História Girls Never Forget - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Exibições 12
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Mistério, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu realmente espero que gostem da fanfic,eu estou voltando aos poucos,eu tô bem enferrujada mas não custa tentar ❤ Boa leitura!

Capítulo 1 - Bem-vinda de volta!


   Climbing out the back door, didn't leave a mark
                No one knows it's you, miss jackson
                Found another victim
                But no one's gonna find miss Jackson



Era meu último dia naquela cidade que eu amava com todas as forças.Sentiria falta dos meus amigos,da minha cafeteria preferida,de tudo.O que mais me deixava abalada era o fato de ter que deixar para trás o garoto que eu amo mais que tudo:Castiel.Nós iríamos completar 2 meses de namoro porém minha família está com problemas financeiros e teremos que nos mudar.Mas eu poderei me despedir dele de forma decente,isso me deixava mais aliviada.

- Vamos filha,vá se despedir do seus amigos. - Minha mãe falou enquanto ajeitava as caixas com móveis e coisas da casa.

- Ok mamãe,já estou indo. - Falei de modo alto,ajeitando meu moletom acinzentado.

Havia combinado de encontrar todos na Praça central da cidade,lá teríamos tempo o suficiente para me despedir.Girei a maçaneta da porta,saindo para fora de casa.Comecei a caminhar pela rua um pouco movimentada,indo em direção ao local combinado.Terminei minha caminhada,chegando lá com a respiração pesada de tanto caminhar.Ergui meu olhar,podendo ver aquela cena.Eu não podia acreditar...

- C...Cas... - Minha voz não saía,meus lábios estavam trêmulos.Em questão de segundos eu já sentia as lágrimas grossas rolarem por todo meu rosto,molhando minha pele pálida.Bem em minha frente,o garoto que eu amava,Castiel,estava ali beijando aquela garota de cabelos castanhos e roupas vulgares.Ele estava beijando Debrah,uma aluna nova na escola,eu não conseguia crer...Esses eram meus últimos momentos com ele,mas ele estava ocupado se agarrando com outra.

- Ana não é o que está pensando... - Ele se afastou de Debrah,me olhando.

- Eu não acredito... - Me virei,começando a caminhar de volta para casa.Abracei meu próprio corpo,ainda sentindo as lágrimas encharcarem meu rosto.

- Volte aqui! - Castiel correu até mim,segurando meu braço de forma brusca,me fazendo virar pra ele.

- Me solta!! - Me desvencilhei da mão que segurava meu braço,o fitando.Levei meu palmo até a cara do ruivo,depositando um forte tapa. - Eu te prometo Castiel,eu nunca mais vou voltar...


Acordei em um pulo,sentindo gotas de suor percorrerem meu rosto.Olhei em volta,tentando lembrar de onde eu estava.E minha nova vida,eu estava em um avião,voltando para a França devido aos meus esforços.Eu havia conseguido ganhar uma bolsa de estudos para uma das universidades mais desejadas de Paris.

- Quem diria,depois de quatros longos anos,aqui estou eu novamente. - Falei para mim mesma,rindo soprado.

Ultimamente essa mesma cena se repetia várias e várias vezes em meus sonhos,era como se eu estivesse presa nisso.Desta vez eu podia estar relaxada,eu nem sabia se Castiel continuava naquela cidade,provável que não,isso me tranquilizava de certa forma.Eu não gostaria de ver aquele rosto novamente.

       ××××××××××××××××××××××××××××××

Ao chegar no destino,o avião pousa no aeroporto.Levantei da poltrona macia e peguei minhas malas,descendo do avião.

- Deixe-me ver... - Peguei o papel que continha o endereço do prédio em que meu apartamento estava,analisando.Não era tão longe,eu poderia ir caminhando até lá.

Comecei a caminhar pelas ruas daquela cidade,estavam pouco movimentadas.Um vento frio percorria por todos os cantos da cidade,fazendo meu corpo estremecer.Ao chegar na frente do prédio,caminhei até a recepção de forma calma.

- Olá,em que posso ajudá-la? - Falou o recepcionista,com um sorriso no rosto.

- Eu sou Anastásia,Anastásia Ozanan.Sou a nova moradora. - Digo de modo gentil.

- Ah,claro,claro! - Ele se dirigiu até uma prateleira,pegando uma chave. - Essa é a chave do seu apartamento.

- Obrigada. - Peguei a chave das mãos do garoto,levando minhas malas em direção ao elevador.O elevador me levou até o quarto andar,onde ficava meu apartamento.Girei a maçaneta da porta,podendo ver minha morada.

- Uau. - Fitei os arredores,sorridente.Levei minhas malas até o quarto,começando a esvaziá-las e guardar as coisas que haviam dentro delas.Coloquei pôsteres na parede do quarto e um calendário para conseguir me localizar.Retirei um papel de minha mochila que me informava sobre a universidade e a respeito dos horários de aula.

- A Universidade não fornece livros?Que droga.

Fui até uma das malas e retirei meu notebook de cor preta,ligando-O e pesquisando uma livraria aqui perto.

- Tem uma três quadras daqui,isso é bom.

Peguei minha bolsa e fui até a porta do apartamento,fechando-a em seguida e começando descendo a escadaria.Comecei a caminhar em direção à livraria indicada,observando os arredores.

××××× P.O.V Castiel. ××××××

- Qual é cara,foi só um baseado!! - Um garoto de cabelos negros fala enquanto estava jogado no chão.

- Só um baseado? - Ri soprado,colocando meu pé em sua cabeça. - Era o meu baseado seu filha da puta,acha que é fácil pegar um daqueles?

- Me desculpa,eu pago quantos você quiser!! - Ele falava em prantos.Pressionei meu pé de modo forte contra sua cabeça.

- Quero que você faça um serviço pra mim. - Retirei meu pé,o fitando. - Tá vendo esse cara? - Mostrei a foto para o garoto,mas ele permaneceu eu silêncio. - RESPONDE CARALHO!!

- Estou vendo!!

- Ele tá me devendo uma grana preta,vá cobrar.

- Mas onde vou achar esse cara?!

- Se vira.

Saí daquele beco escuro,pouco me fodendo para aquele cara.Caminhei pelas ruas daquela cidade miserável,indo em direção à a uma boate ali perto.Passei pelos seguranças,eu já era famoso naquele lugar,um cliente fiel.Adentrei a boate,podendo ver as pessoas se matando de tanto dançar e o palco onde as vadias faziam seu trabalho,rebolavam e seduziam as pessoas que estavam ali a frente.Caminhei até o balcão onde haviam as bebidas,chamando o bar man.

- Me vê uma dose de tequila. - Pedi e o bar man pegou um copo,enchendo da bebida desejada e me entregando.Derramei o líquido em minha boca,fitando a pista de dança.Repeti o ato várias vezes,a essa hora eu já estava sob efeito da bebida.

   Quebra de tempo

Acordei jogado no asfalto,do lado de fora da boate.Eu sentia minha cabeça latejar,provavelmente eu havia feito alguma merda e me tiraram da boate.Me levantei do chão,colocando a mao na cabeça.O sangue pingava no chão,vinha do meu nariz,eu havia me metido em uma briga?Tanto faz,apenas sei que eu estou fudido completamente.Caminhei em direção a minha casa,com a mão na cabeça.Retirei meu celular de dentro do bolso da calça,discando o número de meu melhor amigo:Lysandre.

     O número que você discou está programado para não receber chamadas.Deixe seu recado após o beep.

Desliguei o celular,irritado.Lysandre nunca estava com o celular ligado,sei lá onde ele se metia,era assunto dele.Ap chegar em casa,minha mãe fala alguma coisa para mim mas não dou a mínima,apenas subo para meu quarto e me jogo na cama,caindo no sono de modo rápido.

××××× P.O.V Anastásia ×××××

Ao chegar em frente a livraria,analiso sua estrutura.Adentrei aquele lugar,começando a procurar os livros para estudos que eram indicados pela Universidade.

- Livros de ficção,romance...

Fui passando pelas prateleiras de livros a procura dos que me interessavam.Observei um livro a qual eu estava procurando a meses,eu já tinha lido um dos livros da autora e me interessado pelo seu modo de escrever,era um tanto interessante.

- Também gosta desta autora? - Uma voz masculina questionou,ele parecia estar se referindo a autora do livro que eu peguei.

- Sim,o modo de escrita dela me chama atenção. - Desviei o olhar,fitando o garoto qual falava comigo.Ele tinha uma franja média,seus fios eram platinados em estilo degradê.O analisei por mais alguns segundos,ele era um tanto familiar,aqueles olhos eram tão familiares. - Lysandre?

- Como a senhorita sabe meu nome? - O garoto questionou,analisando-me.Sua expressão mudou de séria para surpresa. - Anastásia?!

- Sim! - Falei sorridente.Eu não encontrava Lysandre desde que me mudei,ele era um grande amigo.

- Quanto tempo,eu realmente pensei que nunca mais iria te ver!

- Também pensei o mesmo,mas,aqui estou eu. - Ri baxinho.

- Por qual motivo está aqui?Pensei que nunca mais iria voltar...

- Ganhei uma bolsa de estudos para uma universidade daqui. - Sorri.

- Que ótimo,Annya.

- Realmente. - Ri baixinho.

- O que acha de passarmos em uma cafeteria perto daqui?O café de lá é muito bom.

- Vamos! - Falei entusiasmada.Peguei os livros da lista e caminhei junto à Lysandre do caixa,pagando os livros. - Agora podemos ir.

Ele caminha até a porta da livraria e a abre,sorrindo.

- Primeiro as damas. - Falou.

Saí da livraria junto ao platinado,acompanhando seus passos.Coloquei as mãos no bolso da jaqueta na tentativa de esquentar as mesmas,o dia estava muito frio.

- Mas,me conte,como está a sua vida? - Perguntei,fitando-o.

- Está tudo indo bem,nada de interessante... - Suspirei.Olhei para o relógio em meu pulso,fazendo uma cara assustada.

- O que houve Annya?

- Ah,me perdoe Lysandre,eu preciso ir! - Falei olhando o relógio.Peguei um papel em meu bolso onde continha meu número de telefone,entregando-o. - Nós falamos por mensagem,até!!

Corri em direção ao prédio de meu apartamento,às pressas.Subi a escadaria e adentrei meu apartamento,correndo em direção a mesa onde estava meu notebook.Liguei o aparelho,indo para o site da universidade e me informando sobre os horários.

- Depois de amanhã,está certo...

Observo um panfleto voar em direção a minha janela,me fazendo pegá-lo.Leio o mesmo,esboçando um sorriso.

- Ir em uma boate não faz mal a ninguém...

O destino nos dá muitos sinais,basta procurá-los com atenção.


Notas Finais


Espero que tenham gostado,beijão aí.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...