História Gonna Get Better - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony
Exibições 718
Palavras 3.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, FemmeSlash, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Tudo bem com vocês?

Espero que gostem desse capítulo :)

Ignorem os erros :)

Capítulo 10 - Good Night


“Você, você pensa em mim?

Você, você se sente do mesmo jeito, amor?

Você se lembra de como nos sentíamos?

Porque eu me lembro, então me escute, amor

- Ruin (Shawn Mendes)

 “Camila ajeitou suas costas no travesseiro e virou a página do livro, faltava pouco para que ela terminasse mas o único tempo que tinha era quando colocava Alycia para dormir. Já se passava das dez e o quarto estava silencioso, o que ajudava muito na concentração, mas não era suficiente pois faltava algo.

 Ou alguém.

 Era praticamente um ritual, onde Lauren saía do banho e se deitava na cama com a cabeça nas coxas de Camila, e enquanto ela lia algum documento do escritório a latina lia seu livro fazendo carinho em seus cabelos até que ela dormisse. Se isso não acontecia era como se algo estivesse faltando, como se seu dia estivesse incompleto.

 O som do chuveiro já havia se sessado há algum tempo, e mesmo assim Lauren continuava no banheiro. Então Camila deixou o livro de lado, ajeitou seus óculos e se levantou, caminhou até o banheiro e abriu a porta lentamente, vendo Lauren completamente nua parada em frente ao espelho. O que deixou Camila curiosa não foi o fato de sua esposa estar nua na frente de um espelho, mas sim o olhar questionador e até mesmo crítico com o seu próprio reflexo.

 Por conta da gravidez Lauren ganhou alguns quilos a mais, não que isso fosse algo ruim para Camila, pelo contrário ela amava cada detalhe da esposa. Mas Lauren não gostava muito daquilo, até mesmo criou uma certa “paranoia” sobre Camila se interessar por alguém – segundo ela – “magro e perfeito”.

- O que está fazendo, amor? – Camila perguntou parando atrás de Lauren, abraçando sua cintura.

- Nada importante – Lauren respondeu sem deixar de encarar seu reflexo.

- Você não foi para a cama e eu fiquei preocupada – Camila comentou beijando o ombro da esposa antes de apoiar seu queixo no local.

- Eu demorei tanto assim? – Lauren perguntou encarando a latina pelo espelho. Camila assentiu jogando todo o cabelo da morena sobre o ombro direito – Eu nem percebi.

- Não tem problema – Camila respondeu passando o nariz pelo pescoço de Lauren, fechando os olhos ao sentir o delicioso cheiro que ela possuía – Vem para a cama comigo, uh?

 Lauren fechou os olhos ao sentir os lábios quentes de Camila depositarem beijos suaves em seu ombro e pescoço, seguindo direto para a nuca. A latina movia suas mãos pela pele recém banhada de Lauren de forma carinhosa e delicada, e não de forma maliciosa. Era como se ela tivesse tentando mostrar o quão linda a morena era sem precisar dizer nada.

- Você sabe como convencer alguém.

- Como você acha que eu fiz você aceitar meu pedido de casamento? – Camila brincou arrancando um sorriso de Lauren – Vem, amor. Se troque e venha se deitar.

- Sim senhora.

 Camila saiu do banheiro para que Lauren se trocasse e voltou para a cama, ajeitando os travesseiros e deixando os óculos em cima do criado. Não demorou para Lauren sair do banheiro e se deitar ao lado de Camila, se aconchegando em seu corpo e suspirando quando sentiu os dedos da latina em seus cabelos.

- Você não acha curioso tudo isso? – Camila perguntou depois de um tempo em silêncio.

- O que?

- Tudo isso. Nós.

- O que seria curioso?

- O modo como nos conhecemos e em quatro anos já estarmos casadas e com uma filha – Camila respondeu e Lauren abriu os olhos, levantando a cabeça para encará-la.

- Acha que fizemos as coisas rápido demais?

- Não nesse sentido, só disse que acho curioso – Camila respondeu juntando as sobrancelhas ao ver a expressão de Lauren – O que foi, amor?

- Você se arrepende?

- O que? Claro que não! – Camila respondeu rápido – Por que pensa isso?

- É o que você está dizendo – Lauren respondeu se soltando de Camila.

- Eu não disse isso, Lauren. Só disse que é curioso o fato de não termos namorado por tanto tempo antes de nos casarmos – Camila explicou tentando puxar a mão da morena – Não me arrependo de nada que fiz ao seu lado, amor. Faria tudo de novo se fosse preciso.

- Não quero que pense que fizemos tudo rápido demais e vá embora – Lauren respondeu baixo e cruzando os braços, o que fez Camila revirar os olhos.

- Por que tudo o que faço ou falo você pensa que é porque estou indo embora? – Camila perguntou vendo Lauren abaixar a cabeça – Você foi a melhor coisa que me aconteceu, Lauren. E agora me deu o melhor presente que eu poderia ter na vida, você me deu uma família – Camila segurou o rosto de Lauren para que ela lhe encarasse e pode ver os olhos verdes marejados – Alycia e você são a minha vida agora. Não fique pensando besteiras, ok?

 Lauren assentiu e voltou a agarrar o corpo de Camila, enfiando o rosto em seu pescoço e se sentindo segura nos braços que lhe envolviam. Ela não sabia explicar, apenas sentina uma insegurança extrema quando se tratava de Camila.

- Não chore, amor. Está tudo bem agora – Camila disse limpando o rosto molhado e deixando um beijo carinhoso em seus lábios.

- Desculpe, acho que os hormônios da gravidez ainda estão agindo – Lauren respondeu escutando a risada de Camila.

- Não tem problema, eu vou continuar amando você cheia de hormônios ou não – Camila brincou vendo Lauren rir, o que a fez se sentir melhor – Vem, vamos dormir um pouco antes que a mini você acorde morrendo de fome.

 Lauren negou com a cabeça e se deitou junto a Camila, se deixando relaxar um pouco. Camila fechou os olhos, sentindo os braços de Lauren apertarem mais sua cintura. Era até besteira Lauren pensar aquilo, pois uma das coisas que Camila mais se orgulhava era da vida que tinha com Lauren. Essa era uma das únicas certezas que ela tinha.

 Jamais se arrependeria de nada.

 As horas pareciam não passar naquele hospital, era como se tudo estivesse conspirando para que o nervosismo aumentasse. Camila sentia uma angustia tão grande em seu peito que estava quase a sufocando, tão grande quanto o dia em que Alycia desmaiou em seu colo. E ela sabia que aquilo não era bom.

 Quando chegaram ao hospital Normani foi rapidamente acionada e pediu para que o médico que estava levando Alycia se retirasse pois aquela era a sua paciente. Lauren se sentiu mais tranquila quando viu a médica ali, mas isso não diminuía sua preocupação. Toda vez que fechava os olhos se lembrava de Alycia chorando completamente pálida e fraca pedindo ajuda. Aquilo para uma mãe era terrível, saber que sua filha está sentindo dor e não poder fazer absolutamente nada era algo devastador.

 Camila abriu os olhos e encarou Lauren que estava sentada do outro lado do corredor, de frente para ela. A morena estava com o corpo curvado, tendo os cotovelos apoiados nos joelhos e as mãos entre os cabelos. Ela estava naquela posição há algum tempo e em nenhum momento havia falado com Camila, apenas se isolou em seus próprios pensamentos.

 Depois de ponderar algumas vezes Camila suspirou e se levantou, se sentando ao lado de Lauren e a puxando para junto de seu corpo, abraçando-a de forma acolhedora. Lauren ficou um tanto surpresa com aquele ato, mas não recusou o abraço, apenas encostou a cabeça no ombro da latina e abraçou sua cintura, se sentindo aquecida com aquele abraço.

- Eu quero a minha bolinha aqui, comigo – Lauren disse depois de um tempo.

- Eu também quero, Lauren – Camila respondeu encostando a bochecha na cabeça da morena – Mas ela está em boas mãos aqui.

- Eu sei disso, mas eu quero ela no meu colo.

- E você terá, só temos que esperar Normani voltar e depois não sairemos do lado dela.

 Lauren assentiu e as duas voltaram a ficar em silêncio, apenas esperando alguma notícia de Normani. Até mesmo Dinah chegou ao hospital alguns minutos depois preocupada e fazendo diversas perguntas, mas depois acabou se sentando ao lado de Camila e resolveu esperar assim como as duas.

 Cerca de uma hora depois Normani apareceu no corredor conversando com mais algumas enfermeiras e outro médico. Camila não gostou nada da postura séria que a médica possuía, aquilo não era algo bom. Quando ela finalizou a conversa foi direto até onde as três estavam sentadas, vendo o olhar preocupado e cansado de cada uma, se sentindo mal com aquilo.

- Boa noite – Normani encarou Dinah e estendeu a mão – É um prazer vê-la novamente.

- Igualmente – Dinah respondeu apertando a mão da médica – Como a coisinha está?

- Alycia está dormindo agora. A febre baixou e ela não teve mais sangramentos.

- E quanto as dores que ela disse que estava sentindo? – Lauren perguntou se sentando corretamente na cadeira.

- Ela não reclamou mais enquanto eu estive com ela no quarto, então podemos dizer que está tudo bem por enquanto.

- Como assim “por enquanto”? – Camila perguntou vendo Normani suspirar.

- É sobre isso que eu quero conversar com vocês no meu consultório – Normani respondeu e se virou para Dinah que estava apenas observando tudo – Você pode ficar no quarto com ela se quiser, Dinah.

- Tudo bem, eu espero vocês no quarto dela – Dinah se levantou – Onde é o quarto dela?

- O último do corredor, lado direito – Normani respondeu e Dinah assentiu, seguindo o caminho – Vamos até o meu consultório?

 As duas assentiram e começaram a seguir Normani pelo lado oposto do corredor, Camila puxou a mão de Lauren e entrelaçou os dedos aos dela, vendo o quão nervosa ela estava. Ao entrarem no escritório tão conhecido, e sentaram de frente para Normani que ajeitou os óculos e abriu o prontuário de Alycia na mesa, encarando as duas de forma séria.

- Muito bem, o que chamamos de câncer? – Normani perguntou abrindo a gaveta e tirando os exames de Alycia – É um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento desordenado de células, que invadem o corpo e quando se acumulam, formam tumores, certo? – As duas assentiram e Normani cruzou os braços – E como se chamam essas células?

- Cancerígenas – Camila respondeu.

- E o que elas fazem?

- Se dividem em grande velocidade.

- Exato. E se não impedirmos esse crescimento, Alycia terá de ficar vinte e quatro horas por dia nesse hospital – Normani respondeu mostrando o prontuário com novos exames para as duas – Vejam, as células boas estão diminuindo cada vez mais. Precisamos retardar o crescimento das células cancerígenas o mais rápido possível com o tratamento.

- E o que você tem em mente sobre o tratamento dela? – Camila perguntou sentindo Lauren apertar seus dedos.

- Devemos começar com quimioterapia o quanto antes. Vocês têm conhecimento sobre esse tratamento?

- Não muito, sendo sincera – Camila respondeu encarando Lauren rapidamente.

- Certo eu vou explicar de uma maneira bem simples – Normani se ajeitou na cadeira e entrelaçou os dedos sobre a mesa – Fazer quimioterapia significa usar remédios, que chamamos de quimioterápicos, no tratamento de doenças. Vários remédios são utilizados no tratamento, e o que fazemos é combinar os que serão necessários para o tratamento. Como eu já disse antes, dependendo do organismo e do tipo de câncer que o paciente possui, o tratamento sozinho pode curá-lo.

- E como é feito o tratamento? É muito doloroso? – Lauren perguntou se manifestando pela primeira vez.

- Nenhum tratamento é fácil, isso eu garanto. O que eu posso fazer é tentar amenizar algumas coisas, mas nem todas serão possíveis.

- Ok... Continue a explicar, por favor – Camila pediu espantando os pensamentos ruins que estavam aparecendo.

- Certo, essas células cancerígenas se dividem em grande velocidade. E os quimioterápicos são drogas especializadas em destruir exatamente as células que se desenvolvem rapidamente.

- Então é por isso que muitos ficam curados somente com esse tratamento – Camila destacou vendo Normani assentir.

- Sim, mas tem apenas um problema. Além das células do câncer, o quimioterápico também age sobre outras células de divisão rápida, que estão sempre se renovando.

- Então ele acaba “destruindo” essas células também?

- Sim, dessa forma o tratamento também causa a perda de cabelo, a mudança da cor das unhas e outros mais graves.

- Que seriam?

- Bom, quando a droga age sobre a medula. Como esse órgão é responsável pela produção de novas células sanguíneas, as plaquetas, os glóbulos vermelhos e brancos também acabam sendo afetados – Normani respondeu vendo a careta de Lauren – Por isso Alycia pode ter anemia, sangramentos e um déficit na imunidade. Chamamos isso de imunossupressão, e isso pode fazer com que qualquer infecção se torne grave e até mesmo... Enfim.

- Ou seja, ela não pode ter nem ao menos um resfriado durante o tratamento.

- Temos que tomar cuidado para isso não acontecer, porque um simples resfriado pode se tornar uma pneumonia rapidamente. Mas esses efeitos secundários raramente acontecem.

- E como será feito tudo?

- Eu tinha pensado em fazer o tratamento via intramuscular, mas será doloroso demais – Normani respondeu fechando o prontuário com todos os exames e pegando sua agenda – Então vou fazer via intravenosa e oral. Podemos começar logo na semana que vem, e eu vou passar o nome dos remédios que serão necessários durante o tratamento.

- Já podemos ficar com ela? – Lauren perguntou. Era visível o quão afetada ela estava com tudo aquilo.

- Podem sim, vou pedir que ela fique mais algum tempo em observação antes de liberá-la – Normani respondeu se levantando e indo abrir a porta, parando as duas antes que saíssem – Eu só queria pedir mais uma coisa à vocês.

- O que?

- Estejam preparadas para tudo que vier a acontecer a partir de agora. Não será nada fácil principalmente para Alycia, e ela precisará de vocês mais do que tudo agora.

- Não se preocupe quanto a isso – Lauren respondeu séria – Não iremos sair de perto dela.

- Tudo bem, podem ir agora. Eu vou atender mais alguns pacientes e passo no quarto para ver como ela está depois.

 As duas assentiram e Lauren saiu puxando Camila pelo corredor em passos apressados, queria segurar sua filha e nunca mais soltá-la. Assim que entraram no quarto viram Dinah sentada na cama com Alycia agarrada ao seu corpo enquanto assistia algo pelo celular da tia.

- Você está acordada, Sunshine – Camila se soltou de Lauren para segurar o rosto da filha e beijá-la seguidas vezes – O que estão assistindo?

- Tia DJ colocou O Rei Leão, mamãe – Alycia respondeu com a voz um tanto arrastada por ter acordado há pouco tempo.

- De novo?

- Hey! É um clássico – Dinah respondeu – Sente-se aqui e assista conosco.

- Não vou recusar – Camila se sentou na poltrona ao lado da cama para dar mais espaço a filha e encarou Lauren – Você vem?

- Claro – Lauren assentiu e se sentou ao lado de Camila, passando o braço por trás do corpo da latina para que não ficasse desconfortável. Com esse ato Camila virou o rosto para encarar a morena que arregalou os olhos – Desculpa, foi automático.

- Não tem problema – Camila respondeu se recostando no braço de Lauren.

 Ela se lembrou quando Lauren pediu para que ela não a rejeitasse ou que a tratasse mal, então não faria mais aquilo, já estava claro o que iria acontecer e ambas estavam de acordo, não havia porquê negar aqueles atos.

 As horas foram passando e Normani voltou pouco depois de a enfermeira trazer o jantar de Alycia. Ela examinou e brincou um pouco com a pequena que se mostrava cada vez mais encantada com a médica. Até mesmo Dinah conseguiu arrancar algumas risadas e deixar o clima hospitalar mais leve, e só foi embora quando Alycia adormeceu novamente.

 Lauren deixou que Camila dormisse no sofá enquanto ela ficaria na poltrona ao lado da cama, onde uma luz fraca iluminava o quarto para que não incomodasse Alycia. Lauren estava com os cotovelos apoiados na cama e uma das mãozinhas da filha entre as suas. Ela não sabia se agradecia pela pequena estar temporariamente bem ou chorava pelo que iria acontecer a partir de agora. Na dúvida ela fez os dois.

 Chorou por não poder simplesmente pegar aquela doença e colocar em si mesma. Chorou por toda a situação que a filha estava passando e iria passar. Chorou por se sentir completamente impotente quanto aquilo. Chorou até mesmo por sua situação com Camila, e como ela não podia fazer muita coisa para mudar tudo.

- Mama te ama tanto, Aly... Tanto... – Lauren fungou beijando a pequena mãozinha e acariciando seus cabelos – Me perdoa por não poder fazer muita coisa, mas eu prometo mudar algumas coisas.

  Alycia acordou com a carícia em seus cabelos e encarou Lauren que tinha os olhos fechados e a bochecha encostada em sua mão. Ela não estava entendendo muito bem o que estava acontecendo naquela semana, mas não negava estar feliz por ter sua mama por perto.

- Mama? – Alycia chamou vendo Lauren abrir os olhos e sorrir em meios as lágrimas.

- Oi minha bolinha.

- O que foi, mama? – Alycia perguntou levantando a cabeça – Está com dor? Podemos chamar a doutora Mani e ela faz a dor passar!

- Não meu amor. Eu não estou com dor – Lauren sorriu com a inocência da filha e chegou mais perto.

- Então por que está chorando? – Alycia perguntou juntando as sobrancelhas.

- É só que eu fiquei muito preocupada com você hoje, bolinha – Lauren respondeu alisando o rosto da filha que arqueou as sobrancelhas.

- Oh... Desculpa – Alycia pediu e Lauren negou com a cabeça.

- Não peça desculpas, amor. Não foi sua culpa.

- Já passou mama, eu estou bem agora! – Alycia sorriu e Lauren assentiu.

- Sim, você está bem...

- Não chora mais, mama. Não gosto quando você chora – Alycia pediu passando a mãozinha no rosto de Lauren que sorriu.

- Já parei, amor – Lauren respondeu vendo a filha sorrir de forma inocente – Agora vamos dormir porque está tarde e você precisa descansar.

- Tá bom. Boa noite, mama.

- Boa noite, bolinha – Lauren respondeu beijando a testa da filha – Eu te amo.

- Também te amo, mama.

 Lauren ficou acariciando os cabelos da filha até que ela dormisse novamente, o que não demorou a acontecer. Ela apagou o resto de luz que restava no quarto e ficou observando o sono tranquilo de Alycia. E a última coisa que ela pensou que faria naquele dia ela fez. Lauren rezou.

 Rezou para que tudo ficasse bem, ou ao menos não ficasse pior. E mesmo ela sabendo que aquilo era meio impossível, ela pediu. Nem que ela tivesse que mover céus e terras – e até mesmo o inferno se fosse preciso – sua filha ficaria bem.

 

 “Ela ficará bem”.


Notas Finais


E então? Muito dramático?

O que vocês acham que irá acontecer a partir de agora?

Vejo vocês no próximo :)
Twitter: whatssupdinah
Ask: http://ask.fm/whatssupdinahjh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...