História Gorgeous - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Exibições 14
Palavras 1.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem!

Capítulo 2 - II


Fanfic / Fanfiction Gorgeous - Capítulo 2 - II

Lauren point of view

Depois de um dia de aulas estressantes eu recebi um comunicado pela irmã Alice que a madre queria conversar comigo em sua sala. Por segundos eu tremi na base e pensei ter sido descoberta. Fui andando em direção ao corredor que dava na sala da madre e quando parei em frente a porta notei que estava tremendo. Bati na porta e esperei alguma resposta.

- Pode entrar - a voz da madre saiu de forma abafada. Entrei e avistei a mesma sentada de forma intimidadora me encarando, ao mesmo tempo que sorria e tentava, de alguma forma, me passar segurança.

- Madre, eu..

- Irmã Lauren, essas coisas acontecem nas melhores famílias, espero que saiba que todos estamos aqui para te apoiar - ela me cortou, falando em tom calmo. Espera, como é?

- Desculpe? - retruquei franzindo as sobrancelhas.

- Não vejo forma melhor de dizer isso, mas sua avó morreu - ela concluiu seu pensamento, fazendo tudo ficar em câmera lenta.

- E-eu..

- Está tudo bem querida, seu pai está numa viagem de negócios, então nos ligou e pediu pra que você passasse um mês com uma amiga que ele tem como irmã e confia muito. A localizamos e ela já está a caminho - ela me interrompeu novamente, tocando meu braço de leve. A primeira lágrima escorreu e junto a ela, várias outras.

- Tudo bem, só vou arrumar minhas coisas, madre - eu falei quase de forma sussurrada, com os olhos marejados. Ela apenas assentiu. Me virei e sai da sala, indo em direção ao meu quarto. Assim que entrei Lucy se sentou de forma apressada na cama, e quando viu meu estado veio me abraçar, sem questionar ou me julgar.

- Shh, vai ficar tudo bem - dizia de forma baixa, abraçada comigo.

- Eu realmente preciso arrumar minhas coisas - falei de forma abafada no ombro dela. Ela se afastou sem dizer nada, me dando o espaço que precisava - Minha avó morreu - soltei de repente, olhando para o nada.

- E-eu realmente sinto muito, Laur - ela disse baixo.

- Está tudo bem, eu volto em 1 mês - informei e comecei a arrumar minhas coisas, até que tudo que eu achei que precisaria estivesse na mala.

- Eu amo você - Lucy disse quando me levantei para ir encontrar a madre e sair do convento.

- Eu também - respondi a abraçando e seguindo para sala da madre. Quando cheguei na frente da mesma a porta abriu, revelando um homem alto e com aparência de 40 anos, revelando a madre logo atrás, assim eu percebi que os dois conversavam animados.

- Lauren, esse é o Alejandro, ele é motorista da amiga que o seu pai falou, e ele veio te buscar - a madre disse sorrindo para mim e logo em seguida para ele.

- Sinu está louca para te ver, mas não pode vir, quis preparar um jantar especial - Alejandro falou exibindo um sorriso amigável a mim.

- Tudo bem, eu estou pronta e ansiosa também - respondi a ele, corando.

- Então tudo ok, qualquer coisa ligue e estaremos prontas para te receber - a madre disse para mim - Tchau, vão com Deus - finalizou entrando em sua sala novamente, deixando eu e Alejandro a sós.

- Vamos? - ele perguntou apontando o caminho para mim.

- Vamos - fui na frente até chegar ao estacionamento em frente ao convento.

- Esse é o carro, entre - Alejandro disse parado ao lado de um Porsche prateado. Entrei no mesmo e seguimos em silêncio durante o caminho.

[...]

Depois de 30 minutos de viagem, chegamos à um condomínio muito luxuoso, todo arborizado e bem alegre. Alejandro dirigiu por mais 5 minutos até parar em frente a uma casa grande e branca, com portas de madeira.

- Chegamos - falou de forma animada saindo do carro. Saí logo em seguida, o acompanhando para dentro da casa, que era muito mais bonita por dentro - Dona Sinu, já chegamos - ele disse assim que entrou.

- Estou na cozinha, cadê ela? - respondeu meio gritado da cozinha.

- Está aqui - Alejandro gritou de volta. Logo uma mulher com aparência bondosa e cansada apareceu, enxugando as mãos em um pano de prato enquanto andava em minha direção.

- Oh meu Deus, você está enorme! - a mulher que eu acreditava ser a Sinu, veio falando em minha direção me abraçando - Sinto muito que nosso encontro tenha sido por uma causa ruim, mas eu estou feliz que tenha vindo - ela completou me olhando de cima a baixo com as mãos apoiadas em minha bochecha - Está dispensado, Alejandro.

- Sim senhora - ele respondeu se retirando.

- O seu quarto é o último do corredor, espero que goste e se sinta em casa, vá guardar suas coisas e desça para comer - ela ordenou voltando para cozinha.

Me dirigi até o quarto, era branco com detalhes marrons. Sofisticado. Deixei minha mala no quarto e voltei para a cozinha. Me sentando na mesa em frente a Sinu. Comemos em silêncio e quando acabamos Sinu me lançou um olhar de conforto.

- Se quiser pode ir dormir - ela falou sorrindo fraco. Assenti e fui para o quarto, tomando um banho e me deitando em meio às cobertas fofinhas e confortáveis que estavam dispostas na cama.

[...]

Aos poucos retomei minha consciência, olhei para janela e ainda era noite, estava suada e com muita sede. Me levantei com o máximo de cuidado possível e caminhei para cozinha. Abri o armário e peguei um copo, logo enchendo o mesmo de água gelada do filtro. Bebia calmamente a água no escuro, era possível enxergar algumas coisas. Terminei o copo de água e ouvi passos leves vindo da entrada da casa, imediatamente peguei uma faca suja, da pia e fiquei apontando em direção ao corredor. Os passos se aproximavam e logo tomaram a forma de uma pessoa. Tremi por inteira, vendo a minha vida passar como um filme diante dos meus olhos. Quando a pessoa estava perto o suficiente eu chutei a perna dela e joguei a faca em direção reta, acendendo a luz rapidamente. Ouvi um grito feminino logo em seguida, o que me fez franzir a testa. Olhei para o chão e vi uma menina com a mão na perna.

- Qual o seu problema? - a menina gritou, raivosa. Espera, eu conheço essa voz. Olhei novamente e vi os olhos que tanto me perturbavam.

- M-me desculpe - falei nervosa, me desesperando.

- O que você ta fazendo aqui? - ela perguntou de forma grosseira enquanto se levantava do chão, ficando uns 15 centímetros maior que eu.


Notas Finais


beijos de luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...