História Girls Like Girls - (Hot Lésbico) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Anne, Elisia, Homossexual, Lésbica, Lesbicas, Relacionamento, Romance, Sexo
Exibições 515
Palavras 2.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá, desculpa a demora, estava esperando mais visualizações no último capítulo. Estou amando feedback de vocês, mas acho que deveriam comentar mais, porque é o que mais me motiva para continuar a fanfic.

Boa leitura!

Capítulo 10 - Skateboard, pizza and you


Fanfic / Fanfiction Girls Like Girls - (Hot Lésbico) - Capítulo 10 - Skateboard, pizza and you

No dia seguinte, eu já tinha ido à escola e voltado. Tudo normal como sempre. No momento, estava sentada á mesa com meus pais, que já tinham voltado do primeiro turno de trabalho deles.

- Eu gostei daquela sua amiga ontem, acho que me enganei sobre ela quando a vi... – minha mãe comentou antes de levar o garfo à boca.

- Sim – balancei a cabeça positivamente – Elisia é uma pessoa boa.

- Ela estava tão diferente quando a vi... Tipo, as roupas dela...

- É, na maioria do tempo ela usa as roupas que você não gostou, mas isso não muda nada em seu caráter, não a julgue mal.

- Tanto faz, Anne – minha mãe deu uma pausa enquanto eu continuava comendo. Ela estava me olhando fixamente. – Mas, o que aconteceu com os pais dela?

- Pelo o que sei, eles morreram em um incêndio quando ela tinha uns sete anos, então o primo dela conseguiu salvar apenas ela dentro da casa  e agora ela mora com ele.

- É tão triste isso... – meu pai comentou.

- É sim – minha mãe respondeu.

Iria continuar conversando, quando escutei meu celular tocar. Soltei o garfo no mesmo instante e corri até a sala pegar ele encima da estante. Atendi.

Ligação on:

- Alô?

- Olá! – conheci a voz da pessoa, era Elisia para variar.

- Oi, Elisia... – falei terminando de engolir a comida.

- Está ocupada?

- Na verdade, eu estava comendo – engoli.

- Desculpa te atrapalhar, mas, as duas eu vou passar aí para te levar até a pista de skate comigo, você vai conhecer dois amigos meus...

- Ah sério? Estou com preguiça, meus planos para essa Sexta-Feira era assistir uns filmes jogada no sofá ou sei lá – respondi me deitando no sofá da sala.

- Não complique, Anne, as duas estou aí e é melhor estar pronta.

- Vai insistir mesmo? – perguntei.

- O quanto for preciso...

- Af... Eu vou.

- Até as duas então? – pude escutar uma risada baixa do outro lado da linha.

- Sim.

Ligação off.

Me despedi de Elisia, voltei à cozinha e continuei comendo. Minha mãe já estava lavando louça e meu pai terminando de comer.

- Com quem estava conversando? – meu pai perguntou.

- Elisia. Inclusive, posso ir ao parque com ela hoje? – perguntei olhando minha mãe ensaboar um prato.

- De novo? – ele perguntou.

- É... Eu posso?

- Sem problemas, eu acho.

Terminei de comer e fui até meu quarto, fiquei jogando jogos no computador até dar uma hora da tarde. Meus pais já tinham saído trabalhar de novo e eu fui tomar banho. Depois me troquei com um shorts, um tênis All Star preto e uma blusa xadrez vermelha. Apenas penteei o cabelo e passei um perfume. Exatamente às duas horas, Elisia tocou a campainha. Corri até a porta e abri.

- Oi – ela disse e me abraçou.

Estava do mesmo jeito de sempre, bem diferente de ontem quando estava tão fofinha de vestido. Suas calças jeans, sua blusa branca com detalhes e seu tênis verde. Ela segurava um skate com alguns detalhes de flores e folhas.

Começamos a andar uma ao lado da outra pela calçada em direção a pista de skate que ficava no parque. Estava com as mãos para trás do corpo, quando ela puxou meu braço e entrelaçou perfeitamente nossa mão enquanto observava a rua. O cabelo dela voava para o mesmo lado em que ela olhava a rua, estava tão linda daquele jeito.

- Elisia... – disse olhando nossas mãos juntas – Estamos na rua sabe, público... – me incomodei um pouco com sua atitude.

- Eu não me importo. Apenas quero você, ficar com você. Saber que se qualquer menino te olhar, ele ver nossas mãos e perceber que você é minha, apenas minha – ela disse calmamente enquanto observava a copa das árvores.

Não consegui dizer nada. Meu coração começou a bater forte e eu pensei que ele iria sair pela boca, era uma sensação ainda melhor do que beijá-la poder saber que ela pensa assim.

Apenas sorri olhando para nossas mãos juntas.

Logo quando chegamos perto da pista, dois meninos quase com o mesmo estilo dela, correram até nós.

- Oi, Elisia! – um deles a cumprimentou e lhe deu um abraço.

O outro apenas me olhou corado e acenou, acenei de volta.

- Quem é ela? – o mesmo menino perguntou.

- Ah, essa é minha amiga Anne, chamei ela pra nos ver hoje – ela sorriu enquanto olhava para mim e seu amigo, virando a cabeça toda hora.

- Até que ela é bem gatinha, né? – ele me olhou de cima a baixo. Senti meu rosto queimar.

- Cala a boca, Tom! – senti uma pitada de ciúmes em seu tom.

- Isso foi ciúmes, Elisia? – o outro menino se pronunciou. Pelo jeito não foi só eu quem percebeu o ciúmes dela comigo.

- Não, só não quero que começem a dar encima da minha amiga agora, vocês nem a conhecem – ela revirou os olhos.

- Vai, Elisia, todo mundo sabe que você gosta da fruta! – eles riram.

- Ah, cala a boca! – ela bateu levemente no ombro dele.

Os dois meninos foram andando e ela me disse para ficar sentada no banco logo em frente à pista, para ver ela. E depois correu junto aos dois meninos.

Me sentei ali totalmente no tédio e fiquei olhando ela andar de skate com os dois amigos dela. Não conseguia me concentrar nela, eu só pensava no que aconteceu ontem em casa, estava preocupada se minha mãe escutou algum gemido ou qualquer outra coisa que provasse que estávamos transando no sofá da sala com meus pais no quarto no andar de cima. Isso me fez reparar em seu corpo enquanto ela andava de skate e o vento fazia a blusa marcar seu corpo. Tão gostosa!

Tentei tirar todos os pensamentos ruins da minha cabeça e prestar atenção em Elisia. Céus! Ela anda melhor que todos esses meninos juntos! Bem na hora que a olhei, ela me olhou e sorriu, eu sorri de volta. Depois de mais longos e longos minutos, ela pegou o skate na mão, se despediu de seus amigos e voltou para perto de mim.

- Vamos? – perguntou.

- Sim – me levantei do banco e nossos rosto ficaram tão próximos que fiquei com vontade de beijá-la ali mesmo no meio de todo mundo. Me distanciei rapidamente.

Começamos a andar novamente na rua.

- Se você ficar tão próxima de mim como ficou quando levantou eu vou ser obrigada a te beijar em público – ela disse enquanto andávamos, eu sorri.

- Nos poderíamos nos esconder no meio das árvores do parque e transar ali – estava olhando para frente e a olhei – O que acha?

- Acho ótimo – nós duas rimos.

Um silêncio ficou ali por algum tempo.

- Eu sei que foi entediante para você – ela disse de repente.

- Não, eu gostei, você faz isso muito bem!

- Sério? Ah, obrigada – ela parecia feliz. – Vou te levar pra minha casa agora.

- Não sei...

- Sempre vou na sua casa e você nunca vai à minha, vamos por favor?

- Tenho que avisar minha mãe se eu for – disse puxando o celular do bolso traseiro do shorts.

- Então avise, e diga que vai demorar – ela sorriu. – Eu to rezando pro meu primo não estar lá...

Disquei o número da minha casa e avisei minha mãe que iria para a casa de Elisia. Ela protestou e disse que era pra eu ter juízo, mas no fim acabou deixando. Fomos andando até chegar em sua casa.

Era simples. Os móveis eram bem rústicos mas com um toque de modernidade. Quase tudo era marrom ou preto, realmente muito linda sua casa, nem parecia que apenas um adulto e uma adolescente moram ali, tudo tão organizado e limpo...

Ela colocou o skate encostado na parede logo ao logo da porta de entrada, entrei atrás dela e observei tudo que pude enquanto ela se jogou no sofá, estava cansada.

- É tão lindo... – parei no meio da sala e rodei devagar, prestando atenção no papel de parede marrom com detalhes em branco.

- Não mais lindo que você parada aí no meio – ela sorriu maliciosa e eu a olhei.

- Elisia? – alguém gritou com uma voz grossa e logo pôde-se escutar passos até a sala.

- Oi, Matt, cheguei! – ela gritou. – Não acredito que ele está aqui, Anne...

- Elisia, eu... – ele entrou na sala e interrompeu o que estava dizendo quando me viu ali. – Ah, oi... – parecia confuso.

- Matt – Elisia se levantou do sofá com um pulo. – Essa é minha amiga, Anne.

Ele veio até mim e me cumprimentou com um aperto de mão.

- Sou Matthew, prazer em te conhecer.

- O prazer é meu – sorri.

- Elisia, eu iria perguntar se você queria fazer maratona de filmes comigo hoje, porque não vou sair e nem trabalhar – ele disse.

- Ah, sim, Anne pode ficar?

- Claro! Vou pedir uma pizza para nós – ele foi até seu celular no sofá e o pegou.

Matthew parece ser uma pessoa boa para Elisia. Aparenta cuidar dela como uma filha.

Me sentei o lado de Elisia e esperamos enquanto Matt pedia a pizza.

Escolhemos alguns filmes de ação e esse foi o tempo da pizza chegar. Nos sentamos no sofá e começamos a comer enquanto assistíamos, eu estava um pouco envergonhada mas Elisia jogada do meu lado no sofá deixava tudo melhor.

Matthew estava deitado em um sofá pequeno de dois lugares com um prato de pizza nas mãos e um copo gigante de refrigerante. E eu e Elisia em outro sofá de três lugares, cada uma também tinha refrigerante e pizza. A caixa de pizza estava encima da mesa no meio da sala.

Quando terminei de comer, deitei a cabeça no colo de Elisia e ela puxou o cobertor encima de mim, cobrindo apenas eu. Virei a cabeça na direção da televisão e joguei meus cabelos em suas coxas, que eram tão macias, roliças e convidativas. Era bom saber que já pude provar daquilo e vou continuar provando.

- Eu posso? Está desconfortável? – olhei para ela e perguntei, falando baixo para não distrair seu primo que estava concentrado no filme.

- Pode ficar assim.

Voltei a atenção ao filme mas não conseguia me concentrar, porque percebi o olhar de Elisia em meu rosto, e as vezes ela virava a cabeça para o lado, observando minha bunda ou minhas coxas e pernas. Percebi ela mordendo o lábio inferior uma hora. Estava pedindo ao céus para ela se controlar e eu também, pois queria beijá-la, como sempre. Ela não parava de me fitar e eu estava começando a ficar incomodada. Algum tempo depois, senti sua mão entrar por minhas mechas de cabelo logo encima da nuca. Ela começou um vai e vem gostoso ali e eu estava começando a ficar com sono. Ela mudava os movimentos e cada vez era melhor sua massagem em mim.

                                                         ***

- Anne? Anne? – escutei alguém chamar baixinho por meu nome enquanto retirava os cabelos de meu rosto, só então percebi que estava acordando, eu realmente tinha dormido.

- Ahn? – disse sonolenta.

- Eu te acordei porque já são meia-noite, tudo bem se quiser dormir aqui, sem problemas, mas avise sua mãe.

Me levantei de seu colo e olhei ao redor. A televisão estava ligada e Matthew esparramado no outro sofá, também dormindo.

- Que horas eu cheguei aqui? – perguntei confusa.

- Acho que eram seis da tarde – só então me lembrei de tudo que tinha acontecido.

- Elisia, eu adoraria ficar aqui, mas tenho que voltar pra casa, ou minha mãe me mata.

Me sentei no sofá e calcei meus tênis.

- Você não pode ir agora sozinha, já está tarde – ela protestou.

- Não se preocupe, minha casa não é longe daqui e eu vou correndo.

Ela me acompanhou até a porta, mesmo ainda dizendo que eu não poderia ir andando sozinha àquela hora da madrugada. Nos despedimos com vários selinhos.

Saí de sua casa e, como estava apenas de shorts e blusa, senti o frio bater em minhas pernas e estremeci, me abraçando. Começei a andar rápido e por sorte, nem sinal de ninguém por ali, o problema era a rua toda escura, nem as lâmpadas estavam funcionando. Quando cheguei em casa, minha mãe abriu a porta e ela já estava de pijamas.

- Estávamos esperando você chegar – minha mãe disse quando me viu tremendo de frio. – Onde você estava?

Entrei e ela fechou a porta.

- Na casa da Elisia, eu dormi lá sem querer e perdi hora.

- Estava preocupada, que bom que você chegou bem, garota!

Meu pai já estava dormindo. Minha mãe nem gritou muito comigo, apenas se deitou em sua cama e voltou a dormir como fazia antes de eu chegar. Não tirei minha roupa, apenas me joguei na cama e olhei meu celular antes de dormir.

 Elisia: Você chegou bem? Estou preocupada, me responda quando puder – mandada a dois minutos atrás.

Eu: Sim. Elisia, eu amo você e você precisa saber disso.


Notas Finais


Não esqueça de comentar. Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...