História Give me your body. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 14
Palavras 1.275
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Saga, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - O café.


Fanfic / Fanfiction Give me your body. - Capítulo 4 - O café.

Quando Vênus finalmente voltou à sua sã consciência, já estava dentro de seu camarim, Dustin estava colocando uma compressa fria em sua testa, uma moça ruiva, muito bonita estava separando um copo de água gelada.

E Tony estava sentado com uma expressão desolada.

Quando viu Allen finalmente acordado, correu em sua direção e o abraçou.

"Por que não me disse que não se sentia bem, bebê?"

Allen engoliu o seco.

"Eu não me sentia mal... Mas comecei a me sentir tonto no palco... Me desculpe, eu posso voltar ao palco e dançar novamente, não se preocupe..."

Tony o encarou e beijou sua testa.

"Não, você vai para casa, tem um táxi te esperando na porta dos fundos, descanse e fique bem para amanhã, ok?"

Allen assentiu, colocou a roupa que vestia antes do show e tirou sua maquiagem, se despedindo de todos e saindo do camarim com sua bolsa, e ao passar pelo corredor da saída, olhou para trás, vendo novamente Louis.

Ele estava mesmo lá, e o encarava.

Allen se arrepiou e encolheu, andando mais apressadamente até a rua, entrando no táxi e escorando-se no banco, sentiu seu celular vibrar no bolso, o pegou e viu que tinha um SMS.

[Número desconhecido]

Eu vi tudo. A vadia vai ser caçada.

A não ser que me encontre no café de Jones Snow amanhã depois do primeiro tempo.

-L

Allen tremeu, não sabia o que seria de si agora, sua carreira nunca esteve tão perto do fim.

E se Tony descobrisse? Vênus não poderia nem imaginar o que ele poderia lhe fazer, isso era assustador o suficiente para que planejasse uma fuga em sua cabeça.

Mas de qualquer forma, talvez pudesse reverter a situação, se fizesse um trato, poderia pagar à Louis.

Estava simplesmente atordoado.

Chegou em casa sem ânimo nenhum, vendo seu cachorro dormindo no sofá de forma tranquila.

Allen subiu as escadas, indo ao seu quarto e se despindo, então, caminhou nu até a piscina, acendeu as luzes dela e também os holofotes que iluminavam o local.

Selecionou a música Bubblegum Bitch da Marina and the diamonds.

Deixou no último volume e começou a dançar na beira da piscina, fazia movimentos animados com as pernas e braços, jogava a cabeça para os lados, pulando no mesmo lugar e balançando os braços, vez ou outra bagunçando seu cabelo com as mãos.

Então se jogou na piscina e ficou lá por um momento.

Subiu em uma bóia com formato de unicórnio, e ficou dando voltas e voltas pela piscina, foi até seu celular e o agarrou, até que finalmente apenas se deitou na bóia e ficou navegando pela piscina, batendo nos cantos como uma bola de pinball.

O céu estava sem estrela alguma, e o coração de Allen era um mar agitado, revolto.

Seu celular vibrou sobre seu peito, era mais um SMS.

[Número desconhecido]

Bela dança, ninfeta.

-L.

Depois do texto haviam três anexos, dois vídeos e um álbum de fotos.

A espinha de Allen congelou.

O primeiro vídeo era de sua dança na boate, o segundo era de sua dança na beira da piscina, há poucos minutos.

No álbum de fotos, haviam fotos da boate e da piscina.

Vênus voltou o olhar para a sacada do quarto da casa que ficava ao lado da sua, que era a casa de Louis.

A sacada era bem em frente à piscina.

Na sacada, havia uma porta de vidro com uma cortina, e o pano balançava como se alguém tivesse acabado de mexer nela.

Allen suspirou, saiu rapidamente da piscina e correu para o quarto, apenas se secou, colocou seu celular para carregar, agarrou um cachorro de pelúcia e se deitou, pegou dois comprimidos para dormir e os engoliu, logo, caindo em um sono profundo.

"Bebezinho... Acorde..." Tony fazia carinho no cabelo de Allen, que logo abriu seus grandes olhos escuros e sorriu. "Vai a escola hoje, docinho?"

O menor assentiu, sentando-se na cama, vendo um pote de pudim de chocolate e uma colher na mão de Tony, e este mergulhou a colher no pudim e levou-a até os lábios de Allen.

O menor rapidamente terminou com o pote de pudim e então Tony saiu do quarto.

Allen vestiu-se com um top crop de moletom de mangas longas e cor de rosa, uma calça jeans preta com rasgos nas coxas e nos joelhos, um tênis branco com três listras pretas (N/A: daquela marca que todos conhecemos...), seus óculos de sol da Gucci e sua bolsa de mão, preta com a palavra boss em glitter prateado.

Deixou seus óculos repousando no rosto e passou seu lip balm de côco.

Allen não estava animado, estava com medo.

Apenas desceu as escadas, avisando Tony que não precisava levá-lo, então o louro apenas saiu pela porta, andando calmamente até a praça do centro, respirando pesadamente e procurando com os olhos pelo café.

Viu o café, que tinha uma arquitetura rústica, de madeira escura e cheia de detalhes, com portas de vidro e uma placa de wifi grátis.

Respirou fundo e entrou no lugar que estava completamente vazio.

Sentou-se em uma mesa com sofá no canto, logo sendo atendido.

Pediu uma rosquinha recheada com creme branco e frapuccino, teria bastante tempo até o fim do primeiro tempo, quando um SMS lhe chegou.

L: Onde vc está? Não te vi no armário nem na sala nem no banheiro.

[08:47]

Allen tremeu. Louis estava na escola. E já até tinha salvo seu contato como "L" na noite anterior.

A: Estou no café. Não estou com cabeça para estudar.

[08:50]

L: Ah é? Pq?

[08:50]

A: Não se faça de burro. Vc sabe o motivo.

[08:51]

L: Mande uma selfie sua.

L: Quero ver como está hoje.

[08:51]

Allen enviou uma selfie, sorrindo levemente.

A: Se masturbou muito vendo meus vídeos?

[08:53]

L:Cuidado com as palavras, não quer que eu espalhe os vídeos, né? Como professor, sou bastante influente. Além disso, sou tão popular e adorado quanto uma cheerleader. Então, meça suas palavras.

L: A propósito, está muito bonito.

[08:54]

A: Nos vemos mais tarde.

[08:55]

Quando conversava, Louis não parecia tão amedrontador, mas ao lembrar de suas ameaças, as coisas ficavam menos doces.

Allen colocou seus fones de ouvido e sua bolsa sobre a mesa, e esperou que Louis chegasse.

E após um tempo, lá estava ele, entrando pela porta do café e caminhando até a mesa de Allen.

Os dois se encararam, em silêncio.

Louis então chamou a garçonete.

"Dois cafés puros, por favor."

Então logo os pedidos chegaram.

"Precisamos conversar." Allen disse, preocupado. "Você não pode espalhar os vídeos... Eu posso te pagar, quanto você quer? Cinco mil? Dez mil?"

Louis riu.

"Vai precisar se esforçar mais do que isso para me conquistar."

"E o que você quer?"

"Allen, você terá que ser meu Little Boy."

Allen se mostrou confuso. O que era isso, afinal? Nunca ouvira falar de algo assim sua vida toda.

"Do que está falando?"

"Você será como meu namorado, mas não exatamente assim. Por isso, será meu Little Boy, e eu serei seu Daddy. Você deve se comportar como uma criança perto de mim, o que não lhe é difícil. Deverá ter extremo respeito e dependência de mim, irá sair em eventos comigo e se apresentar como meu namorado, então em troca disso eu não irei espalhar nada, e também cuidarei de você."

"Isso é como uma versão sexualizada do relacionamento entre pai e filho? Isso é um fetiche? Por favor..." Allen riu, debochado. "Mas se é o que quer, tudo bem. Não soa tão ruim. Por quanto tempo quer que eu participe dessa palhaçada?"

Louis sorriu e bebeu um gole de seu café.

"Até quando eu quiser." O francês sorriu. "Vai trabalhar hoje, ninfeta?"

"Hmm... Hoje não. Só trabalho em dias ímpares. Por que?"

Louis abriu um sorriso maior ainda.

"Me espere em seu quarto durante à noite, com as mesmas vestes que usava ontem na piscina."

Então o francês simplesmente saiu do local com seu café na mão.

A cabeça de Allen estava completamente confusa, ele não sabia se realmente queria fazer isso, apesar te ter interesse em Louis.

Ele tinha interesse em Louis, antes de ele mostrar esse seu lado.

Mas faria de tudo para preservar sua carreira.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...