História Give you what you like - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags Chansoo
Visualizações 141
Palavras 1.786
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa opa, cá estou eu com mais um chansoo cheiroso pra vocês, obrigada por tudo e boa leitura a todos

Capítulo 1 - Te dou o que você gosta...


Fanfic / Fanfiction Give you what you like - Capítulo 1 - Te dou o que você gosta...

Give you what you like



 Ele para de arrumar sua roupa quando a maçaneta da porta é girada, revelando um garoto suado, de pele extremamente molhada, mostrando seu corpo definido. 




  Os olhos grandes de Kyungsoo foram de encontro ao outro, o encarando dos pés à cabeça, era costume do mais velho sair caminhar durante a tarde. Soo era sedentário de mais pra ir junto. 



  Os dois dividiam um pequeno apartamento no centro da cidade, fazia um ano e meio que eles se conheceram na faculdade. 



  — Kyunggie! Tô morrendo de sede, preciso me hidratar.  — o mais baixo nada disse, apenas voltou a atenção às suas roupas de banho.


  — Vai tomar banho também? Tô indo agora tô bem suado. — nesse momento os olhos de Kyungsoo  quase caíram do rosto, era costume dele chegar suado, mas ele fez uma coisa que o pequeno Soo não esqueceria tão cedo, ele tirou a camisa na frente dele. — O que foi? 


  O que até então ficara quieto se manifestou. — É sério isso? 


  O Park mostrou os dentes em um sorriso lindo, Kyungsoo gostava dele e não sabia que o mesmo também era afim do baixinho. Os dois eram como gato e sapato, viviam juntos. 


 
 — Só tirei a camisa. Algum problema fazer isso na sua frente? 


 Ele adorava deixar o outro vermelho, tanto de raiva quanto de vergonha, nesse caso era de vergonha. — Não, só que você sempre fez isso no banheiro e... 


  — Me senti à vontade fazer isso aqui, então. — estalou os dedos fazendo questão de esfregar seu corpo suado no outro, subindo para o banho.


  — Você não vem Soo? Eu te espero lá em cima. — piscou safado, recebendo um dedo do meio do moreno. 



  Por um momento Kyungsoo quis se vingar, ele pensou e pensou, então lembrou-se que Chanyeol nunca viu seu corpo sem roupas. 



  Ao chegar na porta do banheiro, ele colocou as roupas em cima do acento, procurando a figura alta, mas não obtendo sucesso. Começou então se despir. 



  Tirou o short, estava tirando a camisa ficando só de cueca, passou a mãos nos cabelos e quando olhou pra trás viu o outro o encarando, seu estado era de choque. 



  — Que foi? Tá me olhando assim porque? — foi a vez dele fazer essa pergunta. 


  — Nada... só que... você nunca fica sem camisa e sempre vai tomar banho primeiro... 


  — Eu sempre me troco aqui nesse mesmo lugar. Para de me olhar assim Chanyeol, até parece que nunca viu um corpo pelado!? 


  — O seu é a primeira vez. 


  — Qual é! Vai pro seu banho logo vai. 



  Assim os dois entraram cada um no seu boxer, em baixo da ducha, Kyungsoo ficou pensando em como ele queria tomar banho com ele, sentir aqueles músculos rígidos o apertando, deixando marcas por todo seu corpo. Já estava ficando duro imaginando coisas impuras com o outro. 



  Deixou a água morninha se enrolando na toalha cor de pele clara, afastando os pensamentos eróticos e se concentrando em se vestir novamente. Ele não tinha colocado sua blusa ainda quando o de cabelos tingidos saiu do boxer, cobrindo apenas a parte da cintura pra baixo. 




  Aquela visão o deixou atordoado, os cabelos úmidos, o abdômen definido, a boca vermelhinha e aquela língua abusada passando por entre os lábios, e ainda passando as mãos nos fios molhados. 

 

 

Como poderia um ser daqueles ser tão gostoso assim? — Tá gostando do que tá vendo? — ironizou. 


 — Até parece mesmo, para com isso Chanyeol. — quando o baixinho ia colocar a última peça, uma mão segurou seus braços o impedindo. 


 — Eu sei que você pensa coisas de mim, não tente mudar o que você criou. — retirou então de suas mãos o pano que o baixinho segurava, a jogando longe. — E sei também que você faz coisas pensando em mim. 



  A essa altura Kyungsoo não era mais o mesmo, o acontecimento de fatos seguintes foi maior que sua sanidade. O mais baixo puxou Chanyeol pela cintura colando seus corpos recém limpos, o do tingido ainda com algumas gotas d'água. 



 — Ah Kyungsoo, eu sabia que você se escondia atrás de si mesmo.




  Chanyeol puxou os cabelos lavados e cheirosos para trás, na intenção de morder e chupar todo o pescoço de seu amigo. — Hoje à noite, se você me der o que eu quero, te darei o que você gosta. 




  Como resposta a suas mordidas e ao prazer lhe tomando, Kyungsoo gemia baixo, fazendo o acima de si com mais vontade ainda de ouvi-lo gritar. 



 — Channie, por favor... — não sabia mais como tentar se aliviar, queria sentir o outro dentro dele. 


 — Deixe-me tomar o controle, e você perderá o seu bebê. 



  Após essas palavras, Kyungsoo esqueceu completamente o que ele guardava lá no fundo, amor incubado. Lançou os braços em volta do pescoço de Chanyeol, ficando na ponta dos pés. — Me faça seu hoje, se você me der o que quero, terá o que merece. 



  O Park então cortou a distância entre eles calando aquela boca cheinha, puxando-a entre seus dentes. Prensou o outro na parede segurando suas pernas, forçando o mesmo a subir em seu colo. 



 — O Daddy sabe o que faz, my dear.


 
  Como se Chanyeol lesse pensamentos, ele subiu pro quarto maior, era exatamente o que o mais baixo pensava. Segundo ele, se estiver em um ambiente maior, o prazer é maior. 



 — Já estamos nus, apenas vire de costas baby. — feito isso o mais alto subiu na cama, massageando cada parte daquele corpo lindo e de pele branquinha. — Sabia que eu tenho uma queda por baixinhos? 


 — Sabia que eu tenho uma queda por bad boys? — virou-se para encarar aqueles olhos escuros recheados de más intenções. 


 — Eu sou o que dizem por aí. Não sou carinhoso, eu fodo, e com força. 


 — Esse lado seu eu quero explorar a cada dia da minha vida. — tentou se levantar, mas foi empurrado de volta. — Wow que oppa malvado.


 — Me chame de daddy, baby. Fique parado aí eu já volto. — como eles estavam no quarto maior, do Kyung, o outro o deixou ali. 



  Depois de alguns segundos, o mais alto volta com coisas em suas mãos, o que parecia ser algo como um cinto e um objeto que ele não conseguiu identificar. 



 — Ansioso pra perder a virgindade? Já disse que não sou carinhoso. 


 — Também não gosto de pouca ação.



  Dito isso, Chanyeol subiu mais uma vez na cama, pedindo ao outro que levantasse os braços, o algemando. — Agora, o toque final. — colocou o objeto que mais amava, sua máscara. — Só pra deixar claro, isso é um fetiche que eu sempre quis fazer com você Soo. Ops, baby


— Chanyeol, sem preliminar eu queroooo... aah... puta merda... você não... avi... sou. — sem aviso nenhum, o baixinho foi penetrado. 


 — Quero ouvir seus gemidos mais altos. Vamos lá... 



  Chanyeol entrava e saía do interior apertado, não era nada delicado,  Kyungsoo fazia questão de provocar, apertando o pênis alheio, fazendo com que mais veias cresçam. 


 — Gos... toso de um ... PUTA MERDA. — Chanyeol quase deu um berro quando o baixinho decidiu quicar em seu membro, fazendo-o ficar sem fôlego. 


 — Daddy... sabe o.. que faz ... 



  A cama rangia, o suor na testa de ambos, o ambiente fedia a sexo. Kyungsoo estava quase em seu limite, quando foi virado de costas, sentando no membro duro do outro. 



 — Tome o controle e dê prazer pro daddy. — Kyung ia e sentava de vagar, porém com força, fazendo as peles se chocarem com sons obscenos. 



  Chanyeol se sentia fadigado, em toda sua vida esse estava sendo o melhor sexo que já teve, como pode um amor incubado vir à tona? Ambos se gostavam, só não sabiam como tomar a iniciativa. 



 — Você está sendo... um baby mau. — colocou seus dedos longos forçando o menor subir e descer com mais rapidez. — É assim que eu quero... 


 — Aaahh... Chann... me dê o ... que eu humm... 


 — Paciência, paciência baby



 Já estavam suados novamente, as gotículas eram visíveis nos cantos dos rostos. — Agora, te darei o que você gosta.



  Chanyeol o prensou contra o colchão e seu corpo, com uma das mãos segurou em seu pescoço e a outra desferia tapas por toda a pele branca, a marcando. Suas estocadas eram fortes e precisas. 



 — Você tá tão molhadinho... — Soo apertou mais uma vez sua entrada, fazendo com o que o estocava virar a cabeça pra trás, revirando os olhos em tamanho prazer. 



  Com a respiração presa, Kyungsoo ia de encontro com o pênis de Chanyeol totalmente duro, não sentia mais suas pernas, o prazer da primeira vez predominava. 



 — Agora a melhor parte, e a minha favorita dos meus fetiches. — Chanyeol ficou parado, sentindo o outro rebolar em seu colo, pegou seu chicote de couro. — Eu quero ouvir você gemer alto baby



  Como se o baixinho estivesse em um prazer sem fim, recebeu duas chicotadas no mesmo lugar, nem sabia como estava virado de bruço, sentindo seu baixo ventre arder em puro prazer, Chanyeol segurava na ponta de seu membro, impedindo-o de gozar.



 — Goze baby, me de o que eu quero. 



  Os dedos fartos apertavam o membro de Kyungsoo, mas ainda assim o impedindo de gozar, o mais baixo estava quase chorando, de tanto prazer. — Chanyeol-ah! ...


 — Peça com jeitinho o que você quer. — lançou mais uma chicotada, dessa vez dobrando o nível da força usada, fazendo o baixinho ver estrelas. 


 — D-daddy... eu quero... sentir você... 



  Sentiu a ardência mais uma vez, sendo rasgado por dentro, Chanyeol o penetrou sem dó e com mais força que o normal. Se apoiou com um braço em cada lado do corpo magro, indo e voltando com uma velocidade desconhecida por ele mesmo. 



  A cena de ter Kyungsoo completamente submisso, usando suas fantasias, algemado, com a boca vermelhinha de tanto morder o próprio lábio e todo suado, era o que Chanyeol sempre quis. 



  Em mais algumas estocadas firmes, o de cabelos tingidos segurou o rosto do baixinho lançando-lhe um beijo selvagem, como forma de fazer o outro chegar em seu ápice mais rápido. — Tá... quase... lá... você... — mal terminou de falar e sentiu seu abdômen sendo sujo pelo líquido quente do outro. 


 
  O mais alto ficou por cima do menor, com os dedos entrelaçados, recuperando as respirações. — Você me deu o que eu queria... 


 — Eu tive o que gosto.


[***]


  Era de manhã quando Chanyeol acordou, alheio de qualquer coisa a seu redor, olhando pro lado viu a figura do amigo coberto por um lençol fino. 



  Ele sabia que a partir daquele momento as coisas entre eles mudariam, era o que ele sempre quis, uma noite de prazer com seu amigo.  Agora que ele teve o que queria, não poderia simplesmente passar a borracha e seguir em frente, afinal eles se gostavam. 



  Decidiu que assim que o moreno acordasse o pediria em namoro. Oficialmente eles seriam um para o outro, como verdadeiros parceiros, gato e sapato
  
 


Notas Finais


Foi isso espero que tenha ficado legal e que tenham curtido, foi inspirado na música da queen Avril Lavigne, Give you what you like... um beijão pra todo mundo e até 😘👄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...