História Gravity - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JR, Mark
Tags Got7, Gravity, Jackson, Jinyoung, Júnior, Mark, Markjin, Markson, Park, Tuan, Wang
Exibições 53
Palavras 2.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Como pediram, tá ai um bônus feito com muito esforço pra vocês <33333
espero mesmo que gostem, porque eu demorei um pouco pra fazer, tentando deixar da melhor forma possível, eu não revisei ele ainda, muito menos o primeiro capítulo, mas prometo que quando eu puder, eu reviso tudo direitinho,
Aproveitem a leitura.

Capítulo 2 - A second chance?


Fanfic / Fanfiction Gravity - Capítulo 2 - A second chance?

4 anos depois... 

- Mark, vem logo, tá frio - JinYoung gritava do quarto, enquanto eu me preparava pra dormir 

- Se enrola na coberta, JinYoung-ah 

- Eu quero me enrolar no seu corpo - falou todo manhoso, na mesma hora sai do banheiro e me encostei no batente, estava com uma blusa que ia até metade das minhas coxas e meias felpudas, e mesmo fazendo frio, estava com as pernas desnudas - vem cá - ele abriu os braços e eu fiz um biquinho indo em sua direção 

- JinYoung, amor, uh - arfei quando ele apertou minha bunda enquanto sua boca passeava por meu pescoço 

- Eu to na seca Mark, essa viagem pra Busan me deixou longe do meu gatinho - ele não tinha dó de me apertar, tinha mãos e uma boca muito habilidosas, nosso beijo era necessitado - eu to com saudade de você gatinho - suas mãos adentraram minha blusa e arranharam minhas costas, indo em seguida de encontro com meus mamilos, eu já podia sentir sua ereção na minha bunda 

~Baby in the night, when I close my eyes 

- Bosta - meu celular começou a tocar no criado-mudo, já passava das duas da manhã e eu estava de folga, não era possível uma emergência aparecer assim do nada. 

- Deixa tocar - seus lábios beijavam minha clavícula e suas mãos brincavam com meus mamilos e minha barriga, me causando arrepios 

- Urgh - parei o beijo, a música tocando de fundo estava me desconcentrando - preciso atender - me sentei e peguei o telefone, nisso JinYoung me abraçou por trás e ficou beijando meu pescoço enquanto acariciava meu corpo - Alô? 

- ... - barulhos de choro ecoavam pelo telefone e bem de fundo uma música alta tocava 

- Alô, quem é? 

- Mark? me tira daqui - meu corpo congelou, eu conhecia aquela voz - me tira daqui por favor, ele me trouxe aqui, ele - agora dava pra ouvir soluços um pouco mais altos - ele me prensou na parede, m-me obrigou a fazer coisas que eu não queria - ele parecia desesperado do outro lado da linha, eu não sabia o que fazer 

- Onde você tá? - levantei rápido demais, fazendo o dente de JinYoung raspar em minha pele e arder, me fazendo soltar um gemido, mas eu ignorei indo em direção ao guarda roupas 

- Eu não sei - ele continuava chorando, aquilo estava me agoniando de um jeito 

- O que tem por perto como ponto de referência? - tentava colocar as calças e apoiar o telefone no ombro ao mesmo tempo, JinYoung, já de pé me olhava bravo com a mão nos dentes 

- Tem um posto e, uma, uma farmácia, não consigo ler o nome, mas é perto de um prédio verde 

- Sei onde é, vai até essa farmácia e não sai de lá até eu chegar - desliguei o celular e terminei de me vestir 

- Quem era? - fiquei em silêncio, aquilo causaria uma tremenda briga, afinal Jackson fez JinYoung terminar com Jaebum, e me fez sofrer - Quem era Mark? Quem é tão importante pra te fazer me abandonar aqui depois de 5 dias sem te ver? - silêncio - VAMOS MARK - me encolhi 

- Jackson - saiu como um sussurro, não queria ver no que isso daria, então me virei e sai do quarto indo em direção ao meu tênis 

- Mar... - não dei tempo pra ele terminar, sai de casa 

Eu sei que foi errado abandona-lo assim, mas a adrenalina passava por todo meu corpo, e eu só pensava em Jackson chorando - algo que eu só vi uma vez, quando ele me apresentou pra sua mãe, enquanto eles conversavam depois de 5 meses sem se ver-, meu coração batia forte e minha respiração estava completamente descompassada. Entrei no carro e nem me dei o trabalho de ligar o rádio ou o GPS, simplesmente sai, as pressas, com medo de algo a mais acontecer. 

Quando cheguei, parei o carro de qualquer jeito no posto e fui correndo atrás de Jackson na farmácia, ele estava do lado de fora, encolhido enquanto um homem o prensava ali. 

- Jackson? - o chamei e o homem me olhou 

- Quem é você? não vê que está atrapalhando? - ele voltou a morder o pescoço de Jackson. que deixava suas lágrimas escorrerem 

- Hyung - aquilo me quebrou, então sem pensar nas consequências eu empurrei aquele cara e soquei seu rosto 

- VOCÊ É LOUCO? - ele colocou a mão nos lábios 

- JACKSON VAI PRO CARRO - ele permaneceu imóvel, vendo o punho daquele homem acertar em cheio meu rosto, tentei revidar mas ele foi mais rápido e me acertou novamente. 

- Não bate nele, bate em mim, sou eu quem você quer - Jackson entrou na minha frente e recebeu um soco, mas eu o empurrei e então chutei bem no meio das pernas daquele cara, e quando ele se encolheu, eu segurei na mão de Jackson e corri até o carro, o ligando e partindo dali - você tá sangrando hyung - Jackson comentou me olhando de perto, enquanto eu dirigia em direção ao seu apartamento - eu não moro mais lá - colocou a mão onde havia um corte 

- Onde você mora? - fiz uma careta, eu sentia o sangue escorrendo por meu rosto 

- Condomínio Lottus - era ali perto, no mesmo bairro, então não demorou muito pra chegar - é aqui - o porteiro o reconheceu e nos deixou entrar - pode estacionar onde quiser 

- ok - depois disso, ficamos em silêncio até chegarmos ao seu apartamento 

- Quer beber alguma coisa? 

- Água, por favor - ele foi até a cozinha e eu fiquei observando tudo a minha volta, era completamente diferente do apartamento que nós chegamos a dividir, bem maior, mais arrumado e mais bem cuidado. 

- Vem, me segue, precisamos fazer uns curativos - ele seguiu pelo corredor e eu fui atrás - senta ai que eu vou pegar a caixa de primeiros socorros. 

Me sentei e comecei a observar o quarto, era bem grande e bem decorado, tinha uma cama king size no meio, com um jogo de cama lindo, cortinas bonitas, iluminação maravilhosa, móveis alinhados, e um par de pantufas ao lado da cama. 

- Jackson - olhei pros meus pés - eu entrei de tênis, vou deixa-los na entrada 

- Não precisa, pode tirar e colocar essas pantufas ai - em seguida um barulho veio do banheiro, corri até lá pra ver o que havia acontecido, e foi uma cena bem inesperada, ele derrubou uma caixa no chão, nela continham camisinhas, lubrificante e alguns brinquedinhos - ai que vergonha, me espera lá fora, Mark 

- Que isso, deixa que eu te ajudo - peguei uma algema rosa na mão e soltei uma risada 

- eu sou um desastre - enfiou a caixa debaixo da pia e se levantou - vamos pro quarto - pegou a caixa certa e saímos de lá - me desculpa por isso Hyung 

- Tudo bem Jackson, não foi sua culpa - ele pegou um algodão e molhou com anticéptico antes de tocar em minha sobrancelha, seus olhos expressavam culpa e algo indecifrável, o que não era novidade, Jackson sempre foi indecifrável, aquela sombra no meio da luz, algo que ninguém sabe explicar, mas tenta entender.  

- E me desculpa por te ligar assim, do nada, depois de tanto tempo - seu hálito cheirava a álcool e bala de melancia -  eu não pensei em ninguém fora você naquele momento - as lágrimas voltaram a cair, e dessa vez, podendo vê-lo chorar na minha frente, só me deixou com vontade de protege-lo - me desculpa, me desculpa por ter sido tão mau com você, desculpa por ter feito você sofrer e chorar, hoje eu me sinto tão mal e levo o peso, a culpa de ter te deixado ir - ele fungou e colou um band-aid no machucado - hoje eu não tenho ninguém... 

- Jackson - sequei suas lágrimas e peguei um algodão pra passar em seu nariz, que também sangrava 

- Me perdoa Mark, me perdoa por tudo que eu fiz com você, me perdoa por não ter te dado o devido valor e respeito, me desculpa por ter te abandonado e não ter corrido atrás de você, eu sou um idiota - ele pausava a fala pra fazer caretas e fungar - eu estraguei sua vida, minha vida, estraguei tudo que existia entre nós dois, eu só pensei em mim, e esqueci o quanto você era importante e frágil - ele me abraçou desesperado, e sua cabeça pousou em meu peito, com certeza ele deve ter ouvido meus batimentos fortes - me perdoa, eu estava passando por um momento ruim, eu só pensei em mim hyung, me perdoa. 

O som de seu choro ecoava pelo quarto, aquilo me dilacerava de um jeito, que trouxe a tona o sentimento que eu, por quatro anos seguidos, fingi ter evaporado. 

- Jackson - fiz carinho em seu cabelo, agora curto e preto 

- eu sei que eu sou um monstro 

- shhhhh - o olhei, secando suas lágrimas - fica calmo - seus olhos tão brilhantes me deixava completamente hipnotizado, eu só queria entende-lo, queria saber o que passava por aquela cabeça, queria sentir seu coração, queria salva-lo daquele poço em que ele mesmo se enfiou 

- Hyung - ele mordeu o lábio e me encarou - me beija? - e então eu travei 

- Jackson... 

- Por favor Hyung, só um beijo - se aproximou, eu não sabia o que fazer, meu coração batia forte, e ele dizia pra eu seguir enfrente, enquanto minha mente tentava me parar, tentando me lembrar de tudo que passamos - eu te imploro, só um beijo, não precisa ter sentimento, eu só quero sentir seus lábios, nem que seja pela ultima vez - mas é claro, naquele momento, meu coração quem falou mais alto 

- tudo bem - nossas respirações eram compartilhadas, e nós ficamos ali, próximos, sem nenhum contato, esperando pela coragem, que logo chegou, Jackson acabou com a distância entre nós, e finalmente, aquele contato voltou a acontecer, primeiro com um selar, mas logo se transformando em algo mais profundo. 

Jackson realmente me beijava como se aquela fosse a ultima vez, parecia desesperado, tentando redescobrir tudo que um dia já foi seu, suas mãos em minha cintura, fazendo um leve carinho, e sua língua batalhando por espaço contra a minha. 

Aquele era nosso momento, era algo que transbordava dor, culpa, saudade, arrependimento, amor, era um turbilhão de sentimentos, eu sentia que compartilhávamos a mesma essência, estávamos virando apenas um. Aquilo pareceu durar tanto tempo, que eu comecei a me sentir sufocado, precisando de um pouco de ar. 

- Dorme aqui hoje - ele se levantou, já pegando dois pijamas - por favor, eu prometo não fazer nada, é a ultima coisa que eu te peço por hoje - foi em direção ao banheiro - vou te deixar pensar, pode usar o banheiro do corredor - jogou o pijama em mim e entrou, me deixando ali, ainda sem ar, sentado em sua cama, tentando conectar tudo que aconteceu naqueles últimos minutos. Resolvi seguir o que ele disse e fui tomar um banho, precisava esfriar a cabeça, afinal foram precisos alguns minutos pra 4 anos virem à tona. 

- Jackson? - entrei no quarto devagar, o medo de eles estar nú me fez fechar os olhos  

- Pode abrir os olhos Mark - ele estava deitado na cama, com o cabelo molhado e uma carinha de sono, a bolsa de seus olhos estava inchada por conta do choro recente, e seus lábios vermelhos, como a área que ele foi atingido pelo soco, mas mesmo assim ele não deixava de ser lindo. 

- Você tem outro quarto? - engoli em seco 

- Eu quero dormir com você, com seu cafuné e abraço hyung, eu preciso disso 

- Mas eu tenho... 

- Eu sei que tem, já disse que não vou fazer nada com você, só quero dormir me sentindo bem, protegido, feliz, depois de tanto tempo, quero ter uma boa noite de sono, ultimamente eu tenho tido pesadelos durante a noite. 

- Ok Jackson - mesmo relutante, eu me deitei ao seu lado e me cobri 

- Alias, você fica fofo demais com meu pijama 

- Obrigado - sorri fraco, e então ele riu, eu estava deitado, reto, sem saber o que fazer, então ele pegou em minha mão 

- Eu quero carinho Hyung - e então, meio sem jeito eu afaguei seu cabelo, com todo o cuidado do mundo, um pouco tímido, mas tentando me soltar - obrigado hyung 

- De nada Jackson - e então eu me aproximei, meu rosto ficou um pouco mais perto de sua nuca, e o cheiro de seu sabonete com seu shampoo inundaram meu nariz, me dando a sensação de estar em um jardim florido e cheiroso, o abracei, e com a outra mão continuei fazendo carinho em seus fios, até, ele meio sonolento se virar de frente pra mim e sorrir com os olhos fechados 
 

- Eu te amo hyung, eu nunca mais vou desistir de você... 


Notas Finais


E é, eu talvez tenha um outro capitulo bônus, continuação desse, então se vocês realmente quiserem, é só pedir, que quando der, eu atualizo (ele tá praticamente completo).
Eu espero mesmo que vocês tenham gostado da história, eu desenvolvi ela enquanto ouvia o cover de Gravity da Jessica, e não, não era pra fanfic ser Markson, mas a história se encaixou tão bem nas "personalidades" deles, que eu não consegui deixar outro casal, e não me entendam mal quando eu digo isso, pois não dá pra ver o Mark, o Jinyoung, o Youngjae, o JB, o Yugyeom ou o Bambam (até parece) no papel do Jackson.
É isso, não sei finalizar notas, me perdoem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...