História Gonna Get Better - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony, Lauren G!p, Norminah, Vercy
Exibições 348
Palavras 1.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá vocês!

Eu demorei? Minha vida está uma correria que nem o tempo eu estou sabendo. Bom, que seja, estou aqui linda e animada para uma nova fase que está encaminhando na fanfiction. Será só no próximo capítulo, então esse serviu como ponte, espero não decepcionar, as coisas estão indo lentamente, porém com avanços.

Sem mais delongas.... Boa leitura ♥

Capítulo 10 - Cap 10


Lauren's Point Of View

- Como foi a consulta meninas? - Mary saldou-nos assim que chegamos animadas em casa.

- Normal. - Camila diz simplesmente passando por Marie e entrando na cozinha. Seguindo-a, estávamos confusas.

- Só normal? - Marie arqueou a sobrancelha e me encarou, eu estava segurando o riso e obviamente foi em vão.

- Do que está rindo Lauren? - Camila se virou comendo algumas cerejas que estavam na geladeira.

- Não vamos contar para ela Camz? - Caminhei até estar ao lado de Camila e roubei algumas cerejas sobre murmúrios inconformados dela.

- Ah, eu havia me esquecido, estou grávida de gêmeos. - Camila capturou mais uma cereja e comeu encarando Mary que estava estática a nossa frente.

- O QUE? - Mary gritou me causando uma pontada na cabeça. - Isso é sério? - Mary estava espantada e isso nos incentivou a ter uma crise de risos.

- Sim! - Camila pulou em cima de Mary feliz, muito feliz. Cheguei ao lado delas e as abracei também feliz.

- Oh meu Deus! Há dois ai dentro! - Mary disse ainda assustada porém emocionada. - E você. - Deu-me um forte tapa no braço, a encarei apavorada e confusa. - Eu quero que tenho mais juízo agora, entendeu? Se você acha que terá tempo apenas por Camila estar com dois meses ainda, está muito enganada. Passará tão rápido como aconteceu.

- Não precisava me bater Mary. - Revirei os olhos, porque todos ainda duvidavam da minha responsabilidade para com Camila e meus filhos? Eu amadureci muito rápido, e isso deve assustar as pessoas ao meu redor, mas agora que estou com Camila, isso é o certo a se fazer, e agora, tudo o que eu precisar fazer para melhorar a mim mesma e ajudar Camila, eu vou fazer. - Eu amadureci Marie, não se preocupe com isso.

- Assim espero. - Mary fitou-me rapidamente e raivosamente, que diabos?

- Está com fome Camila? - Mary questionou Camila depois de cansar de me apavorar.

- Estou morrendo. - Camila suspirou agradecendo a boa vontade de Mary. - Vou lhe ajudar a preparar algo.

- Não se esforce demais Camz. - Avisei Camila antes de sair da cozinha e ir para sala.

Eu estava animada com a notícia, bom, estou assustada também, há dois meses eu estava realmente, segundo a minha concepção naquela época, feliz, porém agora, eu conheço a verdadeira felicidade. Às vezes me assusto por amar tanto uma pessoa que conheci recentemente e duas pessoas que ainda estão se formando. Foi algo tão rápido, isso é estranho e ao mesmo tempo mágico.

É como sempre digo, quando é para ser, nada pode impedir, nem a grandeza do tempo.

- Srt. Jauregui. - Big Rob chamou-me logo atrás de mim, como esse homem entrou aqui sem eu perceber? Ele não tem um tipo físico muito pequeno. Dei de ombros, o homem parecia sério.

- Apenas Lauren. - Revirei os olhos e o encarei. - O que aconteceu?

- Os Srs. Cabello estão aí. - Espera, eu ouvi bem?

- Quem? - Indaguei em um fio de voz.

- Sr. e Sra. Cabello querem entrar. - Big Rob indagou calmamente esperando uma reação de minha parte. Que reação? Eu estava petrificada! O que infernos esses dois estariam fazendo aqui? Como descobriram meu endereço?

- Ah... Tudo bem, os permite entrar. - Levantei-me do sofá e caminhei até a cozinha, observando um sorriso se alargar em minha face ao avistar Camila sentada na bancada da ilha da cozinha enquanto Marie fatiava uma carne vermelha.

- Amor. - A chamei lentamente, sua cabeça virou-se para mim fazendo seu rosto também se alegrar.

- Eu amo quando chama-me de amor. - Camila desceu da bancada rapidamente o que me fez fazer uma careta, o que ela tem contra cadeiras?

- Eu amo lhe chamar assim. - Suspirei juntando nossos corpos. - Seus pais estão aí.

- O que? - Camila arregalou os olhos e seu peito começou a subir e descer rapidamente diversas vezes. - Mas por que?

- Não sei, vamos lá ver o que eles querem.

- Você os deixou entrar, Lauren? - Camila bufou dramaticamente. - Que inferno, eu não quero os ver, não agora Lern.

- Precisamos resolver isso de uma vez por todas Camila! - A puxei mais para mim e juntei nossos lábios em um casto selinho. - Agora nós vamos até a sala, conversaremos civilizadamente com eles e quem sabe isso tudo fique bem de novo?

Camila riu sarcasticamente. - Você não os conhece Lauren, na verdade eu até que pensava que os conhecia, mas depois de fazer o que fizeram comigo, minha formada opinião sobre eles estava totalmente errada.

- Camila apenas vamos os ouvir está bem? - Camila assentiu ainda recuada. - Ficará tudo bem. - Entrelacei nossos dedos e pus me a caminhar para fora da cozinha.

Ao chegar na sala demos de cara com Sinuhe e Alejandro em pé ao lado do sofá. Estavam pensativos e apreensivos, esperando a nossa presença.

- Podem se sentar. - Os despertei do transe e seus olhos focaram em nós duas. Camila apertou minha mão mais forte do que o esperado. O ambiente embriagava desconforto e decepção, o que era uma lastima, pois o que eu realmente queria é que todo esse desentendimento desaparecesse para que eu e Camila pudéssemos ser 100% feliz.

- Oi filha. - Alejandro começou receoso, mas havia um brilho no olhar do homem, isso fez minha esperança voar.

- Oi. - Camz respondeu seca. - Vamos direto ao assunto, a que devo a honra de vocês aqui? - Praguejei-a mentalmente pelo seu tom ríspido.

- É aqui que está morando agora? - Sinuhe questionou sem esperar uma resposta. - Bela casa. - Comentou e todos naquela sala podia ver seu tom debochado e asqueroso.

- Sinhue, pare com isso. - Alejandro cutucou a mais velha que apenas deu de ombro.

- Sim, é aqui. - Camila suspirou e sentou-se no sofá espaçoso. Seus pais fizeram o mesmo, sentando a alguns centímetros de distância me dando um espaço para sentar-se ao seu lado.

- Eu não entendo... - Começou Alejandro. - Então você é a outra mãe do bebê? Ou pai? - Sacudiu a cabeça desistindo de tentar entender essa parte. Na verdade nem eu sabia o que eu era.

Olhei para Camila intensamente para que ela permitisse-me contar a história de como isso aconteceu, bom, sem entrar em muito detalhes. Camila entendeu o recado e pousou suas mãos nas minhas calorosamente.

- A escolha é sua Laur. Eu te amo. - Sorri para minha menina e respirei fundo, tentando ao menos clarear a minha mente.

- Sou interssexual... Sou mulher, porém tenho o órgão masculino. - Eu realmente não me sentia confortável de ter que dividir essa parte com eles. - Sem entrar em mais detalhes. Quando eu e Camila... É... Bom, transamos, eu não pensei que poderia engravidar alguém, porém olha onde estamos agora não é mesmo? - Ri nervosa e apertei levemente a mão da latina que retribuiu o impulso.

Sinuhe riu em escárnio. Qual o problema dessa mulher? - Então quer dizer que você não serviu nem pra engravidar de um menino? Você é patética Karla.

Olhei para Camila e ela estava com as bochechas ruborizadas e com suas pupilas dilatadas de raiva. Afoguei seu braço levemente para passar-lhe conforto, porém isso não adiantou nem um pouco.

- Saia da minha casa agora. - Camila rosnou entredentes para sua mãe. - Eu não admito que você venha até a minha casa para me insultar e insultar a minha namorada, na verdade eu nem sei o que vocês estão fazendo aqui. Você que é a patética da história, eu realmente achei que que poderíamos resolver isso civilizadamente, mas pelo visto eu estava totalmente enganada. - Camila levantou-se do sofá e em um impulso involuntário fiz o mesmo. - Apenas saiam, eu não acredito que pude chamar pessoas tão preconceituosas e ridículas de pais um dia. 

Virei meu rosto para os pais de Camila e vi lágrimas nos olhos de Alejandro, ele realmente via o quanto mal estava fazendo para nós duas, quer dizer o quanto sua esposa estava fazendo, no entanto ele não se esforçou para reverter a situação.

- Vocês ouviram a Srt. Camila. - Big Rob apareceu não sei de onde pressionando a saída de Sinuhe e Alejandro. 

Sinuhe riu da situação e virou seus calcanhares para sair da residência, Alejandro antes de fazer o mesmo, lançou um olhar arrependido e molhado para nós. Sorri compreensiva para o homem que movimentou a cabeça em cumprimento olhando diretamente para mim.

Vimos os Srs. Cabello passando pela porta e rapidamente foquei meus olhos em Camila, uma lágrima solitária rolou por suas bochechas e sem pensar muito as sequei com as pontas dos meus dedos. - Tudo bem, eu não deixarei mais nenhuma lágrima rolar por eles. 

- Eu realmente acho que seu pai queria nos ver bem, diante dessa situação, seu comportamento foi positivo. - Puxei-a para um abraço desajeitado e afaguei seus cabelos lentamente. 

- Que seja, ele ao menos deveria se impor a essa patética cena de Sinuhe. 

- Não fique assim, tudo bem? Vá até a cozinha que Mary já deve terminou o seu lanche. - Desvencilhei seu corpo no meu e sorri para a latina a minha frente. - Eu te amo. 

- Você não sabe o quanto esse sentimento é reciproco. - Camila beijou meus lábios calmamente, não era algo avassalador que deixava normalmente meu corpo em chamas, era carregado de amor e agradecimento. Apenas um movimentar de lábios, coisa que eu nunca fiz questão de prestar atenção quando dado em outras pessoas, mas ali, naquele momento. Era tão importante, era tudo o que eu e ela precisávamos. - Te espero no banho. 


Notas Finais


Hot no próximo capítulo.

Tchau vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...