História Goodbye - Larry Stylinson - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~MateusMendes0

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony, Greyson Chance, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Camren, Greyson Chance, Harry Styles, Larry, Larry Stylinson, Louis Tomlinson
Exibições 61
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi! Aqui estamos nós com mais uma nova fanfic! Yeah, tem tantas e a gente anda demorando muito a atualizar, mas isso vai logo se resolver, eu juro u.u Bom, eu não tenho muito a dizer, mas a ansiedade de postar veio então aqui vem com mais um capítulo para em seguida ter att de YOUTH, bom, é isso. Boa leitura!

PS: A casa da foto foi a mais parecida com a descrição, então coloquei essa mesmo, porém podem imaginar como quiserem <3

Capítulo 1 - Prólogo - Wild Things


Fanfic / Fanfiction Goodbye - Larry Stylinson - Capítulo 1 - Prólogo - Wild Things

PRIMEIRO CAPÍTULO - "Mas você e eu somos pioneiros 

Fazemos nossas próprias regras 

Nosso próprio ambiente, sem preconceitos aqui 

Deixe-os vender o que quiserem 

Não há compradores aqui" - Alessia Cara, Wild Things. 

 

Louis Tomlinson, Point of View. - 24/01/17 - Bradford, Reino Unido. 

 

- Ah, Hazzy! Não custa nada ir comigo nesse almoço, aposto que meus pais estão arrependidos pelo modo que te trataram naquela vez e nos chamaram agora para se redimir. - Digo tentando convencer ao meu namorado a me acompanhar, embora tivesse dúvidas sobre isso. 

 

- Boo, você sabe como eu adoraria ir com você comparecer nesse evento em família, mas não acho que seus pais estão arrependidos ou que irão se redimir, melhor eu não ir. - Fala ao se aproximar de mim, entrelaçando seus braços em torno de meu pescoço. - Mas eu juro, que se algum dia eles realmente nos aceitarem e quiserem se aproximar de mim para tentar entender a nossa relação, eu darei o espaço que eles me pedirem para isso. - Bufo baixinho, queria que meu namorado me compreendesse e me fizesse companhia no almoço em família que meus pais tinham convocado e nos chamado. - Já disse para não ficar assim, Boo! - Ele deixa um pequeno beijo em meu maxilar e afasta seu rosto para então ficar parado me observando, eu estava com uma expressão séria, ele sabia que eu estava chateado por ele não querer ir, então volta a deixar mais alguns beijos molhados em volta de meu maxilar, me fazendo um nem tão discreto sorriso, o fazendo afastar-se mais uma vez e sorrir junto. 

 

- Eu apenas queria que você fosse comigo, só isso. - Falo e faço beicinho. - Falo e faço beicinho. Ah, qual é?! Qualquer pessoa faz manha para tentar conseguir o que quer, comigo não seria diferente. 

 

Ainda com um sorriso no rosto, você é muito muito manhoso, Tomlinson. - Ri, saindo de perto de mim para sentar no sofá. - Agora anda, vai tomar banho, daqui a pouco você tem que já estar lá. 

 

- Está bem, Styles. - Falo com raiva por não ter conseguido o que queria e saio da sala com passos fortes. Já no corredor que passa para os quartos escuto-o gargalhar. Idiota. Abro um sorriso e entro no quarto à caminho do banho. 

 

(...) 

 

- Família, cheguei! -  Exclamo ao entrar na grande casa que pertencia a meus pais. 

 

- Oh, meu filho! Estávamos esperando você chegar! - Minha mãe me fala assim que me vê, vindo ao meu encontro para abraçar-me. Reparo alguns outros membros da família reunidos entre os sofás e poltronas da sala principal assim que ela se afasta, então aceno em comprimento. - E o seu amigo, ele não veio? 

 

Puxo o ar com força ao ouvir a fala de minha mãe. - Mãe, e já disse; Harry não é meu amigo, é meu namorado. - Falo firme. - E não, ele não veio. 

 

- Oh sim, é claro. - Fala com o maxilar trincado. Não me importava se ela tinha ou não ficado com raiva, sabia que o problema não era eu namorar outro homem , mas sim porque Harry não tinha uma vida financeira tão boa quanto a da nossa família, nem seu sobrenome era tão valorizado. Coisas que para pessoas vazias, como meus familiares, importavam muito, e eu estava farto de saber disso. E sem falar que nada impedia a minha mãe a me empurrar para algumas garotas e até mesmo garotos, de boa classe social. - Bom, já que estão todos aqui, por que não irmos logo indo todos comermos? Marta me avisou que o almoço já estava pronto. 

 

Reviso os olhos ao ver a falsidade das pessoas ao meu redor, na realidade todos os presentes se odiavam e viviam falando uns dos outros pelas costas, competindo para ver quem é melhor, mas em almoços como este, pareciam todos unidos, como uma grande família feliz, mesmo não sendo essa a realidade. Começo a andar em pequenos passos lentos até a parte de trás da casa, onde ocorreria o almoço. Todos –exceto minha mãe que havia ido para a cozinha dar a ordem para servirem a refeição– já tinham me ultrapassado, não que isso importasse ou fosse algo de grande espanto, era sempre assim de qualquer forma. Enfim chego a grande mesa que fica de frente para uma piscina –enorme, diga-se de passagem– na parte de trás da casa, embaixo de uma espécie de telhado com quatro coluna abaixo para proteger do sol ou da chuva. Tanto faz, não tinha o mínimo interesse em saber o que era aquilo, ao contrário de meu pai, que estava sempre vendo essas coisas de casa e tentando me obrigar a ver também. Não é de todo espanto, visto que ele é um dos maiores arquitetos do estado. 

 

– E então Louis, como anda a faculdade? – Pergunta uma de minhas tias por parte de mãe. Suspiro, sabia que não demorariam a falarem disso apenas por não ter sido o curso que meus pais queriam que eu me submetesse 

 

– Bem, eu gosto muito de lá. – Respondo-a me sentando em uma das cadeiras que não havia sido ocupada, tentando falar o mínimo possível. 

 

– Eu não me recordo no momento de que era. O que é mesmo que você está cursando? Direito? – Pergunta, sabia que havia sido uma pergunta maldosa e intencional, todos sabiam que eu não seguiria nem os passos de meu pai, nem de minha mãe e muito menos o que eles queriam que eu seguisse, direito, e sim criar meu próprio caminho, portanto não faria nenhuma das porcarias que me eram sugeridas. 

 

Abro um falso sorriso em sua direção e respondo tentando não soar rude para não perder a razão. – Não tia Mary. Eu faço faculdade de filosofia, já havia lhe dito antes, na última vez em que nos encontramos, pelo que nas minhas contas foi a milésima vez desde que entrei na faculdade. 

 

Minha tia abre a boca para rebater, mas desiste ao ver que não teria nenhum argumento, já que eu não lhe faltei com respeito e a respondi o mais educadamente possível. Logo minha mãe chega com alguns dos empregados da casa atrás dela, todos com bandejas para nos servirem. – Que todos aproveitem o almoço! – Exclama minha mãe. Mal sabia que com aquela maldita história de almoço terminaria. 

 

(...)


Notas Finais


Perdão pelo capítulo sem graça, mas foi que dentre as outras escolhas para ser o primeiro esse foi o mais legalzinho, que representou mais sabe? Ah, ficamos gratos a todos que leram :) Bom horário!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...