História Grachi 4 Temporada - Um novo ano começa - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grachi, Os Feiticeiros de Waverly Place
Tags Amizade, Feitiços, Magia, Romance
Visualizações 9
Palavras 6.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiii, voltei! Ia postar nesse fim de semana, mas acabei indo pro um sítio da minha família e fiquei sem internet por três dias! (Quase que eu morro, rsrs) Espero que vocês gostem, tem uma surpresinha no finalzinho, vem treta aí😜🙈🙊

Capítulo 44 - Italianos na área, Dava Luar e um beijo surpresa...


Fanfic / Fanfiction Grachi 4 Temporada - Um novo ano começa - Capítulo 44 - Italianos na área, Dava Luar e um beijo surpresa...

 

                             Um Novo Ano Começa...

 

 

No capítulo anterior:

 

 

 - É... Eu posso ser encantador às vezes - Brincou ele, a puxando para dentro do quarto, colocando-a contra a parede ao lado da cama. Ela estava ofegante, mas a respiração dela se deteve completamente quando a boca dele se parou no sutiã preto em seus seios. Ele deslizou as tiras de seus ombros e ambos observaram a lingerie cair no chão. 

 

 

     Ele puxou a cabeça contra ela, mas ela o puxou de volta pelos cabelos, beijando seus lábios novamente, ela envolveu suas pernas em volta de sua cintura, e ele os moveu para a cama, caindo em cima dela.

 

 

 - Eu amo você... Só você... - Murmurou Matilda. E essa foi a última frase dita por um dos dois antes deles se amarem pela primeira vez.   

               *******************

                       Por Autora:

 

 

     Mundo Normal - Colégio Escolarium:

 

 

 - Matilda, Matilda, eu tô te ligando desde ontem à noite! Por que você não atendeu o telefone? - Perguntou Mecha, assim que viu a pantera entrando no Escolarium junto com Katty e Dotty. Depois de um final de semana conturbado, com direito a prisões, barracos de família e uma noite especial de amor, chegou segunda-feira, ou seja, a hora de voltar para as aulas. Falando na nossa guardiã mais amada, ela estava procurando desesperadamente por Grachi depois que a mesma não atendia seus telefonemas desde que a expulsará de sua casa ontem à tarde e a bruxa também não havia voltado para casa, o que aumentou sua preocupação, assim que Úrsula lhe ligou pedindo ajuda.

 

 - Tava ocupada, Mecha! Por que? O que houve? - Rebateu Matilda, bem humorada e  com um enorme sorriso no rosto. Depois de sua noite de amor com Justin, eles comprovaram para si de que estavam mesmo apaixonados um pelo outro, ele os teletransportou de volta para casa assim que amanheceu e deixou-a na porta de casa para ela se arrumar e vir para o Escolarium, as panteras a encontraram no meio do caminho. Por sua vez, Justin foi para a Escola Secundária Tribeca Prep, tentar encontrar Alex para ver se ela resolveu o problema do táxi. 

 

 - Cê tá de bom humor? - Estranhou a guardiã, trocando olhares com as panteras ao seu lado.

 

 - Nem olha pra gente, Mecha... Ela não disse nada do porquê tá tão feliz assim  - Retrucou Katty, revirando os olhos - Um final de semana fora e acontece tudo o que aconteceu! - Resmungou, irritada por ter perdido as tretas do final de semana - Caramba, quem diria que o Daniel fosse trair a Grachi? E Afinal, por que você tá tão feliz desse jeito, Matilda? 

 

 - Já disse que eu tô esperando a Giovanna chegar, quero contar pras três ao mesmo tempo, não tô afim de repetir tudo uma para outra cada vez.

 

 - Contar o que? - Disseram as meninas em uníssono.

 

 - Ah, olha ela aí - Avisou Mati, avistando a amiga andar pelos corredores até onde elas estavam, também com um sorriso bem humorado no rosto, parece que sua noite com Chuck foi boa... - Ei, onde cê tava ontem à tarde? Como tá o Vinicius? 

 

 - Tá bem, vai precisar ficar em observação e em repouso em casa por alguns dias, mas daqui a pouco vai tá de volta, mas dessa vez sem consumir drogas - Respondeu ela, enquanto guardava o celular.

 

 

 -  E onde você tava? Te liguei mil vezes ontem pra saber da Grachi! Inclusive, foi por isso que eu também liguei pra você, Matilda! Ela não voltou pra casa desde ontem à noite, a Úrsula me ligou preocupada e eu não fazia a menor ideia de onde ela poderia tá, então resolvi ligar pras duas pessoas mais próximas à ela nesses últimos meses! - Irritou-se Mecha, apontando para as duas loiras em seguida - Vocês! E nenhuma das duas fez questão de atender a droga desse telefone! O que vocês tavam fazendo de tão importante que não podiam atender? 

 

 - É... Eu... - Murmurou Giovanna, coçando a nuca nervosa e trocando olhares com Matilda, que também estava desconcertada. Foi aí que ela percebeu o que a pantera-líder fez ontem à noite, já que em seu pensamento, se as duas tavam se olhando sem resposta e não podiam dizer o que realmente tavam fazendo para a guardiã, é porque estavam fazendo a mesma coisa.

 

 - É sério? Você também? - Surpreendeu-se Matilda, também entendendo.

 

 - Como assim também? Não acredito! Rolou?  - Exclamou a irmã de Eric, sendo interrompida antes que falasse demais.

 

 - É! Rolou! - Confirmou a outra, sorrindo. Quem não tava entendendo mais nada era Mecha e as duas panteras - E você? Sério? Não acabou de terminar com o Axel? Já? 

 

 - É, longa história! Digamos que eu fui surpreendida no meu apartamento.... 

 

 - Pois, eu tô afim de saber essa longa história.

 

 - Eu vou te contar essa longa história, quando você me contar a sua! - Retrucou Gi, feliz pela amiga.

 

 - Então, vamo na cantina! Ainda tem uns vinte minutos antes que o sinal toque! Dotty, Katty, vamos - Chamou Matilda, abraçando as três ao mesmo tempo, de tanto que estava feliz.

 

 - Espera, Matilda! Giovanna! Katty! Dotty! Aí, que droga! Onde será que a Grachi se meteu? - Gritou Mecha, tentando chamá-las, mas as quatro já haviam saído andando. 

 

 - Oi Mecha, e aí? Cê sabe da Grachi? - Indagou Daniel, chegando por trás dela e assustando-a.

 

 - Que susto, Daniel! Não se faz isso com uma pessoa! - Gritou ela - O que você quer com ela, hein? Já não basta tudo que você fez? Quer fazer mais? Aprontar mais? Mentir mais pra ela? 

 

 - Mecha, eu... Escuta, eu tô arrependido, eu juro! Eu a amo! Eu cometi um erro! Um erro terrível e quero consertá-lo! - Tentou ele, recebendo um beliscão da amiga - Aí! Doeu!

 

 - É, é pra doer mesmo! Só não te dou um tapa na cara, porque a gente tá no colégio! A Grachi não mereceu o que você fez com ela! O pior, é que você ainda disse que tava apaixonado pela Alex pra ela, Daniel! Como... Como você teve coragem de dizer uma coisa dessas pra ela? 

 

 - Mecha...

 

 - E agora você quer saber onde ela tá? Quer saber? Vai se ferrar, Daniel! Vai se ferrar! - Encerrou a guardiã, dando-lhe outro beliscão e saindo. 

 

 - Espera... Eu só queria saber onde a Grachi tá - Sussurrou o humano, decepcionado.    

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

   Mundo Mágico - Escola de Bruxos (EDB): 

 

         Biblioteca Mágica:

 

 

 

 - Cê ficou acordado até que horas ontem, Axel? Tá com uma cara de cansado! - Murmurou Manú, olhando pra ver se não vinha ninguém. Os dois tavam procurando um feitiço em um dos livros mágicos que haviam por ali.

 

 - Tarde, Manú... Só tarde, não me lembro, pois eu tava ocupado demais procurando essa merda desse feitiço pra descobrir o que você sabe quem tava fazendo no passado atrás de um pedaço daquele meteorito, preciso descobrir o que o ele tá tramando! Não tô com a menor vontade de ser preso! - Reagiu Axel, revirando desesperadamente uns três livros ao mesmo tempo.

 

 - A Amaya já descobriu alguma coisa com o kanay? 

 

 - Não sei, mas acho que se ela descobrisse, ela ligaria! Aquela história do kanay na nossa casa ontem, foi complicado! Quase que o papai pega ele, mas tenho que admitir que ele é único que pode nos ajudar, é único ser mágico que pode ficar perto desse meteorito sem desmaiar ou passar mal! - Resmungou o bruxo, cansado. Sim, era essa a mensagem de Amaya pedindo para o namorado vir em sua casa ontem à noite, pois precisava da ajuda dele. Os irmãos Vélez estavam determinados a descobrir o que Federico estava tramando com aquele meteorito, depois do Ministério Mágico ligar para o pai deles avisando que não o condenaria por seus crimes usando mágica, se ele entregasse o que Federico queria no passado. Bom, ele queria o meteorito e Axel entregou tudo o que sobrou para ele, que agora está em algum lugar escondido por ele e que precisariam de ajuda para recuperá-lo, por isso decidiram pedir a ajuda de Manú e Diego, o primeiro só porque ele já tava na casa quando Érick Vélez apareceu avisando. 

 

 - A Mecha também poderia ajudar! Ela não é bruxa e... - Sugeriu Manú, sendo interrompido.

 

  - Você ouviu o que eu falei, Manú? SER MÁGICO! A Mecha é humana, seu idiota! 

 

 - Mas é guardiã e ela também faz parte do Mundo Mágico, Axel! Além disso, ela pode nos ajudar com o Conselho, despista-los! A mãe dela faz parte do Conselho representando os guardiões! Ela também pode nos ajudar com contatos, se precisarmos de alguma ajuda de algum bruxo poderoso! E também proteger a gente já que é uma guardiã! Vamo combinar né, Axel? Ninguém aqui é o bruxo mais responsável do mundo! Nem você, nem eu e nem a Amaya! 

 

 - E o Diego? Ele pode ter traído minha irmã, mas... - Defendeu ele, por incrível que pareça. 

 

 - Tá defendendo o kanay? É sério? Cara, eu vivi pra ver isso! Axel Vélez numa biblioteca procurando livros e defendo um kanay, que por sinal traiu sua irmã uma vez.

 

 - Cala essa boca, Manú! Para de ironia e vamo achar logo esse troço pra podermos sair daqui! Eu não gosto de bibliotecas! 

 

 - Tá, tá! Mas liga pra Amaya, pergunta se ela e o kanay já descobriram algo. E quanto a Mecha? Por favor, Axel! Ela vai ajudar muito a gente nessa, eu prometo! - Pediu Manú, convencendo o amigo.

 

 - Tá bom! Liga pra ela e diz pra ela vim logo ela cá, ou esperar a Amaya chegar junto com o Diego, mas pede segredo! Se ela contar pra alguém, eu juro que eu vou caçar a sua namorada até os fins do tempo! - Ameaçou Axel, discando o número da irmã no celular, enquanto Manú balançava a cabeça pra cima e pra baixo, concordando com ele -* Alô? Amaya? E aí? O conseguiram alguma coisa? 

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

     Mundo Normal - Escola Secundária Tribeca Prep:

 

         Corredores dos armários:

 

 

 - Viu? Andar de táxi foi maneiro e a gente nem tá tão atrasada - Disse Alex, chegando junto com Harper no corredor já vazio.

 

 - Nós perdemos dois períodos de aula, Alex! 

 

 - Ah, tá, falou. Você tá atrasada, mas essa é a hora que eu chego normalmente querida - Retrucou a bruxa, abrindo seu armário. 

 

 - Alex, você... - Tentou a humana, quando foi interrompida por um susto que levou quando o táxi enfeitiçado se teletransportou pro meio do corredor - Meu Deus do céu! 

 

 - Oi, Alex! Fala aí, Harper? Olha só, eu estava pensando, você salvou a minha vida significa muito pra mim, mais que uma corrida de graça para a escola! Portanto, vou gosta de algodão doce? Porque... 

 

 - Fica perto dele que ninguém vai perceber! - Gritou Alex, assim que o sinal tocou e o táxi continuava ali. O plano não deu muito certo, porque logo estava um monte de gente encima do carro bem surpreso com aquilo ali - Tá bom, não funcionou não...

 

 - Olha, tem um táxi mágico e falante aqui na escola - Exclamou Justin, chegando por trás da irmã, nervosa - É, quer saber? Você não tá nem um pouquinho enrolada! - Ironizou.

 

 - Ai, não! Não dá nem pra explicar o que esse táxi mágico tá fazendo aqui! Qual o seu plano, Alex? - Se desesperou Harper, agoniada.

 

 - Vai, irmãzinha... Qual é o seu magnífico plano?

 

 - Cala a boca, Justin! Não sei como a Matilda consegue te aguentar! 

 

 - Ei, não fala dela! A gente teve uma noite muito especial e eu não afim de ouvir você falar um piu de nós dois se não conto eu vou contar pra mamãe e pro papai sobre o táxi! 

 

 - Ah, foi ótima é? - Alegrou-se Alex, sorrindo maliciosa pro mais velho - E como foi? 

 

 - Como... Como foi? Alex, eu não vou falar como foi pra você! Mas nem a pau, se quiser pergunta pra ela.

 

 - Saiba que eu vou perguntar mesmo - Provocou Alex, estressando o irmão.

 

 - Do que é que vocês tão falando? Tem um táxi falante e mágico no meio da nossa escola! - Berrou Harper - Alex? QUAL É O PLANO? 

 

 - Eu tô pensando, peraí! 

 

 - Que tal o seguinte: EU TE VEJO NA SALA - Avisou a humana, saindo correndo e gritando desesperada.

 

 - Oi, todo mundo - Cumprimentou a bruxa, sendo puxada por Justin:

 

 - O que você pensa que tá fazendo, sua louca?

 

 - Executando meu magnífico plano! Agora me solta! - Afirmou ela, se soltando dele - Eu sei o que vocês tão pensando, ok? Isso aqui é uma... Instalação de arte que eu trouxe pra dentro da escola! Isso aí!

 

 - Eu não acredito nisso - Murmurou Justin, recebendo um cutucão da irmã.

 

 - Eu não sou uma instalação de arte! Sou um táxi falante mágico! - Contestou o táxi, recebendo um chute na porta de Alex - Ou uma escultura, ou... - Recebeu outro chute da bruxa - É melhor eu parar de falar!

 

 - Olha eu nunca ouvi falar que a Alex Russo tinha talento artístico! Uau! EU queria saber onde tão os outros táxis? Na aula de arte do táxi... - Provocou Justin, recebendo  um olhar feio dela.

 

 - Eu te odeio, seu idiota - Cochichou ela.

 

 - As palavras que eu quero ouvir são: me ajuda, irmãozinho querido.

 

 - Cala a boca!

 

 - É sério? Eu vou calar e não vou te ajudar!

 

 - Tá bom! Me ajuda, irmãozinho querido! Pronto, falei! Satisfeito? - Admitiu ela, mesmo não querendo.

 

 - Ok! Para sua sorte, hoje eu tô de bom humor! Senhoras e senhores! Muitos de vocês, conhecem minha irmã como abusada, metidinha e preguiçosa!

 

 - Valeu, Justin! Tá ajudando muito - Ironizou a morena, irritada.

 

 - Mas a verdade é que esse táxi junto com outros táxis que encorajamos seus pais a doarem - Continuou o bruxo - Serão usados como objeto metálico para represa dos castores destentados sem lares! 

 

 - É sério isso? Fala sério! - Reclamou Alex, assim que ouviu o salvo de palmas com o discurso emocionante do irmão.

 

 - É uma atitude muito nobre! Não esqueçam de ajudar o quanto puderem!

 

 - Brigada, Justin - Agradeceu ela, sincera - Eu não sei o que aconteceu! Esse táxi chato não me deixa em paz!

 

 - Alex, quando você dá vida à um objeto inanimado, ele desenvolve sentimentos por você.

 

 - Caramba, onde é que você aprende tudo isso? 

 

 - Na toca escutando o papai enquanto ele ensina, minha querida - Disse ele, enquanto imitava a voz dela.

 

 - Hum, eu falava assim às uns três anos atrás, mas eu já saí dessa! Se quiser mesmo continuar com a pantera loira e popular, é melhor também sair dessa! - Provocou Alex, pegando sua bolsa no armário - Quem diria, hein? Você com uma popular e ela ainda é gata! - Sorriu, saindo.

 

 - É, quem diria mesmo?! - Concordou ele, dando de ombros.  

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

     Mundo Normal - Colégio Escolarium:

 

            Cantina:

 

 

 

 - Então, vocês transaram mesmo? Uau! - Exclamou Dotty, muito surpresa assim como Katty e Giovanna, assim que Matilda terminou de contar a história de como foi o encontro e claro, a parte mais especial do encontro.

 

 - É, tô vendo que a gente perdeu mesmo muita coisa, nesse fim de semana que ficamos na casa da sua avó, Dotty - Consentiu Katty - Mas, e aí? Doeu? Quer dizer, foi sua primeira vez, né? 

 

 - Foi, Katty. Claro que foi! E sim, doeu um pouco, mas foi só no começo porque depois, sabem... Foi... É... Como é que eu posso dizer? 

 

 - Prazeroso - Completou Giovanna, sorrindo pra amiga animada. 

 

 - É, prazeroso - Riu a filha de Úrsula - Foi... Maravilhoso, espetacular, único! Acho que eu nunca vou me esquecer dessa noite.

 

 - Ah, querida... Primeira vez nunca se esquece mesmo, me lembro da minha como se fosse ontem - Disse Gi, com um olhar distante. 

 

 - Com quem foi? - Perguntaram as panteras ao mesmo tempo.

 

 - É... Com... O Federico e... Foi... Maravilhoso também, épico! Eu nunca vou me esquecer, ele pode ser tudo, mas de romântico ele tudo. Afinal é italiano, uma pesquisa diz os italianos são os mais românticos do mundo e ele foi romântico, foi... Sem palavras.

 

 - Pensei que você tinha dito que ia esquecer ele.

 

 - Eu vou esquecer ele, Mati... - Afirmou ela - Afinal, vocês não queriam saber o que eu fiz ontem? 

 

 - O que você fez? - Perguntou Dotty, curiosa.

 

 - Você... 

 

 - É, Matilda. Também tive uma noite e uma tarde maravilhosa, tirando a briga com o meu pai ou melhor dizendo: o surto dele!

 

 - Por que ele surtou? - Questionou Katty.

 

 - Bom... Pra começar ele entregou o Federico pro FBI, depois mostrou umas fotos que ele fez de mim e do Federico em momentos íntimos, mas não tão íntimos assim. E bom, depois ele surtou dizendo que todo mundo já tentou engana-lo, brigou com o meu irmão, comigo, com a minha avó e saiu no tapa com a tia Loretta, mãe do Federico.

 

 - Caramba! E o Vincius? Também participou dessa briga? 

 

 - Não, Katty... Ele... Tava semiconsciente no sofá, a overdose foi feia! O médico disse que ele vai ter que ficar em repouso em casa por alguns dias e começar a fazer terapia. Ele corre grave risco de morte se tiver outra overdose ou cheirar cocaína de novo. 

 

 - Tadinho - Lamentou Dotty, com pena do amigo - E tudo isso por causa daquela bruxa malvada da Francesca, desgraçada, miserável! Por que ela não ficou presa pra sempre?  

 

 - Sei lá, pergunta pro Ministro da Magia o porquê dele ter me soltado? - Rebateu Francesca, chegando de repente e surpreendendo as panteras, pois estava vestindo o uniforme do Escolarium.

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

     Mundo Mágico - Escola de Bruxos (EDB): 

 

         Biblioteca Mágica:

 

 

 

 - Chamaram? - Anunciou-se Mecha entrando junto de Axel. Depois que ela mandou Daniel se ferrar, a guardiã ainda tentou contato com Grachi, enquanto entrava no portal, sem nenhum êxito, o telefone da bruxa tava desligado e a caixa de mensagem já tava cheia. Assim que ela entrou na EDB, Axel a encontrou e explicou a situação e do jeitinho dele, pediu a ajuda dela - E aí? Do que precisam? 

 

 - Não sei ainda, mas o seu namoradinho querido disse que a gente vai precisar de você e eu não quero ir pra cadeia mágica por crimes que eu cometi, mas que não são crimes horrendos, foram só diversão! - Resmungou Axel, dando de ombros.

 

 - É? É diversão tentar drenar os poderes da Escolhida? Ou virar as estruturas do Escolarium de cabeça pra baixo, como cê fez ano passado? - Treplicou a guardiã, recebendo um suspiro irritado do bruxo em resposta.

 

 - Ela tem razão - Sussurrou Manú, segurando o riso diante da briga dos dois.

 

 - Cala essa boca, Manú! Só porque virou bruxo bonzinho agora, vai tirar com a minha cara? Não se esquece que pelo metade dos meus crimes usando magia, você tava comigo! Seu pai pode ser Delegado da polícia mágica, mas aposto que ele não vai te livrar dessa não! Se eu cair, você cai junto! 

 

 - É, pior que ele não vai mesmo... Você não me entregaria, não né? 

 

 - Aposta pra você ver! 

 

 - Axel! Você é meu melhor amigo! Eu sou seu melhor amigo! Você não seria capaz de entregar não! - Desesperou-se Manú - Quer saber? Se você me entregar, eu juro que eu não olho mais na sua cara, seu falso! Eu também sei coisas sobre você, seu idiota!

 

 - Manú, se acalma.

 

 - Relaxa, Manú! Tô brincando, escuta sua namoradinha aí... Cara, eu não faria isso com você não. Mas, se me dessem um acordo... Não sei, acho que eu pensaria a respeito...

 

 - Axel! - Advertiu Mecha, olhando feio pro amigo - Meninos, chega! Eu tenho que encontrar a Grachi, então vamo logo com isso.

 

 - Por que você tem que encontrar a Grachi? O que foi que houve? É uma daquelas emergências... É... Maps? - Preocupou-se Manú.

 

 - É... Mais ou menos, digamos que... Ela deu uma surtada ontem à noite com o pai dela e... Eu tô tentando encontrá-la desde de ontem. Liguei pra Lúcia, pra Matilda, pra Giovanna, falei com a Valéria... A Lúcia e a Valéria atenderam e disseram que não sabiam, as outras duas tavam ocupadas com alguma coisa e essa manhã avisaram que também não sabiam de nada. 

 

 - Ligou pro Daniel? Sei lá, talvez eles tenham reatado e... Os dois poderiam tá muito ocupados pra olhar o telefone, se é que você me entende, guardiãzinha.

 

 - Não, Axel... Ele veio me perguntar hoje sobre ela, ele não sabe dela e o Francisco disse que se ela não aparecer até bater o sinal, ele vai chamar a polícia. 

 

 - Então, a parada é seria mesmo. Onde será que ela se meteu? - Exclamou Axel, trocando olhares de concordância com a amiga.

 

 - Gente, achei uma coisa! - Avisou Manú, ele tava revirando um dos vários livros em cima da mesa enquanto os outros dois conversavam - Aqui fala sobre um feitiço chamado DAVA LUAR, serve para extrair os poderes de uma bruxa e passar para outro bruxo permanentemente, precisa se fazer uma poção com, escutem só isso! Algum meteorito caído na Terra e que já afetou o bruxo que se deseja retirar os poderes, um amuleto que pode controlar qualquer bruxo se for ativado com a varinha de uma das famílias mais poderosas do Mundo Mágico e... O sangue da... Única pessoa que o bruxo que quer fazer a troca, já... Já amou verdadeiramente. No caso do Federico, bom, cês sabem quem é, né?! 

 

 - Ai meu Deus! O que mais se precisa? - Indagou Mecha, em choque, assim como Axel - Fala, Manú! - Disse, quando viu que o namorado estava decidindo entre dizer ou não dizer o resto. 

 

 - É... Eu acho que vocês não vão gostar disso, não... - Murmurou ele, engolindo em seco - Quando... O Federico tirar os poderes da Grachi e repassar para outro bruxo, a Grachi ela... Ela... Ela tem 95% de chance de morrer, devido à força e a intensidade que vai ser passada nela! 

 

 - O quê? - Gritaram Axel e Mecha em uníssono. 

 

 - Além da poção, o bruxo vai precisar da varinha de família dele e já que... Se fala que aqui tem que ser uma das famílias mais poderosas do Mundo Mágico, é óbvio que ele fala da família Albuquerque Cavalcanti Di Angeli. Então...

 

 - Então, o Federico já conseguiu o meteorito, que com certeza já afetou a Grachi e do amuleto, é o mesmo amuleto que eles tentaram roubar? - Ponderou Axel, recebendo um aceno positivo do amigo - Então, pelo nisso ele falhou, quer dizer, ele e a irmã dele.

 

 - É, mas ainda tem o sangue da Giovanna, com certeza é ela a única pessoa que ele já amou verdadeiramente e a varinha da família deles, deve tá escondida em algum lugar! Se o Federico é tão poderoso assim, a varinha não estaria aqui em Nova York, a família dela não seria tão idiota assim - Completou Mecha.

 

 - Então, ele não pode conseguir essa varinha, de jeito nenhum! A varinha é o objeto final, se ele conseguir, ferrou tudo! Ele pode até conseguir os outros ingredientes da poção, mas... Se ele não pegar a varinha, ele não consegue! - Comenta Manú. 

 

 - Então precisamos encontrar essa varinha! 

 

 - É, Axel, a gente precisa! Mas como? Tá dizendo mais alguma coisa aí, Manú?

 

 - Tá dizendo também que... O negócio precisa acontecer durante um evento astronômico que ocorre quando a posição de um objeto celeste em trânsito é coincidente ou atravessa, na posição aparente de outro, mas distante. Eu não faço ideia do que é isso! 

 

 - É um eclipse, Manú - Explicou Axel, recebendo um olhar estranho do outro, como se tipo: "como você sabe disso" - Que é? Eu me interesso por astrologia! 

 

 - O próximo eclipse é daqui... quatro meses - Avisou Mecha, olhando a informação no celular - A gente tem quatro meses.

 

 - É, então vamo agir logo, precisamos contar aos outros. 

 

 - Não, Axel... a gente precisa agir com cautela, se todo mundo souber vai acabar acontecendo uma histeria total! E o Conselho de Bruxas e o Ministério vai acabar sabendo, aí que vai ser histeria mesmo! Vamos ficar com essas informações só entre a gente, e a Amaya e o Diego, até pelo menos encontrarmos a varinha - Pediu a guardiã, calmamente.

 

 - E a Giovanna e o Vinicius? A varinha é da família deles, provavelmente eles sabem mais do que a gente, precisamos contar pra eles também! 

 

 - Talvez eles não saibam, Axel! E além disso, a Giovanna tem um caso com o Federico e o Vinicius com a Francesca, se eles vazarem essa informação sem querer, a gente tá ferrado! A gente tá à um passo na frente do Federico, não vamo deixar essa passar! Se o negócio complicar a gente conta pra eles, mas até lá, vamo tentar resolver só a gente.

 

 - Tá bom, me convenceu! Fica só entre a gente. - Resmungou o bruxo finalmente, revirando os olhos, irritados. Em seguida olhou para Manú e disse com uma certa contradição - Caraca, cê tinha razão, Manú... Quando você disse que ela era boa, não sabia que era tanto assim pra conseguir até me convencer!

 

 - Eu sei, obrigada - Gabou-se ela, sorrindo para o namorado que sorriu de volta. 

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

     Mundo Normal - Colégio Escolarium:

 

               Frente do Portal:

 

 

 - Ei, Diego, Amaya... Cês viram a Grachi por aí? - Perguntou Daniel assim que viu o casal andando sorrateiramente com um grande livro em direção aos armários do Portal - Sabe, tô perguntando porque soube de um boato aí de que ela desapareceu ontem à noite e o Francisco quer chamar a polícia.

 

 - É... A gente não soube de nada não, talvez ela esteja por aí tentando fugir de você e esquecer o que você fez com ela, humano - Provocou Amaya, revirando os olhos. 

 

 - É, você sabe como fugir de uma traição, não é? Sua bruxa! 

 

 - Daniel, por favor - Repreendeu Diego, o olhando com um olhar severo.

 

 - E eu tô falando alguma mentira? Você traiu ela, Diego! Se a sua namoradinha vai querer me provocar, é melhor não citar uma traição que foi quase a mesma que ela passou com você. 

 

 - Sério que você vai querer comparar a sua traição com a minha traição? Daniel, pelo amor de Deus! Você disse que tava apaixonado pela Alex! Cê disse pra Grachi isso! E aí depois, você diz que tá arrependido? Se for pra se arrepender no instante seguinte, é melhor pensar duas vezes antes de confessar alguma coisa! E outra, eu nunca escondi ou tive pretensão de esconder o meu beijo com a Matilda, a Rosa só se precipitou! Eu ia contar de qualquer jeito naquele dia, nunca ia esconder isso por três meses como você teve a capacidade de fazer! E ainda fingindo que tava tudo bem! Posso ser seu amigo, mas eu não vou ficar do seu lado dessa vez. Você errou, e errou feio! - Enfrentou o kanay, surpreendendo até mesmo Amaya que estava ali parada ao seu lado, segurando o riso.

 

 - Wow! Dessa vez o kanay solo voi, humano - Exclamou Federico, chegando por trás do trio e ainda por cima batendo palmas - Credo che non mi deixava isso per menos non! 

 

 - Ai meu Deus, ele não tava preso? - Perguntou Chema, chegando junto com Guilhermo e Rosa. 

 

 - É... Eu acho que ele tava, não tá mais não - Murmurou Amaya, engolindo em seco. 

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

     Mundo Normal - Colégio Escolarium:

 

            Cantina:

 

 

 

 - Ai meu Deus, ela tá atrás de mim, né? - Disse Dotty, recebendo um aceno positivo de Katty e Matilda. 

 

 - É, eu tô sim, humanazinha! Relaxa que eu não vou fazer nada de mal pra você e nem pra ninguém aqui! - Garantiu a filha de Loretta, puxando uma cadeira e sentando-se ao lado de Giovanna, que a olhava sem palavras, até que finalmente disse:

 

 - O que você pensa que tava fazendo aqui, Francesca? 

 

 - O que você acha, priminha? Eu tô com o uniforme do Escolarium, com uma mochila nas costas e tô acordada antes das dez da manhã! O que você acha mesmo que eu vim fazer aqui? 

 

 - Eu não acredito nisso! Você se matriculou aqui? É sério isso? Depois de tudo que você fez? - Gritou Matilda, irritada. 

 

 - Calma, loirinha, relaxa... Eu só tenho que fazer mais um semestre e tô liberada, termino o ensino médio, faço dezoito anos e me mando pra Itália! Lugar de onde nunca deveria ter saído! Se vocês tão desconfortáveis com a minha presença aqui, eu posso afirmar que eu também estou tanto quanto vocês! Foi absolutamente ordens dos meus pais pra me concluir o ensino médio aqui, não minha! Além disso, meu irmãozinho não sabe muito bem falar o inglês de vocês, vou ter que traduzir para ele algumas frases quando ele sair da cadeia. 

 

 - Pelo menos ela é sincera - Resmungou Katty, trocando olhares com as amigas. 

 

 - Francesca, eu quis dizer o que você tá fazendo aqui perto de mim e delas - Corrigiu Gi, apontando para as panteras - Se você tá desconfortável com a sua presença aqui e sabe que vai deixar outros constrangidos, por que não procura outro lugar pra sentar? 

 

 - Umas das coisa que eu mais gosto em você, Gi... É a sua sinceridade, tudo bem! Eu vou me embora! Mas, você não vai saber as novidades sobre o Vinicius - Assegurou a italiana, se levantando e fazendo menção que de que ia embora, mas foi impedida pela prima a puxando de volta para a cadeira.

 

 - Fala logo, Francesca! Como ele tá? 

 

 - Eu falo quando você disser alguma notícia do meu irmão! O Chuck conseguiu o advogado? 

 

 - Quem é Chuck? - Questionaram Katty e Dotty em uníssono.

 

 - É melhor a gente conversar com particular, bora andando lá pra frente do portal - Sugeriu a brasileira, se levantando - Matilda, depois a gente se encontra na EDB e você termina de contar como foi o negocio lá! Tchau meninas, até mais tarde - Despediu-se ela, saindo junto com a prima. Para quem via de longe parecia até que as duas eram amigas...

 

 - Eu acho que vocês já sabem, mas eu tenho que dizer que eu tô chocada! Completamente chocada - Notificou Dotty.

 

 - Eu também tô! Como essa doida conseguiu se matricular aqui? Pior, como foi o Francisco foi admiti-la? Meu Deus, o que a gente vai fazer agora? 

 

 - É... Matilda, eu não sei, mas... Eu acho que a gente vai ter lidar com outro doido aqui também - Avisou Katty, mostrando o telefone para as amigas. 

 

 - Você não disse que ele tava preso, Matilda? - Indagou Dotty.

 

 - É, parece que ele não tá mais não...  

 

 •*•*•*•*•*•*•*

 

     Mundo Normal - Colégio Escolarium:

 

               Frente do Portal:

 

 

 - É melhor a gente vazar daqui, antes que ele descubra sobre o livro, Diego - Sussurrou Amaya, no pé do ouvido do namorado que concordou com a cabeça.

 

 - Vai você logo, depois eu me encontro na La Cueva com vocês pra participar da conversa... É melhor eu ficar por aqui, antes que o Daniel faça alguma merda - Sussurrou ele de volta, entregando o livro nas mãos dela.

 

 - Você quer dizer outra merda, né? Porque merda ele já faz todo dia! O que ele fizer vai ser fichinha comparada às outras - Retrucou a bruxa, beijando-o e abrindo o portal com um estalar de dedos e em seguida entrando nele. 

 

 - A bruxa tem tutte le ragioni! Te, Daniel, solo faz merda! Per esempio, como o kanay acabou de gritar per voi, voi traiu sua namorada! E ainda confessou pra ela che erro innamorato per outra! Che è? Posso non falar molto bene seu inglês, mas ouço perfeitamente! 

 

 - Vou repetir a pergunta que o Diego acabou de fazer pra mim seu italiano idiota! Você quer mesmo falar de traição? Então vamos falar, sabe aquele seu melhor amigo., ele... - Daniel tentou revelar, mas foi interrompido por Francesca, que chegará junto com Giovanna, que abraçou o irmão fortemente, interrompendo a fala do humano. 

 

 - Federico! Si è stato rilasciato! O scappi? Poi il mio Dio! Voi fuggiste I'FBI! - Exclamou ela, o soltando.

 

 - Gui, o que ela disse? - Perguntou Rosa, que estava filmando, ao namorado.

 

 - Mi amor, yo soy espanhol, não italiano! 

 

 - Ela perguntou se ele fugiu da prisão e depois afirmou que ele fugiu mesmo do FBI - Traduziu Giovanna, sorrindo com o reencontro do casal de irmãos.

 

 - No, no ... Non ho scappare, lo giuro! l'avvocato ha Chuck, mi ha lasciato ieri mattina! Va tutto bene, lui è andare d'accordo con gli agenti dell'FBI in quel momento! Andrà tutto bene!

 

 - Agora ele disse que ele não fugiu. O advogado que o Chuck arrumou, o soltou nessa madrugada, garantiu que tá tudo bem e o advogado tá fazendo nesse momento um acordo com os agentes do FBI. 

 

 - Que ótimo! Isso é ótimo! Uma beleza! Então, agora quer dizer que os bandidos e vilões quando são ricos conseguem um advogado e saem da cadeia impunes de seus crimes, que ótimo isso! Muito bom! Os serial killers vão ficar muito satisfeitos agora com isso! - Ironizou Daniel, sorrindo sarcástico.

 

 - Pois é, bem vindo ao novo mundo, Daniel! - Devolveu Grachi, chegando por meio de uma fumaça rosa. Ela estava completamente diferente, com os cabelos já pintados e cortados, e com uma maquiagem pesadona no rosto - Devia mudar o seu hábito de não se acostumar com mudanças e abrir a sua mente para elas, meu amor! 

 

 - Grachi? É você mesmo? - Perguntou Chema, chocado.

 

 - Sou eu sim, Cheminha... Relaxa, não tem nenhum outra Grachi malvada aqui se apoderando do meu corpo ou algum clone malvado se fingindo de mim! Sou eu ao vivo e a cores! Só que não mais ingênua e boazinha como era antes de um certo humano partir o meu coração! 

 

 - Io gostei dessa nuova Grachi Alonso - Elogiou Federico, sorrindo para a bruxa.

 

 - Cala essa boca, seu idiota! Cê não tem que gostar de nada aqui! Grachi, o que você fez com o seu cabelo? - Chocou-se Diego, se aproximando da amiga, que deu dois passos para trás.

 

 - Na verdade, Federico... O meu nome agora é Graciela De La Ilha Albuquerque Alonso, mudei meu nome ontem! Talvez porque queira fazer parte do testamento da sua família, Giovaninha, quer dizer, da nossa família! - Provocou ela, fazendo a outra engolir em seco - Acho que você vai ter que dividir a herança com mais um...

 

 - Peraí, esse lance de dividere herança, non è vero, non né?! - Exclamou o bruxo - Sapere, perché Io meio che faço parte dessa divisão aí, e non tô muito afim de perder mio lugar non, principalmente para você, Grachi... Sem ofensas, mas Io tô nessa famiglia à mais tempo do che você, então... 

 

 - Cala essa boca, Federico! - Exigiu a loira, em seguida se virando para a prima - Grachi, se você queria me provocar com esse anúncio dos seus novo sobrenomes, já te digo que não vai rolar não! Eu sei dos meus direitos na herança do meu pai, veja bem, MEU PAI! Não seu! Quer arrumar briga comigo, consegue motivo por outro meio, porque esse lance de dinheiro não rola comigo não!

 

 - É? E se eu fizesse isso? - Provocou a Escolhida, largando a bolsa no chão e em seguida agarrando Federico, beijando-o selvagemente com o quesito de provocar a ex-amiga e Daniel, é claro. 

 


Notas Finais


Oh meu deus! Grachi beijou o Federico e agora? No próximo capítulo vai ter a resposta, nos vemos lá.

Xoxo,
Queen Strawberry_ Ali❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...