História Grávida de Um Estranho - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Festa, Gravidez, Justin Bieber, Sexo
Exibições 189
Palavras 751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLO!!!!
Bem, ta aqui mais um capítulo para vocês, espero que gostem.
Só avisando que no PRÓXIMO capítulo nosso querido Justin já irá aparecer , ok?

Boa leitura.

OBS: leiam as notas finais : )

Capítulo 8 - Quem vai ser papai?


Assim que acordou, Angeline se deparou com um quarto branco. Sua visão ainda um pouco embaçada enquanto ela levava as mãos ao olhos. Erguendo a cabeça e olhando para o lado ela pôde ver quando Josh levantou-se da poltrona e correu em direção a cama.

— O que houve? — perguntou confusa.

— Você desmaiou. Mas está tudo bem agora.

Josh sorriu.

Angeline forçou um pouco sua mente, o que a fizera desmaiar? E por que ela estava em um hospital? De repente seus olhos arregalaram-se quando o motivo brilhou como um flash em sua memória.

— Você está bem? — Josh perguntou preocupado, vendo a expressão de Angeline.

— Não, quer dizer, sim, eu acho…

Antes que qualquer um pudesse falar alguma coisa, a Dra. Márcia adentrou o quarto. Ao ver Angeline sorriu feliz.

— Como está se sentindo?

— Melhor.

Ela assentiu.

— Ótimo, vou lhe recomendar alguns exames, precisamos ter certeza que está tudo bem com o…

Antes que a doutora terminasse a frase, Angeline a interrompeu apressada:

— Traga um pouco de água para mim, por favor. — ela sorriu para Josh.

— Ok, já volto.

A doutora olhou para ela e segurou sua mão com delicadeza.

— Oh, me desculpe, quase estraguei a surpresa. Pensei que já tivesse contado ao seu marido.

Angeline quase se engasgou com a própria saliva.

— E-ele não é meu marido!

A médica deu um risinho.

— Ah, os jovens de hoje em dia, tão apressados. — ela comentou mais para si do que para Angeline que a encarou com impaciência.

— Olha, eu tenho certeza que está havendo um mal entendido aqui. Não tem como eu estar grávida, ok? — ela suspirou. — É impossível.

— Minha querida, o que tornaria o fato impossível? Você é jovem, na sua idade os riscos de engravidar são mais elevados.

Angeline bufou com raiva.

— Mas já faz tempo.

Ela não precisou ser mais específica para a doutora perceber do que se tratava. Esta por sua vez riu e apertou a mão de Angeline enquanto falava, ainda sorridente.

— Minha jovem, não importa quanto tempo se passou, só é necessário uma vez e no dia certo.

Angeline choramingou.

Oras, não havia possibilidade dela estar grávida, quando nem sequer se lembrava da última vez que fizera sexo!

— De qualquer forma vamos fazer alguns exames. É melhor termos certeza logo, quanto antes começar o pré-natal, melhor para a sua saúde e a do bebê.

A médica sorriu e se retirou da sala, deixando Angeline triste e inconformada. Aish, e agora? Se realmente fosse verdade, o que ela faria com um bebê a essa altura da vida? Não podia lidar agora com um bebê não planejado.

— Mas isso é impossível, tenho certeza. — disse confiante para si mesma.

[…]

Já de volta a seu apartamento, Angeline deixou-se cair no sofá, estava triste e com fome e já eram três da manhã, onde ela arranjaria uma melancia e mel?

O fato de realmente estar grávida ainda não lhe tinha sido digerido, fizera os exames semana passada e, de alguma maneira, nesse momento ela realmente carregava um bebê dentro de si. Mas, como ela contaria a sua família? E o que Josh diria disso?

Resolveu voltar para a cama, não tinha onde ir comprar melancia e estava deprimida demais para comer. Mas não conseguiu dormir, tudo o que se passava pela sua cabeça era quem vai ser papai?

[…]

Acordou sentindo cheiro de panqueca, estranhou e foi até a cozinha, se deparando com Josh cozinhando.

— Bom dia, linda. — ele sorriu. — Desculpe por invadir, mas achei que como está doente gostaria de um café da manhã caprichado.

Angeline ficou triste, doente? Não era bem isso que ela estava.

Mas como contaria a ele?

— Muito obrigada, mas não precisava se incomodar.

— Não é um incomodo, sente-se. — Josh serviu o café e sentou-se junto a ela. — Então, acha que estará melhor a noite?

Angeline franziu a testa.

— O que tem a noite?

— Não se lembra que é hoje que vamos jantar na casa dos meus pais? Eles estão ansiosos para te conhecer, principalmente minha mãe.

Angeline ficou sem reação.

E pensar que semanas atrás ela estava ansiosa para esse momento, mas agora sentia medo do que poderia acontecer.

— Não acho que…

Ele não a deixou acabar.

— E você ainda poderá conhecer meu irmão que acabou de chegar de viajem. — comentou. — Minha mãe está muito animada, embora ele não seja flor que se cheire. Bom, hoje a noite está de pé, certo? — Josh sorriu, dando-lhe um beijo na bochecha. — Não aceito não como resposta.

Tudo que ela pôde fazer foi sorrir nervosa e xingar-se mentalmente.


Notas Finais


O que você acham que vai acontecer?
Quem vocês acham que é o tal irmão dele?

Não percam o próximo capítulo!

Comentem pra mim, please?
e favoritem.

Ah, quem quiser conversar sobre a fanfic estarei aqui, pode perguntar o que quiser nos comentários ou por mensagem : )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...