História Gravity Falls-Trust no one! III - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls, Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Dipper Pines, Frisk, Mabel Pines, Mettaton, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne
Tags Charisk
Exibições 27
Palavras 1.173
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem meus queridos e tenham uma boa leitura.

Capítulo 3 - Capítulo 2 -Snowdin


Fanfic / Fanfiction Gravity Falls-Trust no one! III - Capítulo 3 - Capítulo 2 -Snowdin

 

P.O.V. Dipper

-Casa bonitinha essa pai. -Comentou Sofia.

-Sofia você poderia olhar no quarto onde a Frisk dormia enquanto eu vou olhar a cozinha. -Pedi a ela.

-Esta bem.

Eu fui até a cozinha, ela estava um pouco empoirada e achei uma velha torta em cima da bancada.

-Uma pena que não presta mais esta torta. -Falei um pouco desanimado.

Quando me virei e dei de cara com a Sofia me olhando.

-Não tinha nada no quarto dela pai. -Falou Sofia.

-Uma pena a Toriel deve estar morta mesmo. -Falei um pouco triste.

-Que droga. -Reclamou Sofia que foi em direção as escadas.

Eu a companhei até que chegamos em uma porta a abrimos saiamos em Snowdin e continuamos nossa caminhar.

-Qu-que lu-gar frio. -Falou Sofia tremendo de frioi.

-Quer que eu te esquente filhota? -Perguntei a ela.

-Cla-ro. -Respondeu ela.

Eu fiz uma jaqueta aparecer nela, eu a abracei de lado e a cobri com minha asa que era semelhante a de um anjo.

-Gostou? -Perguntei com um sorriso.

-Eu adorei, e tão quentinho aqui. -Ela falou passando seu rosto em minha asa.

-Que bom que gostou.

-Pai você não senti frio não? -Perguntou Sofia curiosa.

Nos caminhamos por toda a Snowdin e tudo que vimos foi poeira em meio a neve e uma cidade deserta mas já estava ficado tarde e estava começando a anoitecer.

-Que tristeza não é pai todas essas mortes feitas por uma simples criança. -Falou Sofia um pouco triste.

-Verdade.

-Como ela pode fazer algo assim? -Perguntou Sofia.

-Eu não sei mas vamos passar a noite aqui nesta pousada já que esta começando a anoitecer. -Falei entrando na pousada de Snowdin que estava deserta também.

-Esta bem.

P.O.V. Sofia

Fui para um quarto qualquer e me deitei na cama de casal que havia naquele quarto, fiquei deitada ali durante algum tempo mas acabei dormindo sem perceber.

P.O.V. Dipper

Sofia por para um quarto enquanto eu fui ligar o aquecedor daquele lugar e após ligar tudo ficou quentinho então fui até o quarto onde Sofia estava e a vi dormindo tranquilamente em sua cama então me aproximei dela.

-Boa noite filhota. -Falei a dando um beijo em sua testa.

Depois a tampei com uma coberta e fui um quarto ao lado e me joguei na cama de casal que tinha.

-Amanhã continuamos nossa procura. -Falei me aconchegando na cama.

Sonho on

(150 anos atrás)

Quando a Mabel fechou seus olhos após seu suspiro final eu entrei em desespero.

-NÃOOOOOO ME DEIXE MABEL!!!! -Gritei a plenos pulmões com toda minha força enquanto chorava.

Eu gritei de uma forma que eu acredito que toda a cidade foi capaz de me ouvir gritar.

-Pai acalme se ouve pode se descontrolar. –Falou Max secando algumas lágrimas que acabaram escorrendo sem ele perceber.

-Ele está certo pai. -Falou Thalia.

Mesmo com meus filhos me avisando eu não consegui deixar de escapar de mim uma gigantesca aura poderosa e sombria que deixou meus filhos cheios de pavor de mim mesmo com eles que já eram acostumados em ver eu expelir de meu corpo enormes quantidades de energia que o fez eles entrarem em modo de ataque.

-Pai se acalme! -Falou Thalia já se preparando a sacar sua espada.

-ISSO É IMPOSSÍVEL TENTE PERDER A PESSOA QUE DEU UM SENTIDO A SUA VIDA...TENTE PERDER A PESSOA NA QUAL VOCÊ FEZ COISAS NAS QUAIS TE FIZERAM SOFRER DE TAL MANEIRA QUE IRIA FAZER VOCÊS IMPLORAR PELA MORTE NO MÍNIMO...EU ME TORNEI NESSE MONSTRO NO QUAL EU SOU HOJE POR CAUSA DELA…FIZ ISSO TUDO POR ELA!!!

-Nós entendemos Pai apenas nas se acalme. -Falou Sofia.

Eu estralei meus dedos então fomos teleportados para alguma dimensão desabitada.

-Chegou a hora da brincadeira crianças. -Falei com um sorriso sombrio em meu rosto.

Quando Sofia me viu com aquele meu sorriso no rosto ela pareceu estremecer  e toda a força que emana de mim.

-Sofia se prepare o pai está fora de si. –Falou Max

-Está bem. –Falou Sofia em um suspiro.

Ela socou sua espada é entrou em modo de combate.

-Pai odeio te ver assim. –Murmurou Sofia.

Eles se teleportaram de volta para casa mas do lado de fora e fui atrás deles então eles me atacaram em conjunto sem muito efeito, então eles se afastaram de mim, eu invoquei minhas espadas, mas quando eu estava quase nos acertando, porém eu consegui parar e voltar a mim a tempo.

-Desculpa crianças foi sem querer. –Falei abaixando minha cabeça.

-Não se preocupe pai sei que foi sem querer. –Falou Sofia com um sorriso calmo.

-Nos sabemos o quanto você amava a mãe. –Falou Thalia.

Sonho off

Eu acordei muito ofegante e um pouco assustado quando de repente eu escutei uma batida na porta.

-Quem é? -Perguntei.

-Pai sou eu posso entrar? -Perguntou Sofia.

-Pode sim entre.

-Pai posso fazer uma pergunta? -Perguntou Sofia entrando no quarto.

-Pode perguntar Sofia.

-Posso dormir com você hoje pai? -Perguntou Sofia um pouco tímida.

-Claro que pode fazia anos que você não fazia isso. -Respondi.

-Que bom. -Falou Sofia se deitando ao meu lado com aquele bela sorriso de sempre dela.

-O que ouve para isso acontecer depois de tanto tempo? -Perguntei.

-Tive um pesadelo.

-Olha minha "garotinha" teve um pesadelo e vei dormir na cama do papai. -Falei brincando.

-Pai eu já tenho quase duzentos anos não sou mais uma garotinha. -Falou Sofia constrangida.

-Mas você tem aparecia de uma garota de 16 anos. -Falei.

-Você não pode falar nada você você tem duzentos anos e parece ter uns 18 anos ainda. -Falou Sofia.

-Ta bom parei. -Fale me virando para o outro lado da cama.

Depois de algum tempo pude sentir a Sofia me abraçando por trás enquanto dormia, nos dormimos assim, mas de manhã eu me levantei primeiro sem acorda-la e fui naquela loja abandonada aqui do lado para pegar algo para nos comermos porque e sempre bom comer mesmo não precisando disso para nos mantermos vivos, após Sofia se levantar nos comemos e seguimos nosso caminho até chegar em Hotland onde vimos Alphis ser morta por Frisk em seu laboratório.

-Eu ire te matar sua assassina miserável!! -Falou Sofia sacando sua espada e atacando de surpresa Frisk.

Sofia deu um golpe pelas costas de Frisk que arrancou 30 HP.

-Então esse e o tal de HP que vi, isso me lembra de jogos. -Falei observando a luta.

-Sua miserável. -Falou Frisk contra atacando Sofia com sua faca.

Sofia desviou do ataque de Frisk e atacou novamente com sua espada a deixando apenas com 1 de HP, mas quando ela fi a matar eu a parei.

-Sofia já esta bom eu preciso dela viva. -Falei.

-Esta bem pai. -Falou Sofia guardando sua espada em sua bainha.

-Chara eu sei que você esta ai então como eu estou de bom humor hoje vou te dar duas escolas se você sair do corpo da Frisk e a deixar em paz ou eu irei ter que tirar dai a força e irei te destruir por completo. -Falei com uma voz firme e seria.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...