História Grande Paixão - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance
Exibições 9
Palavras 912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 25 - Reação


Fanfic / Fanfiction Grande Paixão - Capítulo 25 - Reação

  Por mais que façamos planos, por mais que sonhemos e tentemos controlar o nosso futuro, há coisas que não estão nas nossas mãos. O melhor a fazer é estarmos preparados, precisamos ser flexíveis porque de repente, podemos ter a vida de pernas para o ar. O importante é não nos assustarmos, não nos desesperarmos.Tudo que ainda não acabou pode mudar, e cabe a nós conhecer os nossos pontos fortes e fracos, e ter um pensamento positivo para fazer com que das crises saiam belas oportunidades de transformar a nossa vida.

(Autor desconhecido)

Estava deitada na cama virada para a parede tentando me mexer o mínimo possível todo meu corpo doía por causa dos machucados mais minhas costa era o que mas me perturbava

Ouço a porta ranger então vejo Enrico passando por ela, o que ele estava fazendo aqui? ele nunca vinha aqui seu semblante estava diferente alguma coisa tinha acontecido e não acho que seja bom ,ele da um passo em minha direção

Sem pensar duas vezes já estava engolida no cando da cama pressionada contra a parede,mas não poderia ficar assim por muito tempo meus machucados uns inflamados outros sarados e a grande maioria doloridos não me permitirá ficar nessa situação por muito tempo

me sentia exausta cansada definitivamente exaurida então ele se aproxima puxando-me com força fazendo me deitar na cama, deixo escapar um gemido de dor

Ele sobe em mim rasgando minhas roupas deixando-me apenas de calcinha ele nunca depois e durante tudo que me fez nunca tinha demostrando esse tipo de interesse em mim porque agora? o que mudou?

Ele segura meus pulsos com força machucando-me mais ainda, me debato o que só me faz sentir dor no meu corpo inteiro, não só por fora por dentro também

Ele cheira meus cabelos depois beija meu pescoço seu toque me dar calafrios, suas mãos repugnantes passeiam pelo meu corpo fico com nojo de mim mesma seu cheiro asqueroso começa a ficar impregnado em meu corpo, tento lutar contra ele mais ate no meu melhor dia teria dificuldade agora nesse estado não era nada além de um saco de ossos

Mais não me importava com o que pode-se acontecer só tinha uma coisa que eu não aceitaria sem lutar eu não aceitaria que ele me possuísse

ele desse beijando minha barriga distraído comete um erro, solta meus pulso, fico parada então passo minhas mãos em seu cabelo esse ato deixa-o surpreso ele levanta a cabeça então rapidamente pressiono meus polegares em seus olhos com o total de força que consigo ele geme de dor com ajuda do meu corpo consigo joga-lo contra a parede saio da cama rapidamente indo para o canto no quarto, fico tonta por ter levando tão rápido abaixo a cabeça colocando uma das mãos sobre o joelho respiro com dificuldade, estava muito fraca e machucada

Era uma sensação estranha o medo se misturava com a determinação minha respiração estava acelerando meu corpo doía minha determinação misturada com a raiva não seria o bastante para derrota-lo por mais que eu quisesse não conseguiria, meu corpo pesa minha vista começa a escurecer estremeço e apago

Acordo jogada no chão do mesmo cativeiro, meu corpo estava mais dolorido do que eu me lembrava, sentia-me fraca, meu mundo girava quando tentei me levantar sentir uma pontada muito forte em uma das minhas costelas, e olhando para o estado que estou, sei que ele me bateu enquanto eu estava desmaiada

estava tudo muito calmo ,quieto, sossegado então do nada um barulho alto, tudo começa em câmera lenta barulhos de tiros, vozes ao fundo gritando algo incoerente,tudo em minha volta girava estava tonta sem forças, ouvia barulho de carro ,de porta sento arrombada e em seguida a porta do meu cativeiro cai no chão, e vejo Thomas passando pela porta deixo sair um suspiro de alivio ele me coloca em seus braços tirando-me nos meus pesadelos

Ele me segura delicadamente mas firme ao sair do meu cativeiro,sentia todo meu corpo dolorido mais do que o normal, minha cabeça estava pesada minha visão estava um pouco turva andamos por um corredor amplo que dava aceso a uma sala, tudo estava bagunçado, tinha pessoas por todo lado policial eu suponho todos estavam usando terno preto, algumas pessoas estavam encostada da parede pessoa que nunca tinha visto a não ser pelo homem que me levava comida, a televisão estava no chão,o sofá com alguns tiro ,deve ter servido de escudo,uma mancha no chão chama minha atenção sigo a trilha de um tom avermelhado escuro ,e vejo uma possa de sangue ao lado do corpo de Enrico

Por um breve segundo fiquei em choque, ele estava morto!como isso era possível?então o significado de sua morte martelou em minha cabeça,ele nunca mais iria me ferir, ele nunca mais iria ferir qualquer outra pessoa

Fico feliz com esses pensamentos talvez não seja certo mas não me incomodo com isso afinal ele era o verdadeiro monstro dos meus pesadelos

As  marcas e cicatrizes que ele fez em mim nunca sararia então posso me dar ao luxo do egoísmo e ficar feliz por sua morte

Antes que Thomas pudesse atravessar a porta que levava para fora a dor começa a ficar insuportável, comecei a respirar com dificuldade o ar não estava mas chegando em meus pulmões, olho para Thomas e a última coisa que vejo são seus olhos cheio de preocupação, eu devo esta horrível, as poucas forças que ainda me restavam usei para abri um sorriso então apaguei


Notas Finais


bjs ate o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...