História Gotham City: A City of Chaos and Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Ben Affleck, Gotham, Mulher Gato
Personagens Alfred Pennyworth, Barbara Gordon, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Damian Wayne, Dick Grayson, Edward Nashton/Nygma (O Charada), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Harvey Dent (Duas-Caras), Oswald Chesterfield Cobblepot (Pinguim), Pamela Lillian Isley / Poison Ivy (Hera Venenosa), Personagens Originais, Selina Kyle (Mulher-Gato), Stephanie Brown
Tags Batman, Ben Affleck, Catwoman, Gotham City, Kate Beckinsale
Visualizações 36
Palavras 1.803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii amores!! Atrasada eu sei, mil desculpas. Essa semana estive lotada de coisas e o sono está me consumindo, afinal eu estava acostumada com a rotina das férias, meu corpo ainda não se adaptou à nova rotina. Capítulo novo, próximo capítulo é o um dos últimos dessa primeira fase da Selina, vai ter muito fogo ainda. Para esclarecer uma coisa, a Selina e o Dick nunca tiveram um clima romântico, só uma vez nos quadrinhos que ela usou ele pra deixar o Batman com ciúmes, coloquei isso na fic pra causar certos atritos. Espero que gostem e me perdoem!! 💙💙💙💙

Capítulo 8 - The problems of love


Fanfic / Fanfiction Gotham City: A City of Chaos and Love - Capítulo 8 - The problems of love

Passado

Setember, 23. 2014. 16:03 A.m

Evitei Dick o máximo que eu pude, não por vergonha de ter dormido com ele ou medo de sua reação no dia seguinte da nossa noite. Mas sim porquê eu... Eu... Eu estava apaixonada por Dick Grayson. Irônico não? Eu, que jurei não me apaixonar tão cedo e muito menos colocar meu coração e minha vida em risco em relação aos homens, mas o que eu poderia fazer? Como minhas promessas poderiam se manter de pé ao conhecer Dick Grayson? Ele era simplesmente incrível, de todos os jeitos. Atencioso, educado, romântico, carismático, gentil, um sonho de homem para qualquer mulher. Mas como tudo que é bom dura pouco, eu fiz o que era melhor pra nós dois, o deixei dormir na manhã seguinte e fui embora do seu apartamento. Não estou triste, preferi fugir da “lua de mel” do que me envolver mais ainda com Dick, não me tornei Mulher-gato para conquistar Dick Grayson.

Evitei o traje de Mulher-gato nos últimos dias, minha mente estava tão avulsa nos últimos dias que eu nem conseguia pensar em roubos, ou qualquer outra coisa. Tudo por causa de Dick. Não quero problemas de amor na minha vida, eu sei o quanto é dura a queda do amor, e infelizmente se eu cair dessa vez, não vou ter asas para me ajudar na queda. Acaricio a cabeça peluda e pequena de Kitty enquanto olho para a televisão buscando me enterter com alguma coisa. O que eu mais vinha tentando evitar tinha acontecido, o amor de um homem. Engraçado, admito mas o que quer que eu sinta por Dick nunca vai me influenciar em nada, nunca mais vou me deixar levar pelos meus sentimentos por um homem.

A campainha toca, bufando, deixo Kitty deitada no sofá e ajeito o roupão salmão para me cobrir melhor, afinal eu estou em casa e completamente indecisa e perdida nos meus pensamentos, o normal á se fazer é ficar deitada com o minímo de roupas possíveis; era isso que eu vinha fazendo. Abro a porta e me deparo com Dick parado na minha frente e com uma mão apoiada na parede, seus olhos azuis me encaram seriamente e seu maldito perfume masculino cobre minhas narinas.

-O que você está fazendo aqui?

-Não é óbvio? Vim falar com você.

-Você enlouqueceu? Vá embora. Podemos nos falar outro dia, ok?- estava indo fechar a porta mas Dick me impediu ao colocar uma das mãos na porta e segurá-la.

-Vamos apenas conversar. Por favor, você me deve isso depois de tudo- respirei fundo antes de encará-lo.

-Tudo bem, depois disso você me deixa em paz. Certo?

-O que você quiser, um café seria bom agora. O que você acha?

-Tudo bem eu aceito tomar um café com você, mas só um café dessa vez.

-Só um café, eu prometo mas é melhor você se trocar- apontou para o meu corpo e pisquei várias vezes ao me tocar que estava apenas de roupão na sua frente. Mesmo que ele já tivesse me visto sem nada.

-Me dê 10 minutos e nós saímos- Dick concordou e eu rapidamente corri em direção ao meu quarto disposta a me trocar e dar um fim nisso de uma vez. Era isso ou sofrer por amor outra vez.

-Um café e uma explicação. É isso que você quer comigo?- indaguei enquanto olhava para a orla que Gotham tinha. Por incrível que pareça, a cidade do caos tinha uma, ou pelo menos uma parecida. Como o inverno havia chegado, o lago estava congelado e flocos de neve caíam sobre nós. O frio ainda estava suportável.

-Em parte sim, quer me dizer o que aconteceu pra você ter me evitado todos esses dias depois daquela noite na minha casa? O que eu fiz? Posso supor que eu fiz algo terrível pra você ter fugido igual uma procurada da polícia- Dick contimuava sério e lindo, o casaco de frio que ele usava parecia o deixar mais bonito.

-Você não fez nada Dick, eu apenas... Precisava e ainda preciso de tempo para absorver tudo isso, nós dois... Isso está indo rápido demais- tomei um gole do capuccino enquanto evitava olhar para as pessoas que passavam ali e nos encaravam com curiosidade.

As pessoas sabiam que eu era noiva de Max Shreck, e era super fora do comum que de uma hora pra outra que eu estivesse na companhia de outro homem, na companhia de Dick Grayson mais precisamente. Eu queria que as pessoas cuidassem das suas vidas e deixassem as alheias em paz, será que a vida delas é uma merda tão grande que ela é deixada de lado para se observar as outras. Eu seria capaz de dar um murro em qualquer um que ainda pensasse que eu tivesse algo com Max. Eu tinha nojo dele.

-Não me diga que isso têm a ver com Max? Está preocupada por causa dele? Selina, o que quer que ele tenha feito ou fizer contra você, saiba que eu quero e vou proteger você.

-Não cabe a você me proteger. Sei me cuidar sozinha, não sou uma donzela em perigo e nem as mocinhas frágeis que você costuma namorar. Sou totalmente dependente e não preciso de proteção- não mais.

-Têm razão, não cabe a mim fazer isso. Só você pode se proteger, por isso cabe a você decidir como quer que isso acabe. Eu não ligo se estamos indo rápido demais, eu gosto de você Selina, tudo em você me chama atenção e tenho certeza de que você sente o mesmo.

-Como pode saber que eu não estou fingindo? De que tudo o que eu disse, era mentira. Eu aprendi muita coisa...- me aproximei da borda da mesa, falando lentamente e Dick pareceu ficar nervoso -Eu aprendi a manipular os homens, assim como eu acabei de manipular você.

-Você não está me manipulando. Por quê é tão difícil aceitar que sente algo por mim?

-Porque eu não sinto nada. O que aconteceu na sua casa, foi só uma noite e apenas isso. Não vai se repetir.

-Um erro? É isso que significou pra você?

-Não um erro, eu diria que foi mais um impulso do momento. Como eu disse, fomos rápido demais. Posso ir agora? Já dei a sua explicação- ajeitei o laço preto do meu casaco e tomei mais um gole do capuccino.

-Depois de tudo você quer realmente ir embora e a sua explicação é essa? Selina me diga o que aconteceu de verdade. Eu não ligo pro que você vai dizer. Eu só quero que me diga a verdade, o que eu preciso fazer pra você acreditar de que não há nada nesse mundo que vá me impedir de me preocupar com você? Eu me preocupo com você mais do que eu já me preocupei com qualquer outra pessoa.

-Dick você é incrível. O problema não é você, sou eu. Eu não me sinto confortável em relação a isso, á nós dois. Já aconteceu tanta coisa que eu... É melhor eu ir embora- me levantei da mesa e comecei a caminhar para ir embora. Estava me afastando dali quando senti os braços de Dick me puxarem -Dick me deixe ir por favor.

-Selina eu estou completamente apaixonado por você. Como você não comsegue ver isso?- ele me trouxe para mais perto e meu coração amoleceu juntos com as feições do meu rosto -Me diga o que você quer, eu não ligo pra nada, a única coisa que eu quero no momento, é você.

-Não sou a pessoa certa pra você. É complicado de explicar Dick, nem eu entendo muitas vezes, eu... Eu não quero machucar você no final das contas. Você é incrível, um homem de ouro, você merece uma garota á sua altura- me permiti ficar com as mãos por cima dos seus braços que me seguravam pela cintura.

-Que se dane se você não é perfeita ou que já cometeceu algum erro. Todos cometemos, nem por isso você deixa de ser maravilhosa. Você é forte, independente, inteligente, e é perfeita na minha opinião. Você luta pelo que quer e é decidida em tudo que faz, você têm tantas coisas que me atraem.

-Quem brinca com fogo acaba se queimando.

-Não me importo de me queimar, até porque feridas se curam mas o que sinto por você...- Dick deixou sua boca á centímetros da minha -Não pode ser curado, nem explicado, apenas sentido.

Dick selou nossas bocas em um beijo quente e romântico, a muralha que eu estava construindo para me proteger dos meus sentimentos por ele, estava começando a cair. Fechei os olhos com força enquanto deixava Dick se envolver pela última vez, eu daria um fim nisso. Não iria usá-lo contra Max, ele não merecia. Eu podia quebrar o coração de muitos homens agora, mas pouparia Dick porque seus sentimentos por mim pareciam verdadeiros e fiéis, ele era tudo de bom e ruim para mim. Eu o queria e ao mesmo tempo não queria, estava fazendo um esforço tremendo em não me deixar levar totalmente por ele, se eu fosse tola e tivesse a plena certeza de que não iria me machucar no final das contas, eu teria sido mais fácil com ele. Meu lado sensitivo sabia plenamente que no final das contas um de nós dois sairia quebrado, e esse alguém provavelmente seria eu. O que eu queria evitar de todos os jeitos.

-Me diga que você aceita, ficar comigo e ir embora pra qualquer lugar- ele separou nossos lábios brevemente antes de me beijar com mais delicadeza.

-Isso tudo é uma ilusão, um jogo. Um jogo no qual não existe espaço para o amor, o amor pode nos levar á morte.

-Eu nunca quis tanto alguém como eu quero você agora. Só diga que aceita e vamos embora daqui. Selina o que você quer? Me diga- Dick segurou meu rosto e eu respirei fundo antes de dar o adeus definitivo.

-Eu sinto muito mas não posso...- tirei suas mãos da minha cintura e o olhei fixamente -Eu quero que você me esqueça e me deixe em paz, não sou a mulher que você quer. Tudo que aconteceu, tudo que você viu, foi porque eu quis que acontecesse. Você viu o que eu queria que visse. Não passou disso, eu não posso me comprometer com nada sério agora. Eu sinto muito mas eu não quero “isso”, não quero você, eu não posso mentir pra mim mesma. Adeus Dick e lamento te decepcionar tanto- virei de costas para Dick que me olhava boquiaberto e sem reação alguma.

Ele me deixou ir e ficou sem palavras. Enquanto eu andava para longe dele, meu olhos estavam á todo vapor nas lágrimas. Meu coração batia contra meu peito e eu chorava a medida que caminhava na rua, estava com uma mão na boca porque não conseguia formar palavras para descrever o que tinha acontecido. Fechei os olhos com força enquanto as lágrimas caiam e seguia pela rua aos prantos. Os problemas do amor são fatais. 


Notas Finais


Paro ou continuo? Não revisei porque passei a noite escrevendo o capítulo para não atrasar ainda mais e postar o mais rápido possível. Espero que tenham gostado, perdões novamente!! 💙💙💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...