História Gorjeta - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Exo Chanbaek Baekyeol
Visualizações 9
Palavras 1.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Policial
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu voltei de novo. Saudades hein. Esse capítulo é bastante revelador e um pouquinho dramatico mas é bom para a evolução da história. Boa leitura.

Capítulo 4 - Enganado pelo básico


Fanfic / Fanfiction Gorjeta - Capítulo 4 - Enganado pelo básico

Uma semana depois, meu mundo se reinventou.

Primeiramente, eu sentia falta do meu melhor amigo, que por sinal, não atendia meus telefonemas e nem respondia minhas mensagens. Talvez Jongin tivesse sequestrado ele.

Não ria, aquele cara é bem louco.

Esses últimos dias foram os mais lucrativos para mim. Quem sabe no final do mês eu consiga a metade do meu salário só em gorjetas?

Eu estava sim muito feliz, mas o meu lado neurótico não me deixava quieto.

Sem Kyungsoo, eu praticamente havia deixado meus pais aos lobos - quase literalmente - e se algum deles passasse mal? Aquela região não pega o celular direito.

Esfreguei meu rosto irritado.

ꟷ Se acalme, ele está quase chegando.

ꟷ Minseok grunhiu dando uma cotovelada em Tao. Bem feito.

ꟷ Ele quem? ꟷ Me fiz de desentendido.

ꟷ Seu paquera mau humorado.

Fiz uma careta.

ꟷ Quem fala "paquera" em pleno século XXI?

ꟷ Não vai me desmentir?

ꟷ Iria adiantar?

Minseok gargalhou baixo dando de ombros.

ꟷ Não.

Então pronto caralho.

Limpei o balcão com força, desejando que fosse o pescoço do meu chefe inconveniente. Dê confiança pras pessoas e veja o que elas lhe dão em troca. Mas eu deixei toda a minha irritação de lado quando o sininho da porta tilintou, naquele horário, eu eu admito ter me acostumado.

Nossos olhares se cruzaram e eu desviei segurando o sorriso ao pegar meu bloquinho.

As vezes eu agradecia por controlar minhas reações...

ꟷ Bom dia Chanyeol.

Ele deu um sorriso largo se espreguiçando na cadeira. Eu descobri que esse mesmo sorriso tinha um efeito indesejável em mim, fazia minhas mãos suarem  e eu engolir em seco.

Sim, eu me sentia malditamente atraído por ele e isso era uma péssima distração, que no final me irritava. Eu era um homem adulto, não uma garotinha suspirante.

Eu tentei afasta-lo nos dias seguintes, mas Chanyeol se recusava a ser atendido por outros funcionários, e a isso acontecia ficava profundamente ranzinza. Se ele batesse o pé no chão e fizesse biquinho não iria me surpreender.

Cada vexame que esse homem me de passar.

Sua personalidade era a junção de mistério, seriedade e uma pitada de humor juvenil.

Fazia sentido?

Provavelmente não.

Esse sou eu tentando entender e preservar minha sanidade perto do meu cliente de personalidade forte.

ꟷ Vou querer o de sempre. ꟷ Falou sem pegar o cardápio, provavelmente tinha decorado tudo que tinha ali mesmo.

ꟷ Okay.

Ele ficou me analisando sem disfarçar e limitei-me a erguer uma sobrancelha em questionamento.

ꟷ Fala logo Chanyeol. ꟷ Explodi frustrado.

ꟷ Que humor é esse? ꟷ Indagou. ꟷ Vou mudar de atendente, você devia ser mais simpático como no primeiro dia que vim aqui.

Tá vendo o que tenho que suportar?

Eu preciso sustentar três bocas e ele vem me irritar enquanto eu podia atender três pessoas ao mesmo tempo.

ꟷ Você não vai mudar de atendente. ꟷ Afirmei. ꟷ Por favor, Sr. Park eu preciso terminar meu trabalho.

Seu rosto permanecia impassível, e eu não conseguia ler nada que se passava naquela cabeça.

ꟷ Posso lhe acompanhar no almoço?

ꟷ Questinou simples.

Pisquei.

Respirei fundo.

ꟷ Oi?

Ele franziu o cenho.

ꟷ Almoço é a refeição em que as pessoas costumam... ꟷ Começou com ar soberbo.

ꟷ Eu entendi. ꟷ Resmunguei. ꟷ Eu saio às 13.

Só Deus sabe o motivo de eu ter concordado com aquela loucura. Eu nem conhecia o homem direito.

Servi Chanyeol a contra gosto, e só lhe dei atenção pra pegar minha generosa gorjeta. Eu devia ser mais agradecido? Devia. Mas o Park não merecia por estragar todos os meus planos, parecia ser proposital.

ꟷ Que bicho te mordeu? ꟷ Lay perguntou.

ꟷ Um pernilongo bem grande e bem estúpido também.

Ele bagunçou meus cabelos e eu dei um tapa discreto em sua mão. Garoto abusado.

Consegui mais vinte pratas com muito suor. Tinha sorriso tanto para meus clientes que sentia medo de sofrer uma paralisia facial e ficar com aquele sorriso pra sempre.

Depois passei a resmungar sobre como eu era idiota.

Eu não tenho transtorno de bipolaridade, não me ofenda leitor, só sou um pouco estressado.

O tempo passou relativamente rápido e logo era uma da tarde, o momento que eu tinha combinado com o Park. Fui ao banheiro trocar de roupa E acendeu para Minseok e Lay antes de abrir a porta.

Quando sai, Chanyeol estava encostado em seu carro conversando sério com alguém em seu celular, parecia estar furioso na verdade, franzia as sobrancelhas com os punhos fechados, pronto pra nocautear alguém.

Me aproximei cautelosamente, e ao me avistar tratou de desligar o celular e guarda-lo rápido. Aquilo me deixou curioso? Deixou. Mas eu já lhe disse uma vez que não ligo para fofocas.

ꟷ Achei que não fosse vir. ꟷ Brincou abrindo a porta do passageiro para mim. Algo no tom de voz não me fez acreditar em suas palavras.

Acenei em agradecimento pela porta e entrei no carro. Era bem aconchegante por dentro, bonito e caro também. Ele devia ganhar bem, muito bem com seu emprego.

O carro tinha cheiro de café e pães recém assados. Sorri diante do meu pensamento.

ꟷ Para onde vamos? ꟷ Quebrei o silêncio assim que ele se acomodou ao meu lado. Com aquela proximidade ele ficava bem mais intimidante para quem não era acostumado com a sua presença.

ꟷ Um restaurante que eu particularmente gosto. Serve de tudo um pouco, mas é especializado em massas. Suponho que é o que goste. ꟷ Ditou ligando a rádio enquanto meu queixo ia ao chão.

ꟷ Como sabia? ꟷ Questionei perplexo. Eu sou fissurado em massas.

Ele fez descaso um um gesto mãos.

ꟷ Você tem cara de quem gosta dessas coisas.

Eu não me convenci. E não só isso... fiquei ainda mais desconfiado.

ꟷ Andou me investigando foi? ꟷ Brinquei.

Chanyeol desviou o olhar do trânsito para mim rapidamente e sorriu de lado.

ꟷ Mais ou menos isso.

Eu entalei com a saliva e ele gargalhou alto, com aquela voz rouca retumbando pelo carro.

ꟷ Brincadeira.

O silêncio se instalou até agradável considerando as circunstâncias. É em alguns minutos chegamos ao tal restaurante. Pelo porte era bem mais do que eu podia pagar, quando desci do carro e Chanyeol ficou ao meu lado puxei seu casaco para chamar a sua atenção.

ꟷ Eu vou pagar. ꟷ Murmurou praticamente lendo meus pensamentos.

E embora meu orgulho fosse alto, minha vontade de comer ali era bem maior.

Que foi?

Essa oportunidade não se tem duas vezes na vida. Pelo menos na minha não.

O lugar era lindo. Os vidros deixavam a luz entrar e fazer um efeito sobre as mesas, mas não em excesso. A decoração era florida e uma das paredes era ocupada por várias opções de vinho.

Uma moça muito bonita veio nos atender e Chanyeol citou sua reserva. Acompanhei os dois no automático, encantado demais para prestar atenção na conversa.

Ficamos em uma das mesas mais distantes, o Park sugeriu meu prato, já que aqueles nomes era bem esquisitos E eu confiei no seu bom gosto.

Assim que a garçonete se afastou, Chanyeol ficou bem mais sério do que costumava ser.

ꟷ Que cara é essa?

Ele suspirou como se estivesse profundamente cansado.

ꟷ Me desculpe Baekhyun, você é um cara legal e eu sinto muito ter feito isso, mas preciso de sua ajuda.

Meus neurônios funcionaram a mil quilômetros por hora, quase senti o cheiro de queimado deles fritando.

ꟷ Eu não estou entendendo.

Ele mexeu nervoso nos bolsos do casaco e me estendeu uma carteira. Olhei para ela e peguei com cautela, assim que abri quase não acreditei no que via.

ꟷ I-isso é legítimo? ꟷ Balbuciei incrédulo.

Ele discretamente mostrou um crachá para confirmar.

ꟷ Por que está me falando isso?

ꟷ Por que eu confio em você para me ajudar na conclusão da minha missão.ꟷ Admitiu. ꟷ Eu sei que tem dois pais com problemas de saúde, sei que trancou seu curso de direito e sei que precisa de dinheiro.

Aquilo foi como ter me dado um soco de realidade. Algo na minha garganta ficou presa com a indignação e raiva. Era a minha vida e mesmo sendo um agente do FBI de merda, não precisava escutar tudo de uma vez da boca de outra pessoa.

Aquela homem não era meu cliente ranzinza, era um desconhecido. Minha mente foi me metralhando de flashbacks... e eu percebi ter sido usado.

Frequência, duração e intensidade... ele tinha usado a fórmula da amizade que eu conhecia tão bem de uma maneira bem mais sutil. Eu tinha falhado.

ꟷ Sou sou disfarce não é?

Ele teve a dignidade de ficar sem graça.

ꟷ Eu sinto muito, não tive opção. Por isso estou contando para você.

ꟷ Não desculpo. ꟷ Cortei frio ꟷ Eu não tinha nada a ver com seu trabalho. Você me estressou além do limite enquanto podia me deixar em paz.

ꟷ Você é bom em manipulação Baek.

Agora eu entendo por que meus truques não funcionavam com ele.

ꟷ E dai?

ꟷ Se você me ajudar com meu disfarce eu vou te dar uma boa contribuição. Boa o suficiente para voltar para seu curso e deixar aquele emprego.

Assenti em estado de choque.

Era muito informação de uma vez só.

Ele era um agente, portanto era confiável e estava me oferecendo uma excelente oportunidade. Tudo pelos meus pais e um futuro melhor para nós.

ꟷ O que eu preciso fazer?

Park suspirou aliviado.

ꟷ Fingir ser meu amigo e me dar algumas informações. ꟷ Disse esperançoso. ꟷ Minha aproximação foi proposital e me desculpe novamente por ser tão babaca.

ꟷ Eu vou ser protegido? E meus pais também?

Ele confirmou em silêncio.

ꟷ Por quem? ꟷ Insisti.

ꟷ Por mim. ꟷ Falou me fitando, com plena segurança em sua capacidade. ꟷ Mas terão reforços por perto sempre.

ꟷ Posso saber o que está investigando?

ꟷ Tráfico de armas e drogas. ꟷ Respondeu sem titubear.

Calculei os prós e os contras. Eu tinha escolha no final das contas? Claro que não. Mesmo assim...

ꟷ Eu aceito sua proposta. ꟷ Falei me levantando. Eu tinha perdido toda a fome com tanta confusão, Chanyeol fez mensão em levantar mas eu o parei. ꟷ Me deixe ir, por favor.

Sai daquele restaurante vendo o quão assustador era ver as espectativas falhando bem diante dos meus olhos. Peguei o primeiro táxi que vi pela frente.

Ao me encostar no banco e olhar para baixo, pude perceber que minhas mãos tremiam.


Notas Finais


Espero que tenham entendido algumas situações. Próximo capítulo tem mais. Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...