História Gods and Monsters - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~uaipamela

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Itaizu, Naruhina, Naruto, Sakura, Sakura Haruno, Sasuke, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Exibições 277
Palavras 3.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Alô, alô! Graças a Deus!
Gente, agradecemos muito pelos comentários! Vocês são fodas!
Espero que gostem!
Boa leitura :)

Capítulo 4 - Capítulo IV - Uma Novela dos Anos 70.


— O que você está fazendo aqui? — perguntou pasma.
      — Eu fui até o penhasco e achei isso — ele disse mostrando os óculos em formato de coração que Sakura jurava ter perdido. — Achei que você gostaria de tê-los de volta — inquiriu se aproximando e sentando-se ao lado da jovem. Sasuke pegou o pulso machucado e levou-o para perto de seu rosto, depositando seus lábios no mesmo e limpando qualquer resquício de sangue que pudesse haver ali. — Não faça mais isso — pediu soltando o pulso e pegando a lâmina no chão, jogando-a no lixo. — Precisamos achar formas legais de morrer, não esses clichês.
      Sakura riu e encostou sua cabeça na parede. Percebeu que o aparelho de som que havia ligado quando chegou no quarto tocava Take On Me, do A-ha. Ela fechou os olhos ignorando a ardência de seu pulso e começou a rir, recebendo um olhar curioso de Sasuke.
      — É como uma novela dos anos 70 — ela comentou vendo a dúvida no olhar do moreno aumentar. — Tan tan tan tan tan tan tan, tan tan tan tan tan tan — cantou fazendo a mesma dança desengonçada que havia feito no carro, vendo que Sasuke finalmente havia entendido sua referência e começado a rir também. — Oh the things that you say, is it life or just to play my worries away? — cantou movendo sua cabeça de um lado para o outro. — You're all the things I've got to remember, you're shying away. I'll be coming for you anyway! — cantou levantando-se e passando a mover seu corpo de forma ainda mais desengonçada, encarando Sasuke, que ria sentado e fazia gestos para que ela continuasse a dançar.
      — Take on me! Take me on! — cantaram juntos enquanto Sakura rodava pelo banheiro sem se importar com a presença do pai. — I'll be gooooooone in a day or twoooooooooooo! 
      A rosada caiu de joelhos no chão e deixou seu tronco cair, deitando-se no chão ofegante. Olhou para Sasuke, que a fitava sorrindo. 
      — Obrigada por fazer parte da minha primeira novela — ela agradeceu fitando o teto.
      — Acho que nós daríamos um bom cover do A-ha — ele comentou levantando-se e caminhando até ela, estendendo sua mão e levantando-a. 
      — Com certeza — inquiriu sorrindo ainda ofegante enquanto caminhou até o quarto e deitou-se na cama fitando o teto. — Entrou pela janela?
      — Sim, você deixou aberta — ele disse indo até o tapete próximo a cama e sentando-se nele. — Tenho certeza que foi para que eu pudesse entrar — disse convencido vendo Sakura levantar seu tronco e sentar-se na cama. 
      — Como você consegue ser tão convencido? — ela perguntou sorrindo. — Ouviu alguma coisa? 
      — Ouvi tudo, seu pai é um merda. Você deveria colocar umas roupas na mochila e montar no meu impala...
      — Meu Deus, Sasuke — ela riu levando as mãos até seu rosto e caindo deitada novamente. — Bom, não me parece ser algo tão ruim assim — comentou mais com si mesma do que com o rapaz.
      — E por que não faz? — ele perguntou sério.
      — Talvez eu seja covarde demais para isso.
      — Sakura? Com quem está conversando? — perguntou seu pai tentando abrir a porta trancada. 
      — Com James e Dean, meus amigos imaginários — ela respondeu sem dar muita importância, permanecendo deitada. 
      — Abra a porta! 
      — Eu estou pelada! 
      — Eu só queria avisar que irei para Yumi amanhã de manhã e passarei alguns dias lá para ajudá-la com a empacotação das coisas.
      — Ok — respondeu simplesmente, ouvindo os passos de seu pai se afastando. — Já sentiu como se tudo o que você precisasse é sair de um lugar em que você não pertence? — perguntou sentando-se novamente e encarando Sasuke.
      — Todos os dias — ele respondeu sereno. 
      — E o quê você faz quando se sente assim? 
      — Eu fujo.
      — Foge como? Você entra no seu carro e sai por aí? 
      — Exatamente.
      — Em busca do quê? 
      — Da onde eu pertenço.
      — Já achou esse lugar? — perguntou ela cruzando as pernas em posição de índio.
      — Não. Talvez, eu não pertença a lugar nenhum.
      — Por que?
      — Porque eu sou um fugitivo — ele respondeu sorrindo. — Sempre que eu acho algum comodismo ou monotonia eu fujo. Talvez eu não pertença a lugar algum porque prender-se a um lugar só, para mim, é um sinal de comodismo. 
      — Então você pertence ao mundo? — ela perguntou vendo ele estender sua mão até a mochila escolar e tirar de lá um caderno de desenho e o estojo de Sakura. 
      — Não, ao universo — ele respondeu olhando-a e começando a traçar algo na folha branca. 
      — O que você está fazendo? — perguntou levando seu tronco para frente tentando visualizar a folha.
      — Fique quieta — ele disse sem olhá-la enquanto continuava desenhando.
      Ao olhar para Sakura, Sasuke pôde ver a feição emburrada da jovem ao ouvir a resposta que ele havia dado. Ele sorriu levemente e continuou o que fazia, passando o grafite da lapiseira pelo papel e esfumando com os dedos. A rosada o fitava com curiosidade e ansiedade, querendo desvendar o que ele escondia. Ela levou o corpo ainda mais para frente, o que a fez cair em um estrondo e Sasuke a olhar assustado.
      — Garota, você é maluca? — ele perguntou vendo-a sentar-se junto a ele no chão.
      — Eu quero ver! — inquiriu ignorando a dor em seu joelho.
      — A curiosidade matou o gato — ele disse levantando o caderno e batendo com o mesmo de leve na cabeça da jovem. — Você nasceu prematura por um acaso?
      — Não — respondeu emburrada. — Meu caderno, meu quarto, minhas regras — ela disse levando sua mão até o caderno e tentando puxá-lo. 
      — Meu desenho, minha ideia, minhas regras — ele disse erguendo o caderno e rindo do tamanho esforço que ela fazia para pegá-lo. — Por que ao invés de me encher o saco você não vai até o rádio e pula essa música? 
      — Porque eu gosto dela! Me dê esse caderno! — ela disse indo para cima dele novamente e conseguindo segurar o caderno. — Solta!
      Sasuke a fitou com um olhar tedioso e levou sua mão livre para a barriga da jovem, fazendo cócegas de modo que ela desistisse de puxar o caderno e se deitasse no chão.
      — Para seu maluco! — inquiriu enquanto ria, agradecendo pela musica estar alta, o que impediria seu pai de ouvir algo. 
      — Promete que vai ficar quietinha — ele disse olhando-a enquanto prendia suas mãos.
      — Eu vou ficar quieta — ela disse segurando o riso. 
      — Jura? — perguntou arqueando a sobrancelha.
      — Não. 
      — Você é muito má, suicide girl — ele disse levando as mãos da jovem para cima de sua cabeça e prendendo-as com apenas uma mão. — Vai ser castigada por isso.
      — Está me ameaçando, Uchiha?
      — Eu não ameaço, eu aviso — ele disse sentando-se em cima do quadril dela, de modo que ela não conseguisse usar suas pernas para se defender. — Garotas más merecem castigos.
      — Eu não sou má, talvez só um pouquinho — ela disse tentando se soltar.
      — Então, eu lhe darei uma lição — ele disse descendo seu tronco e roçando seu nariz no dela. — Porque se tem uma coisa que eu gosto, são as garotas um pouquinho malvadas — ele disse sorrindo fazendo com que seu hálito quente batesse contra a pele de Sakura. 
      Antes que ela pudesse responder, os lábios úmidos e finos de Sasuke já estavam sobre os seus. Quem diria que a garota que havia prometido nunca mais se envolver com alguém estaria beijando Sasuke Uchiha e gostando disso. 
      O moreno era totalmente diferente de Sasori. Sasuke fazia coisas, Sasori dizia coisas. 
      Sasuke moveu seu corpo para trás e agora estava entre as pernas de Sakura. Ele soltou as mãos da jovem e sentiu elas irem até seu pescoço, puxando-o para mais perto em busca de mais contato. Ele descolou os lábios dos dela e a encarou com seu clássico sorriso cínico, ameaçando levantar seu corpo. 
      — Acho que eu ainda não aprendi — ele a ouviu dizer e sorriu mais ainda, perdendo o controle.
      Sasuke desceu seu corpo novamente e, dessa vez, tomou os lábios da rosada com desejo. Não era bruto, nem carinhoso, era Sasuke Uchiha. Sua língua explorava a boca da jovem com maestria e, vez ou outra, ele mordia-lhe o lábio inferior, tirando suspiros da morena, que não sabia o que fazer a não ser puxá-lo para mais perto.
      Ao cair em si, Sasuke levantou-se levemente e fechou os olhos respirando fundo. Abriu-os e encontrou os olhos de Sakura cheios de questionamentos.
      — Acho melhor nós pararmos — ele disse ameaçando levantar-se mas sendo prendido pelas pernas da jovem em sua cintura.
      — Por que? — ela perguntou confusa, notando que ele evitava a olhar nos olhos.
      — Você não vai querer se envolver com alguém como eu, rosada — ele disse forçando-se para cima e levantando-se, sendo seguido por ela.
      — Você é legal, porque eu não me envolveria com você? 
      — É — ele riu sem mostrar os dentes e a fitou. — Eu sou demais, não sou? — perguntou.
      — Convencido do caralho! — ela disse empurrando-o de cima dela. — Você acabou com o clima, Sasuke!
      — Perdoe-me, mas minhas costas e meus braços já estavam doendo de tanto ficar por cima — ele disse vendo-a ficar ainda mais irritada, alcançando seu objetivo.
      — Sai do meu quarto, Sasuke! — ela disse indo em direção a janela e apontando para o lado de fora. 
      — Tá bom, tá bom — ele disse indo até ela. — Deita lá de novo — inquiriu apontando para o chão.
      — Vai se foder! — disse Sakura pegando seu travesseiro e batendo com o mesmo no rosto de Sasuke. — Sai daqui!
      — A gente vai tentar se matar amanhã... hoje? — ele perguntou indo até a janela. 
      — Eu vou te matar hoje! — disse ela batendo com o travesseiro novamente.
      — Nem se matar você consegue, Sakura! Vai dormir, vai! — inquiriu ele rindo da irritação da jovem. — Seu pai vai estar fora amanhã, eu passo aqui mais cedo e a gente tenta se matar — disse e saiu pela janela.

oOoOoO

Naruto caminhava lentamente enquanto apreciava Rammstein em seus fones de ouvido. Chegou no colégio com um péssimo humor e foi até a biblioteca, evitando contato com qualquer um dos alunos. 
      — Bom dia, Naruto! — ouviu a bibliotecária dizer e a respondeu com um sorriso, indo até uma das mesas redondas, deixando sua mochila lá e dirigindo-se até as prateleiras repletas de livros. 
      Mentes Perigosas ou O Silêncio dos Inocentes? Pensava enquanto fitava a capa dos dois livros. De repente, ambos os objetos estavam no chão e Naruto podia ouvir o riso das duas pessoas a sua frente.
     — Toma cuidado, emo! — disse Sasori trombando com ele e fazendo-o derrubar mais alguns volumes enquanto passava com Shion, que chutou os livros para longe do garoto. 
      Já estava demorando. Pensou enquanto se abaixava para recolher os livros espalhados. Inerte em seus pensamentos e com os fones de ouvido, não notou quando uma pequena mão estendeu um dos livros caídos para ele e esperou que ele a notasse.
      — Acho que você deixou isso cair — ela disse chamando a atenção do rapaz, que a olhou surpreso. A bela jovem tinha cabelos longos e escuros, olhos perolados impressionantes e um lindo sorriso. Por que diabos ela havia ido falar com ele? — Você já o leu?
      Ainda surpreso, Naruto olhou para trás, procurando o alguém com quem a garota conversava. Vendo que não havia ninguém atrás de si, ele voltou seu olhar para a jovem e a fitou com curiosidade. 
      — Estou pensando em ler — respondeu rapidamente desviando seu olhar do dela e voltando a colocar os livros na prateleira. 
      — É muito bom! Você gosta de suspense? — ela perguntou deixando-o ainda mais confuso.
      Será que ela não sabia que ele era Naruto Uzumaki, o nerd azarado que sempre caía nas idiotices de Sasori? 
      — Gosto — disse seco, tentando fazer com que ela fosse embora e ele voltasse ao seu conforto solitário.
      — Então leia, é um dos melhores que eu já li — ela disse animada. — Tem um filme, com a Jodie Foster e o Anthony Hopkins — dizia quando foi cortada.
      — Eu já assisti.
      — É muito bom, não é? — perguntou sem graça. — São três filmes, se eu não me engano...
      — Não, são quatro filmes, sobre Hannibal — ele corrigiu pegando o livro da mão da garota. — Esse é apenas um complemento da história. Eu já assisti todos.
      — Eu não, mas irei — ela disse voltando com sua animação. — Você poderia me passar o nome deles? — pediu retirando um bloco de notas e uma caneta da bolsa.
      — Hannibal Rising, Dragão Vermelho, O Silencio dos Inocentes e Hannibal — ele disse lentamente, esperando a garota anotar.
      — Obrigada...
      — Naruto Uzumaki.
      — Obrigada Naruto! Quando eu terminar de vê-los, venho até aqui comentá-los com você! — ela disse e saiu rumo a porta da biblioteca. — Ah, eu sou Hinata Hyuuga! — disse alto se virando e saindo.

      Sakura já estava na escola, tendo sua tediosa aula de Inglês junto de Sai. Ele a obrigou a detalhar tudo o que aconteceu após a noite em que ele a deixou sozinha com Sasuke e ficou extremamente feliz ao ver que a amiga estava, de certa forma, bem. 
      O olhar dos dois foi parar na adolescente perdida que bateu na porta e recebeu um olhar curioso do professor, que parou de escrever o conteúdo na lousa e caminhou até ela lentamente. 
      — Alunos — ele chamou a atenção de todos após trocar algumas palavras com a garota. —, essa é Hinata Hyuuga, nossa nova estudante. Sente-se.
      O olhar perdido de Hinata passou por toda a sala e encontrou uma cadeira vazia ao lado de Sai. Ela caminhou em passos rápidos e sentou-se, sentindo-se envergonhada com os olhares dirigidos a ela.
      — Olá — disse olhando para Shion, que estava a sua frente. — Eu sou Hinata! — inquiriu estendendo sua mão e esperando um cumprimento da garota que não o fez.
      — Eu não me importo — disse Shion virando-se para frente.
      — Não liga pra ela, é uma vadia — disse Sai ao sentir pena do olhar perdido lançado por Hinata. — Sou Sai, essa é a minha amiga, Sakura Haruno — ele disse estendendo sua mão e cumprimentando-a.
      A aula passou lentamente. Hinata já havia se socializado com Sai e Sakura e sentia-se feliz por isso. No final, eles foram juntos até a saída e Sakura surpreendeu-se ao ver Sasuke Uchiha encostado em seu Impala e fumando seu Marlboro enquanto sorria olhando para ela. 
      — O que você está fazendo aqui? 
      — Eu disse que te pegaria mais cedo — ele disse óbvio jogando a bituca do cigarro no chão.
      — Me desculpe atrapalhar, mas você poderia me passar o horário completo? — perguntou Hinata receosa olhando para Sakura, que pegou seu caderno e começou a anotar o horário — Olá, eu sou Hinata Hyuuga! — ela disse estendendo sua mão para Sasuke.
      — Sasuke Uchiha — ele disse estendendo sua mão e cumprimentando a garota. — Já está com uma amiga nova, isso é ótimo, boneca — ele disse sorrindo.
      — Cale a boca, Sasuke — ela disse entregando o papel para Hinata, que se despediu e foi em direção ao ponto de ônibus. 
      — Vamos comer alguma coisa — disse Sasuke abrindo a porta do carro.
      — Não posso deixar Sai sozinho.
      — Ele pode vir junto, um amigo meu vai estar lá também — disse ele entrando no carro e dando partida.
      — Vamos? — perguntou ela para Sai.
      — O seu amigo é bonito e todo tatuado igual a você? — perguntou Sai entrando na carro.
      — Sim. Bonito, tatuado... e hétero — disse Sasuke rindo sarcástico.
      — Pare o carro que eu vou descer — disse Sai frustrado.
      Eles chegaram na Disco Music e caminharam até uma das mesas, onde Deidara esperava Sasuke com duas garrafas de cerveja. 
      — Deidara — cumprimentou Sasuke sentando-se na mesa. — Esses são Sakura e Sai.
      — Olá — ele disse sorrindo de forma gentil.
      Os jovens sentaram-se na mesa e fizeram seus pedidos. Sai já havia começado sua missão impossível e estava cantando Deidara de todas as formas possíveis, o que fazia Sakura e Sasuke ficarem por fora. 
      — Acho que estamos sobrando — disse a rosada pegando um jornal em cima da mesa. — "O Assassino Ghoul Ataca Novamente" — leu como se fosse uma locutora. — O último caso do bairro Ghoul foi há uns três meses, ainda não acharam esse cara? — ela perguntou olhando para Sasuke, que tomava um gole de sua cerveja. 
      — A polícia daqui não prende nem um cara que rouba uma bala — ele disse.
      — "Na noite passada, Joanne Miller, uma jovem de dezessete anos, foi encontrada morta em um beco no bairro Ghoul. Segundo a polícia, os indícios de que o Assassino Ghoul teria voltado são de extrema força, uma vez que as táticas usadas no assassinato são extremamente semelhantes às táticas usadas quando Luke Huston foi encontrado morto junto a mais três vítimas, também no bairro Ghoul." — ela leu observando a foto de Joanne. — Ela era muito bonita. Isso é muito estranho, por que ele para os assassinatos por três meses e volta?
     — Talvez ele estava melhorando as táticas — comentou Sasuke. — Não dê importância a isso, logo eles o acham. 
      — Você mesmo disse que a polícia daqui não vale nada... será que nós não deveríamos fazer algo?
      — Fazer o quê, boneca? — ele perguntou rindo. — Brincar de Scooby-Doo e procurar o monstro? Esqueça isso. Além do mais, sempre há um motivo para um assassinato.
      — Eu não o faria por motivo algum — ela disse tomando um gole do suco de laranja que havia pedido.
      — Nem por Sasori? — ele perguntou arqueando a sobrancelha. 
      — Fruta podre cai sozinha — ela disse indiferente. 
      — Mas a gente pode pisar em cima depois — disse ele sorrindo. — Ditos populares não vão mudar o que ele fez com você.
      — Matá-lo também não — inquiriu bebendo o suco.
      Sasuke riu e cortou o assunto por ali. Os quatro passaram a tarde toda na Disco Music e foram para a casa quando já estava anoitecendo. Sai havia pedido, sem o mínimo pudor, que Deidara o levasse para casa, e ele não negou. 
      — Acha que vai rolar alguma coisa entre eles? — perguntou Sakura quando entrou no carro.
      — Deidara gosta de mulheres.
      — Sai já ouviu isso de muitos caras, depois de cinco minutos eles transavam — disse rindo.
      — Não acho que Deidara vai cair nos encantos de Sai — disse Sasuke. 
      — Que tal uma aposta? 
      — O que eu vou ganhar com isso? — perguntou arqueando a sobrancelha.
      — Se eu perder você escolhe o prêmio e vice versa.
      — Ok, se você perder você vai ter que dançar sensualmente pra mim — ele disse vendo-a ficar com o rosto avermelhado. — Não se garante?
      — Claro que sim. Se você perder você vai dançar sensualmente pra mim! — inquiriu arqueando a sobrancelha também e ajeitando-se no banco.
      — Escolha uma música pra você dançar.
      — Escolha você!
      — Bom... você irá dançar... Whole Lottla Love! Conhece? Led Zeppelin? 
      — A banda sim, a música não — ela disse vendo-o ligar o rádio e colocar um pendrive.
      — Shh — levou seu dedo indicador até a boca e ela começou a prestar atenção na melodia.
      A música que tocava lembrava Sakura de algo grunge. Bem anos 80, mas aparentemente a banda era nova. Bateria, baixo em sincronia... tudo perfeitamente. Era sexy, fazia o estilo de Sasuke, principalmente quando o vocalista começou a cantar.
      Sasuke deixou Sakura em sua casa e foi em direção a seu apartamento. As ruas estavam escuras e vazias e, vez ou outra, ele via as garotas de programa acenando para os carros que passavam. Ele desceu do carro e andou em direção ao prédio, apelidado de Galeria pela rosada, e parou ao ouvir um gemido de socorro num beco do outro lado da rua. Sem pensar duas vezes, atravessou a mesma e entrou no beco escuro, iluminado apenas pela pouca luz do poste e pela lua.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado!
Alguma sugestão do que vai acontecer e do que o Sasuke vai encontrar no beco?????????????
Comentem e favoritem por favor <3
Link de Take On Me: https://www.youtube.com/watch?v=djV11Xbc914
Link de Whole Lotta Love (não da versão original, porque prefiro essa): https://www.youtube.com/watch?v=t3eVSnZZGl8
Beijos, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...