História Gleed - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~passional

Postado
Categorias Harry Styles, Lily Collins
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Anos 60, Garry, Giordanna, Gleed, Harry
Visualizações 78
Palavras 971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


▸Hello, babes!
▸Estamos chocada que Gleed chegou à 80 favoritos e 15 comentários com apenas um capítulo postado. Isso nunca aconteceu conosco e estamos muito agradecida por vocês, isso é muito importante para nós.
▸Para agradecer os 80 favoritos estamos trazendo mais um capítulo.
▸Terá algumas gírias e todas elas estarão em itálico, caso vocês queiram saber deixaremos nas notas finais o que elas significam.
▸Obrigada. Boa leitura!

Capítulo 2 - Guitar


Fanfic / Fanfiction Gleed - Capítulo 2 - Guitar

I

     Giordanna Alexis

      Um mês atrás.

Batuquei meus dedos na mesa e revirei os olhos ao ouvir o que Lys e Stef conversavam. O professor já deveria ter chegado e entregado as provas que fizemos recentemente, mas, aparentemente, ele havia faltado, deixando todos da sala animados e em uma grande bagunça.

Eu estava longe de ser a cdf da turma, porém, quando eu estava explodindo de ansiedade para saber as minhas notas, com todos os planejamentos que fiz para o verão, precisava muito que o professor estivesse na sala e desse um jeito naquele pessoal insuportável.

— O que você acha, Gio? — ouço a voz de Stef e reparo na ruiva, que me fitava com seus enormes olhos verdes.

— Acho sobre o quê? — pergunto, entediada.

— Que o Styles está caidinho por você. — diz, divertida, enrugo minha testa e olho para o garoto, que tocava alguma música no seu inseparável violão.

— O quê?! — ela gargalha e anua com a cabeça. Só podia estar com um parafuso a menos para enxergar coisa onde não havia. Com certeza, ela estava maluca.

— É verdade, ele não para de olhar para cá e escrever alguma coisa naquele caderno horroroso. — sorrio, uma timidez nova tomando conta do meu corpo e colorindo minhas bochechas de rosa, voltando meu olhar envergonhado para Harry, que sorria com todos os dentes, como se tivesse um pouco do Sol no bolso da calça.

— Vocês acham que ele está escrevendo uma música para mim? — pergunto, esperançosa. De repente, me sinto radiante e pronta para enfrentar qualquer coisa. Eu não havia me interessado pelos garotos de minha turma, apenas os garotos mais velhos e populares do time de baseball do colégio me encantaram o suficiente. Mas Styles estava ficando falado entre as garotas com o auxílio de sua banda. Diziam ele que seria o John Lennon da Nova Era, infelizmente, fazia apenas shows para o nosso colégio.

— Tenho certeza, ele é um broto maneiro. — Lys se pronunciou. Mordi meus lábios e sorri para o moreno, que agora mantinha os olhos fechados enquanto dedilhava o violão. — Mas, voltando ao assunto verão, sua mãe deixou você viajar comigo, Alexis? — perguntou, animada, e suspirei.

— Ela disse que irei se eu tiver notas ótimas. — esperneio, uma trágedia pensar que poderia perder um verão incrível inteiro se não me saísse bem. — O professor nem veio hoje, eu preciso saber minhas notas. — digo, ansiosa.

— Calma, não vá ficar lelé da cuca, hein? — Stef sacode meus ombros, e eu assinto. — Você vai passar, você estudou bastante.

— Eu sei, eu sei. — mordisco minha unha pintada de vermelho e reviro os olhos. Mantenho a conversa com as meninas enquanto observo discretamente Styles. Seus olhos verdes chamavam bastante atenção, as íris cor-luz iluminavam o rosto pálido, seus fios castanhos rodeavam a testa inteira, deixando-o bastante parecido com Paul McCartney. Ele sorriu, e não pude conter a leve risada que pulou de minha garganta.

— Queridos alunos, silêncio, por favor! — pisquei os olhos repetidamente e direcionei meu rosto para o centro da sala. O diretor estava nos olhando severamente pela bagunça feita. — Eu disse: Silêncio! — seu tom de voz aumentou. Todos se aquietaram e fingiram prestar atenção nas palavras do querido diretor um tanto rechonchudo. — O professor Hayes não pôde vir hoje por ter um compromisso, mas ele deixou uma atividade para vocês. — todos começaram a balbuciar irritadamente.

— O quê?! — falei alto, chamando atenção de todos. — Não acredito que ele não mandou as provas para entregar. É fogo! — alguns concordaram e outros riram do meu desespero.

— Senhorita Alexis, peço que tenha um pouco de paciência. — pediu, deixando que a última palavra soasse como um sopro, provavelmente nervoso por ter que lidar com tantos adolescentes raivosos, levando em consideração sua testa que liberava suor como uma cascata. — O Sr. Hayes mandou as provas também, mas, como vocês são alvoroçados, não deixaram eu terminar de falar. — revirei os olhos e quase joguei a caneta contra a parede.

— Então, o senhor poderia entregar logo? — pergunto. Ele suspirou e sentou na cadeira atrás do birô.

— Alexandra Beut. — ele começou a ditar os nomes alfabeticamente. — Adrian Christian.

— O diretor deve ter algum problema comigo, por que ele está demorando tanto para chamar meu nome? — sem paciência, acabo quebrando um lápis de madeira. Eu estava borbulhando de raiva.

— Gio, vamos ter um papo firme. — Lysia diz meigamente, tornando a saída de um suspiro entediado da minha boca inevitável.

— Desculpa. — digo e encaro suas mãos, que se mexem calmamente, como alguém que não extrapolaria com simples notas escolares.

— Giordanna Alexis. — o diretor pronuncia meu nome, e eu arregalo os olhos, surpresa.

— Vai logo, Gio. — Stef me empurra da cadeira, e cambaleio, me levantando. Caminho até a mesa e pego minha prova, juntamente com a atividade passada pelo professor.

Cubro a nota, fechando e abrindo meus olhos rapidamente. Aos tropeços, vou de volta para minha banca e sento-me, dando minha prova para as meninas. Olho nervosamente para elas e espero qualquer reação, porém tudo fica neutro em seus rostos, e eu não consigo decifrar se tirei uma nota esmagadora de ruim, razoável ou extremamente boa.

— Então? — pergunto, receosa. Lys olha para mim tristemente, e Stef morde os lábios cobertos de gloss. — Meninas, desembuchem logo!

— Você passou, Gio, vamos ver vários pães nesse verão. — Lys diz, me causando uma reação eufórica. Meu primeiro instinto é pular por toda a minha banca, atraindo a atenção de todos, que agora gargalhavam pela minha loucura.

— Senhorita Alexis! — ouço um grito e paro de pular.

— Perdão! — sussurro e mordo a parte interna de minhas bochechas. Fecho os olhos e sinto o alívio invadir todo o meu corpo, fazendo meus músculos relaxarem.

Hoje estava sendo o dia mais perfeito. Eu passei nas matérias do colégio, descobri que o garoto mais bonito da sala gostava de mim e iria para casa fazer minhas malas para o melhor verão de todo o século.


Notas Finais


Broto Maneiro: Garoto/garota interessante;
Lelé da Cuca: Doido, debilóide;
É fogo: É difícil, complicado;
Papo Firme: Ter uma conversa séria;
Pães: Homens irresistíveis.
Espero que tenham gostado.
Até logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...