História Glory - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Hansol, Yuta
Tags Dosol, Hansol, Sfnctfreesoul, Yoonyul, Yusol, Yuta
Visualizações 75
Palavras 1.788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo revisado, mas sempre passa alguma coisa :')

Capítulo 8 - Capítulo VII


Hansol suspirou ao ver a expressão triste de Doyoung. Puxou o Kim pela mão para sentarem-se na cama. Suspirou mais uma vez antes de começar a falar.

 

– Eu deveria já ter tido essa conversa com você a muito tempo. – A cariciou os dedos que estavam entre as suas mãos. Doyoung sorria pequeno e Hansol sentia-se culpado por saber que logo acabaria com aquela alegria. O Kim sempre fora muito emotivo. – Você esteve do meu lado por todos esses anos, junto de Yoona e Yuri.

 

– Hansol…

 

– Deixe-me terminar. – Hansol o calou tocando-lhe o rosto. Doyoung fechou os olhos aproveitando a carícia – Você me ajudou em muita coisa e esteve do meu lado quando precisei. – Respirou fundo, precisava manter-se firme, pois sabia que o outro choraria. – Você é uma pessoa maravilhosa, porém o seu sentimento por mim não é recíproco. – Doyoung afastou-se abrindo os olhos, lágrimas começavam a brotar sem controle. – Eu deveria ter lhe dito mais cedo, mas eu não queria magoá-lo.

 

Doyoung levantou-se um tanto transtornado. Suas mãos tremiam e as lágrimas desciam sem controle pelo rosto bonito.

 

– Eu sinto muito. – Hansol falou na esperança de acalmá-lo. Não queria magoá-lo, porém não havia outra opção. Seu erro havia sido deixar o Kim apegar-se demais.

 

– E-eu….– Estava transtornado. O Kim passava a mão nervosamente pelo cabelo e limpava desajeitadamente as lágrimas.

O Ji sentindo-se mal vendo-o chorar, levantou-se e puxou o michê para um abraço. Doyoung o abraçou com força, sabendo que aquele provavelmente seria o último abraço. Respira fundo sentindo o perfume que tanto amava. Doía saber que nunca mais estariam juntos como gostaria.

 

– Posso pedir uma última coisa? – Sussurrou com a voz embargada. Afastou-se apenas o suficiente para encarar o Ji. Hansol concordou com a cabeça. – Um último beijo? – Pediu com lágrimas nos olhos.

 

Hansol suspirou pesado. Ele não podia fazer aquilo.

 

– Eu não posso. – Respondeu com pesar. – Não seria justo com você fazer isso pensando em Yuta.

 

Doyoung afastou-se no mesmo instante ao ouvir o nome daquele que tanto odiava. Era sempre Yuta. Tudo mudou quando aquele maldito japonês havia entrado na vida de Hansol, era o que o Kim acreditava.

 

– Sempre Yuta. – Riu amargurado. – Você mudou tanto por culpa dele. – Praticamente gritou.

 

– Eu gosto dele, Doyoung. – Falou querendo não estender aquele assunto. Aquilo estava saindo do controle. O Kim chorava sem parar e começava a gritar. – Eu não escolhi me apaixonar justamente por ele. Eu não quero vê-los brigando e trocando socos. – Encarou o michê sentindo-se culpado. – As coisas não precisam acabar assim.

 

Doyoung o encarou uma última vez, ainda com o corpo tremendo de raiva e as lágrimas escorrendo sem controle. Até que notou o olhar de pena, de culpa, nos olhos de Hansol. A última coisa que desejava ter visto, era aquilo. Passou pelo Ji em passos rápidos sem olhar para trás. Bateu a porta com raiva, socou a parede próxima querendo descontar parte da sua ira.

 

Hansol ouviu o barulho de algo batendo contra a parede e em seguida de algo indo contra o chão. Escutou quando Doyong gritou de raiva e os sons dos passos indo para longe. Não queria que tivesse terminado daquele jeito. Ele tinha consideração pelo Kim, mas jamais poderia obrigar-se a corresponder aquele sentimento. Respirou fundo e saiu do quarto.

 

(…)

 

– O que foi isso? – Yuta perguntou preocupado ao ouvir o som de uma pancada na parede seguida de um grito.

 

– Doyoung. – Foi a resposta de Yoona. – Hansol foi sincero e esse é o resultado.

 

Yuta pretendia perguntar mais alguma coisa, porém a porta foi aberta pelo Ji.

 

– Como foi a conversa? – Yuri questionou estando deitada junto de Yoona ao lado de Yuta. – Não sinta-se culpado.

 

– Eu espero que ele entenda.

 

(…)

 

YangMi sentia seus olhos arderem, sentia-se traída por Yuta e principalmente por Hansol. Olhava a construção na qual havia visto ambos entrarem enquanto conversavam. Sua mente ainda recusava-se a acreditar que havia visto com os próprios olhos ambos entrarem naquela casa de prostituição. Tentava segurar o soluço com todas as suas forças. Havia saído escondida e estava sozinha. Torcia para ninguém reconhecê-la. As lágrimas desciam enquanto estava escondida naquele beco.

 

(…)

 

Doyoung saiu porta à fora ignorando os chamados da sua mãe. Sua progenitora nem se importava consigo de verdade, estava mais preocupada com os clientes que ficariam esperando.

 

Estava de cabeça quente, precisava sair, precisa acalmar a mente. Andava sem prestar atenção por onde seguia. Queria desaparecer, mas principalmente queria sumir com Yuta. Tudo teria dado certo se o japonês não tivesse aparecido na vida de Hansol.

 

Bufava de raiva, entrou por entre dos milhares becos que haviam naquela parte da cidade. Estava tão cego tanto pela raiva como pelas lágrimas, que só notou que havia uma pessoa na sua frente quando esbarrou contra o corpo magro. Percebeu que se tratava de uma mulher pelo grito da mesma ao cair no chão.

 

Olhou assustado para frente, estendeu a mão para ajudá-la. Pretendia pedir desculpas, porém travou ao reconhecê-la.

 

– YangMi? – Perguntou surpreso. – Tu és a irmã de Hansol.

 

– O que? – Falou nervosamente, não queria ser reconhecida. – Tu estais a confundir.

 

– Eu tenho certeza. É você mesma.

 

– Por favor, não conte a ninguém. – Pediu desesperada. Limpou as lágrimas. – Ninguém pode saber que eu estou aqui.

 

– Eu não vou entregá-la. – Falou tentando tranquilizá-la. – É perigoso andar por aqui sozinha. O que veio fazer aqui?

 

– Você conhece o meu irmão? – Rebateu a pergunta.

 

– Meu nome é Doyoung. – Apresentou-se. – Eu sou um amigo do seu irmão. Pode confiar em mim. – Tentou sorrir.

 

YangMi olhou com atenção o homem a sua frente, ele aparentava estar triste com algo, e seu rosto denunciava o choro recente. Não estavam muito diferentes. Porém a Ji ainda estava desconfiada.

 

– O que me garante que tu és realmente amigo de Hansol?

 

– A cor favorita de Hansol é vermelho. Ele ama morangos. Tinha um cachorro chamado Doku. Ele odeia feijão. – Doyoung sorria ao ver o olhar chocado de YangMi. – Preciso continuar?

 

– Tudo bem, você realmente o conhece. – A Ji admitiu. Tudo o que o Kim havia dito, eram informações que apenas quem conhecesse o mais velho saberia. – Não conte ao Hansol que me viu.

 

– Por que você está aqui? – Questionou curioso. Esquecendo-se por um momento da sua raiva.

 

YangMi mordeu o lábio bastante indecisa. Não sabia se podia confiar em Doyoung. Entretanto sentia raiva do irmão pela mentira.

 

– Eu o segui. – Admitiu recebendo um olhar confuso. – Eu achava que Yuta estava me traindo e pelo visto meu irmão o ajuda. – Riu triste.

 

Doyoung notou naquele momento que teria a oportunidade perfeita de vingar-se. Evitou sorrir maldoso, mas era difícil.

 

– Acredito que tenha muita coisa que não saiba a respeito dos dois.

 

– O que quer dizer com isso?

 

– Vamos para um lugar mais seguro e contarei o que acontece dentro daquela casa.

 

(…)

 

Hansol gemia enquanto sentia os lábios do japonês em seu membro. Lhe chupando com tanto afinco. Estava preste a gozar quando o puxou pelos cabelos, interrompendo os movimentos.

 

– Agora está na hora do seu castigo. – Hansol falou ofegante.

 

Levantou-se da cama, ainda puxando o japonês pelo cabelo. O empurrou em direção a cama.

 

– De quatro. – Ordenou acertando um tapa na bunda alheia. – Agora. – Sua voz era firme.

 

Yuta riu baixinho e ficou na posição ordenada. Empinava a bunda na direção do coreano enquanto apoiava o rosto e os braços no colchão.

 

Esfregou a grande na entrada do Nakamoto ameaçando penetrá-lo, mas sempre afastando-se quando o mais novo forçava o corpo na sua direção. Desferiu um tapa estalado na nádega esquerda, logo repetindo o processo na direita. Acariciou a carne macia com carinho, antes de voltar a dar outros tapas. Yuta gemia a cada tapa.

 

Umedeceu três dedos, penetrando-o de uma vez. Yuta gemeu alto em surpresa, tanto pelo susto como pela dor incomoda inicial. Logo relaxou ao sentir os dígitos movimentassem lentamente em seu interior.

 

– Eu deveria fode-lo a seco por todas as provocações. – Falou enquanto ouvia Yuta gemer.

 

Yuta esforçava-se para manter-se na posição que Hansol havia ordenado, porém era difícil ter força nas pernas com Hansol o penetrando-o de maneira tão deliciosa. Estocando lentamente mas com precisão seu ponto doce.

 

– Já fui bonzinho o suficiente. – Declarou ao retirar os dedos de uma vez.

 

O japonês gemeu descontente sentindo-se vazio, porém logo foi penetrado de uma única vez pelo coreano. Voltou a gemer alto conforme sentia-o mover-se fundo no seu interior. Hansol segurou com firmeza a cintura que tanto amava segurar, começando a estocar com força. Sendo sempre tão bem recebido por aquele interior quente e apertado.

 

Os gemidos altos e manhosos de Yuta, eram músicas para os seus ouvidos enquanto enterrava-se com tudo. Sempre o segurando com força e forçando-se até o fundo. Como havia sentido saudades de momentos como aqueles.

 

Infelizmente não teriam muito tempo, visto que YangMi continuava em cima de Yuta. Levou uma das suas mãos na direção do membro esquecido do japonês, masturbando-o conforme o penetrava com força e rapidez.

 

Continuou naquele vai e vem gostoso, enquanto sentia seu membro ser apertado conforme o orgasmos de Yuta se aproximava. Logo o japonês gemeu alto e gozou. Hansol sentiu ser esmagado de uma maneira deliciosa antes de também gozar e preencher o mais novo com o seu prazer. Jogou-se ao lado de Yuta que estava deitado. Respiravam com dificuldade.

 

– Minha bunda está doendo. – Yuta reclamou.

 

Hansol riu e roubou-lhe um selinho.

 

(…)

 

– O que você queria me contar? – YangMi questionou quando estavam próximo do palácio.

 

– Eu não sei como contar isso, mas acho que você merece saber a verdade. – Deu uma pausa fazendo suspense.

 

– Qual verdade? Que Yuta tem outra e meu irmão o acoberta? – Riu, mas era uma risada triste.

 

– Yuta realmente tem outra pessoa. – Segurou as mãos da Ji. – Porém é quem você menos imagina.

 

– Quem é? – YangMi sentia seus olhos encherem de lágrimas mais uma vez.

 

– Essa pessoa é o Hansol. – Falou sério esperando por alguma resposta.

 

– O que? – Riu desacreditada. – Meu irmão? Isso é impossível. – Volta a rir.

 

– Não, não é impossível. Quando você menos imagina eles estão aos beijos por ai. – Manteve o tom sério. – Eles não sabem disfarçar. – Agora foi a vez de Doyoung rir amargurado. YangMi mantinha o olhar incrédulo em direção ao Kim. – Repare nos pequenos detalhes, na forma que estão sempre a olhar um para o outro.

 

YangMi achava aquilo um absurdo, porém ao parar para pensar, os dois passavam tempo demais juntos. E vagando por suas lembranças, lembrou-se de quando esteve no quarto de Hansol e sentiu o cheiro do perfume de Yuta pelo banheiro. Ainda achava um absurdo, mas começava a ter as suas dúvidas.

 

– Se você não acredita em mim, tudo bem. – Soltou as mãos da Ji. – Fique de olho nas interações entre eles. Repare nos sumiços repentinos.

 

– Tudo bem, eu farei isso mesmo achando um absurdo.

 


Notas Finais


Viram algum erro? Me avisem :)

Esse é o penúltimo capítulo. Teremos o último + Epílogo :)

Participem do meu projetinho pra chegar a 100 fics. 5 palavras e faço uma fic dedicada :') https://spiritfanfics.com/jornais/cinco-palavras-por-favor-10534792

Até :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...