História Good baby - Jikook - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Daddykink, Jikook, Namjin, Sexting, Texting, Vhope
Exibições 1.017
Palavras 1.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VRÁ
BOA LEITURAAA~

Capítulo 39 - "Pabo..."


  Pov's Jungkook

     [??]

   - Jimin... - sussurrei abrindo os olhos, tentei me mover, porém senti uma dor devastadora em meu peito esquerdo, olhei em volta notando estar em um hospital, olhei pra um relógio pendurado na parede, são cinco da tarde, suspirei. Senti um aperto em minha mão, olhei pra baixo vendo uma cabeleira loira encostada na cama, Jimin, peguei um pequeno impulso para sentar, ao finalmente conseguir, olhei pra Jimin que estava adormecido com a cabeça apoiada em minha perna, sorri pequeno olhando em volta, eu odiava hospitais, são brancos de mais, o clima é muito morto e tem cheiro de remédios, voltei minha atenção pra Jimin, sorri levando minha mão até sua cabeça o acariciando. Olhei pro meu corpo vendo uma faixa em meu peito abaixo da roupa do hospital, respirei fundo cansado.

   Senti algo mover-se abaixo, o olhei e ele levantou a cabeça esfregando seus olhos com a costa da mão ainda com uma expressão sonolenta, como pode ser tão fofo? Ao ele abrir totalmente os olhos ele olhou pra mim, ri quando aos poucos ele fez uma expressão surpresa.

   - Jungkook! - gritou me abraçando fortemente, soltei um muxoxo de dor e logo ele folgou o abraço - Desculpe. - sorriu bobo - Está se sentindo bem?

   Pensei por uns segundos, bom, não seria tão ruim brincar com ele, né?

   - Sim estou, mas... desculpe, quem é você? - franzi o cenho, ele se espantou negando freneticamente com a cabeça.

   - Não, não, não, para com isso, não brinca comigo, mas... foi um tiro, não uma batida, por favor, não tem como você me esquecer, por favor, para de graça! - pediu manhoso e uma expressão de piedade.

   - Desculpe, mas eu realmente não sei quem é você - Meus deus, eu sou muito filho da puta.

   - Jungkook, não faz isso comigo, por favor - pediu com a voz falha, me surpreendi ao ver lágrimas descendo por suas bochechas.

   - Ei, ei, ei, não chora, por favor, é brincadeira, desculpa - falei rápido limpando sua lágrimas, ele fez um bico de raiva e socou meu peito que não estava machucado, reclamei.

   - Você é um filho da puta, sabia? Me faz ficar preocupado depois de levar um tiro, fica dois dias na porra de uma cama de hospital sem nem mexer um músculo e quando acorda me faz isso! - falou com a voz embargada, sorri bobo o puxando pra um abraço - O que você fez foi muito arriscado, sábia? 

   - Sério? Nem notei - falei irônico, ele se afastou do abraço com uma cara feia.

   - Não quer ter o outro ombro machucado também, huh? - fez uma cara cínica dando um murro em meu ombro.

   - Aish, me dê um desconto, estou ferido, e pessoas feridas deveriam receber carinho - fiz bico, ele cruzou os braços desviando o olha - Você parece uma criança mimada... - ri vendo um bico exagerado se formar em sua boca.

   - Está muito chato pra quem acabou de acordar - falou me fazendo rir - É melhor eu chamar uma enfermeira... - falou, resmunguei manhoso o pedindo pra ficar, ele suspirou - Tudo bem... - fiz uma expressão pensativa.

   - E você, como está? O que aconteceu com aquele loiro cara de cu? - perguntei o vendo rir.

   - Vários policiais entraram na casa e acabaram prendendo Yoon, e eu... bom, ainda sofrendo internamente - suspirou cansado - Você poderia ter me poupado disso, se poupado disso, poderia dar meia volta e depois chamar os policiais, mas não, me fez ver seu corpo cair no chão sangrando depois de um tiro e me fez ficar desidratado de tanto chorar pensando que você ia morrer! - falou com a voz falha indicando que estava prestes a chorar.

   - Desculpe, não hora eu não tive tempo de pensar - alisei seu rosto, ele fez bico novamente - Aish, pare de me provocar fazendo esses bicos - ele franziu o cenho com um sorriso de lado, ele fez bico novamente, revirei os olhos o puxando e o roubando um selinho, ele riu.

   - *Pabo... - me xingou, fiz uma careta, ficamos em silêncio por alguns segundos, até que senti meu peito doer, comecei a tossir. - J-Jungkook, está bem? - perguntou preocupado, tossi mais ainda e percebi que saia sangue com as tossidas - A-Ai meu deus, eu vou chamar um médico - falou em pânico e saindo rápido do quarto, senti meu corpo enfraquecer mais do que já estava.

   Olhei pro meu peito enfaixado e vi que começou a sair sangue, minha visão ficou turva e a única que lembro é de alguns médicos entrarem no quarto se aproximando de mim.

     [19:40]

   Abri os olhos olhando em volta, eu estava em outra sala, essa era maior e mais branca me fazendo ficar enjoado. 

   -  Pabo... - falou baixo tocando meu nariz com seu dedo indicador, tentei me sentar porém ele me impediu - Não faça esforço, precisa de repouso.

   - O que aconteceu? - perguntei com a voz falha.

   - Você teve uma hemorragia e perdeu mais de um litro de sangue, você sabe o que é um litro de sangue? É 30% do sangue de seu corpo, você poderia ter morrido de novo seu idiota! - falou e respirou fundo com a feição triste.

   - Desculpa Hyung - dei um sorriso reconfortante, mesmo que fraco, olhei pra minha mão e tinha uma agulha nela, provavelmente soro, ri movendo a mão - Tem uma agulha enfiada na minha mão... isso é engraçado - falei balançando a mão no ar, Jimin arqueou as sobrancelhas rindo.

   - Eu acho que essa perda de sangue mexeu com o seu cérebro.

   - E eu acho que você poderia parar de ser chato - fiz bico - Quando vou poder sair daqui?

   - Provavelmente em um ou dois dias, ainda não está recuperado - bufei olhando pro teto - Seus pais ficaram preocupados, sua mãe surtou dizendo que iria colocar o Yoon numa cadeira elétrica, mesmo que eu também queira fazer isso, mas foi engraçado, eu conversei com eles, são bastante simpáticos - falou dando um sorriso. - Só fiquei envergonhado quando disseram que faríamos um belo casal nós dois juntos - falou como um sussurro dedilhando minha barriga.

   - Mas eles estão certos, com certeza vão surtar quando te pedir em namoro - falei como se fosse um fato aleatório, ele corou e deu um tapinha em minha perna.

   - E se por acaso eu lhe rejeitar, huh?

   - Você não faria isso, sei que me ama - falei convencido, ele riu negando com a cabeça.

   - Convencido... - revirou os olhos - Você está parecendo um fantasma com essa cara branca.

   - Cala a boca - resmunguei olhando pro teto.

   - Hey, olhe o respeito, ainda sou seu Hyung - me deu um tapinha.

     [16:50]

   - Eu já falei que você não pode comer essas coisas - falou tirando a caixa de *pepero de minha mão e voltando pra cozinha.

   - Mas Jiminnie hyung... Eu já estou bom - reclamei o seguindo, ele me deu língua tirando um pepero da caixa e botando em sua boca - Só um, por favor - fiz cara pidona, ele negou, o puxei pela cintura mordendo um pedaço do pepero que estava em sua boca, ele também mordeu se aproximando, mordemos mais um pedaço juntando nossas bocas, quando ia beija-lo ele afasta seu rosto rindo divertido - Aigo, você é muito sem graça.

   Já haviam se passado alguns dias que sai do hospital, todo dia Jimin vinha em a casa dos meus pais pra cuidar de mim, admito que gostava de ser mimado, porém ele não me deixa comer nada doce, gorduroso ou com muita massa, porém é o que eu mais como e isso me irrita. No começo eu ainda estava fraco e precisava de apoio pra fazer as coisas, mas agora já estou melhor porém Jimin continua com chatice.

   - Criança boba - zoou me dando um abraço por trás.

   - Duvido me chamar disso quando eu estiver te fodendo fortemente na cama - falei sério, ele corou dando um murro em meu braço.

   - Pabo... Não fale essas coisas - disse envergonhado - Se deita, você precisa de repouso - me puxou até meu quarto. Depois de ele ficar alguns dias ali ele acabou por decorar onde ficava cada canto da casa. Depois de chegarmos ao quarto, me joguei de costas na cama - Vai querer algo?

   - Quero você - falei o chamando com os braços, ele riu bobo negando.

   - Não, eu ainda tenho que tomar um banho, fiquei o dia todo cuidando de você seu bebezão.

   - Mas eu não pedi nada, você que está me mimando sem ser necessário - ele me ignorou indo até o banheiro do meu quarto - Isso, me ignora - resmunguei, depois de um tempo ouvi o barulho da banheira enchendo, se passou alguns minutos e estava muito monótono apenas eu no meu quarto sem fazer nada enquanto Jimin está tomando banho, suspirei levantando e procurando meu celular, fui a sala a cozinha e não achei, pigarreei voltando ao quarto, até que me deparo com um Jimin de costas pra mim completamente pelado enquanto pegava algumas roupas em meu guarda-roupa, mordi o lábio olhando para sua bunda grande e redonda, porém logo minha alegria morreu ao olhar pra suas coxas e notar que ainda havia marcas nelas, mesmo que claras e quase invisíveis mas havia, balancei a cabeça tentando esquecer, me aproximei apertando sua cintura - Já falei que você é gostoso? - sussurrei em seu ouvido, ele corou me dando um tapa.

   - Sai - tentou tirar minhas mãos de sua cintura, porém apertei ainda mais forte - Deixa eu me vestir.

   - Mas você é tão lindo desprovido de roupas - falei passando meu nariz em seu pescoço.

   - Se você me soltar eu lhe deixo comer pizza - logo o soltei rindo.

   - Okay, okay - me deitei na cama o vendo se trocar, ele pôs uma boxer minha, uma camisa preta lisa que ia até suas coxas e um short vermelho curto que ficava colado em suas coxas, ele veio até mim e se deitou ao meu lado - Por que faz isso comigo? - perguntei, ele franziu o cenho confuso - Isso - apontei pro seu corpo - Fica me provocando sabendo que não vou poder de foder - ele cora e me bate pela milésima vez - Para de me bater - o puxei colando seu corpo ao meu, ele se acomodou e fechou os olhos.

   - Pabo... 


Notas Finais


Dongsaeng: é um modo de chamar alguém mais novo na Coréia.
Pabo: Vocês já devem saber o que é, significa idiota, bobo, chato, entre outros...
Pepero: aquele biscoitinho do pepero game que duas pessoas mordem cada lado até sobrar o mínimo possível.
Esse capítulo tá muito gay, mds...
GENTE, VCS VIRAM O MAMA 2016 NÉ? MDS, MELHOR PERFORMANCE QUE JÁ VI, PUTA MERDA, COMO ALGUÉM CONSEGUE TER SINCRONIA VENDADO? E O TAEJIN QUE ACONTECEU? AS COSTAS DO V É ATRAENTE P KRL, NAMJOON QUE SE CUIDE. HOJE QUEM TOMOU TIRO FOI EU.
E vocês fãs da melanina martins (melanie martinez), viram esse novo clipe lacrador? pqp essa garota é foda, quero casar com ela.
Espero que tenham gostado desse capítulo gay, eu acho que ficou curto ou pouco detalhado, mas vai assim mesmo.
Se preparem pro próximo ¬u¬
Obrigadinha todas/todos vocês (sim, tem um leitor garoto aqui >.<)
Beijos da Tia Hemy <3
VRÁ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...