História Grave Encounters - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jay Park, Monsta X, Super Junior
Personagens Jay Park, Kim Heechul, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Exibições 15
Palavras 2.496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura ♡

Capítulo 2 - Day O2. I hope that it will make you a visit tonight


— 23 DE SETEMBRO DE 2013 —

— Mas é óbvio que eu vou conseguir fazer com que ele coma na minha mão, aquela sem sal nunca foi e nunca vai ser melhor do que eu. — Amellie dizia enquanto se sentava ao lado de sua amiga, na roda recém-formada no hall de entrada do hospital.

— Amy, por que você não se concentra primeiro em sair do ensino médio e depois em homens? — Sugeriu Rosie de forma provocativa enquanto sorria ironicamente para a irmã caçula que bufou. — Afinal, o que foi que Olivia fez para você odiá-la tanto? — Perguntou.

— Seja menos ingênua, por favor. — Retrucou Amellie fazendo Heechul - que tinha Rosie sentada em seu colo – bufar e contar até dez para não contar o que sabia para a namorada. — O que ela fez? Nasceu. — Completou.

— A única ingênua aqui é você. — Heechul se meteu atraindo os olhares para si. — Por que você não procura um homem solteiro ao invés de correr atrás de homem comprometido? — Completou encarando a cunhada, que riu sarcasticamente.

— Eu gosto de arcar com as consequências. — Respondeu dando ombros, gabando-se como sempre fazia.

— Jaebeom nunca vai querer nada com você, Amellie. Ele não é como o Hoseok. — Heechul retrucou fazendo Victoria, Minhyuk, Hoseok e Rosie o encararem com os olhos arregalados, bem como a própria Amellie que cessou o sorriso encarando o cunhado assustada. — Ele teria que ser muito burro para largar ela só para ficar com você. Olivia pode ser a pior pessoa do mundo, mas ao contrário de você, ela sabe dar importância ao que tem. — Completou retirando um sorriso satisfeito de Rosie pelo que o namorado disse.

— Aquela vadia nunca vai ser melhor do que eu, ninguém é melhor do que eu, Kim Heechul! — Rebateu, mesmo tendo sido derrotada.

— Minha querida entenda uma coisa, todo mundo é melhor do que você. — Todos os olhares se direcionaram a Olivia que descia as escadas vestindo um casaco leve, o pé enfaixado foi motivo de cochichos por parte todos que a viam descendo as escadas. — Não vá pensando que irá conseguir alguma coisa com ele. Meu noivo não é como os caras que você costuma ficar. Jaebeom é bom demais para você. — Completou encarando a garota seriamente, enquanto ambas eram filmadas. Olivia sabia que estava sendo filmada mas não iria falar nada, ela queria guardar aquela gravação para usar no futuro contra a garota, talvez mostrar aos pais dela.

Olivia pegou um sanduíche e um suco na bolsa térmica que tinham levado, calmamente voltou ao segundo andar indo até o quarto que dividia com seu noivo. Sentou-se ao lado dele com as pernas cruzadas, pegou o celular para novamente verificar seus e-mails antes de acordar o namorado que mais parecia uma pedra dormindo.

— Bom dia, flor do dia. — Murmurou ao ver o rapaz abrir lentamente os olhos. — Trouxe seu “café da manhã”. — Disse fazendo aspas e apontando para o sanduíche e o suco.

— Acho que dormi demais. — Murmurou sentando-se na cama improvisada e esfregando os olhos com as costas da mão.

— Não, são oito horas. — Respondeu rapidamente entregando o lanche ao namorado que sorriu agradecendo. — Só faltava você, todo mundo está lá embaixo, pronto para a “excursão”. — Completou novamente fazendo aspas.

— Está melhor? — Perguntou encarando o pé enfaixado de sua noiva. — Desculpa mesmo, eu não sabia que aquele chão era tão liso. — Completou tocando levemente a mão da mais nova que sorriu balançando a cabeça negativamente.

— Não se desculpe, está tudo bem. — Respondeu recebendo um sorriso enorme como resposta.

— Eu duvido que eles vão querer conhecer melhor esse lugar, medrosos do jeito que são. — Disse mudando de assunto e dando uma mordida no sanduíche.

— Como se você não fosse medroso. — Retrucou sorrindo divertida para o namorado que mostrou a língua.

Jaebeom estendeu o sanduíche para Olivia dar uma mordida, que de inicio negou, mas depois da insistência do rapaz, acabou cedendo. — Acho que você é única que não tem medo. — Completou dando ombros.

— E não tenho. Pra que ter medo dos mortos quando existem pessoas muito ruins ainda vivas? — Perguntou encarando o noivo que sorriu concordando.

Terminaram o café da manhã e enquanto Jaebeom se arrumava Olivia desceu para se juntar ao demais, passou por Amellie que lhe mostrou a língua. — Ele já vai descer. — Avisou encarando Amellie que ameaçou levantar-se. — Suba lá e eu acabo com você. — Completou vendo-a se sentar novamente.

 

ΛVΛV

 

— Dongsaeng, você conhece a história daquela menina que morreu aqui? — Shownu perguntou passando um dos braços sobre os ombros da garota que gemeu baixinho. Sentindo seu pé latejar com o passo em falso que deu quando o mais velho se aproximou, ficou para trás enquanto anotava coisas em seu bloco de notas.

— Pesquisei alguma coisa sobre isso, mas não achei nada que fosse realmente verídico, então... — Olivia respondeu. — Creio eu que ainda tenha alguns arquivos sobre os pacientes daqui, é possível que você encontre alguma coisa sobre ela. — Completou.

Seguia distraída pelos corredores, anotando tudo que achava importante para seu relatório que não notou que estava sozinha naquele lugar escuro e frio, até mesmo Shownu havia deixado ela sozinha para se juntar aos seus amigos.

Olivia queria muito entender como aquele lugar poderia ser motivo de diversão para seus colegas, àquilo era um hospital psiquiátrico, nada que havia ali era engraçado ou divertido, o que levava a garota a crer que aquelas pessoas que estavam com ela possuíam sérios problemas mentais e que precisavam de tratamento o mais rápido possível.

Suspirou e continuou fazendo suas anotações, até encontrar uma única porta aberta naquele corredor frio e parcialmente escuro, se não fosse por uma lanterna caída no chão.

— O que?! — Deu ombros e mancando ela se aproximou da lanterna, era a de Jaebeom. Ela sabia muito bem que era dele. — Por que ele deixou essa droga aqui? — Perguntou-se enquanto olhava para os lados, na tentativa de acha-lo, tentativa falha.

Uma vez distraída – procurando por Jaebeom – ela não notou a sombra que aparecera naquela porta aberta, até então, deixada de lado pela garota. Seu corpo foi puxado com certa brutalidade, fazendo com que seu pé, uma vez machucado desse alguns estalos e a dor aumentasse. Uma vez dentro do cômodo, a porta foi fechada com uma batida bruta e trancada logo em seguida.

— Nós poderíamos aproveitar que estamos sozinhos e nos divertir um pouco, não é? — Jaebeom perguntou empurrando Olivia contra a parede e aproximando seus lábios do pescoço de sua noiva distribuindo alguns selares.

— Você me assustou. — Disse seriamente ignorando a pergunta do mais velho.

— Vai dizer que não gostou da surpresa? — Perguntou encarando a garota enquanto mordia o lábio inferior. — Sabia que você está muito linda com esse cabelo amarrado?! — Disse passando a mão sobre os cabelos amarrados de sua noiva. — Você sabe como eu fico quando amarra o cabelo desse jeito. — Completou puxando de leve os fios loiros da garota que gemeu mordendo o lábio inferior em seguida.

— E-eu preciso fazer m-minhas... Anotações! — Disse entre gemidos enquanto recebia selares e mordidas em seu pescoço.

— Tem certeza? — Deu uma mordida forte no pescoço de Olivia que gemeu alto.

— Que se foda. — Deixou que suas coisas fossem ao chão e passou ambas as mãos sobre os ombros de Jaebeom o puxando para um beijo afoito.

O cômodo era pequeno, um banheiro antigo usado apenas por médicos. Jaebeom foi guiando a garota pelo cômodo até estarem dentro do box. Aos poucos, peça por peça foi indo de encontro ao chão até ambos estarem completamente nus, um arrepio percorreu a espinha de Olivia ao sentir os dedos de seu noivo massageando sua intimidade completamente molhada.

Dois dedos entravam e saiam com rapidez da intimidade de Olivia que gemia cada vez mais alto enquanto arranhava as costas de Jaebeom que mordia o ombro da garota. A garota não sabia a sensação que causava no coreano com seus gemidos.

Desfez-se minutos depois, sentindo suas pernas fraquejarem e precisou se apoiar em seu noivo para não cair. O mais velho lambeu os dedos lentamente, sentindo o gosto da garota a sua frente que o encarava fixamente, ainda com a respiração falha.

Olivia, pegando Jaebeom de surpresa o empurrou com força contra a parede fria e o beijou. Levou uma de suas mãos até o membro do rapaz, tocando-o com lentidão, apenas para provoca-lo.

Desceu os beijos para o pescoço, em seguida para o peito e abdômen do rapaz que mantinha os olhos fechados, apenas aproveitando os lábios macios de Olivia em contato com sua pele. Um pouco antes de chegar onde queria, a garota começou a distribuir mordidas leves e lambidas enquanto massageava com um pouco mais de precisão o membro de Jaebeom.

Distribuía selares nas coxas de seu noivo enquanto sua mão livre arranhava lentamente o abdômen do mesmo. O rapaz foi pego de surpresa quando Olivia passou a língua sobre a glande úmida, um gemido alto atingiu os ouvidos da garota, incentivando-a a continuar com os movimentos.

Levou uma das mãos até os cabelos da garota a incentivando nos movimentos até estar quase gozando. Um pouco antes de atingir ao ápice, Jaebeom fez com que Olivia parasse os movimentos e ergueu-a rapidamente. A mais nova encarou o noivo seriamente, querendo saber o motivo de ele ter feito aquilo.

— Não fala nada. — Disse dando um selar rápido na namorada antes de virá-la a deixando de costas. — Apenas aproveite. — Completou sussurrando um pouco antes de deixar um chupão no pescoço de Olivia que gemeu.

Olivia espalmou suas mãos na parede, apenas esperando Jaebeom colocar o preservativo.  — Pronta? — Perguntou colocando suas mãos na cintura de Olivia dando um leve aperto, mas estava tão apressado que não esperou pela resposta e a penetrou. Ela gemeu alto e levou uma de suas mãos até a coxa direita do mais velho, cravando suas unhas ali, Jaebeom riu apoiando sua cabeça no ombro da mais nova.

Movimentava-se lentamente, apenas para Olivia acostumar-se antes de aumentar a velocidade das investidas. O rapaz beijava o ombro e as costas de da mais nova enquanto suas mãos apertavam a cintura da mesma.

Os movimentos escalavam entre rápido e lento não tardando para os dois atingirem o ápice, Olivia gemeu alto pela segunda vez e Jaebeom acabou mordendo o ombro da namorada na tentativa de reprimir o gemido.

— Por que você fez isso? — Perguntou referindo-se a água gelada que recém começara a cair sobre eles, Jaebeom havia ligado o chuveiro.

— Estava com calor. — Respondeu dando ombros esboçando um sorriso malicioso em seguida e beijando-a.

 

ΛVΛV

 

— Sabe o que é engraçado? Eu encontrei três relatórios, sobre duas garotas e um garoto. — Minhyuk disse mostrando as três pastas que havia levando consigo no final da “excursão”.

— E o que isso tem de engraçado? — Amellie perguntou encarando o garoto seriamente. — É obvio que aqui tem relatórios de pacientes. — Completou fazendo uma expressão de tédio.

— Você não está entendendo, Amy. — Minhyuk disse sorrindo ironicamente para a garota. — Um desses relatórios é sobre aquela menina que o professor falou que tinha morrido aqui... — Completou.

— E quem é essa garota? — Victoria perguntou.

— Antonia Himmler... Não é? — Heechul perguntou encarando as escadarias que davam acesso ao andar inferior – do qual estiveram algumas horas atrás –, vedo Jaebeom e Olivia subirem rapidamente, ambos molhados. O coreano apenas deu uma risada baixa e balançou a cabeça negativamente, vendo o casal subir as escadas torcendo para ninguém ver eles.

—Exato! — Respondeu. — Ao que parece Antonia e os outros dois vinham de família que lidavam com magia negra. — Disse. — Será que devemos mesmo tomar cuidado? — Completou.

— E o que magia negra tem a ver com o fato de precisarmos tomar cuidado com o hospital? Eles estão mortos. E mortos não fazem nada. — Rosie respondeu balançando a cabeça negativamente.

— Me deixe ver isso aqui. — Shownu puxou um dos relatórios das mãos do Minhyuk. — Antonia Himmler, 17 anos. Cometeu suicídio em um lago nas proximidades do hospital. Não me parece tão assustador assim. — Completou dando ombros.

— Olha a matéria desse jornal. — Minhyuk disse apontando para um pedaço de jornal velho.

— Paciente do hospital, havia fugido e se suicidado em um lago nas proximidades do hospital. Médicos psiquiátricos disseram que o comportamento da paciente havia se tornado bastante violento nas últimas noites em que ela passou na ala de doentes mentais. — Shownu começou a ler a matéria atraindo a atenção de todos. — No depoimento dado por Steve Weidenfeller, ele alegava que algo estava atormentando a paciente que gritava e agredia enfermeiros e até mesmo pacientes. — Completou suspirando pesadamente.

— Com medo agora, bebezão? — Amellie provocou.

— Quer ler você? — Perguntou o mais velho encarando a garota seriamente que negou erguendo as mãos em rendição. — No depoimento dado por Vera Himmler, mãe da paciente, ela alegava que as atitudes da filha tinham se tornado violentas a ponto de terem de isolá-la em um quarto perto das salas de cirurgia no subsolo. — Continuou lendo. — O que isso tem a ver com magia negra, Min? — Perguntou encarando seu dongsaeng e fez sinal para que ele continuasse lendo. — Ela matou pacientes de forma trucidante, dizia que eles faziam mal a ela, quando na verdade, ela fazia mal a si mesma... Esse foi o último depoimento dado pela mãe antes de ser encontrada morta em sua sala, na ala psiquiátrica com perfurações no peito, formando uma suástica. — Completou.

— A garota além de ser louca era nazista? Nossa. — Hoseok pronunciou-se.

— Aqui ainda diz que alguns pacientes a viam vagando pelos corredores do hospital, muitas vezes murmurando palavras desconexas, que aos ouvidos dos pacientes soavam como ameaças. — Shownu disse.

— Tem a matéria de outro jornal. The New York Times. — Minhyuk pegou outro pedaço de jornal. — Herdeira da fortuna Himmler, Antonia Himmler foi encontrada morta aos arredores do lago pertencente ao hospital psiquiátrico o qual a garota estaria internada desde os doze anos, com sintomas graves de esquizofrenia. De acordo com o legista, a paciente teria sido morta dentro do hospital e levada para o lago. Na autópsia feita, foi encontrado 0,5% de Zyklon B, gás usado nas câmaras de gás em campos de concentração nazista, como Auschwitz-Birkenau e Bergen-Belsen. — Disse. — O caso foi realmente um sucesso, a data que consta aqui é dois de setembro de 1948. Exatos três anos após o fim da Segunda Guerra Mundial. — Completou.

— Vocês não entenderam, não é?! Antonia era filha de Heinrich Himmler... — Rosie disse como se fosse à coisa mais óbvia do mundo. — O pai dela era um dos principais lideres do partido nazista, fazia parte da Schutzstaffel, alguma coisa ela tinha que puxar para o pai não é mesmo? — Completou.

— Certo, agora deu medo. — Amellie disse encarnado Rosie que riu da cara da irmã.

— Pra que ter medo dos mortos quando existem vivos ainda piores? — Rosie repetiu a frase de Olivia. — E isso ainda não tem nada a ver com magia negra, pelo amor.

— Essas coisas me dão medo. — Amellie retrucou.

— Se é assim, eu espero que Antonia Himmler venha lhe fazer uma visita esta noite. — Rosie deu uma risada diabólica e levantou-se. — Boa noite para os demais. — Disse seguindo para as escadarias seguida de Heechul que ria da cara da cunhada.


Notas Finais


Me desculpem qualquer erro e me desculpem ainda mais pelo atraso.
Espero que tenham gostado e até o próximo.
Good Bye, sweeties ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...