História Go to sleep - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Tags Creppypasta
Exibições 44
Palavras 738
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Boa leitura.
ps. amo vcs.

Capítulo 11 - Quero cuidar de você



Então o nome dele é offerdman por isso me sinto tão ofendida perto dele."
A mente de Isabel estava um completo caos por dentro, quem eram todas esses "seres" que a visitavam,era totalmente horrivel ser perseguida por monstros todos os dias. Todo santo dia era a mesma coisa: escola, trabalho, casa, "seres malucos" que a atormentavam. A ruiva queria por um fim nisso, mas não haveria como...
Pegou um livro qualquer,o folheou ou seja, tentou aquilo tinha um tipo de fechadura.
Hmmm". Pensou Isabel equanto olhava para aquela fechadura, mas a dúvida que estava rodando sua cabeça era: de quem era aquele livro? E o que demônios estava fazendo ali com ela... Nesse momento lembrou da sua chave. 
Aquela chave que ela tinha ganhado do seu "tio", pegou-a,colocou na fechadura e a girou, o livro emitiu uma luz branca e abriu:
- Veja só... falou Isabel, parece um diario legal vou fuça-lo, a ruiva se animou um pouco pela primeira vez,aquela cidade não estava lhe trazendo nenhuma angustia e nem uma bagunça de sentimentos no cerebro e coração  de Isabel. Vamos ver completou a jovem lendo a primeira folha. 
" Dia 07-10-1716
Hoje é um dia chuvoso, as arvores estão balançando como nunca, e o vento não quer cessar, estou tomando um chá de roseira brava, um otimo chá para se falar a verdade, completo dezenove anos hoje, eu deveria estar feliz mas a vida não me reservou isso, estou virando um terrivel demônio, e isso, não me faz muito feliz, a igreja sabe sobre mim, o padre sabe sobre mim, a mulher que eu amo sente nojo de mim...Que seja eu não deveria ter caído nas tentações daquele malandro sem alma, em falar em alma, será que eu tenho uma ou será que ele roubou de mim?, será que até os meus pensamentos mais profundos ele vai roubar de mim? Que seja... já estou arruinado mesmo.
Eu deverei de parar de escrever agora, batem na porta da minha casa, arrancam meu sussego, preenchem inteiramente o meu ser com o desejo de matar, eu tenho muitas pinturas antigas da minha familia aqui, e se eles por acaso a derrubarem vão se ver comigo.
Com licença meu caro diario, tenho pendecias a resolver." 
Isabel leu em voz alta e ficou curiosa,e também apaixonada pela letra daquele ser.
"Adoro letra cursiva." esbransvejou a moça e agarrou o livro que agora percebera agora que era um diario. Ela daria um de seus doces para quem desvendace aquele diario, tentou ler outra página mais o dário não abria de maneira alguma, então ela simplismente, deixou o "poderoso" livro de lado,e olhou seu celular.
550 mensagens de um certo August.
"Oh meu Deus."falou  Isabel pondo uma das maos na boca, preocupada varias ligações do senhor August mais que coisa...
Ligou para o amigo, que atendeu:
- Oi Gus...
- Isabel POR QUE VOCÊ NÃO ME ATENDEU MENINA FIQUEI PREOCUPADO? falava ou gritava August do outro lado da linha, 
- eu estive doente Gus... 
- eu sei que você estava doente, sua mãe me disse. puts Isabel sou melhor amigo...
- eu sei gus eu sei.. vem aqui em casa, para conversarmos 
eu estive doente Gus... 
- eu sei que você estava doente, sua mãe me disse. puts Isabel sou melhor amigo...
- eu sei gus eu sei.. vem aqui em casa, para conversarmos melhor.
- tudo bem,bebel eu ja estou indo.
- ok gus não demora. thau 
- thau.
Ambos desligaram os celulares, e a ruiva correu para o banheiro, fazer uma pequena e longa hiegiene...
depois de 45 minutos, estava Isabel, tomada banho, com o cabelo arrumado, roupa limpa, mais ela sentia falta de suas sardas, aquelas olheiras estavam a deixando estranha... 
Foi para a sala encontrar o amigo que ainda não havia chegado, sentou se no sofá, depois de 2 minutos uma criatura alegre dos cabelos loiros havia entrado, ... pulava em cima de Isabel.
-Bebel, que saudade,....
- Gus, como você entrou?
-Você me deu uma chave bobinha.
-ou sim..
Os dois olharam um no olho do outro, juntaram os labios rapidamente, e depois não quiseram parar de um simples selinho, passou a ser uma batalha de linguas....
- Eu amo você bebel, quero cuidar de você.
-Gus...
Os dois nao paravam por nada, nem a falta de ar impedia aqueles dois.
-Isabel você esta aqui? chamava a mãe de Isabel. Oh meu Deus....
-mamae.
-oi tia...
-explique-se ana isabel
 


Notas Finais


obg
de nada
beijos de luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...