História GN - Querendo Te Encontrar - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Personagens Personagens Originais
Tags Alexandre Nero, Antonero, Gionero, Giovanna Antonelli, Romena, Steloisa
Exibições 388
Palavras 859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


A pedidos estéricos, está ai...
Boa leitura! ;)

Capítulo 37 - O reencontro


- Você tá admitindo isso? pergunta Otaviano. Alexandre respira fundo e acena que sim.

- Eu nunca esqueci ela realmente mas...eu ainda estou muito magoado com ela! Ela me deixou, mentiu pra mim sobre a faculdade e foi embora!

- Mentiu não, ela apenas omitiu! defendeu a amiga.

- Foda-se! Pra mim não tem diferença, dá na mesma! 

- Nero, você conversou com a Giovanna depois de tudo que aconteceu? Depois da separação de vocês e tudo mais!

- Não! Na verdade, quando a Amora me disse que ela tinha voltado eu já iria me casar! Ahh Ota, eu até pensei em procura-la mas...

- Mas...? Fala, Nero!

- Mas não consegui! A mágoa falou mais alto! 

- Bem vindos a minha humilde residência! disse Flávia abrindo a enorme porta da mansão em que morava.

- Obrigado, Flá! Nossa que casa linda!

- Melhor lugar pra se estar depois de um dia de trabalho! disse sorrindo.

- Imagino!

- Bom, vocês fiquem a vontade! A Lucimar irá levar vocês pros quartos que serão de vocês e mais tarde podem se arrumar porque nós vamos jantar, hein? disse Flávia apontando para a empregada que se aproximou dos três.

- Pode deixar, tia! disse Pietro animado.

- Lucimar, leva o Pietro pro quarto onde ele vai ficar e pede ajuda pra você levar as malas lá pra cima, tá bem?

- Sim senhora! disse Lucimar.

- Agora, Gio, vamos nos sentar e fofocar! Tô com tanta saudade do nosso esquadrão das loiras! disse rindo.

As duas se sentaram no sofá da sala de estar.

- É menina, todas nós crescemos, né? Ai já viu, cada um tomou seu rumo, casou, teve filhos e tudo mais! 

A campainha tocou e Flávia mesma foi atender já que Lucimar estava no andar de cima.

- Então quer dizer que você vem pra cá pro Rio e não me conta, dona Giovanna? disse Amora entrando na mansão igual a um furacão.

- Calma, Amorita, queria te fazer uma surpresa, minha deusa! se aproximou de Amora para abraça-la e a loira fez charme.

- Aham sei...-ficaram em silêncio. - Vem cá, me dê um abraço, deusa! disse Amora alegre.

As três se abraçaram e se sentaram no sofá para pôr o papo em dia.

 

MAIS TARDE

- Tá pronta, Gio? disse Flávia entrando no quarto da amiga. Giovana usava um vestido longo rosa claro, simples e elegante e algumas joias. - Nossa, você está deslumbrante, amiga! disse Flávia.

- Você também está linda! Amei esse vestido! disse se referindo ao vestido que ia até o joelho na cor branca que Flávia usava.

- Olha, o Ota tá acabando de se arrumar e já já saímos! E Pietro?

- Tô aqui, tia! disse o menino aparecendo na porta. Ele vestia um jeans e uma camisa branca com uma xadrex por cima.

- Nossa, meu filhote está lindo! disse enchendo o garoto de beijos.

- Mãe, para com isso! disse o menino envergonhado.

- Esses adolescentes são chatos, né? disse Giovanna a Flávia.

- São! as duas riram.

- Flávia! chamou Otaviano do andar de baixo.

- Otaviano tá pronto! Vamos?

- Bora! disse Giovanna.

Os três desceram para o andar de baixo da casa. Amora havia chegado na casa de Flávia e Giovanna e Pietro iriam com ela no carro, já que ela também jantaria com todos.

 

- Boa noite! disse Alexandre ao chegar em casa e ver seus filhos na sala.

- Oi pai! disse Marina.

- E ai pai? disse Noá.

- Cadê a mãe de vocês? perguntou.

- Estou aqui, Nero! disse Fabiula aparecendo na sala.

- Flores para a melhor esposa do mundo! estendeu o buquê de rosas vermelhas para Fabiula que se surpreendeu com o gesto.

- Nossa, Nero, são lindas! disse cheirando o buquê. - Obrigado! disse sorridente.

- E não para por ai, hoje vamos todos jantar fora!

As crianças gritaram "Ebaaa!"

- Alguma comemoração, Nero? perguntou sorridente.

- Sim...-pegou na mão da esposa. - Eu quero comemorar a minha linda família e a minha linda esposa! rodopiou e mulher e lhe roubou um selinho. - Vamos todos nos arrumar, saímos em alguns minutos!

Todos foram se arrumar e já prontos saíram para o restaurante. Coincidentemente, foram para o mesmo em que Giovanna estaria.

 

- E ai, Gio? Tá gostando da comida? perguntou Otaviano.

- Nossa, isso tá uma delícia, né Pi? perguntou ao menino que olhava para Giulia de forma apaixonada.

- É, mãe! respondeu aéreo e Giovanna riu. Otaviano sentindo ciúmes da filha, pigarreou na mesa chamando atenção dos dois.

- Pietro, coma se não esfria! disse Otaviano.

- Sim, senhor! disse Pietro intimidado e Flávia, Giovanna e Amora riram.

 

- Oi, boa noite, fiz uma reserva para hoje a noite! Alexandre Nero! disse Alexandre a recepcionista.

- Sim, senhor Alexandre! Me acompanhe, por favor! 

As crianças foram na frente seguindo a recepcionista e Alexandre foi atrás, de mãos dadas com Fabiula. Eles passaram pela mesa onde estava Giovanna e imediatamente Alexandre e Giovanna se olharam nos olhos. O mundo parou e os corpos congelaram sentindo o mesmo frisson que sentiam quando se viam na época do colégio.
 


Notas Finais


Até a próxima! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...