História Girl Meets Love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Jessica, Taeyeon, Tiffany, Yuri
Tags Girls' Generation, Snsd, Taeny, Taeyeon, Tiffany
Exibições 84
Palavras 1.941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu
Voltei

Pra quem não sabe, eu fiquei mais de um mês fazendo um monte de coisa pra feira de ciências da escola, e só consegui atualizar agora...
Maaaas cá estou, eu, então desculpa, e boa leitura ^-^

Capítulo 2 - Para Você, Depois de Muito


   +   Taeyeon   +

 

   Taeyeon acordara animada.

   Ainda eram seis horas da manhã, e as aulas começavam às sete e meia, o que a permitia ter um bom tempo para se arrumar com calma e cautela.

   Assim que acordou, se sentou devagar em cima do colchão, e observou a amiga, Yuri, que ainda dormia profundamente numa cama que ficava do lado da outra – a que a loira usava – de forma paralela. Os cabelos escuros da Kwon estavam absurdamente desarrumados, e Taeyeon se perguntou se os seus fios estariam da mesma forma. Sonolenta, se levantou e caminhou até o espelho mais próximo. Observou. Por incrível que parecesse, sua aparência não estava nada ruim. Os cabelos dourados não chegavam nem perto da bagunça que os de Yuri enfrentavam, e sua face estava até aceitável para alguém que acabara de acordar.

   - Hmm...

   Ouviu a amiga resmungar, e quando olhou – pensou que Yuri havia acordado – viu que ela apenas mudara de posição.

   De súbito, e por algum motivo que mesmo a pequena não entendeu, começou a imaginar como seria a visão daquela outra garota, a Tiffany Hwang – sim, não se esqueceu dela – dormindo. Enquanto sua cabeça formulava a cena, Taeyeon sentiu uma certa... Vontade daquilo.

   Imaginou tudo. Os longos cabelos castanhos lhe caindo por sobre o rosto, a face delicada inspirando e expirando, calma, os olhos fechados, suaves... Era uma cena linda, e bela, e...

   - Já acordou?

   Seus doces devaneios foram dispensados pela voz de Yuri, que agora esfregava violentamente os olhos com o braço esquerdo.

   - Ah... J-já.

   - O que aconteceu? Você tá vermelha.

   Ao ouvir aquela afirmação, seu coração começou a acelerar – talvez mais do que já estivesse – e a loira se virou novamente para o espelho. De fato, seu rosto havia adquirido uma coloração muito mais rosada do que o normal. Com a ponta dos dedos, tocou as maçãs do rosto, tentando entender o que fizera aquilo acontecer – mesmo já tendo uma leve suspeita.

   Fora... Tiffany?

   - O que... – disse baixinho, e estava tão preocupada com aquilo acontecendo tão de repente que nem percebeu Yuri a olhando, uma das sobrancelhas arqueadas.

   - E então?

   Apressou-se em disfarçar.

   - Não é... Nada.

   Mesmo assim, a outra pareceu não desistir, e um sorriso carregado de malícia se formou em sua face.

   - Tô vendo esse nada. Você por acaso tá gostando de alguém, Tae?

   E de novo, só o que veio à sua mente foi uma mensagem um pouco difusa, porém distinguível, de Tiffany.

   Sentiu que o tom antes rosado de seu rosto havia agora se transformado em um intenso escarlate. Tomou frente para responder – ou tentar fazê-lo.

   - A-ah... N-não é...

   Um barulho cortou suas palavras quase não formadas. Batidas na porta.

   - Parece que você conseguiu escapar agora, hmm? – enquanto falava, a morena se apressava em atender quem quer que fosse. -  Mas não por muito tempo. Quando essa pessoa for embora, eu vou querer saber de tudo.

   Taeyeon não sabia se ficava nervosa por ter que contar tudo aquilo que achava que estava sentindo, ou feliz por ter alguém ligando para algo que tivesse seu nome no meio.

   Não disse nada. Apenas observou a outra girar a maçaneta e abrir a porta, revelando uma Jessica – era esse o nome dela? – ofegante do outro lado. Por um momento, houve silêncio.

   - Oi... Yuri...

   Ela dizia entre cortes. Pelo jeito, ela havia corrido até o dormitório das duas.

   - J-jessica?

   Podia sentir o nervosismo de Yuri do lugar em que estava. Não conseguia ver o rosto da amiga, mas, se o fizesse, se surpreenderia com o tom rubro que o tomava no momento.

   - Desculpa chegar aqui... Do nada... Mas é que o meu dormitório é um pouco longe...

   - P-precisa de algo?

   - Na verdade, sim – parecia finalmente ter retomado o fôlego perdido. – Sabe o pen drive que deixei com você há um tempo? – Yuri assentiu. – Então, eu precisava dele meio que... Agora.

   - Ah, c-claro. Espera um pouco?

   A loira observava tudo de onde estava. Olhou para Jessica, e quando os olhares se encontraram, a Jung sorriu. Não teve nem tempo de retribuir. Yuri achara o pen drive, e o devolvia, as mãos um pouco trêmulas.

   - Obrigada, Yuri.

   Ela disse, e se despediu com um aceno para Taeyeon, e um beijo da bochecha da Kwon, que agora parecia mais uma estátua do que algo vivo.

   Depois daquilo, ela pareceu se esquecer completamente de continuar aquela outra conversa que estava tendo com a pequena, antes de Jessica chegar.

   Ela estava paralisada.

   Taeyeon sorriu.

 

 

 

   +   Tiffany   +

 

   Sua cabeça doía

   A cada piscar, a cada movimento, e a cada respiração, era como se inúmeras agulhas lhe invadissem, profundas na carne.

   Não bastasse isso, Tiffany espirrava sem parar.

   Droga, pensou. Bom, deve ser só um resfriado. Algum remédio deve resolver.

   Se levantou da cama, mas assim que o fez, sentiu suas pernas bambearem. A dor agora havia aumentado, e se espalhado por todo o seu corpo.

   Com uma das mãos pressionando a cabeça – como se aquilo fosse fazer parar a dor lancinante - , levou o braço livre até um pequeno móvel por ali perto, e pegou seu celular. Ligaria para Jessica e avisaria que estava doente e que não iria à faculdade. Não conseguia levantar. Era como se fosse desmaiar a cada passo dado.

   Só queria descansar.

   Vai parar logo...

   Deitou novamente, e levou os joelhos até o peito, abraçando-os.

   Vai parar logo...

   Fechou os olhos com força.

   Vai parar logo... Por favor...

   Mas não conseguiu adormecer novamente.

 

 

 

   +   Taeyeon   +

 

   - Yuri, você tá bem?

   - Claro.

   Taeyeon não podia negar, a amiga estava muito feliz – talvez até demais - , e não parava de sorrir para tudo e todos.

   - Por que não ficou daquele jeito quando eu esbarrei com a... Tiffany? – para quem ouvisse, pareceu que a loira havia apenas se esquecido do nome da mulher. Mas ela só queria evitar de ficar vermelha na frente de tanta gente. – Eu digo, a Jessica estava lá também.

   - Exatamente por isso. Porque a Tiffany estava junto.

   - Hmm...

  Seria Tiffany tão ruim assim? Tudo o que a Kim sabia era que quanto mais ouvia sobre ela, mais curiosa ficava. E sobre a tal Jessica, era visível que havia algo entre ela e Yuri, mesmo que talvez ainda desconhecido por ambas.

   Chegaram para a aula, e Taeyeon ainda não avistara Tiffany em lugar algum. Mas não se importou tanto, afinal elas não eram nem da mesma sala. Jessica também não demonstrou sinais.

 

   - Cadê a Tiffany? – Yuri acabara de perguntar o que a loira tanto queria saber, para Jessica, que resolveu aparecer por ali, depois do final das aulas. Agora, ela e a Kwon conversavam normalmente.

   O amor é estranho, pensou.

   - Ela não veio – Taeyeon ouvia tudo, tentando não fazer transparecer a preocupação. – Me ligou hoje mais cedo, e disse que estava muito mal pra vir.

   - Entendi... Ei, vocês duas – começou Yuri, puxando a pequena para mais perto. – Podíamos sair hoje à tarde.

   Os olhos de Jessica brilharam.

   - Seria bom!

   - Ótimo! E você, Tae? – não ouviu. Estava pensando em Tiffany, se estaria bem. Porém parecia ser a única. – Tae?

   - Ah... – sair com Yuri e Jessica...

   - Se decidiu?

   Pensou um pouco, e por fim, deu sua resposta.

   - Desculpa, Yuri. Por que não vão só vocês duas? Eu tenho uma coisa pra fazer mais tarde.

   Para a sua surpresa, Yuri pareceu aceitar.

   - Se você diz...

   - Sim!

   Saíram então, as duas, e o som da conversa entre ambas foi se afastando, a medida que saíam do corredor principal.

   Taeyeon não perdeu tempo. Logo que as duas desapareceram de vista, a loira saiu correndo até uma outra sala.

   Acho que é essa.

   Enquanto isso, pensou na saída das amigas.

   Tomara que se divirtam.

   Ela precisava mesmo fazer uma coisa, mas claro que esse não era o único motivo de ter recusado.

   Consegui deixa-las sozinhas. E Yuri pareceu feliz.

   Sorriu, e entrou na sala.

 

 

 

   +   Tiffany   +

 

   A tarde chegara, e Tiffany no momento se sentava na bancada da cozinha, de vez em quando bebericando do chá que acabara de preparar.

   Ela ainda não se sentia bem. Não conseguiu dormir, e terminou com profundas olheiras. Para sua felicidade, agora andar não era tão desconfortante quanto antes. Ela se sentia tonta, mas não a ponto de sentir que fosse cair no chão duro e gelado a qualquer momento.

   A culpa é toda dela...

   Porém, não parou de pensar na garota em que esbarrara, no dia anterior. Não chegou a trocar nem duas palavras com a própria, mas já a culpava por seu repentino mal estar.

   Se não fosse ela...

   Jessica ainda não havia dado sinal algum desde que tinham se falado pelo celular. Mas sua cabeça estava tão entupida com a imagem da pequena garota que ela mal se lembrou desse fato.

   Só depois de um tempo, percebeu que alguém tocava a campainha.

   Jessica resolveu aparecer?

   Lentamente, andou até o batente – suas pernas não cediam mais, mas o cansaço não desaparecera. Tiffany estava irritada. E, provavelmente, brigaria com a amiga ali mesmo.

   Abriu a porta.

   A primeira coisa que fez foi se surpreender com a pessoa que se postava ali.

   Seus cabelos loiros estavam presos em duas tranças laterais, um tanto bagunçadas, o que fazia com que alguns fios lhe caíssem no rosto. Vestia um suéter de lã branca, grande o bastante para que chegasse até a metade de suas coxas.

   - Mas o que...

   Murmurou para si mesma, baixinho.

   - Hmm... Tiffany?

   Não respondeu de início. Mesmo não sabendo seu nome ainda, a morena se lembrava muito bem daquela figura.

   - O que é que está fazendo aqui?

   A pequena então, tirou um grande monte de papéis de dentro de uma bolsa, e depois de se certificar que estava tudo ali, estendeu ambas as mãos em direção à Tiffany.

   - Aqui... Trouxe pra você...

   A Hwang apenas observou, confusa. No rosto da outra, havia um tímido sorriso. Não pegou os papéis.

   - O que é isso?

   - Suas aulas de hoje.

   A castanha franziu o cenho, tentando, em vão, posicionar as coisas em seus devidos lugares.

   Era para Jessica fazer isso.

   - Minhas aulas? Mas você nem está na mesma sala que eu!

   - Eu sei, mas...

   - Droga, o que você tá fazendo?

   Naquele mesmo momento, parou e se perguntou o porquê de ter gritado. Seria sua cabeça? Ainda estava doendo tanto, mas...

   Olhou para a loira, e viu que esta agora encarava a grama, sem o pequeno sorriso que antes tomara sua face.

   - Eu só... Quando a Jessica me disse que você estava mal, eu fiquei preocupada. Achei que perder tantas aulas não seria bom pra você – a morena ouvia tudo. – Então eu procurei seus professores, e pedi os conteúdos – ela voltou a estender os papéis, as mãos agora trêmulas, com medo de que fosse rejeitada outra vez. – Se você aceitar... Eu escrevi tudo, de um jeito que pensei que você entendesse melhor, sabe...

   Seu coração batia forte, e ela sentia seu corpo ceder aos poucos. Rapidamente, pegou os materiais das mãos da outra, que ainda permanecia ali, agora observando Tiffany intensa e profundamente.

   Ela não aguentaria.

   - Satisfeita? Pode ir embora agora. Vai acabar ficando doente também.

   Dito isso, se virou, pronta para fechar a porta atrás de si. Antes que o fizesse, foi interrompida pela voz fraca da loirinha. Parou onde estava, daquele jeito mesmo.

   - Não me importo em ficar doente.

   Num último gesto, soltou um “tsc” e bateu a porta, se recostando na mesma logo em seguida. Apertou os papéis contra o peito.

   - Pois eu me importo.


Notas Finais


Acho que já deu pra notar que isso aqui vai ser bem puxado pro fluffy, até o Yulsic (Eu não consigo imaginar uma Yulsic fluffy, mas é a vida)
Então quem sabe um dia eu escreva uma Yulsic toda safada e á base do sexo selvagem -q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...