História Glass Doll (Imagine Kim Namjoon) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Deepsuga, Dono, Imagine, Luxo, Namjoon, Prostituta, Rap Monster, Romance, Submissa
Visualizações 2.879
Palavras 1.704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi meus xuxus, tudo bem?
somos quase 700 bonecas de vidro, muito obrigada <3
me perdoem muito pela demora, foi mal mesmo

vim avisar vocês da minha nova fic, é um imagine Tae e se chama Liberté, se quiserem conhecer o link (como sempre) vai estar nas notas finais <3

bora ler pessoinhas :)

Capítulo 13 - Escolheu bem.


Fanfic / Fanfiction Glass Doll (Imagine Kim Namjoon) - Capítulo 13 - Escolheu bem.

______ P.O.V 

Estava encantada com a atitude do Namjoon, sinceramente, não esperava nada parecido vindo dele. 

Saber que ele deixou a própria felicidade e liberdade de lado apenas pra assumir a responsabilidade do filho talvez seja a atitude mais linda que ele vai ter em toda a vida. 

– Nunca achei que diria isso, mas parabéns Nammie – falei esticando meus braços até alcançar suas mãos. 

Ele pegou em minhas mãos com calma e sorriu. 

– Obrigado _____, por tudo, até pela discussão, me fez ver as coisas de outro jeito. 

– Você teve uma atitude incrível, fico feliz pela sua decisão e quero que dê tudo certo no casamento.

– É, eu também espero – sorriu sem graça – Vocês provavelmente vão ficar juntos não é? 

– Não sei, depende da ____ – Yoonie disse sorrindo envergonhado.

– Vamos ver – disse ainda de mãos dadas com o Nam. 

Nós tivemos uma curtíssima história juntos, mas vou me lembrar de cada momento com muito carinho. 

Mesmo que tivéssemos nossas pequenas discussões, ele era um doce quando queria.  

Nunca vou esquecer do dia em que me tirou da boate, da nossa viagem, do nosso primeiro beijo nos fundos daquele restaurante e da nossa primeira vez. Foi tudo tão especial e único. 

Suas mãos apertavam levemente meus dedos, como se não quisesse que os separassem. 

Acho que Namjoon realmente gostava de mim mas fico feliz em saber o que está fazendo pela esposa. 

– Espero que dê tudo certo pra vocês também – o platinado disse sorrindo, parecia sincero mas imagino que deva estar doendo lá no fundo. 

– Obrigado – Yoongi disse sorridente. 

Separei nossas mãos e então levantamos da mesa. 

Yoonie abraçou o Namjoon e vi que ele estava chorando, as emoções dele devem estar totalmente misturadas, a felicidade pelo filho e a tristeza pelo fim que teremos. 

Assim que eles se afastaram, fui até ele e o abracei com força, sentindo seus braços me apertando ainda mais. 

Ficava na ponta dos pés para alcançá-lo e mesmo assim ainda não ficava na sua altura. 

Ele me ergueu um pouquinho e me colocou sobre seus pés, fazendo com que aumentasse alguns centímetros. 

– Não sabe como estou orgulhosa de você – sussurrei em seu ouvido. 

– Queria que tivesse sido tão diferente, queria que ficasse comigo mas essa é a coisa certa a se fazer. 

– Você tem toda a razão. 

– Depois converse com o Yoongi, talvez tenha como você trabalhar conosco na gravadora, estávamos mesmo precisando de uma recepcionista. 

– Obrigada – sorri. 

– Espero que ele cuide de você como eu não pude cuidar –  disse enxugando as lágrimas assim que nos afastamos. 

– Você é meu orgulho, Nam – falei sorrindo assim que Yoongi e eu começamos a nos afastar. 

Entramos no carro e então comecei a chorar, evitando que Yoonie notasse. 

– Ei, tá tudo bem, vocês tem uma história juntos, é normal que fique triste – disse passando a mão devagar em minha perna, logo ligando o carro. 

Nam sorria do outro lado da rua, acenava e eu chorava ainda mais. 

Entrelacei minha mão na do loiro que sorriu no mesmo instante. 

– Pode vir morar comigo se quiser, afinal esse era nosso plano inicial. 

Sorri ao lembrar das vezes em que planejei fugir da boate e morar com ele, bom, estou realizando sem a parte da fuga. 

– Posso ficar na casa dos meninos hoje? Amanhã vou pra sua casa daí. 

– Claro, sem problemas, posso pegar suas malas pra levar ou quer que deixe com você por enquanto? 

– Pode levar – sorri. 

– Vou tentar conversar com o pessoal da gravadora e ver se tem como te contratar. 

– Obrigada, preciso mesmo arranjar um emprego. 

– É quase garantido. 

– Você sempre é tão atencioso, tão fofinho – falei bancando a tiazona e apertei suas bochechas. 

– Não exagera – sorriu – Você merece bem mais que isso, vou te dar o meu melhor. 

– Não precisa nem se esforçar muito então – sorri. 

Assim que chegamos na casa dos meninos, descemos do carro e logo abri a porta. 

– Tenho novidades pra vocês, esperem só um pouco que já conto os rolos – falei e Tae sorriu animado, falou em fofoca e barraco ele é o primeiro a se manifestar. 

Fui até o quarto do Jiminie que era onde as minhas malas estavam, Yoongi me seguiu, pegou as mesmas e saiu as arrastando até o carro. 

– Onde a senhora pensa que vai? – Tae disse me encarando fingindo estar com raiva. 

– Primeiro, eu não sou velha o suficiente pra você me chamar de senhora, seu cocô. Segundo, vou amanhã pra casa do Yoongi e isso faz parte do rolo todo que eu quero contar pra vocês. 

– Vou deixar vocês conversarem em paz – sorriu – Tchau _____. 

Ele disse e logo me puxou pela cintura, colando nossos lábios. Senti falta do seu beijo, era tão docinho e calmo. 

– Até amanhã Yoonie – sorri e assim que ele se afastou, fechei a porta e me joguei no sofá ao lado do Tae. 

Deitei em seu ombro, logo Jimin e Yoon se juntaram à nós, sentando nas poltronas ao redor. 

– Primeiramente, cadê a Hee e o Kook? 

– Saíram porque o Jungkook disse que queria apresentar a cidade pra ela – Jimin respondeu. 

– Mas ela não é de Seul? 

– Não, ela veio de Gwangju. 

– Viu, é isso que dá sair com o senpai e não ficar com os amigos – Tae disse e eu ri – Agora conta as novidades, tô curioso. 

– Agora me diz algo que eu não saiba, Taehyung – falei e ele mostrou a língua – Nammie vai ser papai. 

– Você tá grávida? – Yoon perguntou assustada. 

– Não, a Hailey. 

– Agora basta saber se vai puxar o pai ou a mãe, daí pode nascer uma naja, uma jibóia, uma sucuri ou até uma jararaca – nem preciso dizer quem falou essa belíssima pérola não é mesmo? 

– Cala a boca, Taehyung – Jimin disse e eu ri. 

– Se bem que pra ser uma jararaca tinha que ser filho do Jimin. 

– Vai tomar no seu... 

– Prosseguindo – disse interrompendo o Minnie – Resumindo tudo, Namjoon vai continuar casado com a Hailey por causa do nenê e eu vou seguir a minha vida com o Yoongi. 

– Pra ser sincero, antes eu torcia muito pra vocês dois ficarem juntos, mas agora não consigo te imaginar longe do Namjoon – Tae disse e então começamos a prestar atenção nele –  Sabe? Vocês são tipo arroz e kimchi, Romeu e Julieta, Jimin e playboy da Gretchen. 

– Porra Taehyung – Jimin levantou e o mais alto começou a correr. 

Por que eu ainda o levo à sério? 

Levantei ainda rindo e fui até o quarto do Minnie, sendo seguida pela Yoon. 

– Quer dizer que aquele é o tal Yoongi? – ela me perguntou assim que fechamos a porta. 

– Ele mesmo – sorri. 

– Eu estava zoando Jimin, larga meu celular – deu pra sentir o desespero do Tae apenas pela voz – Se você jogar ele no chão eu juro que te mato, Park Jimin, larga o Josefino. 

Comecei a gargalhar, sério que ele chama o celular de Josefino? 

– Se deu bem, ele é bem gato – Yoon comentou sorridente. 

– Eu ouvi isso aí, sua imunda – Tae gritou–  Jimin, eu vou arrastar sua cara no asfalto se não me devolver agora, babaca. 

Jungkook P.O.V 

Hee disse que não teve oportunidade de conhecer Seul, então achei que seria uma boa levá-la pra passear. 

Entramos no carro e comecei a dirigir até o museu. 

– Você é muito fofo, Kookie – sorriu envergonhada – Posso te chamar assim? 

– Me chame como quiser. 

– Obrigada. 

– Me conta um pouco sobre você, quero te conhecer melhor. 

– Meu nome é Sun Hee, tenho 18 anos, sou de Gwangju, quero fazer faculdade de música e meu sonho é ser violinista. 

– Você tem um violino? 

– Na verdade não, queria comprar o meu mas não deu tempo. 

– Entendi. 

– Você faz alguma faculdade? 

– Artes visuais – sorri. 

– Encantador – ela disse de cabeça baixa. 

– Vai ter uma prova do vestibular daqui a uns 3 meses, posso te ajudar a estudar, daí pode entrar na sua faculdade. 

– Sério? Você faria isso por mim? 

– Claro. 

– Mas pra entrar na faculdade de música tem que ter um instrumento para fazer a prova prática não é? E eu não tenho um violino. 

– São apenas detalhes, logo a gente resolve isso tudo. 

– Tenho tantas coisas pra resolver ainda. 

– Tipo o que? 

– Preciso de um emprego e um lugar pra morar. 

– Pode tentar conversar com o Jimin, ele é estagiário do Namjoon, talvez consiga algo na empresa dele. E pode morar lá na casa dos meninos comigo. 

– Verdade? Não vou incomodar vocês? 

– Claro que não. 

– Por que mora com os meninos? 

– Digamos que tive alguns problemas com o meu pai, mas não quero falar sobre isso por enquanto, tudo bem? 

– Sem problemas – sorriu. 

– Essa aqui é a N Seoul Tower – falei assim que estacionamos o carro. 

– É linda – disse encantada encarando a altura do lugar. 

– Fica mais bonita ainda daqui à alguns minutos – desci do carro, sendo seguido por ela. 

Entramos lá e subimos até o mais alto andar, tendo uma visão privilegiada de Seul.  

– Muito obrigada por me trazer aqui – a pequena disse segurando na grade enquanto sorria animada. 

– Me espera aqui um pouquinho? 

– Claro – disse sorridente. 

Peguei o elevador e fui até o primeiro andar. 

Cheguei perto de um moço que vendia os tais ''love locks'' que nada mais são do que cadeados personalizáveis que representam o amor. 

Ele fez um exclusivo assim que disse todas as informações necessárias, o paguei e agradeci sorridente. 

Voltei para o elevador e logo estava de volta no último andar. 

Cheguei ao lado da Hee e entreguei o cadeado. 

– O que é isso? 

– Chamam de love lock, costumam ser pendurados em locais históricos para representar o amor de um casal, normalmente tem os nomes ou iniciais do par. 

Ela virou o pequeno cadeado e lá estava escrito ''Hee & Jungkook'' seguidos de um pequeno par de corações.  

– Isso é tão lindo – sorriu. 

– Essa aqui é a chave – falei entregando pra ela – Nós trancamos o cadeado aqui na grade e você decide o que faz com ela, pode guardar caso algum dia queira abri-lo novamente. 

– Tudo bem então. 

Ela destrancou o cadeado, o pendurou na grade e pegou na minha mão, fazendo com que fechássemos juntos o pequeno objeto. 

Sorri e ela encarou a chave em sua mão, logo jogando o mais longe que conseguia. 

A abracei por trás e dei um leve beijo em sua bochecha, ouvindo sua risada baixinha. 

– Escolheu bem.


Notas Finais


Liberté: https://spiritfanfics.com/historia/liberte-imagine-kim-taehyung-7324834

mato e morro por Kim Taehyung shfjdshjf
será que vende Jungkook no mercado livre? quero de presente de natal <3
próximo cap tem conversa entre Nammie e Hailey e _____ indo morar com o Yoongi, então quis dar uma quebrada na tensão nesse cap.

espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...