História Glee Brasil - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Glee
Personagens Personagens Originais
Exibições 3
Palavras 1.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Nudez, Pansexualidade, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Para ler os capítulos, deixe o YouTube aberto. As músicas estarão em negrito, e você poderá curtir lendo.

Capítulo 1 - Piloto


Fanfic / Fanfiction Glee Brasil - Capítulo 1 - Piloto

Todo dia a mesma coisa: Acordar; Ir para o colégio; Fazer almoço para meus pais; Limpar a casa; Estudar; Fazer a Janta; Dormir. Nos finais de semana tenho permissão para sair, andar no shopping, mas nunca posso ficar até tarde. E isso é uma droga.

Meu nome é Amanda Campos, tenho 15 anos de idade, moro num bairro simples de Brasília. Meus pais acham que um futuro bom só é feito se você estuda muito. Até que ele está certo, mas eu não quero ser médica ou advogada como ele tanto deseja. Eu quero na verdade ser cantora. Bem famosa. Mas enquanto não tenho apoio pra esse sonho, eu uso a hora da faxina para melhorar o meu talento.

Amanda amarra seus cabelos castanhos longos em um rabo de cavalo, e pega no cabo da vassoura. O som está alto. Tocando um playback (ela gosta de sempre ter playback para treinar seu canto). 

"Cláudia Leitte - Famo$a".

Eu quero ser muito famosa

E ter o seu amor

Mas quero sentar no Jô

Eu quero casar com você

E estar na TV

Faturar milhões no BBB

Sempre que eu vou me deitar

Eu vejo o meu nome brilhar

Mas sinto que se estou com você

Eu tenho paz

E o que eu vou fazer?

Se eu quero muito mais?

Amanda estava em seu devaneio, cantando a música e sonhando ser uma artista bem prestigiada, até que a campainha toca. Ela balança a cabeça. Se for o seu pai que esqueceu a chave, ela estaria ferrada pq não estava limpando nada e só enrolando. Ela encosta a vassoura na parede, e corre para a porta. Por sorte, é um de seus melhores amigos: Renato.

Renato é um jovem alto, magro, com cabelos negros bagunçados que estava usando uma grossa blusa de frio. - Você realmente canta bem. Estava escutando sua voz do lado de fora. - Ele diz.

- Entra logo. - Amanda responde, permitindo que ele passe por ela e então fechando a porta. Ela pega o controle e abaixa o volume do som, enquanto Renato senta no sofá.

-Qual a honra dessa visita? - Amanda diz, sentando perto do garoto. Renato não costuma visita-la, a maior parte do tempo eles se encontram na escola.

-Bom, achei que devia vim aqui te falar pessoalmente. - Ele dá um sorriso, e Amanda fica mais curiosa. - O que? Fala logo.

-Voce sabe que eu esse ano estive ajudando a professora de artes, com aqueles projetos dela. Dança, teatro.

-O qual participei de todos, mas ainda acho que eu deveria ter ganho o papel de Julieta. - Amanda diz, num tom rígido.

-Esqueça o teatro. Eu vim aqui falar pra você sobre isso. - Ele então tira um papel dobrado de dentro do bolso de sua blusa e entrega para Amanda que dá uma lida.

-Seleção para o Grupex, o primeiro concurso de Grupo Musical do Brasil. Interessados, tratar com a direção da escola para mais informações. 

Ela olha para ele. Podia-se notar um brilho em seus olhos. Ele continua com o seu sorriso.

-Nao me diz que... O Colégio tá participando dessa seleção?

-Nao tem nada divulgado... Ainda. - Ele começa. - A professora me pediu para melhorar o folder, então é informação de primeira. Não podia deixar de te mostrar.

-RENATO! - Amanda se levanta, ainda encarando aquele papel. - Renato, você sabe o que isso significa? É uma chance para que eu possa realizar...

-Seu sonho de cantora. Sim, eu sei. Por isso quis vim te mostrar. Não espalha ainda. A professora quer contar pra todos. Mas se voce não percebeu, precisará de um grupo de oito pessoas.

Amanda para um momento de falar. Seu pensamento estava no momento que ganhava o prêmio. Ela então se toca das oito pessoas.

-Bom... Preciso de pessoas realmente boas. Isso é que nem Glee. - Ela comenta.

-Havera uma seleção na escola, e a professora dará o nome para que voces possam concorrer na seleção distrital. Você sabe que não somos os mais populares do colégio, não temos muitos amigos. Então...

-Espera... Nós? Você quer dizer que... Quer formar um grupo comigo?

Ela o encara por alguns segundos. Renato fica tímido, e desvia seu olhar.

-Bom, eu... Eu queria entrar para ganhar e...

-E VOCÊ ME QUER EM SEU TIME! - Ela dá um abraço nele, bem apertado. Renato fica um pouco corado. - É claro que eu aceito, é claro.

Ele fica tentado em colocar as mãos em seus cabelos, mas se reprime, só abraçando-a de volta. Os segundos sentindo o cheiro de Amanda se pareceu horas, até que ela o solta, ainda encarando o papel.

-Precisamos então de mais seis pessoas. Chamaremos os colegas mais próximos. Talvez sirvam para backvocal, sei lá.

-Amanda, todos devem cantar. É uma competição séria, ninguem ficará desfavorecido.

-Sao detalhes Rê, mas amanhã vamos começar nosso processo de recrutamento...

-Desde que não espalhe essa informação e não complique pro meu lado.

- Claro, claro. Irei visitar o auditório na hora do grupo de canto. Ahh Renato, você é um amigão.

Ela o abraça novamente. 

-É. Acho que sou.

-----------------------------------------------------------------

No dia seguinte, a aula se passou mais devagar do que Amanda pretendia. Tudo porque ela estava ansiosa de chegar até o auditório no final da aula. Quando o último sinal bateu, ela pegou sua mochila e saiu correndo para fora. Renato apressou seu passo para alcançá-la.

O auditório não estava tão cheio. Havia umas seis pessoas, a maioria sendo alunos do terceiro ano. Quando Amanda abriu a porta, um garoto alto com olhos castanhos e profundos e cabelos espetados a encara. Ele estava em cima do palco, afinando um violão. Amanda o conhecia. O líder do grupo de canto: Filipe Gouveia.

-O auditório está reservado para o grupo de canto. Não aceitamos visitantes no nosso ensaio.

Filipe dizia. Amanda ficou um pouco constrangida por todos a olhar.

-Tenho permissão da Professora Ana para fiscalizar os grupos de artes. - Renato dizia, confiante.

-Você sim. Ela não. Por favor. Não queremos criar problemas.

Amanda se sentiu intimidada e recuou com um passo para trás. Mas Renato segurou em seu ombro.

-Ela é minha mais nova auxiliar. E nao vamos incomoda-los. Eu só preciso ver como irei montar a decoração do festival de talentos. - Renato piscava para Amanda.

Filipe talvez fosse responder, mas uma garota de cabelos pretos espetados, que estava próxima do palco, o olhou e comentou.

-Deixe-os, vamos continuar os ensaios.

Amanda então senta em uma das últimas cadeiras. Renato senta ao seu lado. Com o violão afinado, Filipe começa a cantar.

"Guilherme Arantes - Planeta Água"

Água que nasce na fonte serena do mundo

E que abre um profundo grotão

Água que faz inocente riacho e deságua

Na corrente do ribeirão

Águas escuras dos rios 

Que levam a fertilidade ao sertão

Águas que banham aldeias

E matam a sede da população

Águas que caem das pedras

No véu das cascatas

Ronco de trovão

E depois dormem tranquilas

No leito dos lagos

No leito dos lagos

Terra

Planeta Água

Terra

Planeta Água

Terra

Planeta Água

Amanda ficava impressionada e até mesmo emocionada como Filipe cantava e tocava ao mesmo tempo. Mesmo que todos os segiam em coro, era muito lindo como ele se entregava para a música. Foi nessa hora que ela decidiu: ela quer Filipe em seu grupo.

Ao término da canção, Filipe começa a conversar com os outros. Amanda então por um impulso se levanta e começa a atravessar o corredor entre as cadeiras da plateia em direção à Filipe, deixando Renato sem entender nada.

-Eu preciso de você no meu grupo. - Ela diz, ao encostar no palco. Filipe se vira, encarando-a sem entender.

-Desculpe, eu não entendi.

-Er... Eu estou criando um grupo musical e preciso de oito pessoas. No momento só tem eu e meu amigo Renato, então...

-Achou que eu pudesse entrar em seu grupo? Deixa eu ver. Acho que você está no primeiro ano, não é? Bom. Me desculpe. Mas só participo do grupo de canto do colégio.

Filipe a ignora. Voltando a dedilhar em seu violão. A garota de cabelos espetados olha para Amanda.

-Precisamos ensaiar para o dia da árvore e você está nos atrapalhando.

-Espere... - Um garoto de cabelos loiros caídos sobre seus olhos que estava conversando com uma garota negra de cabelos cacheados, encara Amanda.

-Qual o motivo, desse seu... Grupo musical?

Ao ver que Amanda poderia o entregar, Renato se aproxima e a puxa pela mão.

-Precisamos ir.

Amand resiste. Olha para o garoto que a fez uma pergunta.

-Desculpe Rê. - Ela diz baixinho. Então se vira para o garoto. - Eu... Eu sempre sonhei em cantar e, nunca tive incentivo, aliás... Pouco incentivo. - Ela olha para Renato. Ele balança a cabeça, um pouco chateado.

-E... Bem. Vai ter um concurso nacional de grupos musicais.

-Eu ouvi falar. Mas poucas escolas foram sorteadas para participar, e acho que a nossa não entrou nesse sorteio. - A garota de cabelos cacheados dizia.

-Bem... Caso, venha a ser sorteada, por algo do destino. - Amanda dizia, corando.

-Não. Não vamos participar de seu grupo. Sinto muito garota. Agora, você podia se retirar. - Filipe falava, sério. Seu tom de voz mostrou que a conversa tinha encerrado.

Amanda, desconcertada, tenta argumentar, mas a garota de cabelos espetados balança a cabeça, com uma expressão de compaixão. Amanda entendeu o recado. E segue junto com Renato para a saída.

-----------------------------------------------------------------

-O que você pensa que estava fazendo? - Renato gritava com Amanda. Os dois estavam sentados na arquibancada da quadra poliesportiva, olhando para o nada. Amanda estava com muita vergonha.

-Amanda, a Professora Ana pediu que nao comentasse. É segredo. Ela custou a colocar a escola como uma das selecionadas. Ela não quer que atraia atenção pois ja acabou o prazo de inscrição de escola. A seleção aqui acontecerá de forma discreta. Você sabe que...

-Ele... O olhar dele... Era desprezo. - Amanda estava com os olhos marejados. Renato fica comovido.

-Bem, ele é do terceiro ano. Não sei porque pensou que ele fosse querer se juntar à gente.

-A música une as pessoas. Independente de idade. Eu só achei que ele pudesse... Me ouvir. Fui uma idiota né?

-Um pouco. Mas vamos conseguir as seis pessoas. A seleção será em novembro.

-Seleção... - De repente, uma ideia passa na cabeça de Amanda. Ela levanta e com um sorriso olha para Renato.

-É isso Rê. Seleção. Vamos fazer uma seleção para um novo grupo de canto. Um do primeiro ano. Você tem influência com a professora e será legal para o festival de talentos.

-É. Será um grupo de canto independente. Acho que pode funcionar. - Renato dá um sorriso para Amanda. - É isso. Vamos selecionar nosso próprio grupo de canto. E com muito ensaio, podemos superar até o do Filipe.

-Eu pode apostar que estou muito ansiosa para isso.

-E qual seria o nome?

-Hum. Deixe eu pensar. - Amanda fica séria. Ela então estala os dedos. - Como uma homenagem e para atrair mais pessoas, será... O grupo Glee do Brasil.

-Brega. Mas nostálgico.Melhor que Rebeldes. - Renato ria. E assim, os dois pegavam suas mochilas e seguiam para fora da quadra.










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...