vestido de Lauren. É quase uma metáfora perfeita.

— Eu pedi desculpas. Eu não quis te magoar na festa. O que mais temos para conversar? — É quase robótico o modo em que ela se desculpa.

— Então estamos de volta à estaca zero?

— Eu não sei o que você esperava. Nós falamos sobre isso. Eu não quero deixar as coisas mais-

— Complicadas. É. Eu sei — Camila conclui para ela. Ela cruza seus braços e tenta não parecer tão desapontada quanto ela se sente, bem ciente da sua nudez na frente de Lauren. Ela se sente menor do que normalmente se sente, um feito que ela não sabia que Lauren podia tornar possível fazendo tão pouco.

Lauren dá um sorriso simpatizante, mas é forçado. Ela parece confusa, e não totalmente presente, como se um pé já estivesse fora da porta. — Está tudo bem entre a gente então, né?

Sua mão serpenteia pela cintura de Camila e faz círculos em seu quadril, e Camila acha que é realmente impossível de assentir. — Sim, está.

Lauren sorri e a beija na bochecha. — Te vejo mais tarde.

E então ela vai embora, destrancando a porta rapidamente. Camila não sabe para onde ela está indo. Ela raramente sabe.

Camila notou que Lauren sempre tem certeza de quais portas estão trancadas e quais não estão. Ela checa várias vezes.

Camila não sabe nem dizer quando uma porta está fechada e ela frequentemente esquece de bater antes de entrar.

Talvez seja nesse ponto que elas não se entendam.

 

/

 

Ela bate na porta de Camila naquela noite de novo, trancando-a depois de entrar, nem esperando para que Camila lhe diga que ela é bem-vinda lá dentro.

É como um relógio de ponto.

Dessa vez Lauren não está lá quando Camila acorda. Ela nunca mais está. Mas a porta sempre está trancada quando ela sai, ela garante que esteja. Deus a livre de alguém entrar no quarto e ver Camila enrolada em um lençol com suas roupas espalhadas pelos cantos do lugar. Muitas perguntas serão feitas. E Lauren sabe disso.

 

/

 

Lauren está em seu telefone o dia todo.

Elas saem do estúdio mais cedo e vão jantar todas juntas, as cinco. Camila senta de frente para Lauren e ao lado de Normani, e observa a garota sorrir para o celular por 45 minutos enquanto ela come o salmão em seu prato.

Faz uma semana desde a última vez que aconteceu alguma coisa entre elas. Camila se manteve acordada por semanas tentando achar as palavras certas sem fazer com que Lauren queira fugir. Todas elas soam como eu te amo não importa o quão delicadamente ela tenta rearranjá-las.

Ela quer dizer para ela. Ela quer que Lauren saiba que ela não pode continuar se esgueirando pelos cantos para deixar Lauren lhe foder no banheiro do estúdio e ela não pode continuar acordando em camas vazias. Ela não pode continuar deixando Lauren usá-la como sua distração. É sempre nos termos dela, e Camila obedece feliz porque ela a ama. Ela sabe disso agora.

Mas ela continua fazendo isso, o que quer que seja. Ela realmente não pode continuar assistindo Lauren corar tanto para o seu iPhone idiota que ela perde o quão engraçada é a piada de Dinah sobre balões. (Lauren provavelmente não riria de qualquer forma, mas Camila quase engasga em suas vagens e Normani dá tapinhas em suas costas como se ela estivesse colocando um bebê para arrotar e é tudo uma grande zona).

Mas Lauren nunca olha para cima. Dinah joga uma batata frita nela e a pune por não prestar atenção, pergunta quem é tão importante para ela não dar atenção a elas. Lauren revira os olhos e dá uma piscadela e Camila quer vomitar.

 

/

 

Deve ser meia noite quando Lauren aparece em seu quarto, sorrindo como se tivesse fumado maconha e engatinhando pela cama de Camila.

— Oi. — Ela sorri docemente com um toque de maldade que Camila já sabe o que quer dizer agora. Lauren está pairando sobre ela, colocando seu peso em seus braços esticados de cada lado da garota sob ela.

— Oi — Camila responde, se esticando para colocar O Apanhador no Campo de Centeio em sua cabeceira. Lauren, então, se enterra em seu pescoço, mordendo a pele levemente enquanto Camila tenta manter sua respiração estável.

Lauren está sussurrando algo sobre tirar sua camisa e ela está tão perto que Camila quer respirar toda sua essência. É uma rotina que Camila está quase cansada demais para quebrar, mas ela precisa.

Ela coloca seu braço ao redor das costas de Lauren, puxando-a mais para perto em um abraço esquisito que meio que força Lauren a cair sobre ela. Camila segura ela ali e sente Lauren parar de beijar seu pescoço, e tudo fica em silêncio.

— Eu senti sua falta essa semana — ela sussurra nos cabelos de Lauren e tenta puxá-la mais para perto. Não há nenhum espaço entre elas.

Ela consegue sentir Lauren rindo em seu pescoço. — Eu também.

Camila sorri para Lauren assim que ela se afasta. Lauren se inclina e a beija, mas Camila se afasta por um momento e segura o rosto de Lauren com suas mãos, polegares acariciando suas bochechas. Os olhos de Lauren estão tão verdes e seus lábios tão rosados e ela é tão fodidamente linda, e Camila a ama. Ela acha que irá morrer se não disser isso.

— Eu possa te dizer uma coisa? — ela pergunta, suas mãos passando pelos cabelos de Lauren. Lauren fecha os olhos e concorda. — Olhe para mim, por favor. — Lauren abre os olhos. Camila sente as palavras subindo pelo seu corpo, fazendo cócegas em sua garganta. — Eu te amo — ela sussurra. Ela sente o peso sair de suas costas, como se ela finalmente pudesse andar de novo sem querer deitar-se. — Eu te amo muito, Lauren.

Ela espera. Lauren a olha e Camila pode ver sua garganta mexer, ela pode ouvir a respiração de Lauren ficar presa. Há uma batida, somente uma fração de segundos que Camila pensa ter visto um flash de alegria nos olhos de Lauren. Reconhecimento, alívio, talvez. Mas some antes mesmo de estar realmente ali. Lauren pisca, fazendo-o sumir.

— Oh — Lauren finalmente solta. Ela olha para longe e Camila sente seu estômago revirar no mesmo segundo. Lauren sai de cima dela e senta na beirada da cama, passando as mãos pelos cabelos. Seu rosto está pálido.

Ela morde os lábios por um momento e respira, longa e vagarosamente. Seus olhos estão brilhantes, seu rosto vermelho. Ela aparenta estar chateada, e Camila está prestes a chegar mais perto quando Lauren diz.

— Eu acho que fomos longe demais.

Camila sente sua respiração ficar presa na garganta, e ela quase engasga com o ar. Ela encara Lauren embasbacada como se o vento tivesse lhe nocauteado. Tudo parece escuro no quarto, mesmo com os dois abajures acesos, e ela quase se contorce em dor com o revirar de seu estômago. Ela entra em pânico.

— Você… Você não acha isso, Lauren — ela diz, sua voz trêmula. Ela acha que talvez vomite.

Lauren fecha os olhos e assente. Ela parece uma professora de escola ou uma mãe desapontada. — Eu acho, Camila. — Mas ela está tremendo. — Mas me desculpe — ela diz quando abre os olhos e Camila os vê arregalados de medo. Sua voz está trêmula e grossa, mas ela vigorosamente finge não notar. — Eu não queria que fosse assim.

— Lauren — Camila começa e ela pode sentir o quão molhados seus olhos estão —, nós não precisamos ter nada. Eu não disse de verdade, ok? Qual é. — Ela está implorando e ela sabe o quão desesperada ela tem que soar. Ela balança a cabeça como se tivesse tentando esclarecer as coisas. — Isso é sobre a festa? Eu disse que não tinha problema. Lauren, por favor.

— Não tem a ver com a festa. Eu só não posso fazer isso. Eu disse para a gente não complicar as coisas. Você está complicando. Então a gente precisa parar.

Ela levanta da cama e paira sobre Camila que olha para cima com olhos arregalados e molhados. Ela balança a cabeça uma vez e pega o seu cardigan de cima do cobertor.

A porta fecha momentos depois.

 

/

 

Camila chora mais do que ela consegue lembrar já ter chorado. Soluços dolorosos e pesados que faz Ally engatinhar pela sua cama quando ela aparece para dizer boa noite (assim como ela fazia antes da porta ficar trancada quase todas as noites). Os olhos da garota mais velha arregalam com a visão de Camila curvada ao redor de si mesma, mãos cobrindo seu rosto por vergonha de estar apaixonada por Lauren.

Ela está apaixonada por Lauren. E ela arruinou tudo.

Ela não diz isso a Ally, mas ela acha que em algum nível Ally provavelmente já sabe porque ela lhe segura por trás e sussurra: — Algumas pessoas têm que cometer milhões de erros antes de fazer a coisa certa, Mila.

Isso só faz Camila chorar ainda mais porque ela está mil por cento certa de que Ally é literalmente um anjo vivendo na terra e ela poderia viver cem vezes e ainda não mereceria alguém tão maravilhoso como sua amiga.

Então Camila conta para ela.

Ela se mexe no abraço de Ally e conta para ela sobre o beijo no X Factor e que Lauren tirou sua virgindade quando elas foram para casa e o quão invencível Lauren fez Camila se sentir. Ela conta sobre as coisas que elas faziam às escondidas por meses, sobre a festa com o garoto e a briga e os gritos no banheiro.

Ela conta para Ally que ela está apaixonada por Lauren, que ela tem estado por um bom tempo. E Ally chora um pouquinho também, porque ela é a Ally e porque ela ama as duas.

 

/

 

Elas vão para casa no natal.

Lauren se atrasa uma hora para o vôo delas para Miami e Camila sabe que é proposital. Lauren nunca se atrasa.

Então elas não se veem.

Elas não mandam mensagem ou ligam uma para a outra por todo o período que elas estão em casa.

Dinah envia uma foto do seu novo irmãozinho e Ally manda mensagem quase todos os dias. Normani liga três vezes.

Mas Lauren é um fantasma. Camila acha que ela meio que sempre foi.

 

/

 

Lauren aparece no aeroporto com um novo piercing na orelha e com marcas em seu pescoço que Camila sabe que possivelmente não poderia fazer, e ela força um sorriso apertado enquanto Camila engasga no que ela pensa ser o seu coração em sua garganta.

Elas não se falam no avião de volta para LA. Lauren está de fone e Camila nota que eles não estão ligados em nada, então ela esconde seu rosto atrás de um livro e coloca uns óculos escuros para ninguém saber que ela está meio que chorando.

É horrível. É tão horrível, pois Camila sente o perfume de Lauren e ela tem que se segurar para não colocar a cabeça nos ombros dela, e ela não consegue lembrar a última vez que se sentiu desmoronando.

 

/

 

Elas tomam conta do que elas têm de fazer pela banda. Elas gravam música e harmonizam uma com a outra como se fosse algo natural, e posam para fotos. Mas elas não se comunicam. Elas não falam sobre nada substancioso.

Leva quase quatro dias depois delas voltarem para ela falar algo. Lauren não tem dito nada diretamente para ela também, e ela não a olha nos olhos.

Então Camila roe quase todas as suas unhas e anda pelo corredor até o quarto de Lauren. As luzes ainda estão acesas mesmo que já seja meia noite e elas tenham ensaio pela manhã. Camila fica parada lá, tentando não chorar antes mesmo de entrar no quarto, e respira.

Ela finalmente bate na porta e escuta a música pausar no quarto de Lauren, e então passos. A porta se abre e Lauren está encarando-a, olhos arregalados, mas com uma expressão mais aterrorizada do que surpresa.

Camila pisca na direção dela e não lembra nem do que ela queria falar. Lauren olha para seus pés.

E então o telefone toca.

Ela vira a cabeça para dentro do quarto e olha para Camila com um olhar pesaroso. — Deve ser o Luis — ela diz vagarosamente, como se isso explicasse tudo. Como se ela estivesse dando algum tipo de resposta para Camila.

Ela sabe quem ele é. Ela ouviu Dinah e Normani fazendo piadas sobre ele e perguntando quando elas o conhecerão. (Ally nunca participa; ela só olha na direção de Camila e segura a mão dela por de baixo da mesa para ter certeza de que ela está bem. Camila a ama por fazer isso).

Ela realmente só quer ajoelhar e implorar para Lauren. Mas elas está muito cansada para isso e agora ela sabe como as coisas são.

— Acho que é isso, então — ela diz ao invés.

Lauren olha para todos os cantos menos para ela e encolhe os ombros. “Me desculpe” está na ponta de sua língua, mas Camila segura a mão no alto porque ela não pode aguentar isso. Não é como se ela fosse acreditar em uma desculpa de qualquer jeito.

 

/

 

Lauren apresenta Luis para todas elas quando ele visita LA.

Ela e Camila não tiveram uma conversa decente sobre nada além de passos de dança ou música desde a noite que Camila bateu na porta de Lauren esperando por respostas, mas quando ele chega lá ela age como se elas estivessem bem.

O tom de Lauren é falso e ela fica tensa e nervosa quando fala com Camila na frente dele, e Camila tem certeza de que Luis ainda acha que elas são melhores amigas, mas ela vê através da farsa de Lauren e dói saber que ela é uma peça de xadrez nesse seu jogo. Ela suspeita que sempre tenha sido.

É pior do que não conversar.

 

/

 

Elas saem em turnê com a Demi e deveria ser o momento mais maravilhoso da vida de Camila. Ela deveria estar constantemente com um sorriso em seu rosto, e ela quer. Ela quer tanto se imergir nessa experiência com graça e gratidão, mas Lauren está no celular com o garoto e ela nunca está na cama de Camila, e não é fácil se ajustar a isso.

Mas ela cumpre seu papel da melhor maneira possível. Ela conta piadas idiotas, se agarra em Dinah e sorri o máximo que pode, mesmo que seja fisicamente doloroso. Ela se recusa a deixar a sua ingenuidade e a bagunça em que ela se meteu afetar as outras. Somente Ally sabe. Mas Ally não a pressiona.

Ela está em seu beliche lendo, como ela sempre está, quando Lauren abre sua cortina.

É surpreendente, mais porque ela não se lembra da última vez que Lauren falou com ela intencionalmente. Já faz semanas.

— Ei, nós podemos conversar?

Os olhos de Camila se arregalam um pouco. Ela não tem a intenção de reagir tão rapidamente. — Por quê?

Lauren parece um pouco desencorajada, mas também um pouco culpada. — Eu sinto sua falta. — Ela cerra o cenho quando Camila não responde, somente fecha seu livro e encara a capa, passando seus polegares sobre as palavras. — Olha, eu… eu sei que tudo ficou uma bagunça, mas eu só… — Ela pausa para se esticar e cobrir a mão de Camila com a sua. — Eu sinto muito sua falta. Você meio que me equilibra. E eu preciso de você.

Camila, então, olha para ela. Ela tira a mão de Lauren. — De que maneira? Porque você realmente precisa ser mais clara.

A expressão de Lauren muda. É a mais honesta que Camila tem visto há muito tempo. — Eu só quero que as coisas voltem a ser como eram. Antes de complicarem.

Camila acha que talvez vomite.

 

/

 

Austin é tão clichê quanto ele é fofo. Ele está querendo uma chance com Camila por tanto, mas tanto tempo e ela nunca deu a ele um tempo de seu dia porque Lauren ainda estava — bom, respirando.

Ele manda DM para ela no Twitter pela centésima vez e pergunta se ele poderia ter o seu número de celular para que eles possam sair da próxima vez que ele estiver em Los Angeles. Ela revira os olhos e quer educadamente pedir para ele lhe deixar em paz. Mas então ela escuta Lauren e Luis rindo na cozinha — porque ele está visitando de novo e ela está tão furiosa e desapontada que ela até coloca uma carinha sorridente ao final do número dela antes de respondê-lo.

 

/

 

— O que aconteceu com você e a Lo?

Camila desvia o olhar de seu cereal para observar Dinah lhe encarando com os olhos estreitos.

Ela não falou sobre Lauren para ninguém desde a noite que Ally entrou em seu quarto depois do desastre que a decisão de Lauren causou. Ela também não acha que está pronta para falar.

— Do que você está falando?

Dinah joga a cabeça para o lado e faz uma careta. — Vocês costumavam a ficar grudadas o dia inteiro e agora eu nem vejo vocês se falando. Eu sou bonita, mas eu não sou burra, Mila.

Camila suspira. Ela está muito cansada para ter essa conversa. Só de pensar em ter qualquer conversa que envolva Lauren faz ela se sentir enjoada, e ela realmente quer manter seu cereal no estômago, então ela dá de ombros.

— Ela tem um novo namorado e está ocupada com isso. Nós estamos bem.

Dinah estreita os olhos novamente. Camila fica irritada com isso.

— Aham, tá bom. — ela diz, desconfiança em sua voz. — Você escapou dessa agora porque você parece cansada. Mas eu estou de olho em você. — Camila levanta o polegar, sinalizando para ela e continua encarando seu cereal boiar no leite. Ela escuta a cadeira de Dinah fazer barulho como se ela estivesse se levantando, e ela se sente aliviada até que ela vê pés dando volta na mesa e indo em sua direção. E então tem uma mão em seu queixo, levantando seu rosto. — Ei, eu estou aqui se você precisar de mim. Você sabe disso, né? — A expressão de Dinah é séria. Sua expressão nunca é séria. Camila se pergunta se Ally lhe contou alguma coisa.

Ela assente. — Eu sei.

Dinah beija o topo de sua cabeça e sai da cozinha. Camila termina de comer seu cereal no quarto.

 

/

 

Lauren encontra Camila na varanda de seu quarto de hotel, descascando seu esmalte. Elas estão em algum lugar do Texas.

— Oferta de paz? — Ela entrega a Camila uma garrafa de água e senta na cadeira branca ao lado dela.

Camila revira os olhos sem entusiasmo porque ela está muito cansada. Ela tem estado cansada por tanto tempo.

— Nós não estamos em guerra, Lauren.

— Você quase me engana com essa. — Camila balança a cabeça e deseja ter energia para essa conversa, para o vai e vem que não acaba em lugar nenhum ou não faz nada além de deixá-la chateada. Ela não consegue olhar para Lauren sem sentir tudo doer. — Posso dizer uma coisa? — Lauren pergunta. Sua voz soa pequena, nervosa e assustada.

Camila pondera a pergunta. Há tanta coisa que Lauren pode e deveria dizer. Mas não significa mais nada para ela, não quando suas palavras estão tão longe de serem compatíveis com o jeito que ela se comporta fora daqui, fora da bolha delas.

— Não precisa — ela responde sem olhar para ela.

Lauren, então, se levanta. Ela para junto a cadeira de Camila e a mesa ao lado, olhando para baixo e então para Camila.

— Você recebeu uma mensagem — ela murmura — do Austin.

E então ela bate a porta da varanda como uma criança e não fala com Camila pelo resto da semana.


Notas Finais


Bom, resolvi começar a traduzir essa história. Ela é composta somente de cinco capítulos e é cheia de cenas tristes que às vezes te dão vontade de ficar deitada na cama contemplando o nada ou de bater a cabeça na parede de tanta raiva que você passa. Por isso, se você é o tipo de pessoa que não gosta de sofrer lendo histórias, aconselho que pare por aqui. Maaas, se você é aquela pessoa que adora um sofrimento e de chegar no final e ver que valeu a pena, pode continuar.

Essa é uma das minhas histórias favoritas (na verdade essa é a minha autora favorita de fanfics camren) e posso dizer que senti raiva em 99% dela, mas quando cheguei no final e raciocinei tudo que eu tinha acabado de ler, eu quis chorar de tão boa que é.

Outra coisa, a história não se passa em um universo alternativo. Fifth Harmony está sendo Fifth Harmony e às vezes você pode ler coisas que vão parecer muito com a realidade e vão dá um nó em sua cabeça, mas isso só acrescenta mais na história hehe.

Enfim... Espero que, quem for ler, goste e por favor comentem dizendo se devo continuar traduzindo ou não.

Beijos e até mais :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...