História Girl Temptation - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber
Tags Jelena
Visualizações 247
Palavras 1.425
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Girl Temptation - Capítulo 3 - Capítulo 2

"You ain't gotta answer none of my calls I'm believing you'll pick up one day"



Novamente o bipe do celular, disparava, não estava com a mínima paciência pra isso, em outras vezes eu iria procura-la, porém ela tinha viajado até Itália ou algo assim.


 Enquanto Ryan, revirava os olhos para minha situação, a minha irritação chegava a níveis extremos. 

 -Mas que porra, ela jogou o celular fora?- indaguei ficando de pé.

 -Calma ai Justin, ela pediu um tempo.- se acomodou na grande poltrona branca.-Cara, não é nada fácil a pessoa pegar o namorado na cama com outra, ou seja com outras.- falou exasperado.

- Para de ficar andando feito um maluco e senta ai.

 -Mas eu já tentei explicar mil vezes que não significava nada.- joguei o celular violentamente em algum canto do meu quarto.- E eu não vou conseguir relaxar até conseguir vê-lá.

 -Ela pediu um tempo, não foi?- ele perguntou e eu assenti ainda irritado. -Dá isso pra ela.- bufei. -Irmão, tenta se concentrar no final da turnê, depois você vai ter um tempo de folga, e é nesse tempo, que você estará livre pra correr atrás dela.- levantou e negou com a cabeça rindo.

 -Por qual motivo você está rindo Ryan? Isso é coisa séria!- exclamo quase arrancando meus cabelos. 

 -Porque eu tenho a certeza que vocês vão voltar, é sempre assim.- falou revirando os olhos.

 -Tá, Ryan. Agora me deixa sozinho, que mais tarde eu tenho que viajar.- ele riu e saiu pelos corredores da casa.

 -Mantenha a Calma Justin.- gritou já longe. Sentei em uma das poltronas e apoiei minha cabeça entre as duas mãos bufando Alto.


 -Você é minha Selena, ninguém pode mudar isso. 


 New York, nublada como sempre, a casa silenciosa, e meus pensamentos voam livremente, como essa casa me lembra Selena. Tudo aqui é tão a cara dela, esse quarto principalmente, onde ela sempre passava a maior parte do tempo. Estou ficando louco! Bufo e recolho o celular que está com a tela um pouco trincada por conta da batida anterior. 


 Então como sempre costumo fazer entro na rede social que Selena mais usa, Instagram, e vou vistoriar como um bom namorado ciumento.


 Desde do começo do namoro, ela sempre foi mais reservada do que eu, mas em determinados trabalhos, ela teve que se expor, e eu odiava isso, odiava as fotos de biquíni, fotos sensuais, isso despertava em outros homens o que era só meu. E puta que pariu, eu ficava bravo, cego de ciúmes. Não tinha vergonha ou problema de admitir isso, isso era um grande tópico para maioria das nossas brigas.


 Foda-se, ela é minha, e eu não me importo com que o resto do mundo vá pensar, curto algumas fotos principalmente a última que foi postada ontem, como se avisando que eu estava de olho. E como uma boa indireta, posto alguma coisa sobre o fim da turnê, e sobre sentir que falta alguma coisa.

 E sem mais paciência para isso, recolho algumas bebidas e as chaves do carro. Relembrando algo, volto e pego algumas cápsulas de êxtase, e caminho rapidamente entre os corredores, driblando, meus próprios seguranças. Precisava de um tempo sozinho. Então em alta velocidade eu sai nas ruas gélidas, não esquecendo de mandar alguma mensagem ou ligar para minha namorada. 


Ultimamente eu estava esgotado, mas ela sabia de todos os meus defeitos e me amava assim mesmo. E nós somos tão opostos um do outro, ela é calma, compassivo e quase nunca demonstra ciúme, mesmo admitindo sentir muito, sua capacidade de empatia é enorme, e muitas vezes eu só faço coisas boas basicamente por ela. Mesmo as vezes, perdendo o controle e a falando coisas que não devo, sendo meio bruto e violento, ela sempre perdoava, mas chegou o momento que ela não aguentou mais, porém eu não estou pronto pra isso, não estou preparado para ficar sem ela, e nunca vou ficar. 


 Parei o carro ao redor de algum muro, e recolhi algumas tintas na traseira, isso mesmo, rebeldia era o que eu precisava.


 A pichação havia ficado linda, assinei como "Selena e Justin" e terminei, vendo ao redor alguns fotógrafos.

 Ri comigo mesmo e gritei: -Isso mesmo seus urubus, tirem várias fotos, vocês só servem pra isso.- sai correndo e entrando no carro, rapidamente dando partida. Rindo comigo mesmo. Ingeri algumas cápsulas e logo a droga fez efeito, e eu não poderia mais dirigir, só que eu apenas não queria retornar pra casa. Então passando por algumas ruas sem muito movimento, virei minha cabeça, me deparando com longos cabelos espalhados no Banco do passageiro. 


 -Selena? É você?- perguntei com uma voz falha.

 -Justin, eu não te quero mais, só some da minha vida.- ela diz e some rapidamente. 

-Você não pode fazer isso!- grito com raiva.-Você é minha!- bato as mãos no volante percebendo que foi apenas um devaneio. Quando percebi que estava na porta de casa, deixei o carro de qualquer jeito, enquanto um dos seguranças me ajudava a entrar. 

 -Vocês poderiam fazer o favor de me soltar idiotas?- ri

 -O senhor está drogado, não sei como você saiu sem nossa presença. -Me deixa, eu não te pago para estar dando opinião sobre o que eu deixo ou não de fazer.

 -O Senhor Braum espera na sala principal. falou sério recolhendo as chaves do carro da minha mão. Eu apenas caminhei até o interior de minha casa cambaleando meio desnorteado até a grande sala principal onde meu empresário com cara carrancuda e braços cruzados me encarava balançando a cabeça negativamente.


 -Não me venha com seus sermões agora!- reclamei desabando em um dos sofás.

 -Justin o que está havendo com você? Voltou a ter dezessete anos?- exclamou bravo.

 -Scooter, por favor me poupe, você é meu empresário não minha babá.


 -Exatamente, você já está grandinho para fazer essas besteiras, polêmicas não são coisas positivas.- eu já estava me levantando para deixa-lo falando sozinho.

 -Você acha que assim, desse jeito, Selena vai voltar?- riu. Me virei arqueando minha sobrancelha direita esperando ele continuar. -Você está enganado Justin, ela precisa de um homem e não um moleque.- falou se virando, porém quase consciente que aquela frase me afetou profundamente. -Amanhã quando chegarmos à Londres, você vai pedir desculpas. Por pouco você não está preso.- exclamou me virando as costas e saindo. 

 -Que Droga.- murmurei sozinho. Subi cambaleando até nosso quarto e abri o aplicativo de mensagens.

 Muito bêbado tirei uma foto, mandando um áudio logo em seguida. -Olha, Olha como eu estou, quero você meu amor, por favor.- deixei o celular de lado e deitei de qualquer jeito na cama, dormindo logo em seguida e sonhando com a minha morena. 


 No dia seguinte, sai bem cedo e cheguei rapidamente ao aeroporto. O bip do celular tocou e eu imediatamente chequei, era uma mensagem de minha mãe, fazia algum tempo que não a via, estava com saudades, Selena e eu sempre íamos visita-la. Acho que Pattie acabou sabendo do "término" e como sempre adorou Selena quer fazer alguma coisa pra me ajudar. 


 O café estava amargo, porém perfeito. A equipe toda acomodada, e eu com um caderno e alguns rabiscos e letras, quando a inspiração chegava, eu escrevia. Sempre assim. 


 A melodia de chamada do celular foi ouvida, recolhi rapidamente e quando me deparo com quem ligou, suspiro alto e sorrio radiante. Era ela. Finalmente.

 -Oi Justin?- falou baixo. 

 -Oi meu amor, que saudades.- falei sorrindo.

 -É que sabe, eu sempre converso com você sobre tudo que eu vou fazer no trabalho, certo?- falou hesitante. Havia alguma coisa. 

 -Sim, eu mesmo faço questão.- falo afirmando novamente.

 -Então, mesmo não estando mais juntos, ou dando um tempo. Eu queria dizer que assinei um contrato. 

 -Que contrato Selena?- comecei a ficar nervoso.

 -Eu sei que não te devo satisfações, não mais. Porém não quero que você se oponha. Eu não estava tão sóbria quando assinei, mas vou cumprir.

 -Que contrato é esse Selena?- falei pausadamente. 

 -De cinco meses de ensaios para Playboy.- falou baixo. 

 -O QUÊ?- gritei- Ah mas não vai, não vai mesmo!- neguei com a cabeça possesso de raiva. 

 -Era isso que eu temia, Por favor Justin, pelo que a gente foi. Não faz nada. São apenas fotos.

 -Eu não vou deixar, não vou e não vou. Vou dar um jeito, minha mulher não vai ficar nua para milhares de marmanjos se masturbarem.- levantei, andando no pequeno cômodo do enorme ônibus.

 -Foda- se!- gritei raivoso. -Selena, Você não seria capaz. É castigo de mais!- falei suspirando. 

 -Perdão Justin, Adeus.- e simplesmente desligou. Me deixando puto da vida. Com certeza, não iria ficar assim.               


Notas Finais


Kkkkk, gente do céu 💬💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...