História GP Brasil: Uma Historia de Amor {HIATUS} - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lewis Hamilton, Nico Rosberg
Personagens Lewis Hamilton, Nico Rosberg, Personagens Originais
Exibições 150
Palavras 3.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora, tava meio sem ideia e sem tempo mas voltei trazendo uma att do tamanho da bíblia!
Foto do capitulo: as roupas do encontro
Espero que gostem.

Capítulo 4 - III


Fanfic / Fanfiction GP Brasil: Uma Historia de Amor {HIATUS} - Capítulo 4 - III

PoV Narrador 

 O dia seguinte surgiu com um sol tímido em São Paulo, aquele seria um longo dia para todos, o piloto alemão teria um dia de compromissos, sessão de fotos, entrevistas para uma emissora de televisão e ainda um jantar com alguns famosos locais, ele teria que se esforçar muito nesse ultimo compromisso, ele detestava esses jantares com gente estranha que ele tinha que fingir gostar para sair bem nas fotos, o jovem Rosberg odiava ter de viver sob muitas aparências que exigiam dele, seu maior desejo era poder ser apenas o Nico sem ter de ser o famoso Rosberg, gostaria de ter um porto seguro, um lugar - ou alguém - aonde pudesse deixar o piloto de lado e ser o homem que ele realmente era. Júlia teria um grande dia de trabalho, teria que redigir a entrevista que havia feito no dia anterior, além de um texto introdutório da matéria e pensar em uma manchete para aquilo, ela não imaginava o quanto era difícil ter as melhores chances, mas era um preço baixo perto do que havia acontecido no dia anterior, Nico Rosberg havia pedido seu número, esse porém ainda não havia entrado em contato, talvez estivesse apenas brincando com ela, claro, só poderia ser isso, como era boba, ninguém como ele iria se interessar por ela. Júlia, realmente não sabia de nada, o louro havia mesmo se interessado por ela, ele porém, não havia conseguido um brecha na agenda para entrar em contato com ela. 

 PoV Júlia Pagani

 Saio do serviço e tudo que eu quero é ir pra casa, fiquei o tempo todo esperando Rosberg me ligar, mas isso não aconteceu, e me sinto muito idiota por isso, que imaginação fértil. Depois de sair so escritório, passo em um fast-food e compro um lanche para comer mais tarde, já que no momento eu estava sem um pingo de fome, mas levaria para caso queira comer. 

 O transito estava travado como todos os dias na região da Paulista e ficaria por lá algum tempo até consegui chegar em meu apartamento, então ligo o rádio para me distrair, ouço as noticias do dia entre algumas músicas das quais me eram agradáveis, e davam trilha sonora aos meus pensamentos envoltos por um certo rapaz "da gringa", MERDA JÚLIA! 

 ** 

 Destranco a porta do apartamento, e sou recebida da melhor forma, Pierre vem me receber com rabo abanando, ele era um shitzu branco, tinha pouco mais de cinco meses, coloco a bolsa e o pacote com o lanche na mesa da sala de jantar e o pego no colo, ele lambe meu rosto e dou risada, amava aquele bichinho. 

 Tomo um banho para relaxar e poder assistir um pouco de televisão, ou então ir mexer na internet, e dar uma stalkeada nas páginas dele, eu sei que isso pode parecer paranoia, porem sinto que precisaria fazer isso. Depois que saio do banheiro, visto uma roupa quente e me jogo na cama, sendo seguida por Pierre que fica la em baixo choramingando para subir, meu celular começa a tocar na sala e relutante vou até lá, imagino que seja Clarinha querendo combinar o dia da corrida. 

Olho o visor e a foto dela sorrindo não está lá, é um numero que não tenho salvo na agenda, e o DDI me era desconhecido, e meu coração dispara imaginando que posa ser ele. 

 *Lig on* 

- Alo? 

- Julia? - Reconheço seu sotaque. 

- Nico! - Digo animada.

 - Desculpe te ligar essa hora. - Ainda eram 21:30 - Mas eu não consegui tempo para ligar antes. 

 - Sem problemas Nico. - Eu nem esperava que você ligasse, acrescento mentalmente.

 - Então, amanhã a noite estou tranquilo. - Ele faz uma pausa e eu nada falo esperando ele continuar. - Quer sair comigo pra jantar? 

 - Claro! - Digo muito rápido, sem pensar. - E onde pretende ir? 

 - Hã... Lewis disse que tem um restaurante no shopping que é ótimo, chama Two Heart, conhece?

 - Conheço sim! Os donos são meus conhecidos. 

 - É? 

 - Sim, são dos pais de uma das amiguinhas da Clara.

 - Sua filha? - A voz dele parece abatida. 

- Não, ela é minha sobrinha. 

 - Entendo. - Sua voz voltou ao normal. - Te pego as 8:00pm? 

 - Nos encontramos lá as 8:00pm pode ser? 

 - Ah, claro... - Ele pareceu perdido. 

- Ei, Nico. É que a Clara vai estar comigo, amanhã é um dia delicado para ela.

 - Tudo bem Julia, até amanhã.

 - Nico? 

 - Hum?

 - Ela não vai jantar com a gente. 

- Ótimo.

 - Até amanhã. 

 - Até, durma bem. 

 - Obrigada, você também. 

Lig off 

 Qual a primeira coisa que faço? Mando uma dúzia de mensagens para minha sobrinha, e ela se prontifica de imediato a me ajudar a escolher o melhor modelo para que eu estivesse deslumbrante para o encontro, sabia que por trás de toda essa animação, amanhã era um dia triste para ela, afinal, é o dia que completa um ano da morte de minha irmã do meio.

 PoV Nico Rosberg

 Ainda estava desnorteado depois do telefonema para Júlia, realmente havia muito tempo que não convidava alguém pra sair e ela não quis que fosse buscá-la, ela era realmente muito independente, e isso, sou obrigado a admitir que isso me assustava um pouco. Lewis entra no meu quarto feito um maluco, e me tira dos devaneios. 

 - Nico porra! 

 - Que foi Lewis! - Mania chata que ele tem de falar palavrões. 

 - Tem uma coisa que preciso te contar! - Levanto a sobrancelha pra ele continuar. - Encontrei uma menina mano, ela é igual a minha garota. 

 - Que garota? 

 - A minha paulista! Você não presta atenção nas coisas que eu te falo? 

 - Se souber quem são todas as 'suas garotas' eu fico louco Carl. - Ele me olha de cara feia, odiava que eu o chamasse pelo segundo nome. 

 - Devem ser parentes, não tem como.

 - Lewis... - Ele me olha de rabo de olho. - Segura a onda cara, eu acho que você ta obcecado em achar essa mulher e tá vendo coisas. 

 - É, talvez. - Ele faz uma pausa. - Vou amanhã no restaurante outra vez. 

 - Bom, eu vou levar a morena lá. 

 - Ta rapidinho você! - Ele me da um leve soco no ombro. - Assim que se faz.

 Apenas dou risada, e conto para ele algumas das coisas que venho sentindo em relação a jornalista.

 - Nico, você não tá indo para o altar com ela! É apenas uma garota que vai ficar na sua história. 

 - Não quero apenas isso.

 - Está apaixonado Pequeno Príncipe? 

 - Que merda de apelido Hamilton!

 - Não foge da pergunta. 

 - Eu não sei tá legal? - Sei que estou vermelho de raiva. - Sai.

 - Qual é Nick.

 - Sai Lewis, por favor, eu quero ficar sozinho. - Ele vira as costas me deixando sozinho. 

 Caminho até a garrafa de vodka que estava do outro lado do quarto, coloco uma dose no copo e vou para a varanda do quarto, dali dava pra ver a Avenida Paulista e pelo que sei, ali é o centro economico do país, e entre um gole e outro começo a imaginar para que lado Júlia morava, e o que estaria fazendo a essa hora. Será que Hamilton estava certo? Estaria eu me apaixonando por ela? Era impossível não é? Eu a vi uma única vez, mas desde aquele primeiro olhar, ela dominou cada canto do meu pensamento, que ate dias antes eram de posse da Vivian. Estou entrando em um terreno perigoso. 

 Volto para o quarto e me deito na cama para esperar que o sono venha me encontrar, e dessa vez durmo tranquilo e não terei uma dor de cabeça terrível na manhã seguinte, não tinha bebido mais que aquele copo de vodka. 

PoV Narrador. 

 Poderia ser apenas uma quinta feira, mas para um certo piloto e uma certa jornalista, porém era o primeiro encontro de ambos depois de muito tempo. 

Júlia se concentrava ainda menos em suas obrigações, o que deixava Guto muito irritado, e a ponto de tirar sua credencial para os próximos três dias, mas ele não faria isso com a Clara, ele sabia o quanto aquilo poderia ser importante para a garota que perdera a mãe tão nova, Guto sempre foi interessado na mãe da garota e quando soube a exato um ano atrás foi como se algo lhe fosse tirado, então ele daria tudo que pudesse para a filha daquela que ele amou secretamente por quase dois anos. 

 Nico olhava a hora insistentemente como se esse ato fosse fazer com que as horas passassem mais rápido, ele não tinha com quem conversar, Lewis ainda dormia, então Rosberg decide ir para a sauna que ficava próxima a piscina do hotel, queria apenas algo que lhe distraísse por algum tempo. 

 Júlia já não tinha mais cabeça para trabalhar, mas felizmente ela havia conseguido terminar sua entrevista com os pilotos, ela caminha ate a sala de Guto e lhe entrega as folhas. 

 - Ficou ótimo Júlia, envia o arquivo para a revisão. - Ele olha pra ela de forma terna. - Dia difícil? - Ela concorda com a cabeça. - E a filha dela?  

- Vai passar a tarde comigo hoje, vou buscá-la no colégio na hora do almoço. - Guto considera as opções por um instante. 

 - Pega o resto do dia de folga já que você vai trabalhar no domingo. 

 - Obrigada Guto. 

 Ela sai da sala dele e apressadamente vai para sua mesa enviar o arquivo para os meninos da revisão e ir para casa ficar entediada, antes de ir buscar sua sobrinha no colégio.

 PoV Júlia Pagani 

 Depois que pego a Clara no colégio, vamos comer alguma coisa numa lanchonete, Cris ia me matar se soubesse disso. 

 Seu olhar estava um pouco abatido mas ela insistia que estava bem, me ajudando a escolher uma roupa, os acessórios e a maquiagem. Ela havia tirado todas as minhas roupas do guarda-roupa, para optar por um vestido de malha branco de mangas longas e um sapatenis da mesma cor, escolhemos uma maquiagem bem simples, e brincos de argolas grande. 

- Tia eu combinei com a Lana da gente se encontrar lá no restaurante, posso ir com você? Isso se o Nico não vier te buscar.

 - Vamos de Uber.

 - O quê? Ele não vem te buscar? Nossa pensei que era igual filme. 

 - Eu combinei de encontrá-lo lá do Two Heart.

 - Vou assistir de camarote esse encontro!! 

 - CLARA! 

 Caímos na gargalhada, e so paramos de perder o ar e começar a emitir sons estranhos. 

 PoV Nico Rosberg 

 Não tinha muitas opções do que vestir para aquele encontro, a maior parte das roupas que estavam comigo eram dois ternos da Hugo Boss, algumas camisetas da equipe, algumas calças, duas camisas e três camisetas, e nada que eu quisesse vestir, nada parece bom a altura do meu compromisso. 

 Chamo Lewis para ir até o shopping comigo, ele fica reclamando um pouco, mas decide ir. 

 Depois de andar muito, e vestir diversas coisas e aguentar uma gama infinita de piadinhas do Hamilton, que apesar de parecer interessado nas coisas que eu falava, estava mais preocupado em encontrar a tal mulher da vida dele, como ele já me disse no mínimo dez vezes desde que saímos do hotel.

 - Achei Lewis. 

 - É ela? - Ele ergue o pescoço procurando. 

 - Hamilton, a camisa... - Reviro os olhos pra ele.

 - Caralho Rosberg! Quer me matar avisa. Pensei que era ela. - Olho para ele. - Ah, é bonita, combina com você, é bem bichinha. 

- Vou levar.

 - Finalmente, parece a minha mãe fazendo compra, demora horas. 

 Depois que saímos da loja, paramos para tomar um sorvete, e tiramos algumas fotos e demos autógrafos, Hamilton tinha um sorriso de orelha a orelha e eu só queria sair dali. 

** 

 Me olho uma última vez antes de sair, Hamilton iria comigo, ele queria ver a menina que encontrou na segunda-feira, o que eu acredito ser bem difícil de acontecer, dobro a manga da camisa jeans até próximo ao cotovelo, deixo os dois primeiros botões abertos para não me sentir sufocado, e coloco a mão no bolso do jeans e dou um sorriso para o espelho, estava me sentindo incrível, passo a mão no topete para colocar alguns fios no lugar e saio.

 - Nossa Erik, se fosse uma mulher me jogaria em seus braços. - Ele da um tapa em meu ombro. 

- Vamos, não quero que chegue atrasado. - Já disse que não gosto que me chame de Erik. 

 - Já disse que não gosto que me chame de Carl. 

 ** 

 O restaurante ficava fora da praça de alimentação, no piso superior, o que era ótimo, mais tranquilo e mais reservado, sou conduzido por uma moça até uma mesa mais ao canto do lugar, era perfeito, a iluminação era baixa e rolava uma música agradável no fundo, ainda faltavam três minutos para que ela chegasse.

 Nem me importei em saber por onde Hamilton estava, quero apenas saber da garota que vai chegar nos próximos minutos. 

 PoV Narrador

 Júlia e Clara corriam pela escada rolante, faltavam dois minutos e Júlia sabia da pontualidade dos alemães e não queria fazer feio no primeiro encontro, Clara reclamava um pouco dizendo que não precisa de tanto, que dois ou três minutos não mudariam nada, e felizmente as 20:00 em ponto elas passam pelas portas duplas do restaurante, elas se separam, Júlia toma a direção da mesa aonde Rosberg a espera sentado encarando a parede e Clara toma seu já conhecido caminho para trás do caixa para encontrar a amiga. 

 Nico estava ficando ansioso demais enquanto esperava a chegada da mulher que ocupou sua mente nos últimos três dias, ele tinha receio de que pudesse se decepcionar, e ainda mais tão próximo ao título que ele vinha sonhando desde muito novo, ele encontra Lewis numa mesa mais próxima ao caixa tomando uma água e acena para o amigo e levanta o copo em resposta, Nico olha o relógio que marcava 7:59 e seu olhar corre em direção a porta e vê à poucos metros a morena vindo acompanhada de uma garota, seu peito sente um alívio, ele se levanta e vai até ela que agora já se encontrava sozinha, pois a menina correu em direção aonde Lewis estava, correndo para a parte de dentro do restaurante.

 - Boa noite. - Ele diz sorrindo, e dando um beijo na bochecha dela que retribui do outra lado da dele.

 - Boa noite. - Júlia diz corando. 

- Está muito bonita. 

 - Obrigada, você também, gostei da camisa.

 - Muito obrigado! - Ele olha rapidamente na direção da mesa de Hamilton que tinha um sorriso sacana no rosto. 

Eles sentam e começam a ter uma conversa animada, Rosberg queria saber tudo sobre ela, como levava a vida, ele gostaria de se sentir como uma pessoa normal pelo menos por algumas horas.

 Um rapaz trás os cardápios e entrega para ambos, Júlia sabia exatamente o que iria querer, afinal frequentava a tempo suficiente para saber o Menu de cor e salteado, Nico estava muito confuso com o cardápio, não entendia nada do que estava escrito ali, e não era pra menos, a única palavra que ele sabia em português era "churrasco" e pronunciava com muito custo. 

 - Nico, o que gostaria de comer? - Ela percebe a confusão do olhar do alemão. 

 - Qualquer coisa que tenha churrasco! - Ele diz muito animado. 

 - Sem problema. - Ela estava com um sorriso tão lindo no rosto que Rosberg não conseguia parar de encara-la. - Para beber posso pedir um vinho?

 - A vontade. 

 Júlia chama o rapaz que momentos antes os entregou os cardápios e faz os bebidos, Rosberg estava perdido ouvindo a conversa de ambos, e mais uma vez as únicas coisas que entendeu foi "churrasco" e o nome do vinho que ela havia pedido, que sem saber tinha dito ao rapaz o vinho preferido dele. 

 A conversa entre eles parecia não morrer nunca, conversavam sobre assuntos tão diversificados que pareciam se conhecer a anos, e isso estava cativando cada vez os dois um com o outro, que mesmo vivendo em países tão diferentes, conseguiam ter gostos tão parecidos. Lá pelas tantas, e depois de comerem o jantar, eles pedem de sobremesa um pettit gateau, que outra vez era a sobremesa preferida de ambos o que os fez rir, de uma maneira não tão discreta atraindo alguns olhares de reprovação de alguns clientes. 

 - Com licença pessoal, desculpa atrapalhar o jantar de vocês.- Júlia reconhece a voz da sobrinha e fica assustada com receio do que a garota vai fazer, e começa a traduzir as palavras para o alemão que não conseguia compreender. - Hoje é um dia triste para mim, completa um ano que minha mãe partiu. - Algumas conversas surgiram ao redor do restaurante. - E queria homenageá-la aqui um dos seus lugares preferidos, com um pequeno vídeo que eu montei. Vocês se importam? 

 As pessoas concordaram que ela reproduzisse o vídeo que havia feito com tanto carinho. 

 Nico percebeu que Júlia havia ficado afetada com as palavras da linda menina. 

 - Você está bem?

 - Ela é a minha sobrinha. - Ela falou soltando um suspiro de pesar. 

- Me desculpe eu não sabia que hoje era um dia triste para você. 

 - Não precisa se desculpar Nico. 

Ele envolve a morena em seus braços, que fica um pouco tímida com o contato assim tão repentino, mas se vira para o telão onde se iniciava o video "Para minha mãe", e Júlia traduzia com a voz embargada os textos que iam passando com as fotos, desde as fotos de sua irmã pequena, na adolescência, nesse período com muitas festas, até suas fotos com 16 anos exibindo a barriga no chá de bebe, e diversas outras fotos com a menina nos braços, a primeira festa de Clara, aonde a garota estava na foto com a mãe, Cris e Júlia, e diversas fotos de viagens que fizeram nos 13 anos seguintes depois do nascimento de Clara, até a última foto delas juntas na praia, que foi tirada no dia do acidente aonde a mãe da menina havia perdido a vida. "De todos os presentes que eu gostaria de ganhar no meu aniversário, poder estar com você junto de mim é tudo que mais desejava."

 As pessoas se levantam e aplaudem o vídeo, lágrimas rolavam pelo rosto de Júlia, Nico a virou de frente para ele secou-as delicadamente e envolveu sua morena num abraço ainda mais apertado, do outro lado do salão um barulho de copo se partindo no chão atrai a atenção do casal que parecia se formar ali, Lewis estava de boca aberta ainda e sem reação com aquilo, a mulher do vídeo era sua paulista, e aquela garota era filha dela. 


Notas Finais


Vou deixar vcs no suspense para saber o que aconteceu depois do vídeo HAHAHAHAH'
Espero que tenham gostado e continuem comentando é importante, fantasminhas apareçam tia ama vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...