História Gravity falls- A sedução do demônio - Capítulo 21


Escrita por: ~

Exibições 150
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Terror e Horror, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


gente eu oficialmente desisti dessa fanfic. (ha vá) mas vcs deram sorte muita sorte. pq eu escrevi o resto do "ultimo capitulo" mas n deve ta btendo com o inicio do texto, pq eu escrevi em epocas diferentes eu nem reli. sorry! DEPOIS DE 1 ANO NÉ???????? ME PERDOEM MESMO.

Capítulo 21 - Adeus, Eduard?


Fanfic / Fanfiction Gravity falls- A sedução do demônio - Capítulo 21 - Adeus, Eduard?

Sem aviso prévio uma explosão surgiu no céu, meu coração disparou. Olhei para o lado e os tivôs estavam posicionando seu canhão, eu nunca me senti tão inútil em minha vida, eu queria ajudar, mas não sabia como, comecei a me desesperar e a chorar desesperadamente em quanto o outro “eu” dava ordens precisas e perfeitamente analisadas. Ele viu meu desespero e se aproximou.

-Eu não queria ter que fazer isso, mas... vai ser necessário- ele me entregou um bracelete- e a proposito me chama de Dod.

Eu o encarei e retruquei um “ok” e coloquei o bracelete sem entender muito bem o que estava acontecendo. Quando fechei o bracelete no meu pulso senti minha marca na testa brilhar assim como a pedra no meio do bracelete,

-o que é que tá acontecendo?!- todos olharam para mim sem entender.

-Agora! - Gritou “Dod” e o canhão disparou. Ele se voltou para mim- pense “explosão” e mire no em alguma asa, rápido agora.

-hã?-eu fiz o que foi pedido e no mesmo instante uma de suas asas explodiu- Mas como?

-Você nasceu para salvar o mundo! Nasceu para estar aqui agora. Você só não sabia, mas agora sabe. Pense, nem tudo é força. Mas você só pode dar um comando por vez.

Eu pesei em apenas uma coisa “morra” ouvi um pequeno grunhido então eu entendi não era uma coisa eram milhares. Concentrei o efeito em mim mesmo e pensei “voe” deu certo, porém não era fácil realizar a tarefa.

Então comecei a pensar diversos comandos como “explosão” “fogo” “gelo”, mas o efeito não era muito eficaz então pensei em “gravidade” o demônio ficou paralisado, tentando se manter no mesmo local e então eu pensei “energia solar” concentrei tudo em mim e através das minhas mãos lancei uma esfera desengonçada no bicho. Achei que poderia continuar assim, mas quando fui atirar outra ouvi voz, um riso sarcástico e vi uma figura surgir no topo do animal, era Eduard do mesmo jeito que o virá na última vez. Cabelos brancos, sorriso e roupa impecável. Algo veio em minha direção e eu pensei “bloqueio” o efeito foi muito forte e fui jogado para trás com tanta força que senti a quebra no ar.
Senti ódio.

Eu apontei a mão em sua direção e não sei exatamente oque aconteceu mas uma esfera negra saiu e com força atingiu Eduard, mas ele permaneceu intacto.

-idiota!- ele riu tenebrosamente- você acha mesmo que alguém como você pode me machucar? Você  não passa de um pedaço de merda...

Eu vi apenas o vulto de Bill acertando Eduard no rosto com um murro que parecia te exigido toda sua força.

-Não se dirija assim ao Dipper!

-Bill, err. Acho que precisamos de ajuda...

-Eu sei,  to cuidando disso.

Percebi que havia algumas pessoas vindo em nossa direção Mabel, Pacifica, Norman e Noah. “droga, fudeu tudo de vez agora”  uma fenda abriu na frente deles e eu reconheci de imediato quem saiu dela Drew, eu achei que tudo tinha fudido logo de vez, que todos morreríamos, mas ao me ver ele me olho aceno e foi em direção a Eduard e Bill. Os dois lutavam furiosamente no céu e  eu via apenas vultos, meus olhos não conseguiam acompanhar a velocidade deles. Quando eu pensei que Drew golpearia Bill pelas costas ele laçou uma esfera azul em direção a Eduard que o acertou em cheio, ele e Bill foram em direção a Eduard e aplicaram uma sequência de chutes e murros mas não aqueles murros comuns havia matéria azul escura em suas mãos. Eduard parecia exausto, não parecia está dando tudo de si como se estivesse perdendo os poderes. Eu poderia ajudar dessa vez eu pensei em “quebre” e foquei em sua perna que fez um barulho e um movimento horrível que me deu náuseas, com muita agonia fiz o mesmo com o braço dessa vez eu fiquei tonto e cai no chão, por pouco não desmaiei percebi que “Dod” estava jogado no chão também.

Foi ai que eu entendi, ele estava parcialmente ligado ao Eduard, e se ele perdesse as forças Eduard também perderia. Ele estava se sacrificando por nós.

-Dod!!! Não faz isso...Não faz isso com você.-disse a ele colocando sua cabeça em minhas pernas acredite foi estranho.

-Mas ele não vai morrer se não for assim- Ele tirou do bolço uma outra carta- leia quando eu tiver partido.

Eu peguei a carta e guardei no bolso.

Eu realmente não queria deixa-lo fazer isso, ele afinal de contas era eu, imagine quantas vezes ele fez isso? Repetindo os mesmos erros de novo e de novo. Para morrer em uma mera realidade paralela?

Senti mas um tremor balançando o chão abaixo de mim, uma nova fenda formou-se e tudo que eu conseguia pensar é “fudeu, fudeu tudo”. Vi uma figura de cabelos azuis e uma silhueta levemente familiar, e não demorou muito a perceber quem era. Will. E foi nesse momento que eu fiquei estaticamente paralisado por puro medo um dos piores calafrios que já senti, acho que foi devido a quantidade de poder do mesmo. Ele foi rapidamente em direção a Bill, o mesmo percebeu sua presença, ele abriu o maior sorriso quando o viu e sussurrou algo como “eai Bro”.

O bicho puxou uma das pessoas que estavam aqui, essa pessoa era Noah, que. Em um ataque tão veloz que nem meus olhos conseguiram acompanhar Drew cortou a pata do animal e segurou Noah a tempo de não se espatifar no chão. Eu rapidamente me equilibrei e novamente tentei voar na direção de Noah, deu certo. Eu o segurei pelo braço e fui planando com ele até o chão, pois diferentemente de Bill ou Drew eu não tinha super-força. Antes de sair de perto eu escutei Bill dizer a Drew “então ele também conseguiu sair?”. Apesar da minha curiosidade eu nunca perguntei a Bill como ele havia conseguido sair do lugar onde para onde ele foi. E agora eu tinha ideia, ele, Drew e Will, juntos.

A batalha se iniciou novamente, e novamente, era a vez de Will "mandar ver". Percebi um movimento atrás de mim, e vi que todos os meus amigos estavam dentro de um carro muito próximo dali, vi apenas Norman correndo em direção ao Will com lagrimas nos olhos, eles se abraçaram por um longo tempo e se beijaram, e Will sussurrou algo em seu ouvido e graças aos meus poderes consegui ouvir “Então você realmente esperou por mim, todo esse tempo. ”

La ia Will para participar daquela feroz batalha que acontecia em cima de nossas cabeças, e ai me lembrei de uma coisa “DOD! ” gritei. Ele estava quase desaparecendo sua imagem tremeluzia.

-Dipper, vocês vão ficar bem. Não se preocupe comigo, eu não vou morrer... apenas vou reaparecer em outra dimensão. Essa batalha está quase no fim, mas o final será decidido por você! Você será a causa da destruição ou da salvação do seu planeta (referencias) -disse Dod me entregando uma espécie de adaga dourada, e em seus últimos suspiros disse- Vocês são diferentes de todas as outras realidades, eu tenho fé em vocês, principalmente em você Dipeer.

E foram nessas palavras de ele desapareceu, e eu fiquei totalmente perdido. Mas aconteceu uma coisa, Eduard despencou (junto com o monstro) do céu e veio de encontro ao chão. E assim como eu todos se aproximaram, e uma esfera envolveu o corpo que parecia ter vida, mas no seu estágio final.

Ninguém conseguia se aproximar, exceto eu. E foi ai que eu entendi o que ele queria afim dizer. Bill gritava loucamente para mim voltar que era muito perigoso. Ao chegar perto e me abaixar ao lado do corpo ele ergueu sua mão e me tocou no braço, oque fez algumas “tatuagens surgirem em meu corpo com uma agonia imensa como se cada milímetro do meu corpo estivesse sendo mergulhado em lava. Rapidamente, eu peguei a adaga e antes de finca-la em seu peito ele disse algo como “diga a Bill, que a culpa não foi dele.” E assim foram dadas as suas ultimas palavras de um dos seres mais poderosos do universo, talvez.


Notas Finais


GENTE A CARTA!!!! eu vou colocar ainda hoje não coloquei nesse cap pq ia ficar muitooooo extenso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...