História Grávida da Minha Melhor Amiga - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Bea Miller (Beatrice Miller), Cara Delevingne, Demi Lovato, Dianna Agron, Fifth Harmony, Justin Bieber, Kristen Stewart, Lea Michele, One Direction, Selena Gomez
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Bea Miller, Camila Cabello, Cara Delevingne, Demi Lovato, Dianna Agron, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Lea Michele, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Zayn Malik
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Larry, Lauren Jauregui, One Direction
Exibições 1.077
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpe pela longa demora, tive alguns imprevisto e alguns problema, mas aqui está o capítulo pra vocês, espero que gostem, deixem ai seus comentários pra mim, quem ainda não viu o trailer da terceira temporada, o link estará nas notas finais, até lá embaixo.

Capítulo 27 - 2 Temporada - Matthew...


Fanfic / Fanfiction Grávida da Minha Melhor Amiga - Capítulo 27 - 2 Temporada - Matthew...

Lauren

6 meses depois...

Estava deitada na maca ao lado de Cara, depois de 6 meses ela ainda não havia acordado, nosso filho estava se evoluindo bem, sim nós íamos ter um menino, nosso sonho estava se realizando e ela está aqui deitada parada, nunca havia visto ela tão pálida e tão magra, nem quando estava doente. Coloquei minha mão sobre a barriga dela, nosso filho imediatamente mexeu, escutei o aparelho disparar e olhei para o monitor. O coração de Cara estava acelerado e logo o do bebê também disparou, eu não entedia o que estava acontecendo, até um médico entrar e me mandar tirar do quarto, me encostei na parede, comecei a chorar, eu não podia perder minha mulher. Assim que o médico saiu da sala, depois de alguns minutos veio até mim e me olhou com certa tristeza.

- Sua mulher precisa passar por uma cesariana de emergência, mas pra isto acontecer você tem que assinar alguns papeis. - disse de forma séria me olhando.

- Eu assino, sou prometa que vai salvar os dois, não vai deixar nem um deles morrerem, eu não vivo sem minha esposa. - disse enquanto deixava as lágrimas caírem pelo meu rosto.

- Nós vamos fazer o possível e o impossível para salvar ambos. - disse com uma expressão seria e apenas confirmei com a cabeça.

Ele pediu para uma enfermeira me levar pra sala de espera, onde um outro médico me trouxe alguns documentos para mim assinar. Não iria ligar para ninguém da minha família, ninguém precisava saber o que estava acontecendo, eu apenas queria ficar sozinha, rezando como fiz nestes meses, para que nada de errado aconteça, nem com nosso filho e nem com Cara. Mas mesmo assim eu ainda tinha um enorme medo de perde-lo, Cara estava frágil, fraca, seu corpo estava fraco.

Não sei quando tempo se passou dês de quando a enfermeira me trouxe para sala de espera. Sou sabia que estava ficando cada vez mais aflita e cada segundo parecia uma eternidade, minha cabeça estava a mil, ainda mais porque ninguém me trazia nenhuma notícia. Melhor do que ninguém, eu sabia que aquela cesariana de emergência, poderia sair errado, por isto me fizeram assinar todos aqueles papeis, eu estava assumindo o risco daquilo.

- Familiares da senhorita Delevingne Jauregui?. - escutei uma voz masculina, imediatamente me levantei e fui até o homem, que tinha uma expressão cansada.

- Então como minha esposa e meu filho estão?. - perguntei em um fôlego só e com voz rouca de tanto chorar.

- Sua esposa está estável, ainda em coma e seu filho nasceu saudável, ficará na incubadora até ganhar mais peso, se quiser a enfermeira te levará até o berçário. - disse de forma calma me olhando.

Sou de saber que não havia acontecido nada com Cara e que nosso filho era um menininho saudável, já havia me deixado um pouco mais alivia. Fui para o berçário com uma enfermeira, quando chegamos parei em frente a um vidro, haviam vários bebês, mas logo a enfermeira pego um pequeno menino, ele era tão pálido quanto eu. A mulher se aproximo mais do vidro, então pude ver melhor, ele abrir os olhos e olho pra mim, aquilo fez meu rosto ser banhado a lágrimas, ele tinha os olhos esverdeados meio azulados, provavelmente ficariam da cor dos meus, tinha os lábios de Cara e meu nariz. O rosto dele provavelmente ficaria parecido com o meu e os cabelos eram loiros igual aos dela.

Aquele ser tão frágil e tão pequeno era a mistura perfeita de nós duas, eu não podia ter ganhado presente melhor, neste momento tão trágico. Eu estava louca para o segurar, mas ainda não podia, ele era frágil de mais, mas logo o teria em meus braços. Como queria Cara aqui para apreciarmos este momento juntos.

3 semanas depois....

Estava com o pequeno Matthew no quarto de hospital de Cara, nome que as meninas haviam escolhido pra ele, com a ajuda das tias. Ele segurava meu dedo com sua pequena mão, olhei para Cara, ela ainda não havia saído do coma e hoje levaria Matt para casa, também teria que gravar algumas músicas e assinar um contrato, não estava com cabeça para estas duas coisas, mas tinha que ganhar dinheiro para sustentar meus filhos e pagar o hospital, que não era nada barato.

- Temos que ir Lauren, as meninas estão loucas para conhecer o irmãozinho. - escutei a voz de Ally atrás de mim.

- Já estou indo Ally, pode pegar ele um pouco eu já saiu. - disse ainda olhando para o corpo pálido e magro de mais de Cara.

- Claro vou te esperar lá fora. - disse pegando Matthew do meu colo e saindo do quarto em seguida.

Me aproximei mais de Cara, peguei sua mão que estava encima da cama, ela estava gelada e magra a aliança que o médico havia deixado eu colocar nela, estava larga, eu nunca tinha visto ela tão frágil em toda minha vida. Cheguei um pouco mais próxima e abaixei meu rosto, dei um beijo na bochecha pálida dela e fiquei a observando.

- Cara meu amor, eu sei que pode me escutar e também pode me sentir, então por favor me escute, nosso filho e a coisa mais linda do mundo a mistura perfeita de nós duas...- fiz uma pausa, quando as lágrimas começaram a descer pelo meu rosto. - você precisa acordar pra ver ele amor, as nossas filhas também estão morrendo de saudades de você, não param de perguntar sobre a mamãe delas, por favor volta pra gente não demora, nós quatro te amamos muito. - disse dando mais um beijo no rosto dela e um beijo em sua mão.

Antes de sair do quarto, enxuguei meu rosto com minha camiseta preta, sair do quarto e encontrei Ally na porta me esperando, sem trocarmos nenhuma palavra se quer, fomos para o estacionamento. Quando chegamos ao carro, peguei Matthew no colo de Ally o prendi na cadeirinha com cuidado e me sentei ao lado dela. Ally estava como minha motorista, porque todos achavam que eu não estavam com cabeça para dirigir e de qualquer jeito iria precisar de alguém aqui.

Assim que ela começou a dirigir, minha atenção foi para o meu filho que dormia calmamente, ele era lindo, os cabelos loiros se destacavam, quando ele cresce um pouco, eles ficariam mais escuros assim como os de Cara. Sou de pensar em minha esposa, meus olhos se encheram de lágrimas, mas as segurei, eu tinha fé que ela acordaria daquele sono profundo.

Pra piora minha situação ainda hoje tinha que assinar um contrato na gravadora, um produtor queria fazer algumas músicas, comigo e com uma outra cantora. Estava tão sem paciência com certas coisas, que não sabia qual era a cantora que ele queria que eu cantasse juntas e fizesse algumas músicas. Para fica pior, somente daqui 3 anos nós duas iríamos fazer as músicas juntas, não sei porque tanta pressa de assinar um contrato, quem não seria cumprido agora.

Mas tudo bem tem louco pra tudo nesta vida, sou vou aproveitar meus filhos até eu ter que ir pra gravadora. Quem sabe até lá eu esteva melhor e meu animo não esteja tão pra baixo, como vem estando em todos estes meses sem minha esposa amada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo, me desculpem se tiver algum erro na ortografia, deixem ai seus comentários pra mim, até o próximo capítulo.

Trailer: https://m.youtube.com/watch?v=Y32gvSEBqxU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...