História Give Me Love - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Drama, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Sulay, Xiuchen
Exibições 321
Palavras 1.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie! Muito obrigada pelos 231 favoritos <3 obrigada mesmo <3 nesse cap tem um pouco de Hunhan e Kaisoo :3
Desculpem por algum erro ortográfico, espero que gostem <3
Boa leitura!

Capítulo 10 - Good sign.


Capítulo 10 — Good sign.

— Você está mais calmo? — Chanyeol perguntou baixo e acariciou uma das bochechas de Baekhyun.

— Acho que sim. — Baekhyun respondeu no mesmo tom. — Grandão... Você acha que eu estou errado?

— Não, mas também não acho que você está certo. — Chanyeol o respondeu, calmo. — Ninguém vai julgar a sua reação Baek, todos nós entendemos. Aquela é a reação mais natural que todos tem ao receber a notícia de que irão precisar de uma cadeira de rodas. 

— Eu não vou ser eu mesmo se sentar em uma cadeira de rodas. — Baekhyun disse baixo, como se estivesse revelando um segredo.

— Você já não é mais o mesmo desde que sofreu aquele acidente. — Chanyeol disse e Baekhyun arregalou seus olhos. — Você renasceu Baekhyun.

Baekhyun iria retrucar quando leves toques sobre a porta de seu quarto hospitalar interromperam sua fala. Chanyeol pediu licença para ir atender e Baekhyun suspirou, o remédio que Chanyeol havia dado mais cedo estava começando a fazer efeito. 

— Minseok, como vai? — Chanyeol cumprimentou o irmão de Baekhyun.

— Chanyeol olá, eu vou bem e você? Como ele está? — Minseok perguntou e Chanyeol suspirou.

— Eu dei um remédio para fazer ele dormir, talvez já esteja começando a fazer efeito. 

— Sabe que aquela reação dele foi normal, não é? — Minseok perguntou preocupado. 

— Sei. — Chanyeol suspirou. — Conheço Baekhyun a tanto tempo que eu iria estranhar se a reação dele fosse diferente e ele aceitasse sem reclamar. 

— Quando Baekhyun ter alta, você irá com ele? 

— Claro que sim. — Chanyeol sorriu fraco. — Eu serei o enfermeiro dele fora do hospital. 

— Fico aliviado em ouvir isso. — Minseok respirou fundo. — Posso ver ele?

— Vou ver ele está disposto. — Chanyeol disse e Minseok assentiu.

Quando Chanyeol entrou novamente no quarto, os olhos de Baekhyun já estavam quase fechados. 

— Baek, pequeno. — Chanyeol o chamou baixo e Baekhyun o encarou. — Seu irmão está aqui, ele pode entrar?

— O Min está aqui? — Baekhyun perguntou baixo. — Eu amo o Min...

— Baek? — Chanyeol sorriu fraco ao não ouvir a resposta de Baekhyun, o moreno já havia dormido. — Boa noite, pequeno.

Chanyeol ajeitou a coberta de Baekhyun e apagou a luz do quarto, deixando apenas o abajur próximo de Baekhyun ligado. 

— O remédio já fez efeito e ele dormiu. — Chanyeol sorriu fraco e Minseok riu baixo. — Tente voltar amanhã.

— Está bem, cuide bem dele Chanyeol. — Minseok apoiou uma de suas mãos nos ombros de Chanyeol. — Como você sempre fez.

. . . 

Sehun fechou seu notebook quando ouviu a porta do apartamento ser aberta e em seguida fechada. 

— Luhan? — Sehun saiu do quarto do casal. 

             — Oi, meu amor. — Luhan murmurou cansado. 

— Você parece cansado, aconteceu algo no hospital? — Sehun perguntou preocupado e ajudou Luhan a retirar sua camisa. 

— O mesmo de sempre. — Luhan suspirou.

— E Baekhyun?

— Falamos sobre o temido assunto. — Luhan disse e Sehun arregalou os olhos.

— Já falaram da cadeira de rodas? Não era muito cedo ainda? — Sehun questionou surpreso.

— Kyungsoo e eu imaginávamos que Baekhyun teria uma reação negativa, então preferimos falar um pouco antes que o normal. — Luhan sentou no sofá e suspirou cansado, se aconchegou no sofá sentindo seus músculos doerem.

— E a reação dele? Superou suas expectativas? — Sehun sentou ao lado do namorado.

— Até que sim, precisaremos de um tempo para que ele aceite a ideia. — Luhan fechou seus olhos e deitou sua cabeça no ombro de Sehun. — Eu estou cansado.

— Você precisa comer, vem. — Sehun se levantou e estendeu sua mão para o namorado. — Eu esquento seu jantar.

— Você devia estar dormindo, você tem prova amanhã e é uma prova muito importante. — Luhan repreendeu o namorado e Sehun revirou os olhos.

— O que eu posso fazer se só consigo dormir com você ao meu lado? — Sehun resmungou e Luhan riu. 

— Eu amo você. — Luhan disse e abraçou Sehun por trás. 

—Eu também amo você. — Sehun puxou Luhan para ficar em sua frente e beijou os lábios do namorado. — Agora você precisa comer algo.

— Poderíamos pular essa parte e irmos dormir, não acha? — Luhan resmungou. — É tão bom dormir.

— Como eu tenho certeza que você mal se alimentou no hospital, não, não podemos pular essa parte. — Sehun sorriu convencido e Luhan revirou os olhos.

— Você é tão chato. — Luhan resmungou e Sehun o puxou pela cintura. — Sehun!

— Posso ser chato, mas eu apenas cuido do que é meu. — Sehun disse e colocou uma de suas mãos sobre a bunda de Luhan. — E cuido muito bem.

— Você está tão convencido ultimamente. — Luhan disse e sentou próximo ao balcão que havia na cozinha. — Quem deixou você assim?

— Algumas pacientes. — Sehun brincou e Luhan bufou. — O que você pode fazer, se tem um namorado gato? Elas gostam de mim.

— Você devia parar de ser assim. — Luhan disse e revirou os olhos. 

— É impossível. — Sehun beijou o namorado. — E você não fica pra trás.

— Do que você está falando?

— Daquele idiota que vai com o irmão fazer fisioterapia e fica elogiando você. — Sehun disse enciumado e Luhan ficou envergonhado. — Eu sempre escuto ele dizer algo sobre você.

— Devia prestar atenção nos exercícios com seus pacientes e não nos elogios desse homem. — Luhan retrucou achando graça do ciúmes de Sehun.

— Eu tento, mas ele me irrita. — Sehun disse e ficou com um bico nos lábios. — Sinto vontade de quebrar a outra perna dele, apenas para ele aprender a não mexer com o que é meu.

— Sehunnie! — Luhan repreendeu o namorado e riu, beijou o mesmo e Sehun desmanchou seu bico.

. . . 

— Você está me mimando muito. — Luhan disse sorridente e Sehun beijou sua nuca. — Está aprontando algo?

— Claro que não. — Sehun beijou a nuca de Luhan novamente e continuou massageando os ombros do namorado. — Eu só percebi que agora que fiquei mais na faculdade, você tem trabalhado mais.

— É necessário. — Luhan suspirou sentindo seus músculos tensos e as mãos de Sehun apertar determinados músculos. — Vai devagar amor.

— Eu sei, meu amor. — Sehun beijou alguns pontos das costas desnudas de Luhan. — Mas não se estresse tanto, sim? Logo eu irei ajudar você. E não irei devagar, aguente a dor e depois você estará bem melhor.

— Se eu receber esse tipo de tratamento sempre, eu não me estresso nunca mais. — Luhan brincou e Sehun riu. — Esse tratamento poderia ter um bônus.

— Que tipo de bônus? — Sehun perguntou entrando no jogo do namorado.

— Algo divertido e muito bom. — Luhan disse e virou Sehun na cama, ficando sobre o namorado. 

— O que tem em mente? — Sehun apoiou suas mãos sobre as coxas de Luhan e apertou as mesmas. 

— Você já sabe. — Luhan murmurou e colou seus lábios contra os lábios de Sehun, começando um beijo necessitado.

— Eu não deveria dormir cedo para fazer a prova? — Sehun perguntou interrompendo o beijo e provocando o namorado. — Ela é muito importante.

— Sehunnie! — Luhan resmungou ofegante. — Depois pensamos nessa sua prova, temos algo melhor para fazer.

. . . 

Dias depois, um surto de gripe na capital do país assustou a população e o hospital que Baekhyun estava não escapou do surto. A emergência do hospital estava tendo o dobro de pacientes e todos recebiam o mesmo diagnóstico; Gripe. 

E nem alguns médicos escaparam de sofrerem com a gripe. Junmyeon já estava recuperado e já havia voltado ao trabalho, e agora Kyungsoo sofria com os sintomas da gripe.

— Eu terei que ficar em casa?! — Kyungsoo não acreditava no que seu namorado dizia. 

— Digamos que você está de quarentena. — JongIn tentou brincar, mas sua tentativa foi em vão já que o namorado continuava sério. 

— Eu não estou tão... — Kyungsoo pausou sua frase para espirrar e JongIn fez uma careta, observando o estado em que o namorado estava. — Tão mal assim para ficar em casa.

— Desde que acordou você já espirrou umas trinta vezes, não para de resmungar sobre as dores em seu corpo, dor de cabeça e sua tosse está aumentando. — JongIn colocou uma de suas mãos sobre a testa do namorado. — Pelo menos, sua febre baixou.

— Ótimo, poderei ir ao hospital. — Kyungsoo disse e JongIn suspirou, acariciando o rosto do namorado. — Temos uma consulta com o Baekhyun.

— Você ficará em casa. — JongIn disse e Kyungsoo revirou os olhos. — Não adianta revirar os olhos e ficar irritado, você ficará em casa repousando. Eu irei atender Baekhyun e tentarei atender alguns outros pacientes. 

— JongIn! — Kyungsoo chamou o namorado manhoso. — Fique comigo então, cuida de mim.

— Adoro quando você fica todo manhoso, mas eu preciso ir pro hospital. — JongIn disse e Kyungsoo resmungou descontente. — Voltarei logo, prometo. Cuidarei de você até você reclamar e dizer que não me aguenta mais. 

— Não... — Kyungsoo tossiu e espirrou, em seguida. — Não demore, por favor. E eu nunca reclamo de você cuidando de mim. 

— Tentarei não demorar. — JongIn alcançou para o namorado uma caixinha com lenços. — E tome a sopa que eu fiz, irá ajudar. 

— Não estou com fome. — Novamente Kyungsoo usou seu tom manhoso. 

— Então durma um pouco, meu amor. — JongIn beijou a testa do namorado. — Logo estarei de volta, qualquer coisa me ligue. Eu amo você. 

— Se cuide também e eu amo você. — Kyungsoo sorriu fraco. — Ah! Traz mais lencinhos pra mim, essa é a última caixinha que eu tenho.

— Pode deixar, amor. — JongIn disse e se afastou quando Kyungsoo começou a ter outra sequência de espirros. 

. . . 

— Acorde, vamos. — Chanyeol chamava Baekhyun. — Já está tarde.

— Me deixe dormir, grandão. — Baekhyun resmungou. — Cinco minutinhos.

— Se alguém descobre que eu deixei você pular o café da manhã, eu morro. — Chanyeol dramatizou e Baekhyun abriu seus olhos aos resmungos. — Finalmente.

— Não estou com fome. 

— Então beba esse suco de laranja. — Chanyeol segurou o copo e ajeitou o canudo sobre os lábios de Baekhyun. — Tem que se alimentar com alguma coisa, pelo menos isso. 

— Minha garganta dói. — Bastou Baekhyun dizer isso para sua voz falhar.

— Isso não parece ser um bom sinal. — Chanyeol resmungou e Baekhyun espirrou. — Com certeza, isso não é um bom sinal

— Como está o dia lá fora? — Baekhyun perguntou e Chanyeol não estranhou sua pergunta. 

— Está bom, um pouco nublado e frio. — Chanyeol o respondeu e Baekhyun suspirou. — O que foi?

— Eu sinto que estou com frio. 

— Eu estou achando você tão vermelho, e eu nem deixei você envergonhado. — Chanyeol colocou uma de suas mãos sobre a testa de Baekhyun. — Agora deixei você envergonhado. 

— Fica quieto, grandão. — Baekhyun resmungou e Chanyeol terminou de checar sua temperatura.

— Parece que você está com febre. — Chanyeol disse e arregalou os olhos. 

— O que foi? — Baekhyun estranhou a reação de Chanyeol.

— Dor de garganta, espirro e febre... Isso realmente não é um bom sinal.

— Você já disse isso. — Baekhyun revirou os olhos e espirrou mais uma vez. — Droga! Odeio ficar espirrando.

— Eu vou chamar o Doutor Yixing. — Chanyeol disse e quase correu para achar Yixing o mais rápido possível.

Chanyeol nem precisava de muito para dar um diagnóstico vendo o estado de Baekhyun e seus sintomas, o moreno estava gripado. 

— Que ótimo, só faltava isso acontecer. — Baekhyun reclamou sentindo sua garganta doer. — Não acredito que eu estou praticamente morando num hospital e fico doente!

— O que você esperava? Hospitais são ótimos lugares para ficar doente, ainda mais por culpa de uma gripe. — Chanyeol ajeitou sua máscara, toda proteção era necessária para evitar que Baekhyun ficasse mais doente, já que seu sistema imunológico estava mais sensível que o normal. — Ah! Tenho uma notícia ruim pra você.

— Pior que essa gripe não pode ser. — Baekhyun revirou os olhos. — O que é?

— Sua ida pra casa foi adiada, iremos esperar você se curar desse gripe. — Chanyeol disse e Baekhyun reclamou. — Não se preocupe, enquanto isso, cuidarei de você.


Notas Finais


Gostaram dos momentos Hunhan e Kaisoo? Espero que sim :3
1S Chansoo: https://spiritfanfics.com/historia/birthday-6950534
Sábado que vem tem mais, beijos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...