História Grace - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Visualizações 118
Palavras 2.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olaaaaaa, cheguei.
Capítulo novo, acabou de sair do forno e espero que gostem.

Capítulo 6 - No, I never dated.


Fanfic / Fanfiction Grace - Capítulo 6 - No, I never dated.

Depois de quase uma hora de beijos insaciáveis, Justin me levou de volta para o hotel e me deixou na porta de minha suíte. Confesso que eu fiquei envergonhada, Justin havia me beijado e eu respondi tão facilmente, eu não sabia se estava fazendo certo, digo, beijando certo, a tempos eu não beijava e eu fiquei com medo no começo, mas beijo não é algo que se desaprende hun? Assim que entrei em meu quarto, andei pelo mesmo já me despindo, entrei em meu banheiro e tomei um banho relaxante e meu cansaço já dava sinal de vida. Não era de se esperar, salvei uma vida, dormi pouco e fiz um grande show, sai pra jantar e passei o resto da noite beijando em uma praia, cansativo isso. Sai do banheiro e vesti meu pijama que já estava em cima de minha cama, deitei na mesma e fechei meus olhos, é hora de fazer minha oração.

- Olá Senhor, nem preciso te contar o que aconteceu hoje hun? – sorri. – O Senhor é onipresente, está em todos os lugares ao meus tempo. Eu só quero agradecer a Ti Pai, por ter me dado forças quando eu precisei, por me amar incondicionalmente, por me proteger e me mantar equilibrada comigo mesmo. – suspirei. – Prometi que iria ajudar ele, Pai, e eu vou. Eu me abri, foi dolorido e confortante, o Senhor tinha razão, eu precisava fazer isso. – pausei. – Obrigada por sempre está lá por mim, eu te amo. Amém! – assim que terminei virei de lado na cama, meus olhos pesaram e eu adormeci profundamente.

Point of View Justin Bieber

Eu havia beijado a Grace, sim, isso realmente aconteceu. Não me pergunte o porque, eu não tenho um motivo. Eu a beijei e não me arrependo, espero que ela também não. Admito que fiquei surpreso comigo mesmo, depois que ela me deixou, depois que ela me quebrou eu não senti mais o que senti essa noite, eu não senti vontade de beijar alguém e não senti prazer em fazer isso. Sair com qualquer tipo de mulher para me satisfazer e tentar tirar ela da minha mente tem feito parte da minha vida nesse ultimo ano, mas do que adiantou? Não mudou em nada, ela continuava em minha cabeça e naquela noite, na noite em que eu iria me jogar daquela sacada, um dos motivos foi ela, eu admito. Ela a quem eu me dediquei, a quem eu dei tudo de mim. Ela a quem eu dei todo meu amor, a quem eu planejei uma vida ao seu lado. Ela que me enganou, que me desprezou e riu da minha cara. Eu carrego em minhas lembranças aquela cena, a cena que ela dizia em rede nacional ter me feito chorar, se foi mentira? Não, eu chorei sim. Chorei por ter sido um tolo, por ter acreditado que era recíproco o sentimento, mas na verdade eu sentia sozinho e até hoje eu me pergunto: porque ela ficou comigo então?

Eu tinha acabado de deixar Grace em frente a porta de sua suíte, assim que entrei na minha dei de cara com Ryan que estava deitado no sofá quem tinha encostado em uma parede aleatória dali. Assim que passei em sua frente, sua atenção que estava na tv veio para mim, o ignorei indo em direção a pequena cozinha que havia ali e abri a pequena geladeira tirando uma garrafa de água, abri a mesma e levei até a minha boca bebendo-a.

- O que aconteceu? – disse Ryan parando em minha frente.

- Porque acha que algo aconteceu? – falei, em seguida tomando mais um gole da água.

- Qual é Justin, não tenta fazer esse joguinho comigo. – bufou e colocou a mão em sua cabeça. – Você sabe que eu te conheço como ninguém cara. – disse por fim e foi minha vez de bufar.

- Eu a beijei. – falei e bebi o resto da água que tinha sobrado na garrafa, fui em direção a lixeira e logo joguei a mesma dentro.

- Ah, foi isso. – disse. – Foi por impulso ou você realmente quis?

- Eu quis. – falei. – Você sabe, já fazia um tempo que isso não acontecia.

- Eu sei, mas uma hora iria acontecer. – disse voltando para o sofá sentando no mesmo e eu o segui. – Mas porque está agindo estranho?

- Eu estou me sentindo estranho. – suspirei. – Porque pelo incrível que pareça, enquanto estávamos ali eu e ela, eu consegui me esquecer dela.

- Isso não é bom? – disse enquanto mudava os canais da tv.

- Eu esperei muito por isso, você sabe Ryan. – bufei. – Mas agora que estou aqui, agora que a deixei Grace em seu quarto, ela voltou. – falei irritado.

- Justin, você precisa deixar o passado no passado. – foi sua vez de bufar. – Que saco cara, você não vê que ela atrapalha sua vida? Olhe o que ela te fez fazer essa noite passada, ela esta tirando a sua paz.

- E você acha que eu não sei, você acha que eu não quero esquecer ela? – bufei irritado. – Eu não aguento mais, por isso eu pedi ajuda a Grace. Não só por isso, mas porque eu perdi meu rumo, eu sinto que eu não sei mais quem sou. Eu não sei mais quem foi que minha mãe criou. – meu olhos começaram a lacrimejar. – Ryan, ela se abriu hoje para mim. – disse.

- Grace? – me olhou confuso. – Como assim?

- Eu perguntei o que a fez entregar-se a Deus e ela me contou sua história. – falei.

- E o que ela disse? – perguntou curioso.

- Ela é adotada, foi adotada com dezessete anos. – disse. – Ela foi violentada, Ryan. – suspirei e ele me olhou assustado. – Ela foi violentada, estuprada e tentou se suicidar mais de uma vez por isso. E eu tentei me jogar por causa de um coração partido, quão idiota eu sou?

- Wow cara, olhando para ela ninguém diz que passou por isso. Eu estou impressionado, ela é muito forte. – disse espantado. – Você contou para ela? – perguntou.

- Não, mas vou. Ela confiou a mim sua história, ela me disse sem ao menos me conhecer e eu vou contar a ela. – falei apoiando meus cotovelos em minhas coxas. – Eu quero que ela confie em mim e eu vou confiar nela, eu preciso dela, cara. Não sei porque, só sei que preciso. É estranho isso, eu nem a conheço e sinto que posso confiar nela de olhos fechados. – Ryan assentiu parecendo me entender. – Cara, vou dormir. Estou mega cansado, e amanhã pretendo chamar a Grace para da um rolê e eu vou contar a ela. – disse por fim, me levantei do sofá deixando Ryan lá assistindo.

Fui em direção ao banheiro e assim que entrei no mesmo eu me despi, liguei o chuveiro e entrei embaixo da água que escorria pelo mesmo. Eu não me importei com a temperado dela, estava tão cansado que apenas banhei rapidamente. Sai do banheiro e fui em direção ao closet, peguei uma cueca qualquer e vesti, fui em direção da minha cama e me deitei na mesma me cobrindo.

- Deus, não sei se esta me ouvindo, mas se estiver por favor me ajude a voltar para o caminho certo. – suspirei. – Eu estou tão perdido, eu não consigo mais sentir minha fé, me ajuda Deus. Eu preciso de você. – meus olhos pesaram e eu adormeci.

Point of View Grace Bloom

“Justin Bieber tenta se suicidar e é salvo por uma cantara cristã”

“Justin Bieber sofre acidente em sacada do hotel que está hospedado em Los Angeles e é salvo por uma cantora cristã.”

“Justin Bieber alega que não tentou se suicidar e que tudo foi um acidente e estava bêbado. Em uma coletiva que ele deu depois do ocorrido, Bieber disse ser grato por ter tido outra oportunidade de viver e agradeceu a cantora que o ajudou, Grace Bloom, e mandou um recado para suas fãs: “Minhas beliebers, eu estou bem ok? Foi só um pequeno acidente, eu não deixaria vocês por nada. Eu amo vocês!”

“Bieber foi visto ontem deixando o hotel em que esta hospedado ao lado da cantora cristã Grace Bloom, eles foram visto indo para o show que ela faria noite passada com sua banda Hillsong. Depois do show eles foram visto em um restaurante italiano que tem na cidade e lá Justin atendeu duas fãs e tirou fotos com as mesma e Grace Bloom.”

“Bieber posta foto em seu instagram em elevador ao lado da cantora cristã Grace Bloom, na legenda da foto ele diz: “Eu e minha amiga Grace no elevador, vamos ao seu show hoje.”

“Justin Bieber foi visto altas horas da noite em praia com cantora cristã que salvou sua vida”

Essas manchetes estavam em todos os canais possível da tv americana, meu celular continha mais de trinta mensagens na caixa postal. Eu estava assustada, eu nunca tinha recebido tanta atenção assim. Tudo bem que eu era uma cantora “famosa” do rumo da música cristã, mas sabemos que não é tanta visibilidade assim que recebemos. Minha mãe já havia ligado umas dez vezes e eu não atendi nenhuma, minha irmã também e os pastores da igreja, eu não queria atender, eu sabia o que vinha pela frente: perguntas, perguntas e mais perguntas. E eu não estou afim de responde-las. Ouvi batidas na porta e eu fui andando de fininho para tentar ouvir quem falava no lado de fora, eu já sabia quem era e logo abri a porta revelando aqueles olhos cor de mel.

- Grace, oi, me desculpa. – Justin falou rápido e embolado e eu dei espaço para que o mesmo entrasse, e assim ele fez.

- O que foi Justin, desculpa pelo o que? – franzi o cenho.

- Você não viu? – perguntou. – Seu rosto esta estampado em todos os jornais, revistas e canais do mundo. – disse.

- Uma hora isso iria acontecer, certo? – falei dando de ombros e ele me olhou confuso.

- É verdade. – disse cabisbaixo. – Você não se incomoda?

- Justin, isso faz parte da sua vida. – falei sentando no sofá que tinha encostados na parede em frete a tv. – Eu não vou mentir, fiquei assustada, mas isso vai passar. Aliás, somos amigos agora e se eu vou te ajudar, eu tenho que lidar com essa parte da sua vida. – disse por fim e o vi abrir um leve sorriso.

- Então você não vai desistir? – perguntou sentando ao meu lado.

- Não, porque eu faria isso? Eu prometi. – disse o olhando incrédula.

- Porque eu estou acostumado a ser deixado por não gostarem desse lado da minha vida. – sorriu fraco. – Não é legal ter câmeras apontadas para você o tempo todo e você sabe que se for continuar com isso, todas as vezes que nos virem em qualquer lugar que seja, vão ter varias delas apontadas para nós.

- Justin, eu prometi e eu compro minhas promessas.

- Então não vai recusar o que irei pedir. – falou com um sorrisinho no rosto.

- Fala logo, Bieber. – disse um pouco curiosa.

- Vamos almoçar comigo hoje? – perguntou colocando a mão em sua nuca. – Assim podemos conversar mais e nos conhecer mais. O que acha?

- Pode ser. – falei. – Aqui mesmo no hotel?

- Onde preferir. – disse.

- Então vai ser aqui mesmo, aposto que lá fora está cheio de paparazzo. – disse e ele me olhou sério. – Vai ser difícil de sair. – disse por fim.

- Você tem razão.

Deixei Justin esperando sentado no sofá, fui para meu quarto trocar de roupa já que eu ainda estava com meu pijama. Tirei a calça do mesmo e a blusa, ficando apenas de lingerie, fui em direção ao closet e peguei um conjuntinho de tecido preto, vesti a blusa e short ensacando a mesma. Voltei para o closet e peguei uma rasteira com pedrinhas prestas em cima, peguei minhas bolsa e óculos de sombra. Sai do meu quarto e encontrei Justin deitado no sofá mexendo no celular, sorri com a cena e caminha até chegar a sua frente.

- Que folgado, Bieber, mal nos conhecemos e já tá deitado no meu sofá. – disse sorrindo e ele gargalhou do meu lado.

- O sofá é do hotel, Grace. – gargalhou e eu dei um leve soco em seu braço, Justin fez uma cara fingindo ter doído e eu gargalhei. – Vamos? – perguntou.

- Vamos. – disse. Peguei meu celular que estava em cima do centro e fui em direção a porta, Justin já havia saído pela mesma e logo sai também. Fechei a porta com a chave que já estava em minha mão, enquanto Justin chamava o elevador.

Assim que parei ao seu lado as portas do elevador abriram-se e logo adentramos. Justin apertou no botão do térreo e logo sentimos o elevador descer, eu não gostava muito de andar de elevador, uma vez no Canadá eu fiquei presa em um por quase cinco horas. Assim que chegamos no térreo fomos andando em direção a porta de vidro que dava para o restaurante, quando passamos pela mesma a atenção de todos que estavam ali foram para nós e senti minhas bochechas corarem, Justin por sinal não parecia se importar.

- Justin? – falei baixinho o suficiente para que só ele ouvisse.

- Hum.

- Você não liga das pessoas ficarem só te encarando? – perguntei.

- Estou acostumado, Grace. – falou e eu assenti. Andamos um ao lado do outro até que achamos uma mesa ao fundo, um pouco isolada do resto do pessoal. Sentamos na mesma e Justin chamou um garçom, fizemos nossos pedidos e o garçom se retirou deixando-nos a sós. Justin estava um pouco inquieto e eu estranhei, parecia querer dizer algo e estava meio sem graça. – O que foi, Bieber? – perguntei e ele me olhou.

- Grace, você se importa em ligar para o pastor Carl? – perguntou sem jeito.

- Não, mas porque? – disse curiosa.

- Eu gostaria de falar com ele, eu realmente quero ser ajudado. – disse. – Você chamaria ele para conversarmos?

- Claro, eu vou mandar uma mensagem. – disse. Peguei meu celular e digite uma mensagem para o Carl.

“Carl, você poderia vir no hotel onde estou hospedada. Xx, Grace.”

Assim que mandei a mensagem pus o celular em cima da mesa, logo o garçom chegou com nossas comidas e começamos a devora-la. Eu e Justin estávamos comendo um pedaço enorme de lasanha junto com um copo de coca cola bem gelada, eu comia como se o mundo fosse acabar e logo vi uma luz na minha cara, Justin havia tirando uma foto na hora que estava pondo um pedaço na boca.

- Justin... – falei indignada e ele gargalhou.

- Que é? – perguntou como se nada tivesse acontecido e eu o fuzilei. – Sua cara estava ótima. – gargalhou.

- Respeita minha fome, Bieber. – falei voltando a comer e ele riu também voltando para seu prato.

- Grace. – falou e eu o olhei enquanto bebia um pouco da minha coca. – Me fale sobre a sua família. – disse por fim.

- Bom, não tem nada de extraordinário, somos normais. – suspirei. – Meus pais, Mary e Bill, eles são brasileiros e são médicos. Eu tenho uma irmã, a Sadie, ela é modelo e é filha biológica deles, a gente é inseparável. – disse sorrindo. – Ah, Ryan uma vez disse que tinha impressão de ter me visto em alguma revista, acho que foi uma campanha que fizeram sobre irmãs e chamaram a minha irmã para ser modelo, aí ela me chamou e eu topei. – disse por fim.

- Uau, seus pais são brasileiros. Eu amo o Brasil, você já foi no Brasil. – perguntou.

- Não, ainda não tive essa oportunidade. – falei. – E a sua? – perguntei.

- A minha família? – perguntou incrédulo.

- Sim, eu não sei nada sobre você Justin. – disse.

- Às vezes me esqueço que você não é uma fã minha ou algo do tipo. – sorriu. – Sou eu, minha mãe Pattie, meu pai Jeremy, meus irmãos Jazmyn e Jaxon, minha madrasta Erin e meus avós Bruce e Diane. – disse. – Eles moram no Canadá e eu os vejo pouco por causa da minha turnê, eu sinto muita saudade.

- Eu imagino, sei mais ou menos o que passa já que também viajo muito fazendo shows. – falei.

- Onde você mora? – perguntou.

- No Canadá. – disse e Justin me olhou incrédulo. – O que foi?

- Porque não me disse antes que morava lá? – perguntou.

- Você nunca tinha perguntando. – dei de ombros e ele bufou.

Terminamos de comer mas ficamos mais alguns minutos conversando sobre nossas vidas. Eu passei praticamente rindo o tempo todo, Justin ficava contando histórias de quando ele era garoto, falou de namoradas que teve quando era pequeno, de seus amigos e que gostava muito de jogar Hóquei e futebol.

- E você Grace, nunca namorou?

- Não, eu nunca namorei


Notas Finais


Capítulo grande, né? Kkkk
Enfim, espero que tenham gostado e comentem falando sobre...

Até o próximo.

Com amor, Nahi. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...