História Great Secrets - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Justin Bieber
Exibições 776
Palavras 2.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 38 - Ashamed


Fanfic / Fanfiction Great Secrets - Capítulo 38 - Ashamed

Ponto de Vista Justin B.

 

Após meu comentário inesperado olhei rápido para Candice, que não soltou um riso sequer, e notei suas bochechas avermelhadas. Ela me olhava com os olhos arregalados enquanto todos ali estavam rindo, inclusive eu.

— Por que ficou vermelhinha, bebê? - sua mãe caçoou apertando suas bochechas rindo - Não é como se eu não soubesse que vocês fazem… - fez um gesto pornográfico com as mãos e eu ri alto - Entende?

— Péssima ideia você aqui, Justin - negou - Péssima ideia - disse baixo bufando e afastando-se de todos.

— Ficou bravinha -  a mulher a minha frente silabou para mim enquanto pegava as malas do chão e Lucy e seu namorado seguiam Candice - Pelo o que ouvi você chama-se Justin, huh? - disse retoricamente e eu assenti - Sou Marcy Evan, mas pode me chamar de Marcy ou Evan - riu e eu fiz o mesmo enquanto fechava a porta e entrava no apartamento - Para mim tanto faz.

Assenti concordando e após deixar suas malas em um canto da sala fomos para a cozinha, onde estavam Lucy, seu namorado e Candice, que estava de costas para mim enquanto mexia em alguma panela no fogão. Seus fios loiros cobriam parte de suas costas cobertas com a blusa regata e outros ousavam repousar em suas bochechas vermelhas. Sua mão desocupada arrastou os fios para atrás da orelha bruscamente e voltou a mexer a colher na panela. Marcy, Lucy e Logan - finalmente eu havia lembrado o nome dele - estavam sentados na mesa da cozinha entretidos em alguma conversa aleatória, e eu aproveitei o momento para me aproximar do ser loiro e irritado.

Cheguei devagar e toquei a cintura coberta pelo pano justo e encaixei minha boca perto do seu ouvido, na curvatura do seu pescoço. Toquei o outro lado da sua orelha e arrastei minha mão para sua virilha coberta pelo short, empurrando seu corpo contra meu quadril. Um gemido abafado foi soltado de sua boca assim que rocei meu pau em sua bunda e funguei em seu pescoço, e, consequentemente seus pelos se eriçaram. Ri fraco e ela entortou a cabeça para o outro lado, me dando mais espaço para investir minhas carícias em sua pele descoberta. Arrastei meus lábios por toda a mesma e parei em seu ouvido, aproveitei sua distração e levei minha mão da sua virilha até sua barriga encolhida. Deus, eu amava os efeitos que causava nessa garota!

— Que tal ajeitar esse bico, huh? - cochichei me referindo ao bico que ela fazia por estar irritada.

— Não estou fazendo bico - disse séria enquanto mexia devagar a colher e eu ironizei rindo nasalado.

— Então ajeite essa cara de garota emburrada - reformulei meu pedido alisando sua barriga e ela gemeu cedendo aos meus carinhos - Não gosto de te ver irritada.

— Não estou irritada - disse e com minha outra mão em seu cabelo o alisei - Apenas envergonhada.

— Que seja - revirei os olhos mesmo ela não podendo ver - Apenas ajeite essa cara de garota emburrada, irritada, envergonhada ou o caralho que seja - falei mais baixo essas últimas palavras pressionando mais meu pênis contra seu bumbum.

— Não sei se percebeu, mas você está sarrando em mim enquanto minha mãe, Lucy e seu namorado provavelmente estão nos olhando - disse envergonhada enquanto abaixava a cabeça.

— Como disse sua célebre mãe - falei enquanto a virava para mim e a empurrava contra o balcão onde estava o fogão - Não é como se eles não soubesse que nós fodemos - completei piscando e lhe dando um beijo.

Me afastei rindo e ela fez o mesmo, apenas permaneceu perto do fogão enquanto terminava de preparar a comida. Arrastei a cadeira em que estava sentado minutos atrás e tentei me enturmar na conversa desconhecida.

— Vamos fingir que ninguém viu o loirinho sarrando em minha bebê - Marcy cochichou para Lucy brincando ao notar que eu estava ao seu lado.

— Meu Deus do céu, Marcy! - Lucy gritou rindo pela falta de pudor da mulher a sua frente.

— Candice tem seus motivos para ficar envergonhada - ri entendendo o lado dela.

— Mas vamos olhar pelo lado bom, não teremos que aturar a cara emburrada de Candice durante toda a manhã - Evan deu de ombros enquanto enfiava o garfo na panqueca de Logan e a colocava em seu prato.

— Ei, essa panqueca era dele! - Lucy exclamou.

— Sou visita, fofinha - fez pouco caso - É só fazer outra para ele.

— Logan também é visita - revirou os olhos.

— Seja cavalheiro ao menos uma vez, rapazinho - Marcy disse com a boca cheia e Logan riu.

— Tudo bem, Lucy. Eu como os waffles - a confortou e ela assentiu.

Candice virou com uma frigideira em mãos e foi a pia, colocando a colher suja na mesma. Aproximou-se de mim e puxou meu prato branco para mais perto, derrubou dois ovos mexidos e ajeitou o bacon no mesmo. Com a panela ainda em suas mãos ela apoiou seu corpo em apenas uma perna enquanto descansava a outra e me olhava sorrindo. Ah, como eu amava aquele sorriso. Retribui o gesto e puxei meus prato para mais perto, levantei minha mão e a rodeei em suas cintura, enquanto ela observava sua amiga e sua mãe conversando.

— Eu lembro desse dia! - Lucy gritou e eu finalmente atrai minha atenção para elas que antes estava em Candice.

— Que dia? - ela perguntou.

— Estávamos comentando sobre seu tempo de colegial - sua mãe disse rindo.

— Por que justamente o meu tempo de colegial? - questionou.

— Porque ele foi o mais podre de todos aqui - Lucy deu de ombros.

— Poupe-me, Carter - revirou os olhos e eu acariciei sua cintura.

— Mas eu estou falando sério! - exclamou rindo e sua mãe a acompanhou.

— Bebê, dessa vez tenho que concordar com Lucy - Evan disse - Me lembro do dia em que você estava no primeiro ano do Ensino Médio e me ligou desesperada e gritando: “Mãe, vem rápido. Acho que menstruei na escola!” - a imitou com uma voz fina e eu ri nasalado olhando para Candice com suas bochechas vermelhas.

— Mãe, pelo amor de Deus. Fique quieta - implorou e ri alto fazendo com o que ela me lançasse um olhar mortal, apenas alisei o local onde meus dedos estavam e a confortei.

— Nossa, acabei de lembrar do dia em que o pai dessa coisinha quase a pegou beijando um garoto - falou e eu semicerrei meus olhos, mais interessado na conversa.

— Vagabunda desde sempre - Lucy brincou e Candice lhe dançou o dedo do meio.

— Beijando um garoto, é? - perguntei com os olhos semicerrados e sua mãe assentiu rindo - Foi no dia em que ela foi expulsa da escola? - franzi o cenho.

— Não, essa é uma história totalmente diferente - Evan deu de ombros e eu arregalei os olhos olhando para Candice irritado.

— Tá me olhando assim porquê? - levantou uma das sobrancelhas - Não tenho culpa se era muito desejada pelos garotos daquela época.

— Há-Há-Há! Muito engraçadinha - revirei os olhos e retirei minha mão de sua cintura pegando o garfo.

— Relaxa ai, cara - Logan disse e eu o olhei.

— É Justin, relaxa ai - Lucy repetiu e eu ri nasalado negando.

— É loirinho, relaxa ai - Marcy também repetiu entrando na brincadeira e eu ri, olhando para Candice esperando que ela acabasse com a “corrente”.

— É amor, relaxa ai - debochou rindo e eu fiz o mesmo.

Aquela porra de “amor” havia feito as batidas do meu coração acelerar, e eu internamente estava puto por isso, eu não deveria ficar daquele jeito apenas por ela ter me chamado de amor. Ou deveria? Talvez aquilo era para ter soado irônico ou debochado, mas puta que pariu. Certamente eu não fui o único a ficar surpreso com a palavra, pois em alguns segundos todos olhamos para o ser loiro que voltava para a pia colocando a frigideira na mesma. Pigarreei e voltaram a falar de outras coisas diferentes de fatos do colegial de Candice, não era muito agradável para eu ficar ouvindo quantos e como Candice havia beijado outros garotos, definitivamente não era agradável.

— Senta aqui, bebê - Marcy cedeu a cadeira que estava ao meu lado para Candice e sentou-se em outra do lado oposto da mesa.

— Obrigada - agradeceu gentil e eu aproveitei a aproximação e repousei minha mão em sua coxa desnuda.

— Então… Faz quanto tempo? - sua mãe perguntou após enfiar um pedaço de panqueca na boca.

— Quanto tempo o que? - Clark franziu o cenho confusa.

— Que estão juntos - acenou a cabeça apontando para nós dois e eu dei uma pequena tosse ao engolir o suco de laranja e apertei com um pouco de força a pele de Candi.

— Nós não estamos juntos nesse sentido, sabe - Candice falou baixo e Lucy riu alto.

— É, não nesse sentido - confirmei alisando a coxa dela.

— Ah, esqueci do lance de “amigos que fodem” - fez aspas com as mãos - Mas enfim, quanto tempo estão nesse caso de amigos que fodem? - reformulou.

— Sinceramente? Eu não sei - respondeu simples e Marcy olhou para mim.

— Muito menos eu.

Eu nunca havia parado para pensar em quanto tempos nós estávamos nessa coisa ainda indefinida, era estranho. Parecia que nós nos conhecíamos há meses, sendo que realmente não era bem assim. Deveriam fazer, sei lá, dois meses? Mais de três eu tinha quase certeza que não. Ou faziam? Ah, isso não importava merda nenhuma agora.

— O que faz da vida, loirinho? - Marcy perguntou me tirando de todos os devaneios. Nada, serve?

— Trabalho na empresa do meu pai - respondi e ela franziu o cenho concordando enquanto tomava o copo de água - É um empresa hereditária, então ultimamente ele anda me preparando para assumir o cargo dele.

Hmm, que legal - murmurou - Olha aí bebê, pegou o trem completo, huh? - caçoou e Candice engasgou-se com a fruta que descia em sua garganta.

— Mãe pelo amor de Deus… - disse baixo envergonhada enquanto passava as mãos em seu rosto impaciente.

— Eu estou brincando, Justin. Não leve a sério - riu me confortando e eu assenti rindo. Eu realmente não estava levando a sério as palavras que saiam de sua boca.

— Fica de boa, Candi - a relaxei e ela me lançou um olhar perdido negando.

— É ótimo ver Candice passando vergonha! - Lucy gritou e sua amiga novamente lhe lançou o dedo do meio.

— Onde irei dormir? - levantou-se da cadeira colocando o prato na pia - Só para avisar não irei dormir no colchão do chão e nem no sofá, sou velha e tenho que ter uma cama confortável.

— Resumindo, a senhora quer dormir na minha cama?! - Candice falou levantando as sobrancelhas.

— Pegou a informação rápido, huh? Estou indo colocar minhas malas no seu quarto - avisou saindo.

— Quanto tempo ela vai ficar aqui? - enruguei o nariz perguntando baixo para Candice.

— Eu realmente não sei, Justin. Ela pretende fi… - ela dizia tudo baixo mas parou rapidamente formando um “o” com a boca ao notar o motivo por eu ter perguntado aquilo - Eu não acredito que você já está pensando nisso! - exclamou.

— Nisso o que? - me fiz de desentendido.

— Não se faça de sono, queridinho - ironizou revirando os olhos - Eu sei que você já estava pensando no lugar que nós futuramente iremos foder e que agora está sendo ocupado pela minha mãe - disse baixo envergonhada.

Se bem que olhando por um lado nós ainda temos minha casa.

— Mas é claro! - exclamei no mesmo tom - Tenho que garantir o lugar em que faremos amor - pisquei e ela me olhou sem graça.

Lucy e Logan já estavam fora da cozinha e eu nem tinha percebido.

— Você é patético - revirou os olhos e levantou da cadeira colocando o prato na pia - Mas eu relevo porque ultimamente está usando um palavreado fofo comigo - disse e eu ri. Oh, agora que eu havia me lembrado, Candice ficou de me contar algo hoje, eu me lembro vagamente que ela me disse algo do tipo noite passada.

— O que você queria me falar? - cruzei o cenho e ela me olhou sem entender.

— O que?

— Noite passada você falou que queria me falar algo, mas só falaria na manhã seguinte quando eu estivesse sóbrio - relembrei e ela abriu a boca murmurando um “ah” lembrando-se.

— Me espera aqui, volto em um minuto - disse e foi em direção a sala pegar algo.

Não era como se eu fosse fugir da cozinha.

— E então…?

— Olha isso - me deu o celular me mostrando algumas mensagens.

Eram mensagens de alguém no anonimato, nelas vinha anexa uma foto, e nessa foto estava justamente o momento em que nos beijamos pela primeira vez na boate. Porra, fazia muito tempo que mandavam essas merdas! Por que diabos ela não me mostrou antes? Rolei os olhos rápido por todas as outras e a olhei, ela me olhava esperando alguma reação e eu a olhava surpreso.

— Quem é o filho da puta que está te mandando isso? - perguntei irritado.

— Se eu soubesse não estaria te mostrando - debochou e eu respirei fundo. Porra, Justin! Que pergunta patética.

— Puta que pariu - levantei-me da cadeira alisando meus cabelos enquanto rolava mais uma mensagem.

Desta vez a mensagem era apenas uma foto, e nessa foto tinha Candice apenas com um short leve de costas para a câmera e sem blusa. Porra?!

— Foi para isso que você estava perguntando quem entre Ryan e Chaz mexia com tecnologia? - perguntei impaciente e ela assentiu devagar.

— Foi. Eu pensei que poderia re…

— Eu vou resolver isso, tudo bem? - a interrompi chegando mais perto e tocando suas bochechas - Não tente resolver essas coisas sozinha, eu estou aqui, escutou? - perguntei e ela assentiu, dei um beijo rápido, a abracei e respirei fundo.

Segundos depois passos foram ouvidos descendo os degraus e a cabeça de Marcy aparecia.

— Ô loirinho, tu vai estar ocupado durante o almoço? - perguntou e eu me desvencilhei do abraço negando.

— Não, porquê?

— Lucy falou que fará um almoço comemorando minha chegada e todo esse charminho - debochou rindo - Então vai estar todo mundo reunido, só vai faltar você.

— Oh, verdade? - perguntei e ela assentindo sorrindo - Certo, eu só preciso ir para casa trocar de roupa e estarei de volta - sorri gentil e ela fez o mesmo voltando para onde estava.

— Você não vai trabalhar? - Candice perguntou.

— Qual a parte do “tô afim de conhecer tua mãe hoje” você não entendeu? - franzi o cenho e ela revirou os olhos.

— Vai em casa agora?

— Vou, mas antes vou passar lá no Chaz - falei - Antes de ir embora ele pediu que eu passasse lá, por conta do Theo e tal.

— Oh, o Theo ainda está com você?

— Tecnicamente falando, ele está com Chaz agora - zombei e ela revirou os olhos.

— Você entendeu, Justin - bufou.

— Sim, ele está comigo - respondi andando em direção a sala - Mas não sei se por muito tempo.

— Ele é tão fofo, Justin. Você bem que poderia ficar com ele - choramingou me seguindo.

— Olhe para mim e me diga se tenho cara de quem sabe cuidar de criança - ironizei me virando para ela.

— Bethy te ajudaria - rebateu.

— Porra Candice, eu não sei - falei sincero passando a mão no rosto impaciente - Vou ver o que faço.

— Certo. Agora vai - abriu a porta e me colocou para fora.

— Vemos aqui claramente o quanto você anseia pela minha presença - zombei e ela aproximou-se me dando um beijo.

— Sempre, amor.


Notas Finais


Vocês viram o baby da minha mom Candice???? Tão cuteeee!!!!
Capítulo simplesinho, como sempre ahahah, mas eu espero que tenham gostado <3
Meu Twitter: @flatlinens
TRAILER:::::::::: https://www.youtube.com/watch?v=NvOLmXQYyr4 :::::::::;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...