História Gossip Girl - Interativa - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~BlueOceans

Postado
Categorias Gossip Girl
Personagens Personagens Originais
Tags Gossip Girl, Interativa
Visualizações 96
Palavras 1.950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, FemmeSlash, Ficção, Hentai, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, amores, aqui é a Babi, aka BlueOceans, dessa vez sou eu que vim postar o capítulo.
Ele ficou grandinho até, espero que vocês gostem <3

Capítulo 4 - Momentos estranhos.


Enquanto a professora Rachel terminava de passar o último exercício sobre função polinomial, o alarme avisando que a última aula tinha acabado soou, indicando que eles já poderiam guardar o material e irem embora. Descontente, ela sorriu desanimada, pois seu objetivo era passar mais duas lousas, na intenção de ferrá-los.

Rachel era uma mulher muito bonita, entretanto, com uma personalidade perversa, o que provocava medo nos alunos. Mesmo com um sorriso lindo e cativante, ela estava ali para fazer da vida deles um verdadeiro inferno, principalmente por ser o último ano deles ali.

— Estão liberados. — anunciou, começando a limpar a lousa. A morena aproveitaria outro dia para lotá-los de lição. — Peço que, por favor, vocês arrumem as carteiras antes de sair, tudo bem?

Como resposta, eles assentiram, terminando de guardar os materiais e iniciando a arrumação da sala. Enquanto praticamente todos saíram, Ada, Matteo e Frank ficaram lá, terminando de organizar tudo, porque alguns engraçadinhos só enrolaram e não ajudaram.

— Obrigada. — a ruiva sorriu para Matteo quando ele lhe ajudou com uma cadeira pesada, porém, o rapaz não retribuiu.

Ada não sabia, mas o moreno estava atrasado para um compromisso, por isso não prestou atenção nela. Sem dizer nada, ele saiu da sala, praticamente correndo, pois deveria acelerar o passo se não quisesse levar um bronca.

— Garoto sem educação. — Frank murmurou para si mesmo, saindo dali ao lado da menina, consequente esbarrando nela quando passaram pela porta ao mesmo tempo. — Ah, me desculpe, foi sem querer. — pediu, abaixando para ajudá-la a pegar suas coisas que caiu devido ao esbarrão.

Sem prestar atenção, ela observava Matteo saindo da sala, fazendo os lápis que estava recolhendo cair de suas mãos.

— Ele não é lindo? — perguntou a si mesma, nem notando o olhar estranho que Franklin lhe direcionou.

— Como? — ergueu a sobrancelha, ficando de pé após terminar de ajudá-la.

— Ah, me desculpe. — sorriu sem graça. — Não percebi que estava aí.

— Não? — ele deu risada, balançando a cabeça negativamente. — Você não notou que esbarrei em você e todas as suas coisas caíram?

— Oh, caíram? — a ruiva realmente não estava prestando atenção, pelo que parecia sua mente estava em outro lugar, ou melhor, alguém. — Obrigada por me ajudar, então.

Frank respondeu um “de nada” em tom baixo, passando a caminhar pelo corredor, não vendo a hora de finalmente estar fora do colégio. No entanto, quando pensou no olhar de Ada sob Matteo ele resolveu voltar, talvez para dar alguns conselhos.

— Você não está interessada nele, está? — questionou na cara dura, sem ter vergonha na cara. Frank era realmente um esquisito.

Surpresa com aquela pergunta, Ada sorriu envergonhada. Ela não sabia o que responder, apenas tinha o achado realmente muito bonito, o garoto aparentava ser o seu tipo ideal.

Achando graça na cara que ela fez, Frank deu um sorriso sacana. Era cedo demais para ficar interessada em alguém, o ano letivo mal havia começado.

— Não, não estou. — a ruiva não tentava não convencer só ele, mas também a si mesma.

— Se você diz… — ajeitou a mochila no ombro. — Bem, ele é realmente bonito, mas não se iluda. Ele nem retribuiu o seu sorriso, garanto que há outro garoto melhor por aí, então não vá se interessando pelo primeiro que viu. — aconselhou, em seguida lhe dando as costas.

Não deu nem tempo para ela responde, Frank entrou no corredor da esquerda e sumiu, deixando-a ali, confusa com o seu conselho. Quem ele era para lhe falar aquilo? Na verdade, o que o esquisito quis dizer com “garanto que há outro garoto melhor por aí”?

Com a mente confusa, ela começou a caminhar para fora do colégio, pensando no que Franklin disse.

É, ele realmente tinha conseguido fazê-la cismar com aquilo.

 

(...)

 

Na biblioteca, Drusilla tentava achar algum livro que a agradasse, mesmo sendo difícil. Aquele lugar era enorme, com mais de oito prateleiras de madeira escura, combinando com as cadeiras brancas em volta das mesas que tinha ali para quem quisesse aprofundar os estudos. Em um canto afastado, perto das enormes janelas de vidros, algumas espécies de almofadas grandes estavam sob um tapete branco felpudo, tudo para deixar os alunos confortáveis na intenção de fazê-los pegar gosto pelo estudo. Afinal, um lugar calmo e confortável podia ajudar muito, pelo menos isso era o que a diretora pensava.

Quando a garota chegou no corredor de literatura moderna, mais alguém estava ali também, procurando algo interessante para ler devido ao tempo livre que tinha. Mais especificamente, Elliot, o garoto que a impediu de cair no teatro.

Decidida em agradecê-lo depois, Gabrielle resolveu continuar procurando por algum livro, encontrando um que lhe chamou a atenção. Assim que ela tentou pegá-lo, outras mãos também fizeram o mesmo. Drusilla se assustou, deixando alguns livros cair no chão, provocando um risada nele.

— Minha mão não tem dentes, caso você tenha achado que ela ia te morder. — brincou, ficando de joelhos para ajudá-la recolher os livros.

Frustrada, ela não o olhou, com aquele comentário Dru não queria agradecê-lo, muito menos olhá-lo.

— Obrigada. — foi a única coisa que disse, indo até as almofadas para desfrutar de uma boa leitura, já que com aquela distração ela conseguiu pegar o livro.

Achando engraçada sua atitude, Elliot resolveu segui-la, pronto para perturbá-la um pouco. Com um sorriso sacana, sentou na almofada ao lado dela, deixando-a incomodada com seu olhar. Desconfortável com ele a olhando ler, Drusilla bufou, fechando o livro.

— O que foi? — perguntou, séria. Suas sobrancelhas estavam erguidas, enquanto ela mordia o lábio, certamente um pouco irritada.

— Nada. — respondeu, praticamente deitando na almofada. Elliot parecia que estava em sua casa.

— Então você poderia parar de me olhar, talvez?

— Você está gostando da escola? — ignorou sua pergunta, tentando ser legal com a garota, mesmo que ela aparentando estar irritada consigo.

Drusilla mordeu os lábios de novo, pensando se deveria responder ou não. Não era nada de mais respondê-lo, certo?

— Acho que sim, e você?

— Ah, eu já estudei aqui, então, digamos que estou acostumado com tudo isso. — sorriu. — Você gosta de literatura moderna?

A garota olhou para o livro que tinha em mãos, percebendo no seu relógio de pulso que se ela não corresse, chegaria atrasada para o trabalho.

— Eu tenho que ir.— levantou rapidamente, praticamente correndo para fora dali, sem ao menos se despedir, deixando o livro para trás.

Elliot deu risada, sorrindo ao pensar o quão engraçada ela conseguia ser, mesmo que não fosse sua intenção.

— Ela parece legal. — murmurou para si mesmo, levantando para guardar o livro.

 

(...)

 

O sinal que indicava o final das aulas do dia tocou, e o alívio era visível em todos os alunos. O inicio do ano letivo era sempre o mesmo, animação para as aulas nos primeiros dias, mas após uma semana todos desejam voltar no tempo e continuar de férias. O sentimento era particularmente forte com Leon, que além de ter de voltar as aulas, tinha a ameaça constante de ter sua vida arruinada pela mesma pessoa que afastou vários de seus amigos daquele colégio.

Ele fazia seu caminho junto de Alexsandr, e ao achar na saída do colégio, viu uma figura distante se aproximando, e logo a reconheceu como sendo René. O garoto havia matado as aulas, por isso ele não tinha o visto o dia inteiro. Um sorriso se formou em seus lábios, e quando René se aproximou com os braços estendidos para um abraço, Leonardo deu um passo para encontrá-lo, mas tal gesto não estava direcionado a ele, e sim a Alex, que logo foi abraçado pelo garoto de cabelos coloridos.

O sorriso que havia se formado no rosto de Leon desmanchou-se na hora, e uma carranca tomou seu lugar.

— Alex! Eu não sabia que você estava estudando aqui. — René disse sorrindo.

— Pois é, foi uma decisão de ultima hora. — respondeu Alexsandr, retribuindo o sorriso.

— Vocês se conhecem? — perguntou Leon, se intrometendo na conversa e chamando a atenção dos dois garotos para si.

— Ah, sim, nós nos conhecemos nas férias. — respondeu René, colocando uma mão sob o ombro de Alex, que confirmou com a cabeça.

— Que coincidência, eu não fazia ideia que vocês dois eram amigos. — Alex comentou, alheio à aura negra que emanava de Leon, direcionada à ele. — O que vocês acham de irmos à uma sorveteria? O verão deveria estar acabando, mas parece que cada dia o calor dos infernos aumenta.

René e Leon concordaram, o tempo estava mesmo esquentando, e nada como algo gelado para se refrescar. Os três começaram a fazer seu caminho, Leonardo se aproximando de René, ficando entre ele e Alex.

Naquele momento, uma garota de longos cabelos loiros que Alex havia posto seus olhos em mais cedo passou, também indo embora, e ele não conseguiu se conter, resolvendo chamá-la.

— Ei! — ele chamou, atraindo a atenção da garota. — Astra Kim, não é?

A queen assentiu com a cabeça, olhando para Alex e sua companhia com um olhar crítico e avaliador.

— Você tem algo para fazer agora? — perguntou, fazendo com que Astra levantasse uma de suas sobrancelhas devido a pergunta. Mesmo sem dizer nada, era óbvio o que ela queria dizer. Aquilo era quase como esse estivesse perguntando “e porque isso lhe interessa?” — Nós vamos em uma sorveteria, e eu queria saber se você gostaria de se juntar à nós.

A garota analisou a proposta, não é como se ela realmente tivesse algo para fazer naquele momento, e a loira supôs que sair com os três não lhe faria nenhum mal. Definitivamente não seria uma vista ruim de se admirar.

— Tudo bem. — ela assentiu, indo em direção aos três garotos. — Mas vocês tem que pagar pelo meu sorvete.

 

(…)

 

Os quatro haviam pegado uma mesa ao lado da janela, onde cada um pediu seu sorvete. Astra estava sentada do lado da janela, com Leon ao seu lado, e na frente dos dois, estava Alex, frente à Astra, e René ao seu lado.

Os três garotos conversavam animados, enquanto a loira estava em seu celular, pelo que Leon conseguia ver, mais especificamente no Twitter, algumas vezes saindo do aplicativo e abrindo o Instagram, onde curtia várias fotos e logo voltava a outra rede social.

Ele honestamente se sentiu um pouco mal por Astra, Alex havia a convidado e ela estava quieta sem falar nada, e mesmo que a loira não parecesse desapontada nem nada do tipo, um olhar claro de tédio encontrava-se no rosto de Astra.

— O que está achando de Constance? — perguntou Leon, tentando iniciar um assunto com a garota ao seu lado.

Ela olhou da tela seu celular para olhar para ele, notando que a pergunta foi direcionada à si.

— É como qualquer outro colégio por ai, temos os grupos sociais: os populares, delinquentes, os perdedores, os atletas. — ela deu de ombros. — Nada de novo.

— Com a exceção de uma blogueira intrometida que adora espalhar segredos alheios. — Leon comentou. — Duvido que algum outro colégio também tenha uma Gossip Girl.

— Nem me fale dessa garota, se é que é uma garota. — Astra disse, rolando os olhos.

— E as aulas? O que estava achando?

— São relativamente fáceis, com exceção de tudo que envolva números, em especial, física. — ela respondeu, um certo nojo surgindo em sua voz ao mencionar a matéria.

— Você achou? — Leon questionou incrédulo. — Mas estava fácil.

— Fácil pra quem sabe. — ela diz, arrancando uma risada de Leonardo.

— Eu poderia te ajudar, se quiser. — ele ofereceu. — Já me disseram que eu sou um professor incrível — adicionou, sorrindo de canto.

— Pode ser, mas eu não vou te pagar nada pelas aulas, já vou avisando.

Com isso Leon deu mais uma risada, desta vez arrancando uma de Astra também. Os dois não notaram, mas as duas pessoas sentadas na frente deles, haviam parado de conversar e apenas observavam a interação de ambos.

Pelo jeito o jogo havia virado, não é mesmo?


Notas Finais


E aí? O que acharam?
A Alicinha iniciou o capítulo e eu terminei, desculpem se tiver algum erro ortográfico por aí, eu revisei, mas às vezes alguma coisa passa despercebida.

Vamos tentar não demorar com o próximo capítulo, até logo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...