História Give me Your Heart and Your Soul - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Colin O'Donoghue, Jennifer Morrison, Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Emma Swan
Tags Captain Swan, Captainswan, Colifer, Colin, Colin O'donoghue, Jennifer, Jennifer Morrison, Jmo, Once Upon A Time, Ouat, Set
Exibições 101
Palavras 1.900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, FemmeSlash, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Por favor leiam as notas finais...

Capítulo 29 - Capitulo 29- Homem irracional


Narrador on:


Jennifer: não!- balançou a cabeça rapidamente sem olhar em seus olhos, sabia que não poderia deixá-lo, mas também não conseguia se abrir por completo- Não! Não!- pegou sua bolsa a colocando em um ombro- temos que ir para minha casa arrumar as coisas da viajem- mudou de assunto como se o que ele havia dito nunca tivesse saído de sua boca.

Colin: Jen...- tentou protestar. Seus olhos já ardiam e o ator se segurava ao máximo para não chamar atenção.

Jennifer: temos que encontrar seus pais e os meus- se virou em direção a porta também segurando tudo o que rodava em sua mente.

Colin: temos...- sussurrou coçando a testa e por fim passando a mão direita das pálpebras até o lábio inferior junto a uma bufada.

Ambos seguiram até o estacionamento, Karen viu que Colin saía e correu até seu encontro. Como Jen estava mais na frente entrou no carro após perceber que Karen havia o parado, o tempinho seria bom para organizar os últimos minutos em sua mente.

Karen: O que houve, moreno? Você estava com um rostinho melhor.- sorriu, porém Colin se manteve sério, não estava com cabeça nem para ser ao menos educado- ela brigou com você?- Colin apenas olhou para baixo e aquilo já foi suficiente para receber um abraço da amiga- vai ficar tudo bem. Se ela não reconhece a pessoa incrível que você é, ela não o merece!- não tirou os braços de sua cintura, ele estava precisando de um abraço- o que aconteceu? Por que não deu certo?- afagou seu ombro

Colin: O que sempre acontece, a vida.- respirou fundo- sabe qual foi a pior parte? Enquanto eu falava ela me olhava como se eu fosse um idiota. Poxa! Me declarei para ela, eu disse que a amava e nem um "eu também" recebi.

Karen: sinceramente, você é bem idiota!- tentou o fazer sorrir e acabou funcionando

Colin: mas ela poderia disfarçar- ambos sorriram- obrigado por tentar me animar.- a abraçou novamente

Karen: hey! Você é meu amigo. Não se abandona amigos...- se soltou de Colin- nos falamos depois com mais calma, agora volta lá e mostra para ela que você está ótimo!

Colin: impossível!- bufou

Karen: anda logo!- empurrou seu ombro até que estivesse perto do carro- tchau, Colin!- gritou quando já estava virada correndo para o local anterior.

 

P.o.v Colin on:

 

Quando finalmente entrei no carro percebi que Jennifer estava com os olhos vermelhos encharcado com lágrimas e pelo que pareceu não havia notado minha presença. Senti lágrimas atrás de meus olhos, mas não chorava. Liguei o som conectando o fone e deixei no último volume, queria me desconectar do mundo, mais precisamente de Jennifer. Esses foram os minutos mais infernais da minha vida, vê-la chorando era algo que realmente me destruía. Meu coração parecia esmagado, mas ainda batia. Não sentia mais minha alma, um vazio dominou meu coração e de repente tudo que vivemos pareceu uma mentira. Nesses último minutos tenho procurado minha alma, mas parece que tem um escuro dentro de mim. Acho que é um adeus, adeus para ela, adeus para o que eu conhecia ou pensava conhecer, adeus para minha antiga vida.

 

Jennifer: por que me ama? Com tanta gente para amar você escolhe logo eu, a pessoa mais complicada que você poderia escolher- quando entramos em casa finalmente ouvi sua voz. Ela se virou irritada, pude ver o ódio em seu olhar, talvez indignação. Jen enxugava as lágrimas, acredito que seja sua forma de tentar parecer forte.

 

Colin: sinceramente eu não sei. Era você quem eu amava. A única coisa à qual eu tentei me segurar. Eu ainda me perco em seus olhos e parece que eu não consigo viver um dia sem você, fecho meus olhos e você rouba meus pensamentos para um lugar onde a luz me cega, mas agora, agora percebo que isso não está certo. Você é minha estrela cadente, mas mesmo que você não tenha conseguido dizer exatamente as palavras sabemos que é um adeus, adeus para você, adeus para tudo que eu achei que conhecia. Você parecia meu recomeço, minha chance de ter o tão esperado "final feliz", mas talvez esteja na hora de recomeçar novamente...- joguei a chave em sua mesa mesmo sabendo que logo sairia. Jen se apoiou na mármore da cozinha e eu fui pegar uma água para mim e uma com açúcar para acalmá-la, se ficasse nervosa demais poderia afetar o Mike.- esses últimos minutos tenho me segurado para não me apaixonar novamente e acho que é porque eu não consigo deixar você ir, mas você não me pertence e provavelmente nunca pertencerá...- e uma lágrima desceu em meio ao meu sorriso incrédulo

 

Jennifer: Mr.Hook, eu...- seu olhar estava perdido nos azulejos da parede e a frase se encerrou por ali, mas sabia o que ela diria, acho que não teve coragem

 

Colin: você não está preparada- completei após beber minha água

 

Jennifer: não.- a olhava em seus olhos, eram lindos. Porém Jennifer parecia não conseguir me encarar.

 

Colin: ... E eu pedi demais- imaginei

 

Jennifer: acho que sim- começou a se balançar para frente e para trás

 

Colin: Então é o fim?- engoli o seco no momento em que meu coração se apertou. Era difícil aceitar, era a minha Jen, minha Kitten. Parece estranho, mas sempre que olho bem para a minha outra metade, vejo que o vazio que havia se instalado em meu coração, quando meu casamento com Helen havia acabado, é um espaço que agora ela guarda.


Jennifer: é...- suspirou ainda se balançando. Parecia incomodada

Colin: então vamos terminar...?

Jennifer: vamos terminar- seu olhar caiu para o chão e vi um lágrima descer. Tentei ao máximo me segurar, mas quando percebi estava parado em frente ao seu corpo encarando seu perfeito olhar

Colin: terminamos.

Jennifer: acabou- quando falou não consegui me repreender e meu olhar foi parar em seus lábios, estavam tão convidativos e para piorar ela se aproximou do meu rosto. Sem conseguir mais me conter olhei para seus olhos e vi que finalmente me encarou, seu olhar desceu e finalmente minha boca desesperada encontrou a sua. No momento em que senti seus lábios foi como se tudo tivesse ido para o espaço, meus motivos, minhas intrigas internas... Tudo! No momento necessitava apenas de seus lábios grudados aos meus. Com aquela boca consegui quebrar minha guerra entre cabeça e coração, em fração de segundos consegui ir para a completa loucura. Essa mulher ainda vai ser o motivo da minha morte...

Colin: último beijo?- perguntei sem desgrudar nossos lábios, não me atreveria tal ato

Jennifer: último beijo- deslizou a boca para meu pescoço, no lado oposto ao que sua mão agarrou me fazendo arrepiar com sua respiração quente

Colin: eu quero sexo de despedida- comecei a tirar nossos casacos e meu cinto, fiz o mais rápido que consegui

Jennifer: isso! sexo de despedida- puxou minha cintura contra a sua ao mesmo tempo que começou a caminhar para o quarto de hóspedes, era o mais próximo. Chegando lá foi um clima totalmente diferente do de sempre, estava sentindo uma imensa necessidade de tê-la, mas não conseguimos. Não sei se foi porque a barriga me deixou receoso em machuca-la de alguma forma ou simplesmente pelo clima de ser a última vez, mas não conseguimos. Após ela pegar no sono frustrada, a cobri.

Colin: quero te agradecer por ter me dado tudo o que eu sempre quis. Um amor que me consumiu, paixão, aventura... Não há mais nada que eu possa pedir, exceto que tivesse durado para sempre. mesmo com tudo isso quero apenas que por favor, tenha misericórdia de mim. vá com calma com meu coração, mesmo que não seja sua intenção me machucar você está sempre acabando comigo e sabemos que não é minha culpa. Eu digito um texto, mas desisto. Eu tenho esses sentimentos, mas você nem liga e quer saber? Sinto muito, mas você é egoísta. Entreguei meu coração para você e tudo que tinha para dizer foi "não". Enfim, só espero que não me procure quando perceber que é vazia por dentro... eu sei que não é sua real intenção me afastar, mas creio que necessita de ajuda, ambos sabemos que você sofre de autofobia e eu juro que tentei, mas para mim não dá mais...- sussurrei contra sua testa fria mesmo sabendo que dormia, então peguei minhas coisas e fui embora. Era a última vez. Talvez até a última vez que visitaria sua casa e era tão estranho ter que aceitar nosso destino.

[N/A: autofobia ( ou medo do abandono) é uma condição que a pessoa sente dependência extrema dos outros, ela teme perde-los e acaba os afastando pensando coisas como "vou abandonar antes que me abandone" ou "você gosta mais deles do que de mim". Os médicos acreditam que a fobia decorre de traumas]

~uma semana depois~

 

Encarei a mesma foto pela milésima vez tentando colocar em minha mente que não era nada demais e que mesmo que fosse eu não tinha nada a ver com a situação. Jennifer estava deitada abraçada em Geoff sem perceber que Rose estava tirando uma selfie. ''Não significa nada'' era algo que não parava de repetir mentalmente.

 

Tanya: Colin, você vai mesmo ficar nessa cama a semana inteira?- pulou na cama

 

Sean: colin, você precisa esquecer a Jen, segue com a vida, parceiro!- pulou do outro lado

 

Michael: gente, se ele não quer ir deixem. Colin precisa de tempo. Sean, como você se sentia se a Tanya te largasse?- finalmente alguém falou algo que se preze

 

Sean: a tanya não me largaria, ela me ama!- deu de ombro e me segurei para não socar sua cara. Ótimo amigo fui arrumar...

 

Tanya/ Michael: SEAN!- Tanya bateu em seu ombro fazendo um gemido de dor sair de sua boca

 

Sean: desculpa, parceiro... Não foi a intenção... Mas é sério, precisa superar a Jen já que ela te superou. Se ela não percebe o quanto você é incrível desista dela, saía e encontre alguém que perceba! Você é Colin O'donoghue, já pensou quantas mulheres adorariam ter a chance de apenas olhar para você? Vamos, saia com a gente e se encontrar alguém legal, chame para conversar. Só não fica ai olhando o instagram dela sofrendo, você é mais que isso, irmão.- deu três tapinhas em meu ombro

 

Tanya: vamos, Colin!- balançou meu ombro

 

Colin: ultimamente, eu tenho acordado sozinho, a dor espalhou lágrimas na minha camisa, não tenho força para nada. Vocês não vêem?- encarei cada um e vi pena em seus olhares. Ah, não! Tudo menos pena nessa altura.- se eu for, vocês vão parar de perturbar?- me levantei já cansado da voz deles

 

Sean: vamos!- abriu meu armário já jogando uma calça e uma blusa em minha direção

 

Colin: tudo bem, eu vou com vocês- revirei os olhos já cansado daquilo. Precisava de mais tempo para pensar em tudo. Esses dias me peguei pensando em como as pessoas se apaixonam de maneiras misteriosas, talvez apenas o toque de uma mão. Eu, me apaixono por ela a cada dia. Talvez seja parte de um plano do destino querendo brincar, nunca se sabe... a única coisa que sei é que queria tê-la em meus braços nesse momento, esbanjando seu perfeito sorriso. Essa é a ironia da dor, queremos ser consolados por quem nos machucou. A única coisa que aprendi foi que pelo menos não foi uma amizade qualquer. Éramos inseparáveis, sendo sempre separados. 

 


Notas Finais


______________

Oi, tudo bem?

Bom, acho que devo um pedido de desculpas a todos, mas eu sinto muito, para mim é difícil toda a pressão. Entrei em uma escola sem ter estudado a metade do ano letivo e precisei sozinha entrar em dia com a matéria, sou hiperativa e cheia de problemas de saúde, então tempo para escrever e inspiração/ disposição é algo complicado. Eu tenho constantes crises de ansiedade que pioram tudo, então quero fazer as coisas, mas não consigo e começo a ficar nervosa e complicada. Não sei quando vou atualizar, prometo que não abandonarei a fic até porque falta pouco e eu AMO escrever, mas eu peço que tenham paciência comigo porque tudo está muito complicado na minha vida, penso em desistir, mas é minha paixão, meu modo de me expressar e não consigo deixar as coisas pela metade. Então paciência é tudo que peço, o próximo pode sair rápido ou demorar, mas NÃO VOU ABANDONAR, preciso apenas do meu tempo porque estou me dobrando e isso está me fazendo mal. Estou escrevendo isso com o coração doendo e até mesmo chorando porque para alguns é simples, mas para mim é algo complicado demais e às vezes sinto que o capitulo ficou horrível, mas desculpa, é o meu melhor.

Ficou grande, mas era apenas um desabafo, desculpa por tudo, não queria decepciona-los... </3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...