História Give Me An Answer - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 27
Palavras 864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey :3
Foi com esse capítulo que a estória começou
É também a minha parte favorita, sabe
Espero que vocês consigam relembrar da própria infância enquanto leem

Capítulo 4 - Childhood


"Quando crianças, nossas reflexões não são muito lógicas, digamos assim. Pensamos e pensamos para chegar à conclusão de que não gostaríamos de ser uma lesma, por exemplo. O motivo? Diversos. Varia muito de criança para criança, tendo cada uma a sua visão do mundo. Pode não ser muito relevante para outros, mas para nós é como descobrir um novo planeta no sistema solar; um Eureka imprescindível. Assim crescemos, passamos a argumentar o porquê de que não queremos mudar de cidade. Uma amizade importante, uma vida confortável. Para que uma mudança tão brusca na vida de uma criança se tudo está perfeitamente bem? Não conseguimos compreender a promoção de um de nossos pais no trabalho ou simplesmente a visão de um IDH melhor. Somos novos demais para isso."

"Até que em algum ponto, para alguns cedo demais ou tarde em demasia, entendemos e vemos o mundo como adultos. Uma marca que não é celebrada com uma festa inesquecível e um bolo enorme, mas sim com um nó na garganta e lágrimas no rosto. Enfim, amadurecemos. Ah, se pudéssemos, voltaríamos no tempo, falaríamos com a criança que costumávamos ser e a pediríamos de joelhos para aproveitar a mais bela parte da vida. Se tornar um adulto não é tão impressionante como parecia ser. Nosso raciocínio e lógica se desenvolvem de um jeito que se torna possível discutir fatores realmente relevantes para uma maioria. Muitos de nós passam a ignorar o "porque Deus quis assim" e tornam a procurar respostas. O motivo de estarmos aqui vira uma indagação frequente. Para onde vamos? De onde viemos? O que veio antes de nós e o que virá depois? São tantas perguntas sem respostas que tomam nossa mente e hão de nós abandonar no dia em que fecharmos nossos olhos uma última vez."

"Venha aqui, Baekhyun." O garoto de cabelos vermelhos me puxa para perto. Posiciono-me no colchão macio entre suas pernas e deito as costas em seu peito. Sinto seu calor chegar ao meu corpo ainda que com tantas camadas de roupas entre nossas peles e acabo por afastar boa parte da tensão que dominava meu ser. Os braços do maior abraçam meu corpo e ele pousa o queixo em meu ombro direito, apenas sussurrando para que eu o ouvisse. "Por que tão triste? Por que tão sem esperança?"

"Chanyeol..."

"Um garoto tão inteligente, mas ao mesmo tempo tão melancólico."

"Talvez porque a inteligência nunca tenha sido uma benção." Consigo calá-lo facilmente. Fecho os olhos e tomo fôlego. Não quero chorar mais uma vez. Não agora, não na frente dele. Preciso ser o que as pessoas chamam de "forte". Homem algum pode se dar ao luxo de ser fraco ou sentimental demais. Não é isso que a sociedade cruel sempre me ensinou?

"É terrível, é uma maldição. Imagine, ainda novo, pensar demais, considerar demais, analisar demais. É... é muito para uma criança que mal teve contato com o mundo adulto." Abro as orbes de íris castanhas e noto que a janela a minha frente que mostra a imensidão do mar fica embaçada. Falar sobre isso sem ser atingido com força é quase impossível. Seguro as lágrimas, ainda que prontas para molhar-me a face, e continuo a linha de raciocínio. "Estive, por anos, preso em um corpo que parecia não me pertencer. Meu corpo era jovem e cheio de energia enquanto minha mente era e ainda é de um homem adulto, cansada de tanto ponderar sobre tudo ao seu redor. Era novo demais para entrar nas conversas dos mais velhos de minha família e velho demais para considerar discutir as inutilidades das crianças." Toco o rosto e sinto meu indicador ficar úmido. Grunho em resposta. Fracassado. Perdedor. Fraco. "Chanyeol, você não tem ideia do quão difícil foi, e ainda é, colocar minha mente no lugar. Foram dias e mais dias no fundo do poço sem ninguém para compartilhar minha bagunça. Não por falta de pessoas, mas sim porque nenhuma delas sabia como me ajudar. Chanyeol, minha mente é uma confusão e ninguém pode tirá-la de mim. Chanyeol, minha mente não para. Chanyeol, por favor, me ajude. Chanyeol, eu não aguento mais. Chanyeol, eu não sei o que fazer. Chanyeol, Chanyeol, Chanyeol!" Grito seu nome enquanto meus olhos se afogam nas lagoas de água salgada que eles mesmos criaram. Meu peito sobe e desce com a respiração acelerada, tentando conseguir o oxigênio que eu preciso para não desmaiar. Soluços escorrem pelos meus lábios e ecoam pelas paredes de tom claro do quarto. Minhas mãos agarram a colcha sob mim com força a ponto que se fosse carne poderia perfurá-la com minhas unhas.

"Shiii..." O mais novo me abraça com mais ternura. Um dos seus polegares sobe até meu rosto para limpar o rio de lágrimas que corre sem previsão de seca. "Eu estou aqui, se acalme. Não vou te abandonar." Sussurra próximo a minha orelha.

"T-tem certeza?" Pergunto com a voz falha. "Você sabe que..."

"Sim, eu sei, meu pequeno." Um selar leve é deixado em minha bochecha ruborizada. "Agora me escute e se acalme. Chore o quanto precisar e deixe tudo isso para trás. Eu vou te ajudar e você vai sair dessa. Confie em mim. Eu vou te salvar."


Notas Finais


É :,)
Eu gosto, mas é triste também
E então? O que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...