História Girls Like Girls - (Hot Lésbico) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Anne, Elisia, Homossexual, Lésbica, Lesbicas, Relacionamento, Romance, Sexo
Exibições 342
Palavras 1.675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Teve uma leitora que adivinhou tudo desse capítulo, fui tão previsível assim? KKKKK

Se vocês acharam fofinho o capítulo passado, por favor não morram de amor por esse!

RECADO IMPORTANTE: HOT PESADO NO PRÓXIMO CAPÍTULO, AMO VOCÊS

Capítulo 11 - Surprise!


Fanfic / Fanfiction Girls Like Girls - (Hot Lésbico) - Capítulo 11 - Surprise!

Elisia: Eu amo você! Muito!

                                                         ***

- Vamos logo, mãe, eu quero ir embora! – disse em frente ao provador em que minha mãe estava. Ela se olhava no espelho, analisando a roupa em seu corpo.

Eu nem sei quantas sacolas estava segurando, mas eram muitas. Olhei no relógio da loja pendurado na parede e percebi que era uma hora da tarde, ou seja, estava aqui no shopping a mais de três horas andando com ela. Quando minha mãe implorou para vir com ela no shopping, pensei que seria rápido, mão não aguento mais seguir ela em várias lojas e vê-la comprar um monte de coisas. Não almoçei e nem tomei café da manhã, e ainda estou morrendo de fome para piorar a situação.

- Nós já vamos, Anne, espere! – ela disse fechando o provador de novo. Talvez essa seja a última roupa que ela provou. Por favor, Deus, eu só quero voltar para casa e descansar!

Minha mãe não comprou nada para mim, apenas muitas roupas e sapatos para ela. Não que eu esteja precisando de roupas no momento, mas daqui dois dias é meu aniversário e ela ainda não me deu nada de presente. Enfim, se querer um presente significa continuar andando pelo shopping, eu prefiro ficar sem presente e ir embora.

Meia hora depois nós já estávamos no carro voltando para a casa. Fiquei olhando a rua passar rapidamente com a velocidade do carro enquanto escutava música no fone de ouvido, o shopping em que estávamos era bem longe, então dava para relaxar um pouco com o vento batendo em meu rosto e cabelos.

Chegamos em casa. Eu subi até o quarto da minha mãe com ela, meu pai não estava ali, talvez ele esteja no banheiro ou sei lá.

- Anne, pode pegar a roupa encima da mesa de churrasco no quintal para mim? – minha mãe perguntou.

Concordei e fui até a porta que dava pra o quintal. Estava tudo tão escuro, tão quieto e estranho... Vi algumas sombras no quintal e quando a abri:

- Surpresa!

Corei no mesmo instante, várias pessoas super importantes para mim estavam ali com os braços levantados, sorrindo e gritando meu nome. Minha mãe chegou atrás de mim e colocou as mãos em meus ombros.

Elisia também estava ali!

- Oi, gente... – falei meio desconsertada e rindo sem graça.                              

Entrei pela porta e fui cumprimentar meus avós, minhas primas e primos, tios e alguns amigos dos meus pais. Estava cheia de presentes nas mãos e algumas marcas de batom nas bochechas. Minhas avós são daquelas que dão vários beijos nas suas bochechas com um monte de batom na boca e fica tudo marcado. Elisia me ajudou a colocar todos os presentes encima da mesa de madeira que usávamos para fazer churrasco, que ainda não estava arrumada com a toalha e comidas.

- Devo te falar parabéns hoje? – ela perguntou pegando o último presente dos meus braços e colocando encima da mesa.

- Não, meu aniversário é só daqui a dois dias! – eu ri.

Só então parei para olhar a decoração, era linda e exatamente fofa igual a mim. Tinha balões coloridos pendurados nas árvores do quintal de casa e uma corda como um varal que também tinha balões e alguns fitilhos. Meu pai acendeu a churrasqueira e depois de minutos eu já conseguia sentir o cheiro que tanto amava. Todos se acalmaram, minha mãe estava terminando de fazer as comidas e saladas e meu pai e meu tio estavam ‘’comandando’’ a churrasqueira. Me sentei em um banco de madeira da mesa e chamei Elisia para se sentar ao meu lado.

- Como sabia da festa? – perguntei depois de beber um pouco de refrigerante no meu copo. Ela também tinha um.

- Seus pais me falaram no dia do jantar, quando você tinha ido ao banheiro, acho que eles me chamaram na sua casa aquele dia só para falar sobre isso.

- Então minha mãe só demorou no shopping para dar tempo de vocês arrumarem tudo?

- Exatamente – ela sorriu.

- Ah, eu não acredito...

- Anne, vem comigo – ela se levantou e me puxou até meu quarto. Elisia me jogou deitada na cama. Tentei puxar ela encima de mim mas ela se distanciou.

- Qual é Elisia? Eu pensei que tinha me puxado até aqui para transar...

- Anne, eu acho que só quando seus pais viajarem agora, e também não podemos transar com toda sua família aqui né? – ela disse como se fosse óbvio.

Elisia se abaixou e pegou um embrulho de presente embaixo da minha cama.

- Pensou que eu não iria te dar nada? – ela perguntou se sentando ao meu lado.

- Na verdade, o melhor presente que eu poderia ter é você – falei rápido.

Ela me olhou e eu encarei seu rosto, exatamente cada detalhe dele, e principalmente sua boca. Me lembrei de quando nos beijamos pela primeira vez na cozinha e comigo sentada encima da pia, tinha acontecido a mesma coisa, nos olhamos e eu a puxei para um beijo. Mas dessa vez, ela segurou meu rosto, acariciou minhas bochechas e chegou mais perto, começando um beijo lento e para mim estava tão romântico tudo aquilo. Acho que nunca tivemos um beijo tão lento e romântico, tudo sempre era com tanto desejo para nós duas que nos esquecíamos que mesmo evitando, ali existia amor além da atração. Nos separamos quando o ar nos faltou e ela finalizou o beijo com uma mordida no meu lábio inferior.

- Feliz aniversário, meu amor – ela me entregou o presente que estava em seu colo e eu o segurei.

- Hum... Vamos ver... – começei a tirar todos os papéis bonitinhos que o embrulhavam.

Era uma caixinha, tinha um formato retangular, era preta com bolinhas brancas e um laço verde a envolvia. Olhei para ela e sorri antes de tirar a fita verde e abrir a caixinha. Por que tudo de Elisia tinha que ter pelo ou menos um detalhe verde? Era tudo tão verde! Todos acham que a cor que representa o amor é vermelho, mas para mim, verde é o amor! Verde deixa tudo tão mais bonito...

Quando abri, vi que era um colar com um pingente de coração. O interior do pequeno coração na corrente dourada, era verde e em volta dele era dourado, como o resto.

- Verde... Para se lembrar de mim! – ela disse perto do meu ouvido, me fazendo arrepiar com a respiração batendo em minha orelha.

- Eu estou constantemente pensando em você – sorri.

Tirei a corrente da caixinha e Elisia colocou em meu pescoço.

- Tão linda... – ela disse e em seguida deu uma pausa. – Ei, tem mais coisas aí dentro – ela apontou para a caixinha.

Olhei e tinha uma carta escrita ‘’10 razões para te amar’’, estava enfeitado com tantos corações vermelhos, uma carta tão delicada que nem parecia que era Elisia quem tinha feito.

- Ai meu Deus, que fofo! – peguei o cartão na mão e o abri.

Começei a ler em voz alta.

1. Eu amo o seu sorriso milésimos de segundos antes de me beijar.
             2. Eu amo os seus beijos demorados e o que acontece depois deles.
             3. Eu amo o jeito que sua boca se movimenta quando fala comigo.
             4. Eu amo o seu corpo.
             5. Eu amo sua timidez e também seu lado safado.
             6. Eu amo como você está em todos os meus planos.
             7. Eu amo passar cada segundo do meu dia pensando em você.
             8. Eu amo seu perfume e seu cheiro.
             9. Eu amo estar com saudades de você a toda hora.
             10. Eu amo a sua língua em mim.

 

Terminei de ler e a olhei.

- Não sei o que dizer, só sei que te amo muito e estou muito grata por tudo isso – a abracei novamente e ela acariciou meus cabelos. – Eu também amo sua língua – disse com a boca encostada em sua orelha e senti seu pescoço se arrepiar. Nós duas rimos.

Guardei o bilhete na caixinha e a escondi em um lugar estratégico do guarda-roupa. Estava de costas para Elisia e quando virei de frente para ela, a garota me olhava mordendo os lábios.

- Não vire de frente, eu gosto da sua bunda – falou.

- Não se descontrole, eu preciso de você como minha amiga lá embaixo – disse saindo do quarto e ela me acompanhou.

Voltei lá para baixo e todos já estavam almoçando sentados à mesa de madeira no quintal.

- Onde estavam? – minha mãe perguntou quando me viu entrar pela porta novamente.

- No quarto, Elisia me deu essa corrente – mostrei ela no meu pescoço. Elisia corou.

- É linda! – minha mãe sorriu com a mão em frente a boca, pois estava comendo.

Nós duas nos sentamos à mesa e começamos a comer enquanto todos nós conversávamos sobre a surpresa da minha festinha, eu estava amando a festa e amando principalmente Elisia ali ao meu lado.

- Ei, sabe o Tom? – ela falou me olhando com a boca cheia. Balancei a cabeça positivamente. Tom era o menino da pista de skate ontem. – Então, ele me convidou para a festa na casa dele, amanhã, e pediu para te convidar...

- Amanhã? No Domingo? – perguntei enquanto continuava comendo.

- Sim. Eu vou só se você for.

- O que vai ter lá? – a olhei.

- Provavelmente bebidas, adolescentes bêbados, pessoas se pegando nos quartos, balada, dj e sei lá... É porque os pais dele foram viajar, e ele quer dar aquelas famosas festas que parecem de filmes adolescentes – ela riu.

- Ah, eu quero ir sim – falei. – Nunca fui em uma dessas.

- Então nós vamos.

Depois de um tempo, nós cantamos parabéns e comemos bolo, agradeci mentalmente por não ter aquela coisa chata de ‘’Com quem será que a Anne vai casar?’’ depois do parabéns. Abri os presentes e até que não ganhei coisas ruins dessa vez. Quando a festa acabou e todos tinham ido embora, Elisia perguntou para minha mãe se eu podia ir com ela na festa de um amigo amanhã, e minha mãe deixou pelo incrível que pareça.


Notas Finais


Não esqueça de comentar. Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...