História Girls Like Girls - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Demiley, Fifth Harmony, Norminah, Saylor, Vercy
Exibições 109
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 66 - Um novo sentido


Lauren point of View

Cheguei a conclusão de que o homem é incapaz de ser fiel, sua compreensão de fidelidade está atribuída a uma data de validade. Tendo em mente que fidelidade não é um sentimento isolado, ele necessita de um hospedeiro, que pode ser o amor ou amizade e esses sentimentos são muito instáveis.

Os sentimentos mudam com o tempo, diminuem ou aumentam, podem ser facilmente transferidos a outra pessoa. Aquela sensação de oferecer o que nos é dado. Então tenho certeza de que não somos fiéis, somos justos a nós mesmos levando em consideração tudo que li e já vivi.

Eu sinto uma explosão de galáxias,  como se todas as vezes que a vejo um novo planeta é formado dentro de mim, cada um específico a Cabello, sei que talvez nem estejamos juntas em um mês, ou um ano.

Mas quero aproveitar cada segundo que ficamos e ainda ficaremos juntas, porque eu sei que não sinto apenas uma paixão sexual, não é apenas questão de pele, eu amo cada parte dela.

— Lauren... Você quer comer alguma coisa? — escutei Vero e suspirei.

"Queria a minha Latina, mas ela não está aqui"

— humm... Pode pegar uns refrigerantes e algum saco de salgadinhos pra mim?

Ela afirmou com a cabeça e saiu, me sentei na cama confortável daquele motel de estrada e me joguei para trás ignorando a vontade de chorar.

Era por um bom motivo, um ótimo motivo na verdade, depois disso eu voltaria a minha vida, iria para uma universidade qualquer e compraria uma casa grande no subúrbio onde eu criaria meus bebês ao lado de Camila.

Quanta desilusão, suspirei. É certo que Camila enjoe de mim, e é bem certo que assim como sua mãe ela faça algo relacionado a arte, com aquela mente ela teria que voar lançando sua purpurina no mundo enquanto eu a esperaria pacientemente.

Peguei meu celular e mandei uma mensagem para a minha bunduda.

Me: Boa noite coracion

CamzCabeyo: Heeey Darling!! Não sabe quem eu conheci hoje.

Espero que seja o Obama.

Me: hummm o Bob Esponja?

CamzCabeyo: nãoduuhEu conheci Grace...

*Foto

 

CamzCabeyo: ela é tipo vc que ela tem cabelos maiores e os olhos azuis.

Eu não sabia quem era quela praga da foto, mas eu sabia que não a queria perto da minha garota.

Minha: Pronome obsessivo, derivado da minha pequena crise de ciúme provocado pela minha namorada.

Me: Ótimominha viagem está ótima tambémeu com certeza terei uma boa noite.

CamzCabeyo: Claro que irámas é serioela é tão parecida com vcaté parece que VC é irmã delanão a própria irmã delaque parece um biscoito.

Quantos anos Camila tinha mesmo?

Me: Minha bateria está morrendo um beijo na Heda por mim.

Suspirei e travei a tela do celular enquanto tentava não explodir.

Agora mais essa para o meu cérebro iludido e um coração fraco.

— cheguaaaii — Vero nem um pouco escandalosa anunciou sua entrada.

Me levantei fitando a garota abatida a minha frente, mas que em sua face tinha um sorriso enorme.

— tem uma máquina de refri e salgadinhos no final do corredor — ela me jogou uma pepsi e um saco de doritos. — haaa e eu usei seu cartão de crédito, porque aqui não aceita débito.

Dei de ombros enquanto abriu a latinha, quem sabe um pouco de porcarias rotuladas de comida animara um pouco a minha vida.

— o que vamos fazer depois daqui?

— dormir.... — ela encheu a mão de salgados e colocou na boca — depois tomaremos café da manhã na padaria que tem aqui próximo e logo voltaremos para a estrada.

— ok — abri meu refrigerante e aquele motel merecia a única estrela que tinha, já que o mesmo estava quente. — mas eu pensei que antes de chegar na casa dos seus parentes, comprar algumas roupas...

— no problem... — ela se deitou ao meu lado e assim como eu ignorou o refrigerante.

— talvez John Green queira escrever uma história sobre a gente...

— sim... Só que romântico do jeito que é teria feito Camila vir com a gente enquanto eu ia atrás de Lucy.

— Sim enquanto Normani faria a vida de Dinah uma aventura dentro de um hospital e ele mataria quem de nós?

— com certeza seria você.

— mas porque eu?

— porque é claro que Você e Camila sejam as protagonistas dessa história, e seria muito clichê se Camila fosse a vítima... Então só sobra você.

— e como eu morreria? — me entopi mais salgadinhos enquanto fitava o teto embolorado.

— você estaria pronta para dar o segundo passo — curvei os olhos e virei o rosto fitando a face risonha de Vero. — sabe... Pedir ela em casamento, então você iria até o shopping center, compraria o mais nerd dos anéis e iria voltar acelerando a sua moto, sabe aquela curva para chegar no condomínio de mansões? — afirmei com a cabeça — você não ia ver o carro dando ré e bateria com tudo.

— deus do céu! Já basta o dia que vi o carro da Camz todo destruído... Quase fiz uma proposta ao tio Lu para que Camila ficasse bem.

— e ela estava cagando pra você.

— sim, assim como você está cagando para os sentimentos da Lucy.

— Não começa Laur, Lucy vai ter uma ótima vida sem a ficante chatona aqui — ela disse num tom sarcástico e eu revirei os olhos imaginando outra conversa que poderíamos ter tido se minha amiga não fosse uma cabeça dura.

.
...

Camila Point of View

— O que você sabe sobre essa garota? — escutei a voz de Dinah um pouco alta enquanto a gente jantava.

— ela é gata... E mora na praia... E é gata... E tem aqueles olhos azuis acinzentados...

— logo agora que eu ia fundar um fã clube Camren?

— heeey, nada disso, ela é minha colega, não é como a doida da Lauren... E aquele seu jeito, seu cheiro... Suas curvas...

Ji e Dinah me olharam com um bico nos lábios.

— porra velho, se decide, meu otp é supremo!

— quieta Hansen!

— ainda bem q sou hétela! — a chefe se cozinha do Paraguai retrucou e eu tentei conter o riso.

— por falar em Hétela, cadê a minha mãe?

— humm... Ela e seu pai folam com a pequena Sophi até a casa do pai dela.

— oh, o que está pegando? Ainda é por conta do namoro relâmpago entre ela e aquela gasparzinho menor?

— nu sei, mas é sobre... Ela ir pra Grécia...

Cuspi meu jantar longe.

— Grécia? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...