História Gravity Falls , Eternity Mystery - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Candy Chiu, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Grenda, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Personagens Originais, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Waddles, Wendy Corduroy
Tags Candip, Candy X Dipper, Gravity Falls, Mabell X Bill, Mabill
Exibições 49
Palavras 1.396
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltei, dessa vez rápido, hein?? Bom, espero que tenham gostado do cap, tipo, por favor, comentem oque acharem do cap, tá?? Obrigada por estarem acompanhando a fic!!!

Capítulo 20 - Where my bad girls at?


Fanfic / Fanfiction Gravity Falls , Eternity Mystery - Capítulo 20 - Where my bad girls at?

POV Narração:

-- Por que vocês continuam com esses olhos?—Olhou pra  a garota e para a gigante.—Voltem ao normal, não é como se não fossem nos descobrir só mudando a cor.—A garota mudou os olhos de tom acinzentado pra azul, assim como a gigante mudou o tom de rosa pra azul.

-- Não seja tão rude. Nós vamos encontrar o caminho. – Disse a mulher.

-- Certo, ah, então, o nome do lugar é Oregon?—Perguntou a gigante, sempre tímida.

-- Não.—Disse o rapaz, com calma, tinha mais calma com ela do que com todas as outras.—É um lugar no Oregon.

-- Vamos de portal, já chamamos muita atenção—Disse a garota, alisando as orelhas pontudas brancas.—O portal branco se abriu enquanto a doce  melodia escapava de seus lábios. Eles entraram no portal.

 

POV Ford:

Dipper me explicou tudo. Como foi atacado e como Candy achou os peões. E como Candy acabou com o carro de uma tal de Érica.

Dipper:- Tio vô Ford, eu acho que esses peões são alguma coisa, tipo, uma espécie de manifestação, não acha?—Ele disse, olhando pra os peões. Eu assenti.

Eu:- Pode ser. Vou pesquisar sobre isso.—Ele assentiu, dando as costas.- Dipper—Ele se virou.—Não conte a Mabel.—Ele desviou o olhar pensativo, e assentiu, subindo as escadas.

 

POV Mabel:

Eu, Soos, Chrono, Evil, Wendy e Stan jogávamos UNO, enquanto Melody fazia carinho em Waddles.

A repórter falava sobre um assassino de capuz na região, e, como ele é um maníaco que mata garotas.

Dipper chegou.

Wendy:- E aí, Dipper?—Ela disse, vendo a carta que Evil tinha jogado, com o poder da mente.

Dipper:- Vou olhar vocês jogarem.—Pegou uma cadeira e se sentou.

Soos:- Há! Mais 4!—Disse pra Chrono.—Chrono o olhou de forma cautelosa, e, com a mente, jogou um mais 2.

Chrono:- Uma carta de potencial que lhe faz pegar mais duas cartas, senhorita Wendy.—Disse com sua voz forte. Ela pegou mais duas.

Wendy jogou uma carta amarela.

Eu joguei um dois vermelho e um azul.

Eu:- Ganhei.—Eu fiz óculos escuros com mágica e fiz uma posição de “ eu sou melhor que o resto”. Os óculos sumiram de meu rosto.

Bill:- Bem, Mabel, vamos treinar agora.—Ele disse, arrastando a minha cadeira pra fora.

Eu:- Espera aí!—Saí da cadeira.—Eu... Acho que hoje posso tirar uma folga, pra curtir, com as meninas, sabe?—Disse, com carinha de cachorro.

 

POV Bill:

Esse jeito de falar, essa expressão... Ela é idêntica... á aquela mulher... que um dia... eu chamei de-

Mabel:- BILL! PELO AMOR! É a terceira vez que eu te chamo!—Pisquei confuso, me recompondo enquanto flutuava.

Eu:- Certo, vão se divertir. Eu... Vou... Ficar aqui... Sozinho...- Me fiz de coitado.

Mabel:- Tá, tchau! Cuida do Waddles.—KE?! Em minha opinião, se devem respeitar pessoas que se fazem de coitadas, mas tá!

Eu:- Tá! Nós homens, vamos fazer algo também!—Olhei pra eles.

Evil:- Recomendo que se sente e pare de passar vergonha, demônio Cipher.—Invoquei uma cadeira e sentei.

Eu:- Aceito o conselho.

 

POV Mabel:

Eu e a Wendy caminhávamos até a casa da Candy.

Bati na porta.

Eu:- CANDY!—Ela desceu as escadas rápido,

Wendy:- Topa vir se divertir?—Candy sorriu, assentindo.

Eu:- Vamos buscar a Grenda.

 

Bati na porta.

Eu:- GRENDA!—Marius abriu a porta.

Marius:- Grenda vem vindo.—Ela apareceu por trás dele.

Grenda:- O que foi?

Candy:- Vem se divertir com a gente!—Ela sorriu.

Grenda:- Vamos!

Wendy:- Quem falta?

Candy:- A Pacífica!

Grenda:- Vamos rápido!

 

Toco a campainha.

Um mordomo abre a porta.

Grenda:- Fala! Pacífica tá aí!—O mordomo bufou.

- Sim—Ele ia falar mais, mas Pacífica chegou correndo.

Pacífica estava estonteante. Ela abre a porta por completo e o mordomo se afasta.

Ela estava com um vestido maravilhoso.

Ela estava com os cabelos amarados e lindos brincos.

Luvas negras com detalhes dourados.

Um vestido vermelho de renda preta, muito linda.

Nós:- Uau.

Pacífica:- é o vestido da Festa Anual, na semana que vem.

Candy:- Nossa! Já! – Ela assentiu—Quer vir com a gente?

Pacífica:- Já tô chegando!—Ela foi se trocar e fomos embora pra a cidade.

Wendy:- Mas... O que a gente faz?—Nos olhamos.

Todas:- Vamos em busca do perigoooo!!!—Rimos e saímos correndo.

 

POV Bill:

Eu:- UNO! HÁÁ!!!—Comemorei.

Dipper:- mais 4

Eu:- MALDIÇÃO!—Era uma partida entre os finalistas. Eu, Soos, Dipper.

Soos:- Uno.

Eu joguei minha carta.

Dipper:- Uno.

Soos:- Ganhei.—Bufei.

Eu:- Ceeerto.—Fiz com mágica um pote de sorvete aparecer.

Ford não saiu do porão o dia inteiro.

Me pergunto quando as peças vão chegar. Isso se quiserem vir.

Ah... Se vierem eu vou apanhar...

Enfim, a energia de Will continua aumentando. Isso está preocupante. Se ele chegar aqui...

 

POV Pacífica:

Eu:- Que tal irmos no parque?—Sugeri.

Grenda:- Mas não é época de parque. Tá fechado e estranho.

Wendy:- Isso, um pouco de perigo é sempre bom!

 

O parque estava cheio de neblina, mas ainda se podia ver a maioria das coisas.

Droga, acho que foi má ideia.

Mabel:- Bem, acho que não tem nada aqui—Um tremor.

Candy:- Ai!—Ela cai no chão.

Grenda:- Candy—Ela a levanta.

Mabel:- Vamos embora!—Mas o portão do parque, antes aberto se fechou com tudo.

Eu:- Que droga!

Um homem apareceu.

Ele tinha cabelos vibrantes vermelhos,  usava um capuz.

Wendy:- O homem que mencionaram...

Os olhos negros nos observavam.

-- Digam adeus, mocinhas.—Ele tirou uma espingarda da capa que usava.

Eu:- Mabel, não use a magia.—Ela pareceu não me escutar.

O homem travou seu alvo em mim.

-- Vamos começar com a riquinha.—Ele se preparou pra atirar, eu fechei os olhos assustada, mas não ouve barulho.

Mabel:- Marloon! – Ouvi ela gritar.

Só gritos, e, a Mabel quase desmaiando.

O homem estava caído no chão, e, vi que as coisas começavam a pegar fogo.

Eu:- O que aconteceu?!

Candy:- Olhem!—Todas olhamos pra o alto, lá estava um dragão branco enorme.

Era gigante. Tomava os céus, branco, albino, uma cauda grossa, apenas duas patas, asas pesadas com garras nas pontas, escamas como gelo, era gigantesco, e, parecia descontar sua fúria em tudo oque não fosse a gente.

Mabel:- Bolha de sabão...—Murmurou, uma bolha de sabão nos envolveu.

O dragão pousou esmagando o homem, já chamuscado, ele pousou apagando as chamas. A bolha nos protegeu do tremor.

Grenda:- Mabel, obrigada, foi demais!—Partimos pra um abraço, a bolha estoura.

Window:-- Eu sou uma das mágicas criaturas do arsenal de Shirone. Fui invocado aqui pra lhes resgatar.—Uma voz preencheu minha mente, e , provavelmente a delas, visto que não mexia a boca.

Fomos voando em cima do dragão e cuidando de Mabel que parecia exausta. Não deveria nunca ter tido essa ideia...

Quando chegamos, Bill foi o primeiro a vir socorrer Mabel.

Bill:- MABEL!—Na verdade, ele parecia até mais preocupado do que o resto. HUM. HUUUUUMMMM.

Mabel:- Pode.... Descansar... Window...—Ela disse, sorrindo, fraca. O dragão sumiu.

Todos entramos, Bill concentrou sua mágica pra curar o corpo de Mabel.

Wendy:- Está tarde é melhor irmos.—Fomos embora enquanto na Teve, a repórter comentava do incêndio no parque de diversões.

 

POV Ford:

Então é isso. Os peões, eu e Dipper acertamos, são representações, isso pelos cálculos, mas, representações de que?

 

POV Narração:

As três garotas caíram no chão exaustas com a pele meio chamuscada.

-- Seus demônios de merda!—Cuspiu em direção da mulher, uma delas.

-- Podemos morrer agora, mas, no fim, vocês é quem irão cair!—Disse a outra.

-- Por favor, minha gigante amiga—Disse o rapaz.

A gingante, com uma feição de arrependimento e tristeza, seus reais sentimentos, estalou os dedos e as plantas destroçaram as cinco.

-- Certo, vamos rumar e achar nossa mestra, pra atravessar isso, vamos demorar uma semana. No máximo.—Disse a mulher.

-- Vamos ser castigados—Disse a garota.

-- Então vamos logo.—O rapaz abriu o portal. – Próxima cidade.

 

POV Will:

Então é aqui! Gravity Falls! Achei! Estrela Cadente! Achei!

 

POV Narração:

A moderadora branca estava irritada. Perdeu 5 de seus peões, errou sua profecia. Bem, não tinha certeza e havia errado, mas, era melhor ser cautelosa. Apesar, que, o fato de a garota estar desbloqueando os animais e espadas e o garoto nada, era estranho á elas.

Em breve o selo estaria completo, poderiam prender Shirone.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...