História Give me love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 3
Palavras 865
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo Único


No caminho de casa tem um pequeno parquinho, onde há sempre crianças brincando e senhoras passeando com seus cachorrinhos. Quando tenho um tempinho sobrando ou preciso relaxar, me sento em um banquinho velho e rabiscado, apenas para observar. Esse lugar que um dia já me deu tantas lembranças boas, agora me faz pensar. Pensar num passado não tão distante, mas que meu coração parece querer de volta.

Me dê amor como ela
Porque ultimamente tenho acordado sozinho
Lágrimas de dor escorrendo na minha camiseta
Disse a você que os deixaria ir

Vejo crianças desejando irritantemente ser adultas. Se elas soubessem o que está por vir, aproveitariam sua infância com alegria e menos pressa. Para que se tornar adulto tão rápido? A vida adulta é tão cruel, tão fria, tão vazia, tão... solitária. Aquela preocupação de poder ver seu desenho favorito no dia seguinte se torna a preocupação de pagar o aluguel no próximo mês, aquela briga com o seu amiguinho e que te deixa triste passa a ser aquela discussão acalorada, onde você diz coisas que se arrepende e não há como voltar atrás. Ah, voltar no tempo...

E eu vou lutar pelo meu espaço
Talvez eu te ligue hoje à noite
Depois do meu sangue virar álcool
Não, só quero te abraçar

Parece que ultimamente eu tenho andado em círculos. Tento mudar, corrigir os erros, trocar os móveis de lugar, mudar a marca do sorvete, fazer outro trajeto para o trabalho, mas nada dá certo ou faz sentido. O que diabos eu estou fazendo da minha vida? Logo agora que eu tenho o que sempre quis, eu me sinto tão sozinha, tão triste, tão abandonada. Será culpa sua? Por onde tem andado?

Me dê um pouco de tempo, vamos queimar tudo isso
Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto
Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

É tão idiota, mas tenho que confessar que os anos mais felizes que vivi foram aqueles que dividíamos aquele minúsculo apartamento em uma região mais afastada da cidade. A grana sempre estava curta, nosso espaço era limitado, o gato sempre aprontava, mas era tão bom. Onde foi que nos perdemos? Você estava sempre tão despreocupado, tão tranquilo, tão relaxado, e eu era a louca que fazia malabarismo com o orçamento no fim do mês. A culpa foi minha?

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor
Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor
Minha, minha, minha, minha, me dê amor

Sinto tanta falta de te ver pintando retratos de animais, ou de flores. Você captava tão bem a essência das coisas, em sua mais alta pureza e simplicidade. Sua gentileza com os idosos, seu sorriso amigável, seu abraço caloroso, sua tatuagem de escorpião nas costas, seu cabelo preso em um coque, sua barba cerrada. Tudo isso era tão bom, tão perfeito, e eu não dei valor. Meu egoísmo, minha vaidade e minha ambição te fizeram ir para longe, fiquei tão obcecada por adquirir bens materiais que esqueci o que era mais importante, o que realmente eu precisava.

Me dê amor como nunca antes
Porque ultimamente tenho desejado mais
E faz algum tempo, mas ainda sinto o mesmo
Talvez eu deveria deixar você ir

Mesmo de longe, eu ainda te acompanho. Fiquei tão orgulhosa ao ver suas obras expostas em uma galeria de arte, finalmente teve seu trabalho reconhecido. Também soube que sua dissertação no mestrado foi aprovada com louvor, até sei que ainda toma o mesmo café nas quintas-feiras em nossa cafeteria favorita. Às vezes me pego olhando para seu número em meu celular, mas sou orgulhosa demais para tomar a iniciativa e iniciar uma conversa amigável, defeito que sempre te incomodou.

Você sabe que vou lutar pelo meu espaço
E que vou te ligar hoje à noite
Depois que meu sangue estiver se afogando em álcool
Não, só quero te abraçar

Minha rotina praticamente não mudou desde que nos separamos. Ainda frequento os mesmos lugares, saio com os mesmos amigos, bebo a mesma cerveja, uso as mesmas roupas, o corte de cabelo. Que garota patética eu sou, me agarrei tanto a um passado que não existe mais, que agora tento agir como se tudo ainda fosse igual. A quem eu estou querendo enganar? Nada mais será igual como antes, nada.

Me dê um pouco de tempo, vamos queimar tudo isso
Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto
Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

Parece que todos os rostos se tornaram o seu, sinto seu cheiro impregnado em qualquer. Todos os casais pela rua me lembram nós dois, o que fomos um dia. Se eu pudesse fazer um único pedido, seria para te ver mais uma vez, não precisaríamos trocar uma palavra sequer, apenas o seu sorriso bastaria para acalmar meu coração desesperado. O que eu não daria para poder me sentir assim de novo? Será que você também se sente assim? Será que ainda pensa em mim? Venderia minha alma para obter a resposta.

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor
M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor
M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor
M-minha, m-minha, m-minha, me dê amor

E aqui estamos nós. Talvez mais uma vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...