História Good Enough - 2Jae - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Youngjae
Tags 2jae, Got7, Jaebum, Youngjae
Exibições 649
Palavras 1.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Chapter 18



— Posso te abraçar? — Jaebum sussurrou em meu ouvido e eu assenti, logo sentindo os braços dele envolta do meu corpo. Eu não dei muita atenção ao filme, apenas fiquei pensando em coisas inúteis quando dormi.

 
          (...)

Abri os olhos e percebi que não estava na sala, estava no... Quarto de Jaebum. Como é que eu vim parar aqui?

Levantei e fui em passos lentos até o andar de baixo, meu corpo estava acordado mas acho que minha mente estava dormindo ainda. A TV estava ligada, e Jaebum dormia no sofá com o controle caído em seu rosto. Sorri ao ver a cena e tirei o controle de seu rosto e sentei no chão. No tapete pra ser mais específico.

Esse tapete é mais macio que a minha cama.

Eu virei na direção de Jaebum e fiquei o encarando por um bom tempo. Ele parecia um anjo dormindo.

Era estanho a forma como surgiu um sorriso bobo em meus lábios e a forma como meu coração acelerava com os sorrisos que ele dava.

Jaebum sorri até dormindo.

Eu não consegui segurar e levei uma das mãos ao seu rosto, acariciando-o cuidadosamente enquanto eu prometia a mim mesmo que não ía fugir mais de Jaebum. Não importa quantas vezes eu pare pra pensar no que seria o certo a se fazer, eu sempre acabo sorrindo bobo ao lembrar de algum momento que aconteceu entre nós. Deixei um beijo na testa de Jaebum e levantei em seguida, voltando para o andar de cima para tomar banho.

Eu nem pareço um maníaco, né?

— Você acordou faz quanto tempo? — Perguntei para Jaebum assim que saí do banho e o encontrei jogado na cama.

— Uns dois minutos, eu acho. — Suspirei aliviado. — Por que?

— Nada. — Sorri. — Eu estou com fome. — Me joguei na cama ao seu lado.

— Eu também. Vou pedir pizza. — Pegou seu celular no bolso e ligou para o "carinha da pizza" como diz Jackson. — Quer do que?

— Eu quero de chocolate. — Sorri e ele fez careta. — Você não gosta de pizza de chocolate? — Ele sussurrou um gosto e logo fez o pedido. — Chega daqui meia hora. — Assenti.

Ficamos parados olhando para o teto até a campainha tocar. Fomos para o a dar de baixo e enquanto Jaebum pegava as pizzas, eu colocava em um desenho qualquer.

— Voltei. — Ele disse e colocou as pizzas na mesa de centro, logo as abrindo.

Jaebum pediu uma doce e uma salgada, e enquanto eu me sujava todo comendo a de chocolate como se não houvesse amanha, ele comia a dele civilizadamente. Ele riu quando me observou comendo e mergulhou o dedo e uma das fatias de chocolate, logo tocando meu nariz, fazendo-me o olhar reprovador.

— Que desenho é esse? — Perguntou com uma cara estranha.

— O incrível mundo de gumball. — Sorri empolgado. — O melhor desenho do mundo.

— Da onde surgiu tanta empolgação? Até antes de dormir, você parecia pensativo e tristinho.

De você, talvez...

— Não sei também, acordei assim. — Lambi as pontas dos dedos sujas de chocolate. — Falando nisso, quem me levou para seu quarto? — Eu sabia que foi ele, só queria ter certeza.

— Eu. — Sorriu. — Está na hora de ir dormir. — Jaebum disse desligando a TV e eu obviamente reclamei. — Você quer ficar acordado até tarde assistindo desenho, né? — Assenti. — Mas, quando chegar amanhã vai implorar pra dormir mais cinco minutos ou faltar na escola. — Bufei e levantei, arrumando a bagunça que fizemos e levando as coisas para a cozinha.

Logo voltei para o quarto, pegando meu celular assim que vi o mesmo vibrando loucamente.

— Eu não acredito. — Eu e Jaebum dissemos juntos, ele também encarava a tela de seu celular.

Jackson adicionou você ao grupo "Tirem minha vida mas deixem meu 2jae"

Jackson: OLÁ, PESSOAL

Jinyoung: Aonde eu estou?

Bambam: AMEI O NOME DO GRUPO

Jackson: Também amei

Mark: 2Jae is real

Eu: Calem as bocas

Eu: Jackyugbam é mais real que 2jae

Jaebum: Markjin também

Jaebum: Podem mudar esse nome aí

Você alterou o nome do grupo para "Jackyugbam is real"

Yugyeom: Que que tá acontecendo?

Jinyoung: Também queria saber

Eu: Vocês são muito lerdos, credo

Eu: Vou dormir que ganho mais

Jaebum: Eu também

Jaebum: Tchau pra vocês

Coloquei o celular pra carregar encima na mesinha do Jaebum e virei em sua direção. Eu fui para mais perto e o abraçei.

      (Uma semanas depois)

— Eu ainda não entendi o porque de ter criado aquele grupo, só sei que gostei. — Jinyoung disse. — Por mais que vocês sejam uns chatos. — Agora estávamos no intervalo. Uma semana já havia se passado desde quando decidi parar de me sentir insuficiente e decidi não esconder mais nada de Jaebum. Porém, ele levou a sério aquele "tempo" que eu pedi para pensar. Sério até de mais. Ele nem chega mais perto de mim, o máximo que fez e foi poucas as vezes que fez, foi me abraçar. Eu não tenho coragem de chegar nele e dizer "Oi, então, eu acho que já pensei então pode me beijar."

Eu estou quase implorando para sentir seus lábios nos meus novamente.

Agora ele está com umas pessoas desconhecidas conversando do outro lado do refeitório.

— Nós também te amamos, Jinyoung. E para ser sincero, nem eu sei porque eu criei um grupo. — Depois disso, eu não ouvi mais nada. Específicamente porque uma das pessoas que Jaebum estava conversando estava perto de mais dele. — YOUNGJAE! — Jackson gritou atraindo minha atenção.

— O que foi, porra? — O encarei.

— Primeiro: Para de morder o lábios, não percebeu que está sangrando? — Passei a língua pelos lábios e logo senti o gosto metálico do sangue, fazendo careta em seguida. — Segundo: Se tivesse visão de calor, aquele amiguinho do Jaebum já teria morrido queimado faz tempo. — Revirei os olhos. — E terceiro... — Eu já estava de saco cheio de ouvi-lo, então levantei.

Eu ia apenas no banheiro, mas quando passei o olhar a última vez na direção de Jaebum, não resisti e fui até lá.

— Com licença. — Entrei na rodinha. — Eu vim buscar meu Jaebum. — Puxei seu abraço e fui o arrastando de volta até a mesa dos meninos.

— Seu Jaebum? — Me encarou com um sorriso travesso e eu revirei os olhos.

— Quem são eles? — Perguntei o encarando sério.

— São só colegas. — Deu de ombros e eu cruzei os braços, encarando um ponto qualquer.

— Youngjae com ciúme é a cena mais hilária que eu já vi. — Jackson disse gargalhando.

— Nisso eu tenho que concordar. — Mark disse rindo também.

— Não fica emburrado, Younggie. — Bagunçou meu cabelo.

Os meninos voltaram a conversar, mas eu não entrei no assunto.

Eu e Jaebum voltamos para casa depois da aula em um silêncio total, quando chegamos em casa e eu ia direto para o quarto dormir, mas antes de subir as escadas, Jaebum segurou meu braço e me puxou para perto de si.

— Youngjae, eu quero que seja sincero comigo. — Me encarou. — O que sente por mim?

— E-eu não sei. — Disse sincero. — É tudo uma confusão, eu...

— O que sente quando estou perto de você?

— Um frio na barriga e vontade de ficar ao seu lado pra sempre.

— O que sente quando eu te beijo?

— Hm... Não lembro. — Menti. — O que acha de me lembrar? — Eu notei o seu sorriso surpreso, e não evitei encarar sua boca quando ele mordeu os lábios. Ele segurou meu queixo com uma das mãos e ergueu meu rosto, encostando finalmente seus lábios nos meus.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...