História Glass Bridge - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Carla Tsukinami, Cordelia, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori
Tags Amor, Ayato, Beijo, Carla, Demonios, Diabolik Lovers, Fanfic, Ficção, Fundadores, Glass Bridge, Hentai, Incesto, Kanato, Karl Heinz, Karlheinz, Kiss, Komori, Laito, Lua, Lua De Sangue, Masoquismo, Noivado, Ponte De Vidro, Reiji, Romance, Sadomasoquismo, Sakamaki, Sakamakis, San-san, Sexo, Shin, Shuu, Subaru, Tougo, Tragedia, Tsukinami, Tsukinamis, Vampiros, Visual Novel, Yui
Visualizações 218
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Kodomo, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


san-san: Pessoal! Meu deus! 100 FAVORITOS, Eu não consigo acreditar até agora :'D eu ia preparar um especial de 100
favoritos, era o que eu tinha em mente, porém chegamos tão rápido que não deu tempo e nem tem enredo pra
isso kkkkkk Mas, sinceramente, eu quero agradecer todo mundo pelo apoio e pela forma como vem comentando e
favoritando a fanfic <3 Eu escrevo por vocês e para vocês, então muito obrigado <3 Como ontem batemos o nosso
recorde de comentários, que são 15, eu to postando hoje de novo! <3 \*^*/ Agradeço mais uma vez a todo o
apoio~ Não abandonem a fanfic <3 Continuem comentando e favoritando, pois isso ajuda muito, e me motiva!


Boa leitura~ *^*~

Capítulo 7 - Capítulo Seis: E eu estou aqui.


Fanfic / Fanfiction Glass Bridge - Capítulo 7 - Capítulo Seis: E eu estou aqui.

[…]

 

Até certo ponto, eu menti para não magoá-los.

Quando eles disseram

 

Ela continua a mesma”

 

Eu deseja apenas permanecer como eles idealizavam-me…

Pura e ingênua.

Mas, eu sei que não era mais…

Mesmo que eu continuasse com a minha bondade, eu estava longe de ser pura.

Meu corpo não estava só sujo pelo tempo. Era outro tipo de sujeira, que me fazia ser corrompida e imunda por dentro.

Eu não era mais uma menina, e sabia disso.

Mas, para eles… eu ainda era doce e intocada.

Por isso, eu engoli a doce mentira, e finge ser a mesma de antes.

Por isso…

Eu omiti a amarga verdade, para que eles não se culpassem.

 

~*~

 

Após aquela conversa com Karl Heinz, os irmãos Tsukinami apenas não souberam como reagir aquela frase, que poderia ser a realidade ou uma provocação.

Carla realmente teve que segurar Shin para que ele não desfigurasse o rosto do homem ali mesmo, afinal se fizesse isso, poderia ser descoberto como um não-humano pela sociedade humana, já que aquele lugar estava cheio.

 

Aquele não era o momento certo para revidarem ou se vingarem, e por conta disso, mesmo estando frustrados, eles retornaram ao Castelo. Pela manhã eles conversariam com Hanamaru, porém naquele momento, Carla simplesmente não conseguia tirar da sua mente, o fato de que Karl Heinz pudesse ter encostado em sua amada… irmã.

 

~*~

 

Entrando no quarto de Hanamaru, ele podia ver a lua no céu iluminar as paredes cor-de-rosa, e as cortinas brancas, balançarem acompanhando a brisa do vento, que entrava pela janela.

Inesperadamente, a Tsukinami mais nova estava acordada na beira da janela, encarando a lua com um olhar triste.

 

Ela fazia isso todas as noites?—

 

Carla perguntava-se com um olhar frustrado, caminhando em passos lentos e silenciosos até ela. Parando bem atrás de Hanamaru, ele a puxou para si, envolvendo-a em um abraço de costas apertado, descendo seu rosto até o ombro dela, apoiando seu queixo ali.

 

Hana… eu sinto muito. -Carla desculpava-se do fundo do seu coração, sentindo o pequeno e frágil corpo de Hanamaru estremecer. — É tudo culpa minha, eu… deveria ter sido mais forte, e impedido ele de te levar… -Dizia em um sussurro ao pé do ouvido da Tsukinami.

 

C-Carla-Onii-san… não me diga que… -Hanamaru murmurava em um tom incrédulo, engolindo seco.

 

Sim.

Hanamaru se lembrava desses detalhes, ela lembrava-se de cada vez que Karl Heinz a violou da forma mais sórdida possível. Maltratando-a a cada segundo, deslizando suas mãos frias banhadas em maldade, no seu corpo frágil e magro.

Cada noite era uma tortura, e ela só queria que alguém a levasse embora.

 

Karl Heinz fazia isso somente para que Hanamaru conhecesse um pouco do mal presente em todos os homens, assim ele pensava.

Como resposta de sua única esposa na época, Cordélia. Ela descontava suas frustrações por saber que o marido tinha prazer com outra mulher, na própria Hanamaru.

 

Hanamaru nesse momento, mesmo que suas memórias estivessem seladas, lembrava-se desse detalhe, afinal seu corpo foi marcado por cicatrizes que não poderiam ser apagadas.

Ela lembrava-se, porém não queria que seus irmãos soubessem disso, afinal eles ainda mantinham em suas mentes Hanamaru como uma garota frágil e delicada. Uma pequena menina pura.

 

E-Eu… não queria que soubesse… porque… eu ainda queria ser uma menina pura aos seus olhos… D-Desculpe-me por mentir… -Hanamaru dizia, enquanto sentia seu corpo tremer em meio aos braços fortes de Carla, que apertou-a com mais força.

 

Você sempre vai ser pura aos meus olhos… não importa o que… -Dizia com firmeza, virando-a para si, sentindo o ar falhar-lhe ao ver os olhos marejados de Hanamaru. —Não chore. Não chore… Hana. -Carla implorava franzindo sua testa, abraçando-a com toda a sua força. —Ele vai pagar por tudo o que lhe fez, ele vai… -Carla afirmava, sentindo sua camisa molhar com as lágrimas mornas de Hanamaru.

 

Carla-N-Nii-san… não me abandone mais… por favor… Eu… tenho medo de me tornar má… quando eu estava sozinha… eu sentia que a qualquer momento eu poderia culpar alguém… eu poderia odiar alguém… eu me esforcei para continuar boa… por algum motivo eu sabia que eu não podia me tornar má… -Dizia entre soluços, encarando-o com os olhos vermelhos e marejados. —E-Eu não quero ficar sozinha… -Hanamaru murmurava tombando seu rosto no peitoral do mais velho.

 

Venha aqui… -Carla dizia, pegando-a no colo com todo o cuidado. Caminhando em direção a cama de Hanamaru, ele a deitou suavemente, e tomou a liberdade de se deitar ao lado dela, puxando-a contra o seu peitoral, envolvendo-a em um forte abraço. —Eu estou aqui, eu sempre estarei aqui não importa o que. Apenas lembre-se disso… Eu te amo, Hana. Eu sempre vou te proteger. -Confessava observando a face de Hanamaru acalmar-se com suas palavras, e suas maças pálidas adquirirem certo rubor.

 

Me ama como um irmão? —Hanamaru indagava encolhendo seus ombros, vendo-o negar. —C-Como um homem? -Perguntava, vendo-o concordar. —C-Carla-Nii-san… isso não é certo… -Dizia abaixando seu olhar, afastando-se do mais velho, porém, ele logo segurou-a o pulso.

 

Shin sente o mesmo. Mas, não iremos lhe tocar, prometemos um ao outro, quando éramos pequenos, que não faríamos isso até que seu coração estivesse bem.-Carla confessava, dedilhando a ponta dos seus dedos, pela face de Hanamaru. —Eu não vou fazer nada, mas saiba que eu sinceramente… quero tê-la para mim, e mantê-la ao meu lado. -Dizia aproximando seu rosto ao rosto da pequena garota, beijando-lhe suavemente a testa.

 

—S-Sim… eu manterei isso em mente, daqui para frente. -Hanamaru dizia abaixando seu olhar, soltando um tímido suspiro por conta do toque gélido dos lábios de Carla. —Obrigado… C-Carla-Onii-san… -Agradecia-o com um pequeno sorriso, tomando a liberdade de abraçá-lo com força.

 

Eu ficarei aqui, por isso durma. -Pedia deslizando suas mãos pelos longos cabelos da mais nova. —Apenas durma. -Carla repetia tais palavras suavemente, vendo-a concordar.

 

Depois daquela longa e exaustiva conversa, Hanamaru caiu em um sono profundo, seu coração sentia-se mais calmo por ter ouvido as palavras de Carla, mas ao mesmo tempo, encontrava-se um tanto agitado pelas palavras do mais velho, dizendo que Shin e ele a amavam como um homem ama uma mulher.

Assim aquela noite terminou, pelo menos, no Castelo dos Tsukinami.

 

 

~*~

 

~*~Na Mansão Sakamaki~*~

 

 

Ayato-kun...~ Se continuar andando assim, fará um buraco no chão. -Laito alertava-o, sentando em um sofá de couro verde.

 

Ayato e Laito estavam na sala de jogos da Mansão Sakamaki, um local com uma sinuca, sofás e jogos de dardos.

Laito observava Ayato um tanto quanto inquieto, andando de um lado para o outro, como se estivesse pensando em algo de extrema importância.

 

—Não importa o quanto eu pense, eu quero aquela garota. -Dizia em um tom firme, parando e cruzando seus braços. —Ela é diferente da Chichinashi, seu cheiro é bom. -Ayato murmurava com um sorriso sádico, umedecendo seus lábios.

 

—Ayato-kun… Por acaso você se apaixonou por ela? Ou é somente o seu ego ferido por ter perdido a Bitch-chan? -Laito indagava inclinando sua cabeça para o lado, esboçando um ladino sorriso.

 

—N-Não é nada disso! -Negava imediatamente, apesar do seu rosto ter ganhado certo rubor com a pergunta. —Eu apenas desejo ela, algum problema? Eles levaram a Yui, é mais do que justo que eu tome algo deles. -Ayato dizia com certa arrogância, estalando sua língua em seguida. —Tch!.

 

—Só não vá morrer, afinal ela é uma Fundadora também. -Laito alertava-o levantando-se, para procurar alguma vítima que lhe oferecesse alimento.

 

Eu farei-a a minha antes deles… tanto o seu coração e a sua alma. -Ayato sussurrava em um tom baixo, estreitando suas sobrancelhas. Desde o dia em que havia se encontrado com a pequena garota, certa pressão ficou em seu estômago, e o nome de Hanamaru ficou preso em sua garganta. Mesmo que ele não quisesse admitir, não era mais uma luta pelo seu ego.

 

~*~

 

Mais uma manhã se iniciava, Shin que naquele dia, por um grande milagre levantou-se cedo, tomou das mãos de uma das empregadas do enorme palácio, uma bandeja de café da manhã.

Ele tinha planos de cuidar da pequena Tsukinami, e confortá-la por ter chego tarde demais e não a protegido, porém ele não poderia imaginar, que Carla foi mais rápido do que ele nesse sentido.

 

Ao abrir a porta do quarto de Hanamaru, ele deparou-se com a cena dela dormindo nos braços do seu irmão mais velho, naquele momento, o sangue realmente lhe ferveu, porém mesmo que Shin fosse o tipo de pessoa que era tomada pelos impulsos, ele decidiu respirar fundo e se acalmar, ao menos por Hanamaru.

 

Carla logo se levantou em silêncio ao notar a presença de Shin ali, e assim, suspirou ao ver a face contorcida do mais novo. Ele não poderia simplesmente explicar para Shin o que havia ocorrido, porém sentia-se realmente mal por ter “passado a frente” de maneira um tanto injusta o mais novo.

 

Conversaremos depois, Nii-san.-Shin pedia em um tom firme, colocando a bandeja de desjejum sobre a área fazia da cama. —Hana… -Chamava-a em sussurro, engolindo o seu evidente ciúme.


Notas Finais


san-san: Acho que as shippadoras de Carla gostaram desse capítulo hem beoibroibweiorboiwe <3 Quero comentários sobre
isso! Vejo que muitas pessoas do começo da fanfic, vem sumindo... não sumam por favor <3 Continuem
comentando ao menos um simples continua <3 Pois isso já me motiva bastante, além de que tenho planos de
fazer essa fanfic ser bem longa, pois posso vos dizer que não estamos nem no começo dela!

Mas espero que tenham gostado <3 E como sempre, caso tenham gostado do capítulo, peço que comentem e
digam o que acharam ♥ Caso cheguemos a 15 comentários novamente, amanhã tem capítulo novo!

Obrigado por ter lido até aqui ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...