História Gravity Falls: O Retorno da Irmandade - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Candy Chiu, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Grenda, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Personagens Originais, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Waddles, Wendy Corduroy
Tags Dipcifica, Mabill
Exibições 31
Palavras 2.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eae galera, me desculpem por demorar quase uma semana para postar um capítulo novo, tive muitos trabalhos para entregar, e eu acabei ficando com um bloqueio de escritor.
Mais uma vez, me desculpem por fazer vocês esperarei.
A outra coisa esse capítulo vai ser HOT então já sabem o que vão ler. Boa leitura.

Capítulo 8 - Primeira vez


Mabel POV: on

Eu: que é Zant ?

Bill: um psicopata, não tem remorso no que faz, ele mata por diversão e prazer (autor: querem uma descrição mais fácil, ele é que nem o Negan)

Eu: o que ele quer com vocês ?

Bill: eu e Bell tínhamos dizimado os seu exército no reino dos pesadelos

Bell: ele iria caçar a gente a todo custo

Eu: e vocês tem ideia do paradeiro dele ?

Bill: não, nem sabemos se ele tem um novo exército

Estou preocupada com o Bill e Bell, eles correm mais riscos ainda, não bastasse a irmandade do olho cego e agora esse tal de Zant e Bill perdeu seus poderes e Bell está muito fraca, tenho que ajudar eles mais não vou fazer isso sozinha vou pedir ajuda ao Dipper, ele deve saber o que fazer com essa situação complicada

Eu: Dipper e eu iremos te ajudar

Bell: Mabel não, você pode ficar extremamente ferida, Zant é um maníaco e quem se meter em seu caminho será morto

Eu: não se preocupe, eu e Dipper já enfrentamos coisa sobrenaturais desde que tínhamos 12 anos não a problema que eu e ele não resolva - eu falo com um sorriso estampado na cara

Bill: Mabel eu não quero que você se machuque e eu não me perdoaria por deixar isso acontecer - ele põe a mão dele em meu rosto me acariciando

Eu: Bill eu sei que você tá tentando me proteger mas eu sei me cuidar muito bem, não é necessário eu ter ajuda de ninguém

Bill: *suspiro* como você é teimosa - ele fica com um sorriso de canto

Eu: como você é preocupado - eu retribui o sorriso

Bell: se vocês vão se pegar eu vou sair daqui

Bill: larga de ser boba

Eu: melhor parar Bill

Bill: tá certo então, cadê o idiota do Dipper falando nisso ?

Mabel POV: off

Dipper POV: on

Estou no carro com a Pacífica indo rumo a casa dela para pegar as coisa dela já que ela iria dormir lá em casa, eu não paro de pensar no que aconteceu no banheiro aquilo era preocupante tenho medo que esse ser esteja atrás de todos em minha volta

Eu: bem, aqui estamos

Pacífica: você poderia me ajudar a pegar as coisas lá em casa

Eu: tudo bem loirinha, vamos lá

Pacífica abriu o portão e seguimos em direção ao quarto da Pacífica

Eu: bem vamos pegar suas roupas e ir embora, tenho uma impressão que se seu pai me encontrar aqui ele vai enfiar uma bala na minha cabeça

Pacífica: se ele fizer isso não irei deixar, por que é o homem mais importante da minha vida

Eu: e você é a mulher mais importante para mim, e nada vai dizer o contrário

Pacífica: é sério isso - ela começa a lacrimejar

Eu: se estiver mentindo quero que alguém entre aqui e me dê um soco - ele espera cinco segundos - bom nada aconteceu então não estou mentindo

Pacífica: você é tão bobo - ela fica com um sorriso de canto

Eu: talvez eu seja - eu puxo ela para perto de mim - mas então eu sou o bobo que você tanto ama - eu sussurro em seu ouvido e dou uma mordida de leve nele

Pacífica: D-Dipper - ela gemeu baixo - meus pais estão em casa

Eu: qual é, uma só vai ser rápido - eu faço uma cara de cachorro molhado

Pacífica: quando foi que o senhor se tornou tão pervertido - ela fala irônica

Eu: não achava que eu seria o mesmo cara que você conheceu a quatro anos, não é

Pacífica: não, só achei que não seria tão safado

Eu: o tempo passa, e acabamos mudando nossas personalidades

Pacífica: ok então, vai me ajudar a pegar as roupas ou não

Eu: achei que você iria ficar só essa noite lá em casa

Pacífica: não, conversei com minha mãe e vou ficar na cabana por duas semanas

Eu: é sério isso

Pacífica: sim 

Eu: bem então, vamos voltar agora

Pacífica: vamos seu apressado - ao sair do quarto eu e a Pacífica acabamos dando de cara com Preston em nossa frente - Pai ?

Preston: que vergonha Pacífica, você está junta com esse pirralho imundo

Pacífica: não enche pai

Preston: e você seu pivete vai ficar aí de boca fechada - ele começou a me encarar eu viro para Pacífica e ela faz um sinal para eu não retrucar com ele - não vai dizer garoto

Pacífica: deixa ele em paz, pai

Preston: minha filha tem que falar por você agora, acho que não é homem o suficiente para falar comigo

Eu: vai a MERDA - eu quase dei um soco na cara dele, mas ao olhar da Pacífica eu não poderia esse cretino ainda era seu pai

Preston: o que você disse pirralho

Eu: você tá surdo ou o que, eu disse, vai a MERDA

Preston: como ousa falar assim comigo garoto

Antes que eu pudesse responder a pergunta dele com o maior "carinho" a Pacífica pego em minha mão e falou comigo

Pacífica: vem Dipper vamos embora - ela me puxou 

Preston: onde pensa que vai mocinha - fala em um tom mais autoritário do que já estava

Pacífica: não é da sua conta - ela continuou me puxando

Tínhamos já saído da mansão e entrado no carro. Avia se passado dez minutos e a Pacífica estava quieta isso me deixava preocupado

Eu: ei loirinha, tá tudo bem

Pacífica: *suspiro* tá sim, é só o meu pai torrando minha paciência

Eu: mesmo eu não gostando do seu pai, você e ele não podem ficar assim o tempo todo, eu não quero atrapalhar sua relação com seu pai

Pacífica: você não fez nada Dipper, ele que é um cretino

Eu: Pací eu ainda acho que eu sou o responsável pelo seu relacionamento com seu pai

Pacífica: Dip me escuta, meu pai quer repreender nossa relação é eu não vou aceitar isso, você não é o culpado, mas acho que minha relação com meu pai já se foi, eu estou pensando em ir embora

Eu: o que ? Ir embora

Pacífica: relaxa eu quero dizer da mansão

Eu: mesmo assim, Pacífica como sua mãe vai reagir ao que você pretende fazer

Pacífica: eu não sei, eu gosto dela Dipper, mas o meu pai tá dificultando as coisas em casa - ela estava chorando e soluçando - eu não sei mais o que fazer Dipper, eu não quero deixar ela triste mas também não quero mais ficar perto dele - eu parei o carro e fiquei olhando para ela

Eu: eu estou aqui do seu lado, vou te ajudar com essa dúvida que você tem - falo secando sua lágrimas

Pacífica: promete - eu ponho minha mão em seu rosto e falo

Eu: eu prometo - eu chego perto de seu rosto e nossos lábios roçaram um com o outro deixando ela mais calma

Pacífica: obrigada, vamos

Eu: certo - passando um tempo já tínhamos chegado na cabana eu ajudei a Pacífica a pegar as roupas e levamos ao meu quarto, espera... meu quarto

Pacífica: pronto tudo aqui

Eu: você vai dormir aqui ?

Pacífica: vou, algum problema com isso ?

Eu: não, só que vamos ter que dividir a cama

Pacífica: ainda não vi o problema nisso, tá com medo de dormir com sua namorada ao seu lado

Eu: essa foi a coisa mais besta que você já disse

Pacífica: olha não sei por que tá tão incomodado com isso

Eu: eu não tô, eu... isso é algo novo para mim

Pacífica: eu sei isso também é novo para mim, mas a gente só vai dormir

Eu: sim

Pacífica: então não tem com o que se preocupar

Eu: melhor eu botar uma roupa mais confortável para dormir

Pacífica: tá legal, eu vou me trocar no banheiro

Eu: ok - eu nem prestei atenção no que ela falou, eu coloco uma calça moletom cinza e não estou usando nada em cima - vo descer e já volto - fazendo isso saio do quarto desço as escadas e vou em direção a cozinha, entrando lá eu dou de cara com o Bill - tá fazendo o que aqui e onde tá todo mundo

Bill: estão dormindo, e eu só tô aqui sem fazer nada... - ele olha as minhas mãos que estão enfaixadas - o que aconteceu com suas mãos ?

Eu: alguma coisa falou comigo através do espelho, dizendo que minha hora está chegando !

Bill: as coisas estão ficando complicadas, Dipper. Alguém está atrás de mim e da Bell, e não tenho como lutar

Eu: você não está sozinho Bill, eu vou te ajudar com isso que está acontecendo, além disso somos amigos

Bill: é você tá certo - ele fica com um sorriso de canto - beleza eu já vou dormir

Eu: ok, só não fica a noite toda ai

Bill: vê se vai dormir você também

Eu: boa noite, otário

Bill: boa noite, tapado - por mais desses chingamentos, eu e Bill somos amigos, estou voltando para o quarto nesse momento, eu tô cansado agora

Eu: ei Pacífica você já saiu... - quando entro no quarto eu me deparei com a Pacífica apenas de calcinha e sutiã

Pacífica: Ai DIPPER, O QUE VOCÊ TA FAZENDO AQUI - eu deixei ela bem irritada

Eu: eu achei que você ainda tava no banheiro - eu viro pro lado

Pacífica: só não faz mais isso, não quero que você me veja assim

Eu: porque, você fica bem assim - fico com um sorriso de canto

Pacífica: fica quietinho aí seu pervertido

Eu: que foi não gosta que eu te veja assim

Pacífica: eu... é que... não tô acostumada com alguém me olhando desse jeito - ela fica tão linda quando tá corada

Eu: por que, você é bonita do jeito que é - eu chego perto dela - não tem que ter medo de mim 

Pacífica: desculpe é que eu não tô acostumada

Eu: apenas relaxe - eu beijo ela dando uma melhorada nas coisa, depois de um tempo ela deu passagem e eu fiquei explorando cada canto da sua boca, as coisas já estavam ficando interessantes, dei uma mordida de leve na sua orelha fazendo ela gemer baixo, aquilo me deixava bem excitado, acabamos nos separando pela falta de ar, estávamos ofegantes com essa situação até que ela falou

Pacífica: eu estou pronta - ela pediu para avançar o sinal, eu tiro seu sutiã deixando amostra seus seios, ela cobriu eles com as mãos ainda um pouco envergonhada

Eu: não tem que ter medo, você é bonita de qualquer jeito - ela tira as mãos deixando os novamente amostra, eu começo a massagear o esquerdo enquanto eu estou brincando com o direito, ela morde o lábio para não gemer, mas eu estava com o seio direito na boca lambendo em volta do mamilo

Pacífica: D-Dipper - ela estava gemendo alto e isso estava ficando cada vez melhor, o meu membro acaba encostando na sua intimidade, eu decidi massagear sua intimidade, era quente e úmido ela não parava de se contorcer estava sentindo prazer nisso - D-Dipper n-ão para - ela estava amando isso, mas agora já não tinha jeito eu estava muito excitado - por que parou - ela estava fazendo um bico por ter parado com sua onda de prazer

Eu: agora é minha vez - eu fico com um sorriso safado e ela retribui

Pacífica: pode vir - eu tiro a calcinha dela e percebi que ela estava molhado, ela tira minha calça e minha cueca, e ela se assusta com que vê 

Eu: que foi - ela fica assustada com o tamanho do membro

Pacífica: isso vai me machucar ?

Eu: se estiver te machucando, eu paro - depois fiquei beijando e massageando seus seios ela adora quando eu faço isso, eu começo a penetrar ela com cuidado

Pacífica: Aí - ela seguro o lençol com força percebendo sua dor

Eu: quer que eu pare 

Pacífica: não, continua - dizendo isso eu acabei penetrando ela por completo, fique parado dentro dela até se acostumar com a dor, continuei a beijando e brincando com seus seios até que ela falou - já pode começar - dito isso eu comecei a me movimentar calmamente dentro dela, a dor foi dando lugar ao prazer - D-Dipper - ela gemia en meu ouvido

Eu: P-Pacífica, eu... te amo - aquela sensação era incrível, eu estava no paraíso com tudo isso 

Pacífica: eu ta-também te amo - ela estava amando tudo aquilo - ma-mais ra-pi-do - como não dizer não para ela, estava adorando aquilo, eu fiz o que ela pediu ela gemia alto não tinha mais controle de sí mesma - e-eu sou sua - ao ouvir aquilo estava me deixando mais excitado, ela arranhava minhas costas a sensação era ótima, eu beijava ela um beijo cheio de paixão e luxúria nos corpos estavam interligados éramos apenas um

Eu: eu te amo pa-cí-fi-ca - eu e ela estávamos no auge do prazer nossos corpos estavam suando, eu e ela já estávamos tendo um orgasmo com isso tudo

Pacífica: Di-pp-er mais ra-pi-do - fui mais rápido, percebi que ela estava tendo um orgasmo, ela não contia os gemidos ela gemia alto, sem controle

Eu: Pa-cífica eu te amo 

Pacífica: eu tam-bém te amo Di-pper - chegamos em nosso limite ela estava tendo espasmos e ficava se contorcendo de prazer na cama, eu avia me derramado dentro dela nossos corpos estavam trêmulos e cansados eu saí de dentro dela e me deitei ao seu lado, estávamos ofegantes ficamos dez minutos regularizando nossas respirações

Eu: você é tão linda assim

Pacífica: o que, depois de acabar de fazer amor com você - ela solta uma risada

Eu: é, pelo jeito você gostou

Pacífica: isso foi incrível - ela fica corada

Eu: vem cá - eu puxo sua cintura para perto de mim, ela aninha a cabeça em meu peito 

Pacífica: Dipper

Eu: o que foi ?

Pacífica: você nunca vai me abandonar, não é ?

Eu: o que te faz pensar que eu vou te abandonar

Pacífica: nada, é que eu tenho medo que isso aconteça 

Eu: eu nunca faria isso, você é tudo para mim

Pacífica: obrigada Dipper - ela me dá um selinho - boa noite

Eu: boa noite Pacífica - fico fazendo carinho em seus cabelos até eu dormir - não vou deixar que ninguém tire a de mim

Continua...




Notas Finais


Eae galera, gostaram do capítulo, eu repito novamente desculpe me pela demora, espero que tenham gostado. Fui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...