História Good or evil - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Infamous
Personagens Personagens Originais
Tags Neon Infamous
Visualizações 6
Palavras 1.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Super Power
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal aqui quem tá falando e o Matheus e hoje vou postar o primeiro capítulo dá minha fanfic nova sobre infamous, agora vamos para o que pode ser nosso ritual padrão dá uma pausa nesses sites de conteúdo adulto que eu to ligado que vocês devem tá acessando nesse exato, lava essa mão prepara um lanche, coisa leve pra não engordar e vem com o tio

Capítulo 1 - Como tudo começou


Fanfic / Fanfiction Good or evil - Capítulo 1 - Como tudo começou

A sete anos, um pequeno grupo de humanos chamado de "condutores" adquiriu espontaneamente o controle sobre sertos elementos naturais, que eles podiam usar como armas 

O Departamento Unificado de Proteção para caçar e deter indefinidamente todos os condutores(reclassificados como "bioterroristas")para proteger a população 

Acredita-se agora que todos os bioterroristas foram capturados com êxito e estão presos 

Com isso, o Departamento Unificado de Proteção está sendo descontinuado, com militares assumindo a supervisão dos bioterroristas presos

Hoje, o primeiro transporte militar de bioterroristas deixa a instalação de detenção DUP na Estação Cortum Cay, em direção a uma prisão do exército na parte norte de Washington...

O destino jamais será alcançado


INFAMOUS  NEON GOD 

Era mais um dia como outro qualquer para min, nada demais eu apenas estava fazendo arte, eu estava em um outdoor pichando tudo com grafite roxo e azul igual as cores que pintei em meu cabelo, após alguns minutos de trabalho finalmente termino minha obra de arte era uma mão com vários efeitos de neon e partículas roxo e azul pelos lados e só faltava apenas um detalhe, a minha assinatura porém quando eu estava pronta para assinar chegam os policiais prontos para me prender pelo milésima vez e como sempre eu me rendo 

- ora ora se não a senhorita Rebecca... já é a quarta vez seguida nessa semana que você é pega vandalizando 

- o que eu posso dizer, eu sou uma artista é esse e o meu trabalho

- trabalho nada você terá que ir conosco 

- até parece, me peguem se forem capazes (olha o duplo sentido) - disse e mostrando a língua para eles e começo a correr 

- essa garota não tem jeito nunca achei que ia ter que usar isso um dia- o policial saca dá cintura uma arma de choque e atira em Rebecca o que faz a mesma cair no chão desacordada 

Alguns minutos depois

Eu comecei a acordar e vejo que estava no bando de trás dá viatura de polícia 

- o que você vai fazer comigo, me prender- eu perguntei 

- não, infelizmente você só tem 17 anos então não podemos prender você ainda, então vamos levar você para a sua casa- disse o policial

É agora qual vai ser a reação do meu pai, na verdade porque eu estou pensando nisso eu já fui pega pichando varias vezes e nada acontece eu podia fazer isso pra sempre já que eu sou de menor eu sou livre posso fazer o que eu bem entender e ninguém pode me impedir, quando me toco vejo que eu já estava em casa e os policiais me tiram dá viatura e começam a bater na porta de casa derrepente alguém abre a porta e para o meu azar era o meu pai

- O de sempre senhor Joel - disse o policial me deixando na porta de casa

- OK - disse o meu pai suspirando 

- Fique mais atento com o que essa garota faz dá próxima vez ela concerteza vai para um reformatório, tinha um dia - disse o policial indo embora 

Eu aproveito que meu pai estava distraído e começo a andar lentamente na sorte dele não perceber porém não deu certo 

- REBECCA!!! - gritou o mesmo

- o que foi pai - eu perguntei

- você tem ideia do que você faz, já foi a quarta vez seguida porque você não para com isso é começa a assumir suas responsabilidades!

- e quais seriam essas responsabilidades?

- exemplo, você deveria estar estudando e segundo você deveria também morar sozinha na sua idade eu já está me formando...

- bla bla bla o mesmo papo chato de sempre acha mesmo que eu preciso do senhor eu não tenho mãe e muito menos um pai! - eu disse

- então se é assim vá embora dessa casa e nunca mais VOLTE!!!- disse ele

- por min tudo bem - eu disse abrindo a porta e indo embora 

Eu nunca achei que um dia eu chegaria a esse ponto tô pouco me lichando para o que aquele velho diz eu sou livre posso fazer oo que eu quiser, derrepente eu sinto a inspiração para fazer uma arte e começo a correr para procurar um outdoor e para a minha sorte havia um bem mais perto do que eu imaginava 

Comecei a criar a minha obra prima e eu acho que essa seria a mais ambiciosa que já havia feito porque eu estava pichando o outdoor que ficava na delegacia da polícia, alguns minutos de trabalho finalmente termino era uma borboleta com uma asa azul e a outra de roxo e como eu disse antes, eram as mesmas cores do meu cabelo é por sorte dessa vez eu consegui assinar e no exato momento que eu faço isso os policiais vêem a cena

- ei garota saía daí de cima- gritava um deles

- como queira - eu disse pulando de cima do outdoor e caindo em cima do mesmo 

Eu saio de cima dele é comecei a correr em direção dá rua 

- você fique com as mão para o auto - disse o mesmo policial apontando sua arma em minha direção

- até parece...- eu não terminei a frase porque um caminhão bate com uma das viaturas dá polícia e quase cai encima de min e o caminhão cai com tudo no chão e vejo varias pessoas saindo de dentro e por coincidência vejo o carro de meu pai por perto o mesmo sai do carro e começa a correr em minha direção,"nunca espero que algum dia ele teria essa reação", porém um homem que estava usando uma roupa de preso sai do caminhão me segura e me faz de refém 

- você por favor solte a minha filha - dizia meu pai desesperado 

- escuta eu não quero machucar ninguém eu só quero ser livre- diz o homem estendendo seu braço esquerdo e saem varias partículas de neon do braço do mesmo 

- espera eu posso ajud... - eu digo  é toco no braço do mesmo e derrepente eu tenho uma visão pareciam ser memórias de alguém, quando recobro a minha consciência varias luzes e partículas de neon roxas e azusi saem de meus dois braços e derrepente tudo explode e eu caio inconveniente no chão inconsciente 

Alguns minutos depois

Eu acordo e vejo que pelo meu redor tudo estava pegando fogo eu começo a me levantar e percebo que meu pai estava do meu lado eu chego perto do mesmo e pego em seu rosto porém 

- pai acorda... pai, pai, pai, não pode ser - eu disse começando a chorar porque percebo que meu pai havia morrido

Será que as coisas poderiam ficar piores, "eu não deveria ter dito isso", vários homens de uniforme escrito DUP aparecem e começam a me cercar

- você, bioterrorista pare onde está - dizia um deles apontando uma arma em minha direção

- eu não sou uma BIOTERRORISTA!!! - derrepente meu corpo brilha mais uma vez com varias particulas saindo de meus punhos com correntes surgindo de minhas mãos...

CONTINUA.....

 














Notas Finais


Não esqueça de comentar e se vocês gostaram favoritem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...