História Golden Eyes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Chris Argent, Derek Hale, Hayden Romero, Isaac Lahey, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski
Tags Caçadores, leão, Lobo, Luta, Romance, Scira, Stalia
Exibições 49
Palavras 2.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


A história não vai se passar em nenhuma temporada certa meio que vai ser a junção de todas.
Essa fanfic e meio que uma homenagem para o fim de Teen Wolf.
Vai se passar no último ano do ensino médio...
Provavelmente terá segunda temporada de certeza já tenho até ela planejada...
Não quero que termine não quero mesmo 😢😢😢 mas tudo bem o que podemos fazer espero que gostem dela... Foi feita com todo amor e carinho.

Os capítulos vão demorar um pouco mais que o normal pois seria longos e mais detalhados...

Se forem criticar por favor que seja críticas construtivas...

Capítulo 1 - New Beginning


Fanfic / Fanfiction Golden Eyes - Capítulo 1 - New Beginning

Tudo bem você mudar de cidade com seus pais mais agora tem que ir morar com sua tia pois seus pais resolveram ajudar a Ásia é totalmente diferente. Mas eu aceitei, na verdade não tive outra escolha ou era isso ou colégio interno. Na verdade eu não me importo mais com isso, tudo o que eles fazem virou rotina. Talvez agora eu tenha uma moradia fixa. 

Estava em um carro as uns trinta minutos com minha tia dirigindo, eu olhava para as árvores e a rua passando rapidamente enquanto escutava The Reason
Suspiro com o refrão e olho para minha tia, ela era muito parecida com meu pai.  Seus cabelos meios castanhos presos em um coque bem feito seus olhos azuis acinzentado e seu belo corpo ela era uma das mais linda mulher que eu já tinha visto. 

Acho que dá minha família sou a única a sair com traços mais “simples”, até a minha mãe e perfeita. Meus olhos castanhos tão escuros como a noite, cabelos que não se decide que cor que quer, algumas mecha loiras naturais. Sou comum, apenas não me encaixo nos requisitos ‘Vantores

-Ei, Bruna  chegamos – Louise, minha tia me cutuca – Bem vinda a Beacon Hills 

Olho para fora parecia uma cidade pacata de fim de mundo onde nada acontecia e ninguém sabia o que era um IPhone ou WiFi. Ou que quando alguém tossia metade da cidade já estava comentando e acrescentando algumas coisa para a difamação. 

A casa não era uma mansão, mais era grande, o branco de sua pintura ajudava a deixa lá maior por fora, seus dois andares há deixavam um charme. Eu tinha gostado dali, pedia para não me arrepender. Entro na casa, vamos dizer para casa de uma ‘Vantores’ era pequena, já que minha família adorava esbanjar dinheiro. 

-Você vai gostar daqui – minha tia diz – Vem vou mostrar seu quarto pode fazer o que quiser com ele. 

Ela me mostra um quarto simples que continha uma cama Box de casal , um grande guarda roupa, que com certeza sobraria muito espaço e uma mesa de estudos. 

-O banheiro e no final do corredor sei que está acostumada com uma suíte mais é isso que posso oferecer agora – ela olha para o chão meia envergonhada. Para uma mulher solteira de quase trinta anos, ela era como uma adolescente não por suas atitude e aparência mas sim por sua essência. 

-Obrigado Louise – digo olhando para ela – Obrigado por me acolher na sua casa – minha voz sai um pouco rouca  pós não falava direito a dois dias, dois fatídico dias que meu pai resolveu dar uma de protetor e relembrar como se luta. Com os treinos eu fiquei chateado com eles por não aproveitar aquele curto tempo então fiquei sem falar com os mesmo. 

-Tudo bem Bruna – ela sorri – Você é a junção perfeita da família Vantores e Gortez – me abraçar – As aulas começam na terça por conta das férias e bem vinda ao último ano do colegial 

-Um ano para a faculdade de biologia – digo sentando na cama, não via a hora de ver o grande gramado do campus da universidade da Austrália. 

-Como Austin te disse trabalho no hospital fico na recepção e meu turno e na maioria das vezes a noite, meio que ajudo também as enfermeiras lá – ela senta ao meu lado – Não se importa de ficar sozinha a noite né? – nego – Que bom então é.... boa noite minha querida – ela tinha cursado medicina para trabalhar como recepcionista dos hospitais e uns bicos de enfermeira. Juro as vezes não intendo a minha família, mas também não quero entender. 

-Boa noite Louise 

Quando ela sai vou até as quatro malas enormes que tinha ali e começo a arrumar minhas coisas em seu devido lugar. 

Não era muita coisa a maioria roupas que com o perfeccionismo da minha mãe já estavam prontas para ir direto para o guarda roupa. 

Pego alguns produtos de higiene pessoal e levo até o banheiro vejo uma parte vazia deveria ser ali que Louise deixou vago para colocar minhas coisas e é isso que faço. 

Não demorou mais que quarenta minutos para estar tudo pronto e deito em minhas camas com meu coberto de bolinhas e olho para o teto branco. Lembro que tenho que mandar uma mensagem para meu pais . 

“Cheguei bem, não teve nada de incomum e não sei o por quê dessa super proteção comigo e medo de eu vim para cá, tudo bem que não queria mais aqui e bem normal para meu gosto. A casa é perfeita sem a excentricidade dos Vantores, perfeita. Aulas começam terça. Acho que é isso boa noite amo vocês”

Aperto em enviar e coloco meu celular de lado abraço meu travesseiro e durmo. 

Os dias até o começo das aulas foram normais. Era comer, Netflix e cama. Via Louise bem pouco por conta do trabalho dela. Não me importava, maior parte da minha vida meus pais não estavam em casa, não que eles não me dessem atenção, mesmo com tudo isso nunca me senti sozinha. Toda minha família estava ali sempre quando eu precisei, o que quer dizer que nunca precisei sou pacífica de mais para o gosto do meu avô. 

                                   ... 

Acordo com o toque do meu despertador, desligo e  fico olhando novamente para o teto branco precisava fazer algum desenho ali. 

Levanto e sinto minha barriga doer um pouco por conta do botão da calça jeans, e agora que percebi, dormi com a calça jeans. 

Vou para o banheiro com minha toalha em mão e ligo o chuveiro e deixo a água esquentar enquanto escovo os dentes. 

Depois do banho coloco uma roupa qualquer é desço tomar café hoje seria um dia chato por conta do tempo nublado e também as aulas começa hoje. 

Pego minha mochila em meu quarto que tinha esquecido e deixo na sala vejo Louise na cozinha tomando café e lendo jornal. 

-Parece meu pai assim – digo pegando uma maçã e mordedor ela 

-Austin me passou alguns vícios – ela diz – Boa aula 

-Obrigada e já vou indo se não perco o ônibus – sai dali mais volto – Aonde que é o ponto? – ela sorri e aponta pela janela aonde tinha mais duas pessoas – Obrigada 

Vou até lá e fico esperando o grande ônibus amarelo passar, quando ele chegou vejo que éramos uns dos últimos, sento atrás de dois garotos. Um tinha o queixo torto e o outro estava com o cabelo bagunçado, eram bem bonitos 

-Descobriu o por que do Lahey ter voltado? – o garoto com o cabelo arrepiado fala – Fora ele a Kira também volto 

-Não tem nada de errado nos dois voltarem para cá eles meio que viveram suas maiores experiência aqui – o de queixo torto fala – Vamos esperar Stiles e ver do que o destino nos reserva para agora. 

O tal Stiles cruza os braços em sinal de rendição e começam a cochichar e nem presto mais atenção, pois tinha colocado meus fones e logo Blink-182 começa a tocar até chegar no colégio. 

Como sempre era um grande complexo cheio de jovens preguiçosos e que andavam parecendo zumbis. Suspiro e entro naquele grande lugar, tinha uma grande placa fixada no chão escrita Beacon Hill High School, isso é tão típico. 

Procura a secretária ou algo parecido precisa da chave e número do meu armário fora as aulas. Vejo uma garota magra e alta usando óculos atrás de uma grande bancada de madeira. 

Nossa conversa não passa de sete minutos, sim, eu avia contado. Gosto de contar, vício que peguei  mãe, ela e seus vícios estranhos. 

Além das aulas rotineiros ela me deu uma folha escrita as aulas extras curriculares. Tinha o Clube do Xadrez, Jornal e ajudante no time de Lacrosse . 

Que porcaria era Lacrosse, não tinha futebol ou qualquer outra coisa mais conhecida. Tudo bem que eu poderia entra no xadrez ou no jornal mas são coisa tão chatas para uma pessoa que já é chata, fora que minha mãe me obrigou a fazer exercícios físicos quando viesse para cá. Então era isso que eu iria fazer, era um tipo de exercício que não precisava fazer exercícios, acho que eu me embaralhei. 

Suspiro com o barulho do sinal e vou a procura do meu armário. 

-309, 310 – paro no 311 e vejo que tem um garoto loiro encostado no meu armário que seria o 315, ele era bonito mais auto que eu cabelos ondulados loiros olhos azuis e boca bem rosada.

Admitido olhei para sua boca ela me chamou a atenção, me chamou a atenção até de mais para meu gosto. 

Mas ele não estava sozinho tinha uma garota ruiva com ele e o garoto de queixo torto também estava ali. 

-Com licença – digo para todos ali chamando a atenção dos tais – Você – aponto para o loiro – Está no meu armário poderia afastar só um pouco por favor? – digo e ele me olha dos pés a cabeça e sai dali sem nem falar nada ou olhar – Mau educado 

-Desculpa por ele ser assim – a ruiva me diz -Prazer Lydia Martin – ela estende a mão para mim. Lydia era uma ruiva da minha altura que com certeza gostava de estar na moda e parecia uma bela patricinha, não deveria julgar, mais se ela fosse uma patricinha legal eu até gostaria de ser amiga dela 

-Bruna Gortez Vantores – digo e ela levanta as sobrancelha 

-Sobrenome diferente – ela fala e suspende seu peso para sua outra perna – Mas adorei agora vamos ser amigas – ela encaixa seu braço no meu e começa a me puxar, estranho aquilo – Vai para que aula agora? – procuro o outro garoto mais ele tinha sumido em um passe de mágica ou talvez tenha usado as pernas. 

-Na verdade eu não sei direito – puxo o papel do bolso do meu moletom e abro ele, que está amassado – Química – bem amassado devo dizer. 

-Adoro química – a ruiva fala e eu a olho espantada com a revelação – Vou te apresentar as outra meninas 

Quando entro na aula de química sento uma carteira longe da Martin e pego meu caderno que tinha mais desenho do que letras.

Os desenhos que apenas eu entendia pois sou péssima nisso, apenas tento fazer o “B” do meu nome ficar mais bonito. 

A apresentação para a turma normal como sempre só meu sobrenome que era meio estranho, está bem ele é muito estranho mais vai intender. 
                                                 ...  

Após algumas horas incontáveis estava na frente do meu armário colando meu horário na porta com algumas figurinhas do Bob Esponja e arrumando meus livros ali dentro. 

Pego o papel com as atividades extra curriculares e penso bem. Vai tem que ser Lacrosse mesmo, suspiro e sigo até o treinador que supostamente seria também meu professo de economia. Ainda não tive essa aula mais eu pedi informações. 

Está parada na porta de madeira olhando para ela e tomando coragem para bater, sentia meus estômago dar voltas. Bato algumas vezes e escuto um “Entre”

-Bom dia senhor Finstonk – ele me olha de cima a baixo, parecia me analisar bem – Sou Bruna Gortez Vantores 

-Que sobrenome em, não tinha um melhor não – ele fala – Mas o que você quer? 

-Vim me candidatar a ajudante do time de Lacrosse – digo parando em sua frente 

O que eu menos esperava aconteceu ele começou a rir, tipo rir mesmo até vi uma lágrima escorrer e eu dou uma risada também mais ele para subitamente. 

-Você só pode estar brincando – nego e então ele pega um papel e coloca em cima da mesa – Assine aqui e bem vida garota com nome estranho ao time 

-Mas não tem outros candidatos – digo pegando uma caneta e assinado meu nome é olho em redor procurando mais voluntários 

-Ninguém é idiota o bastante para aceitar fazer isso – ele diz sorrindo – Agora eu mando e você obedece – faço uma careta – Tem jogo no sábado então você vai ficar até depois da aula na sexta e no sábado quero você cedo aqui 

-Mas... 

-Já chega – ele puxa a folha e olha – Trago uma surpresa para você amanhã Vantores 

-Então eu vou indo. 

-Já vai tarde – arrumo minha mochila no ombro e saio dali – DIGA AO SEUS PAIS QUE ELES TEM UM PÉSSIMO GOSTO PARA NOMES – ele grita quando estou saindo 


Notas Finais


A Louise vai ser tipo a Mila Kunis

Os próximos personagens que são criados por mim apresento eles mais tarde com sua aparência inspirado em alguém OOXOX


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...