História Granade - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Christian Beadles, Flavia Pavanelli, Justin Bieber, Ryan Butler, Tyler Posey
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber
Tags Bieber, Dallas, Traição
Exibições 34
Palavras 1.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mas um capítulo para vcs, não é bem um capítulo em si, é como se fosse a mente barulhenta da Beline, como ela pensa e vê as coisas. Espero que ajude a entender melhor a história, bay.

Capítulo 7 - Demons


Fanfic / Fanfiction Granade - Capítulo 7 - Demons

PS" LEIAM AS NOTAS INICIAIS.


Todos nós temos nossos próprios demônios, eles sempre vão estar conosco, esperando o menor dos deslizes para enfim se libertarem. Mas tem aqueles que nos atormentam a cada dia, que nunca vão embora ,estão ali, te fazendo reviver o passado que tanto queremos esquecer. Ele é um dos meus demônios, senão o pior deles, mesmo não estando por perto fisicamente, em qualquer lugar que eu fosse a culpa estava comigo, a dor em saber que toda a desgraça que ele causou foi culpa minha. A raiva também me acompanha , raiva de mim , por ter sido tão tola ao me apaixonar por ele, tão idiota ao ponto de não ver o que Cameron sempre me mostrava, a verdade. Eu estava tão cega, tão impotente, que não via o que aquele monstro estava fazendo, estava tudo claro , bem debaixo do meu nariz. Mas eu não queria ver! Eu não queria acreditar . Burra! Eu era burra! Por ter me deixado levar por suas palavras , ele sugou tudo que eu tinha, me deixou aos cacos, levou minha vida e deixou apenas meu corpo. Ele destruiu tudo aquilo que eu acreditava ser bom no mundo, me fez ver o quão ruim o homem pode ser, me fez enxergar na marra o desastre que a humanidade era. Ele me fez sair de meu casulo confortável, dizendo me mostrar o quão bom seria voar , para logo depois cortar minhas asas e me jogar ao precipício. Mas esse é o efeito colateral do tão estimado e idolatrado amor  , ele te da o gostinho doce de quero mais, te mostra uma parte bem pequena do paraíso, para que você se vicie e corra atrás, para ter mais. E quando você vai, tudo está duas vezes mais intenso , mais excitante do que da primeira vez, então você vai atrás de mais, você quer experimentar tudo que ele pode te oferecer, você passa a enxergar tudo de melhor que o seu “amor” possa ter, você não vê os defeitos, não vê as pequenas atitudes, você está alienado apenas pelas coisas boas daquele sentimento tão avassalador. Você passa a fazer tudo que o outro quer, apenas para faze-lo feliz. Você nao vive por si, vive para ele, esquece de que também tem direito á felicidade. Então as coisas começam a declinar, vem as brigas, ele nao aceita que você se revolte, os gritos, as lágrimas , as paredes que sustentavam aquilo começam a ruir, vasos quebrados, cacos pelo chão, as rachaduras aumentam, mais gritos , as lágrimas não cessam , então vem o sangue, era muito sangue, era o meu sangue, as paredes cedem, as ruínas estão pelo chão, a poeira que aquilo causou não te permite ver nada ao seu redor, as luzes se apagam, você está sozinho em meio aos entulhos , onde está o seu amor? Para onde foi? E as promessas? As palavras bonitas? As declarações feitas sob a luz do luar, onde estão os abraços quentes e acolhedores?  O que você fez?  O que nós fizemos? Eles não tinham culpa disso! Por que ela? Justo ela! Onde estou? Por que me deixou sozinha aqui? Você prometeu!
Então vem o silêncio, a escuridão, é a deixa para eles entrarem em cena, seus demônios aparecem , primeiro vem a dor, ela te ronda e te rasga a pele ate chegar ao coração, onde crava as suas longas e afiadas unhas até ver o sangue escorrer e escutar seus gritos de agonia . Então vem a culpa, quieta e silenciosa, chega de mansinho , seu ataque é certeiro, ela joga os fatos na sua cara e faz você engolir a verdade crua enquanto sussurra em seu ouvido “ culpada , culpada,” e por ultimo vem ela , majestosa e barulhenta, chega fazendo estrago, soltando fogo e deixando destroços por onde passa, a raiva. Ela te faz lembrar de tudo que viveram juntos, mas com uma pitada de maldade, ela te faz ver o que todos viam, então ela te aquece , mas não um calor  bom, você sente que vai explodir, sua pele queima, suas lágrimas secam, você se levanta e olha ao redor, e grita , grita até sua garganta sangrar , então você quebra tudo que ainda resta dele. Então eles aparecem , os expectadores que acompanharam todo o desenrolar dessa trama, com seus olhares de pena e dó , os mais ousados com aquelas expressões de superioridade como quem diria “Eu te avisei” , os abraços frios, as lagrimas falsas e os desnecessários “Eu sinto muito” , como se uma frase fosse mudar o que você esta sentindo. Então você se fecha , se fecha para qualquer sentimento, você passa a odiar qualquer homem que ousa te tocar como ele tocou. Confiança? Terá que ser merecida, conquistada . Sofrimento? Trancado, escondido, ninguém precisa vê-lo. Felicidade? Não tão verdadeira como já foi um dia. Diversão? Hm...será a minha válvula de escape, minha brincadeira mais saborosa, será o meu jogo, minhas regras , eu determino quem entra, quando começa e quando acaba. Sangue!  Ah, o sangue. A bebida mais saborosa, a sensação aveludada de senti-lo escorrer por entre os dedos, o som quando goteja e toca ao chão. O gatilho, seu som me causa arrepios, o disparo me liberta, como faz com a bala, a mais bela sinfonia.

Flashback ‘on

Eu estava sozinha, mais uma vez eu estava sozinha, ele me deixou novamente, os gritos ainda ecoavam em minha cabeça, meu corpo latejava pela queda, olhei ao redor e tudo estava pelo chão, senti uma pontada na barriga e me encolhi, as lágrimas voltaram com mais força ao me lembrar do motivo da dor, eu não podia acreditar que ele havia feito aquilo , meus soluços eram tão altos que ecoavam pelo apartamento agora vazio. Ouso a porta da frente se abrir com força e meu corpo estremece com o medo de ser ele, mas então escuto a voz de Cameron me chamar ao longe, e choro ainda mais , eu não queria que ele me visse naquele estado deplorável e nojento .
-Beline onde você tá?...Bel por favor. – seus passos foram se aproximando e eu me encolhi no chão. Então ele me viu e se ajoelhou ao meu lado , me envolvendo em seus braços.
-Cameron sai daqui...por favor...sai... - disse em meio ao choro , tentei o afastar mas ele só fez me apertar mais contra seu peito.
-Shiii...eu não vou a lugar algum, eu nunca te deixarei sozinha.
-Foi ele Cam...mais a culpa é minha, sempre foi...
-A culpa nunca foi sua Bel, e eu te juro que eu vou matar esse desgraçado! Ele nunca mais vai chegar perto de você, eu prometo.
Então eu apaguei, em seus braços, o abraço que sempre me acalmou , ele que nunca me deixou sozinha, até mesmo quando eu não o merecia.

Flashback 'of

Então coloquem os copos para cima, celebrem enquanto é tempo, apertem o gatilho, vejam o estrago que a bala causa, uma simples e pequena bala. Liguem os motores, escute os pneus queimando no asfalto, pisem no acelerador , abra os vidros e sinta o vento. Sorria! Não aquele sorriso ingênuo, transborde malícia, quem manda aqui é você, levante a cabeça,  mande que eles se ajoelhem, aponte a arma, escolha o alvo , atire! Seu sangue é quente? Congele-o ! A loucura te assusta? Ela me mantém viva! Venha, vou lhe mostrar como entrar no meu mundo. Você quer jogar? Eu lhe ensino as regras. Aqui não existe bondade, se lhe deram a faca, fassa sangrar, se tem a gasolina coloque fogo, não tem segundas oportunidades, não pondere...apenas aja! Não será idolatrado por suas conquistas, sempre virá alguém para fazer melhor, então se dedique. Tudo é negro, seja a luz ! Não queremos que clareie, queremos que aprenda a enxergar nas trevas. Ganha quem chegar ao topo e permanecer la, não importa os meios que precise usar para alcançar seus objetivos. Você se acha ruim? Posso te mostrar meu lado sombrio, caminhamos sobre os fracos, cabeças se tornam degrais, sangue é nosso alimento, nosso combustível. Se mantenha de pé, reuna aliados, monte sua equipe. E o mais importante...nao tenha piedade! Guarde seus sentimentos, eles serão seu ponto fraco. Não espere que alguém irá te ajudar, levante-se sozinho, ou melhor...não caia. A regra principal? Não se apaixone! Nesse mundo não existe amor. Está pronto?! Ao soar dos alarmes os piores homens serão libertos, monstros disfarçados, os portões estão se erguendo, prepare-se...os alarmes soaram, vá!
Lembre-se...sem misericórdia, mate!


Notas Finais


Espero que tenham gostado, qualquer erro me avisem, beijinhos 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...