História {GoldenTrap|AU} Primeiro Beijo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Foxy the Pirate, Golden Freddy, Springtrap
Tags Fluffy, Goldentrap, Universo Alternativo
Exibições 41
Palavras 1.356
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu deveria estar escrevendo a fic de Gravity Falls, mas a vontade de postar um GoldenTrap foi maior ♡
PS: Cada um tem um nome na fanfic!
Martín - Foxy
Bigby - Bonnie
Bruno - Toy Bonnie
Spring - Spring Bonnie/Trap (durr)
Gabe - Golden Freddy
Nico - Nightmare
Oliver - Toy Spring (yeah)

Capítulo 1 - Capítulo Único


Spring Wolf - 10:40

 

 

Suspirei pela milésima vez. A cozinha estava uma barulheira, como sempre. Olhei em volta enquanto remexia minha panqueca - não é só porque não como nada nutritivo faz uns 2 dias que estou com fome.-

Todo o nosso grupo estava junto naquela manhã. Três seres humanos numa cozinha minúscula do apartamento de dois jovens extremamente perfeccionistas, eu e meu amado irmãozinho - que é mais alto que eu por 10 centímetros- Bigby.

Ontem tivemos uma pequena reunião, que acabou em três dos oito fazendo uma competição de bebedeira (e o resto torcendo e fazendo apostas). Eu sabia que eu devia ter barrado o álcool. Foi divertido, admito, a melhor cena foi ver Nico e Oliver bêbados dançando Chiwawa no -meu amado- Just Dance 2016.

Gabe foi o que mais bebeu, logo o garoto que eu sou afim, ai ai. Ele, Nico e Oliver ainda dormiam na cama coletiva improvisada que fizemos no meio da sala, uma marca registrada de todas as nossas festinhas.

Corei ao pensar em Gabe, não sei como vou olhar na cara dele hoje depois do que aconteceu ontem.

 

Flashback~

Caminhei, ou melhor, me arrastei pelo corredor até a porta do meu quarto. Eu tinha prometido a mim mesmo que não deixaria ninguém usar o meu amado Ps4, mas depois de Gabe me implorar pra deixar ele jogar Just Dance, eu não pude negar. Heh, vantagens de ser crush meu.

Peguei o controle e o DVD em uma das gavetas com a pressa de uma tartaruga, estou um trapo de tanto sono. Fechei-a cuidadosamente, odeio barulho de gaveta batendo.

Sai do quarto, trancando a porta novamente, estava tão ocupado morrendo de sono que não percebi Gabe me esperando na ponta do corredor, só o vi quando suas mãos estavam em minha cintura, grudando nossos corpos. Fiquei sem reação.

-Oi, Spring. - ele sussurrou. O cheiro do álcool e sua face corada denunciaram o seu nível de embriaguez.

-O-oi, Gabe. - murmurei em resposta, meu rosto estava quente e meu coração parecia que ia explodir a qualquer momento, eu nunca fiquei tão próximo de Gabe. - T-tudo bem com você...?

Ele nada respondeu, apenas aproximou seu rosto do meu, fechei meus olhos instintivamente.

Logo senti seus lábios sobre os meus, eu não sabia o que fazer, era o meu primeiro beijo! Eu estava morrendo de nervoso, minha mãos tremiam e suavam, e eu não conseguia pensar em nada além de como os lábios dele eram quentes e macios. Subi minhas mãos, antes em seu peito, para seu pescoço, eu não sabia se era assim que fazia, eu só sei o que vi em séries!

Ele me apertou mais contra si - como se fosse possível - e tocou os meus lábios com a pontinha de sua língua. Eu não sabia o que fazer, então fiquei paradinho na minha. Ele afastou sua boca da minha um pouco.

-Spring, abra a boca um pouco. -ele murmurou baixo, o cheiro de álcool nem me incomodava mais.

Eu o fiz e logo seus lábios estavam sobre os meus de novo, sua língua brincava com a minha, e eu realmente não sabia o que fazer, então tentava o acompanhar, sentindo meu rosto esquentar muito. Se isso é um beijo, eu quero passar o resto da minha vida beijando Gabe.

Em pouco tempo, comecei a me sentir sem ar, merda, asma, não ataca agora! Ele se separou e sorriu. Eu devia estar um pimentão.

-Vamos, Spring? -ele disse sorrindo.

 

Espero que ele não se lembre disso amanhã.

 

 

Sorri ao lembrar da cena. Por mais que Gabe estivesse bêbado, ter o meu BV tirado por ele foi incrível, mesmo que doesse saber que ele talvez nem lembre.

-BOM DIA, POVO LINDO QUE EU AMO! -escutei sua voz animada, ele não deveria estar de ressaca?

-Ué, a ressaca não te abateu, Gabe? - Bruno, ou Bru, disse rindo, enquanto preparava um sanduíche.

- Por incrível que pareça, não! Eu bebi horrores ontem e to benzão, isso é estranho. - ele riu, se sentando ao meu lado.

-B-bom dia, Gabe. - tentei falar sem gaguejar, falhando terrivelmente.

-Bom dia, baixinho. Come direitinho, hein? Não quero ter que te carregar pro hospital que nem ano passado. - ele bagunçou meu cabelo rindo.

- Eu já pedi desculpas! - fiz um bico, me forçando a comer um pedaço da panqueca. Acho que ele não se lembra.

-Não precisa pedir desculpas, pequeno. - ele sorriu e beijou minha bochecha, virei um tomate nesse momento.

 

Gabe Williams - 14:35

 

-Falo ou não falo, Martín? - perguntei, olhando para Spring do outro lado da área de lazer do prédio, se balançado, sozinho.

-Bem, você o beijou, tipo, foi o primeiro beijo dele sem dúvida alguma. Ele claramente morre de amores por você, se não nem teria correspondido, fofíssimo. - Ele me respondeu com um pirulito na boca, a sorte é que eu o conheço a anos, se não não iria entender uma vírgula do seu sotaque espanhol misturado com a mania de carioca de puxar a porra do S.

-Tá, senhor conselheiro amoroso que não segue os próprios conselhos, falo ou não falo? - questionei de novo.

-Fala ué, aproveita que ele tá sozinho e dá uns beijos sóbrios nele. - ele disse, com um meio sorriso.

-Você sabe que é difícil controlar a vontade de beijar o crush quando ta bêbado.

-Por isso eu não bebo, imagina como o pobre Bigby ia ficar se eu bebesse. -ele riu alto.

-Ele ia perder todas as virgindades possíveis em uma hora. - eu ri um pouco, Martín é a pessoa mais incrivelmente sem noção que eu conheço.

-Tá, fi, agora vai dar uns pegas no crush que eu to vendo a bad devorando ele daqui. -ele apontou com o pirulito para o Spring, que agora parara de balançar e apenas olhava para baixo, ainda sentado no balanço. - Segura na mão de Deus e vai, só vai.

Murmurei um "Ok" e me dirigi ao parquinho das crianças. Spring olhava para baixo, encarando seus antebraços. Eu conhecia bem aquele estado, ele estava prestes a chorar, e isso doía na minha alma.

-Spring? -o chamei, sentando no balanço ao lado dele.

-O-oi, Gabe. -ele se assustou um pouco na hora, e olhou para mim, forçando um sorriso. Seus olhos estavam cheios de lágrimas querendo transbordar. Senti meu coração apertar com aquela cena. Isso doía muito.

-Eu queria conversar com você... sobre ontem. - falei, sentindo as mãos tremerem e o coração acelerar. - Eu queria te dizer que... - fui cortado.

-Está tudo bem, Gabe. Você estava bêbado, não precisa se culpar. - ele disse, abaixando a cabeça de novo, com a voz chorosa. Meus olhos se encheram de lágrimas, eu o fiz chorar. Eu sou um merda.- Eu entendo perfeitamente, quando bêbados, as pessoas não pensam bem, eu sei disso... - ele soluçou.

Ficamos um bom tempo calados, eu olhava pra cima, deixando as lágrimas escorrerem livremente pelo meu rosto, eu só faço merda mesmo.

-Eu só ia dizer que eu quis te beijar. Porque eu te amo, Spring. E nunca tive coragem de assumir, eu sou um covarde e só te magoo. -eu disse entre os soluços, mas alto o suficiente pra ele me escutar. Me levantei do balanço, tremendo e soluçando, eu iria sair, me sentar no lugar mais afastado da área de lazer toda e chorar até não ter mais lágrimas, mas algo segurou o meu pulso.

-Você... m-me ama..? - Spring me olhou incrédulo, seus olhos estavam arregalados, e extremamente vermelhos por conta das lágrimas, mas em seus lábios havia um lindo sorriso.

- Amo. Muito. Desde que nos conhecemos no sétimo ano, quando te defendi daqueles babacas que puxaram o seu cabelo. - eu sorri para ele, e o puxei para um abraço.

- Eu também te amo, desde aquele dia no sétimo no que você levou um soco no olho e foi pra coordenação por minha culpa. - ele disse sem parar de sorrir.

Então eu o beijei de novo, dessa vez, sóbrio, feliz e principalmente, sabendo que sou correspondido faz quase 3 anos, e não fazia a mínima idéia. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado ;u;
Críticas são sempre bem vindas! ^_^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...