História Girls of Crime - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Dezza_B

Exibições 24
Palavras 1.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Roubos


Fanfic / Fanfiction Girls of Crime - Capítulo 5 - Roubos


P.O.V LUCY

Nós tínhamos perdido tudo.
Nossas putas estavam mortas assim como nossos guardas.
Eu estava  desesperada mas tinha que manter a calma pra acalmar Mia e Lexie.

Nossa única renda estava em chamas. E a gente não podia nem ir ver, por causa da policia, vai que eles descobrem que era nosso.
Nos iriamos ser presas por tráfico de prostitutas.
E isso era a última coisa que a gente precisava agora.

 
[.....] 

Já era 23:40 da noite, nós só tinhamos nossas roupas e nosso único carro, não tínhamos lugar pra dormir e já estávamos com fome.

- Mia ?

- Oi? - ela disse ainsa chorando muito.

- deita no banco de trás vai dormir, amanhã a gente o que vamos fazer.

- Tá.

Lucy ja estava dormindo no banco de trás.
Eu não consegui dormir tomando conta da gente no carro.
Fui pra casa de um amigo pela madrugada e ele nem atendeu a porta.
Certamente ele estava com medo de ser preso.
Sai de la e fui em caminho do estacionamento e entrei no carro.
Dormir...

[....]

Logo amanheceu, e então nós fomos vender o carro e algumas roupas.
O carro não era la grandes coisas e então não deu pra nada.
Só pra gente se alimentar.
Começamos a morar na rua, eu nunca tinha passado por aquilo.
Mas sempre tem uma primeira vez né.
Vendi também nossos celulares, oque sustentou a gente por uma semana.

Era sábado, tomamos um banho num bar de esquina e colocamos nossa última peça de roupa.
Fomos tentar arrumar trabalho, mas não conseguimos.
E se prostituir por dez contos, seria a última coisa que eu faria e que deixaria as meninas fazerem.
A gente ia se reerguer, da melhor forma possível.
 
O cabaré tinha pego fogo acidentalmente. Mas eu acreditava??

Nem um pouco.

  Uma semana depois....

- Mia? - eu já dizia fraca.

- Oi?

- Não vou aguentar, estou morta de fome.

- vamos dar um jeito, ok?

- ok.

Eu não estava mas tomando conta delas, muito menos de mim.
Eu estava fraca e pela primeira vez necessitei da ajuda de alguém.
É sério eu juro, que assim que a gente conquistasse tudo ou até mais que perdemos, eu colocaria 50% das ações  no nome de Mia.

P.O.V MIA

Eu faria sim algo pra ajudar as meninas. Elas que me tiraram da rua. E agora era minha vez.
Eu já estava com tudo em mente, e nada daria errado.

-Lexie?

-  Fala comigo...

- Vou tentar arrumar alguma coisa, ok?

- Okay.

- mas preciso da sua ajuda.

- Ta bom. O que eu faço?

- Vai me ajudar a roubar roupa.

- Roupa?

- Sim. Nessas lojas de grife. Hoje eu vou precisa ta bem arrumada.

- NÃO VAI PAGAR DE PROSTITUTA NÉ?
- ela gritou nervosa.

- Não maluca.

- Ok então.
Vamos?

- Vamos.

Lucy estava dormindo e caso acordasse saberia que a gente só tinha ido dar uma volta.
Mas do estado que ela tava, com certeza estava dormindo pra não sentir fome

Eu também estava faminta mas eu aguentaria. Por elas.
Não por mim.

[....]

Entramos na loja e senti alguns olhares por cima de nós.
Claro, nós estávamos mal arrumadas, descabeladas e meio fedorentinhas.

Consegui roubar umas roupas muito rápido, aquelas atendentes poderiam ser mais cheirosas ou mais bem vestidas do que a gente. Mas elas não estavam ligadas nos paranaue.
Beijos de luz pra elas..

Além da minha roupa de puta peguei umas roupas pras meninas...
Voltamos e Lucy ainda estava dormindo.
Fui no bar do lado e roubei alguns salgados.
Nós comemos pra caralho, e então fomos tomar banho no bar, e claro que eu tinha que me exibir pro dono. Ou até mesmo tocar uma punheta  pra ele.
Mas ele sempre deixava a gente tomar banho lá. Mesmo quando eu não o tocava.

Enfim... Estávamos arrumadas e então mandei as meninas ficarem em um beco enquanto eu tentava roubar algumas armas em uma loja que ficava dois quarteirões depois do beco.

[...]

Cheguei na loja e pra minha felicidade estava vazia.
Mas tinha um segurança ainda lá, fora o atendente.

- Boa noite senhora.

- Ótima- falei lambendo meus lábios e já vendo seu membro da sinal de vida.

- Posso ajudar?- o atendente perguntou

- Pode, pode sim..

- Com o que senhora ?

- Primeiro vc pra de me chamar de senhora, segundo queria três armas, terceiro estou sem dinheiro então vamos ter que conversar. Se é que voce me entende.

O atendente olhou pro segurança e pensei por um segundo que ele iria mandar ele me colocar pra fora e então o atendente disse ai segurança:

- Fecha as portas, temos visita.

Sorri pra  ele vendo ele piscar pra mim.
  E então entramos num quartinho e ele começou a me beijar, minha mão descia na sua calça e acariciava seu membro que já estava bem duro por sinal.
  O segurança logo chegou e começou a apertar minha bunda, ele subiu meu vestido e então acariciou minha intimidade me deixando molhadinha.
Gemi baixinho e disse:

- me comem por favor.

Logo senti o atendente levantar minha perna e me penetrar ali mesmo em pé.
Aquilo tava gostoso mas eu não podia demorar.
Logo eu tocava punheta para o segurança.
Deitei de quatro chão e então senti os dois me penetrarem cada um em um buraco.
Me senti um lixo, e ao mesmo tempo me sentir mulher pra  caralho. 
Eu sim teria história pra contar.
Logo os dois gozaram e então saíram de mim sentindo uma sensação maravilhosa.
Levantei colocando minha roupa e perguntando :

- Qual a ala ?

- De que ?

- Arma, munição, essas coisas.

- ala 8 gostosa, volta sempre.

- Okay.

Eles continuaram no quarto e então peguei umas dez armas e muita, mais muita munição.
Sai dali carregada.

Atravessei o beco e encontrei com as meninas.
Elas já estavam furiosas.

- Estava aonde?- Lucy perguntou.

- Roubando UE. Já viu alguém roubar isso tudo rapido?

Ela olhou oque era e deu um sorriso meio malicioso.

- te ensinei tudo muito certo em..
- ela disse.

- Talvez. - disse e então saímos dali rindo pra caralho.

Parei um táxi entrando na frente do carro e então entramos.
Coloquei a arma na cabeça do motorista e disse:

- Eu nunca matei ninguém, até agora.
Eu so quero uma carona e infelizmente to sem  grana.
Eu sei que você deve ter filhos pra criar, então não me decepcione.

Olhe me olhou e balançou a cabeça positivamente eu expliquei o caminho a ele e então ele nos levou.

Quando saímos do carro Lucy fez ele sair também e ele se cagou de medo, colocamos a arma na cabeça dele e puxamos o gatilho as três só pra dar  mais medo.

E então Lucy beijou ele gostoso.
Deu ate um tesão, assumo.
Ele me olhou sem entender e então nós rimos.
Viramos as costas e ele disse :

- Até mais.

- Até tio. - respondi.

Lucy olhou pra ele e jogou beijo.  E lexie ?
Revirou os olhos rindo.

E então estávamos.. Aonde?

Na frente da minha antiga casa.
Isso ai nós iríamos assaltar lá.
Provavelmente Katherine Reed( esse era nome da puta da minha madrasta), estava numa balada e  como ela não tinha casado, ou namorado, não chegaria tão cedo.

Então o porteiro estava dormindo.
Pulamos a grade com cuidado pra não encosta na cerca elétrica. E então quando mal vimos estávamos dentro da casa de Kat, dentro da minha casa, que seria novamente minha. Tenho certeza.

Entramos la e fomos direito ao cofre e roubamos algumas jóias.
Não roubei todas pois ela perceberia.
Mas roubei as mais cara.

E então quando estavamos saindo ouvi a porta abrir.

Era Kat..
Como iríamos sair dali?
Puta que pariu... Estávamos fudidas.


Notas Finais


Como as meninas irão sair dessa?
Espero que gostem.. 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...